“Puja de Páscoa e Havan, A Criação do Senhor Jesus”

Nirmala Palace – Nightingale Lane Ashram, London (England)


Feedback
Share
“Puja de Páscoa e Havan, A Criação do Senhor Jesus”
 Nightingale Lane Ashram, London (UK), 11-4-1982

Hoje nós estamos celebrando o dia… que é um assunto muito, muito importante, sem dúvida o dia mais importante, nós podemos dizer, quando um acontecimento tão grandioso aconteceu.

E isso tinha de acontecer dessa maneira, porque tudo de um certo modo foi muito severo. Em Minhas últimas palestras, Eu lhes falei como Cristo foi criado, primeiro no céu. No Devi Mahatmya, se você lê-lo, Ele foi criado como Mahavishnu… e está muito claramente mencionado que primeiro… Ele foi criado como um ovo. Isso está escrito nesse livro, que talvez foi escrito cerca de 14.000 anos atrás. É um livro que profetizou sobre Cristo, e é por isso que as pessoas especialmente no ocidente, oferecem um ovo uns aos outros como sinal de amizade. Assim, primeiro a existência manifestou-se nesta Terra como um ovo, que era Cristo, e parte dele foi mantido nesse estágio… e o resto dele foi usado pelo Espírito Santo, por Mahalakshmi, para criar Cristo a partir dele. Nesse livro antigo, Ele foi chamado de Mahavishnu, significa “a forma maior de Vishnu”. Mas, na verdade, Vishnu é o Pai… e Ele é o Filho criado pelo Espírito Santo. Depois de Minha palestra, Eu gostaria, se vocês tiverem o livro, de ler isso para eles, o texto inteiro sobre como Cristo foi criado. E quando Ele foi criado, Ele clamou por Seu Pai, do mesmo modo que Ele também clamou na cruz uma vez.

E Ele clamou por anos. E depois, Cristo, no estado de Mahavisnhu, foi abençoado pelo Seu Pai… que disse: “Sua posição será colocada mais elevada do que a Minha…” “e Você será o Adhara”, significa “O Suporte do Universo.” Vejam como a partir do Muladhara, Ele se tornou o Adhara. Tudo foi feito no estágio celestial, no estágio de Vaikuntha, você pode dizer. Então Ele nasceu do Espírito Santo, que era a Mãe de Cristo nesta Terra, que era a Encarnação de Makalakshmi, significa que Ela era Radha. Ra – dha. “Ra” significa “energia”, “dha” significa “Aquela que sustenta a energia”. Há muitos aspectos da Páscoa que temos de entender, mas principalmente: por que Ele morreu… e por que Ele ressuscitou? Nesse ponto Eu ainda não toquei, talvez, tão claramente. Esse é o ponto sobre o qual Eu quero lhes falar hoje.

É somente vocês que podem entender a importância da vida de Cristo. E quando é dito que você tem de obter… sua Realização através de Cristo, isso significa que Ele tinha atravessar o Agnya Chakra. Ele tinha de estar lá. Se Ele não tivesse criado essa abertura na porta, nós nunca poderíamos ter a Realização. É por isso que é dito que você tem de passar através… dos portões do céu somente com a graça de Cristo. É claro, isso não significa igrajas, não significa de forma igrejas… igrejas. Isto vocês compreendem como Sahaja Yogis: você tem de passar através do Agnya Chakra. Por fim, esse é o ponto mais difícil… por onde os seres humanos têm de passar, porque no Agnya Chakra, seu ego e superego estão completamente desenvolvidos. Somente no estágio humano, esse ego está desenvolvido. Agora, como superar o ego era uma questão.

E para superar o ego, Cristo tinha de fazer isso. Quando Ele foi criado no começo como Shri Ganesha – vocês conhecem a história de como Ele foi criado – que a mala… que é proveniente do corpo de Parvati, o Espírito Santo, foi tirada porque antes do casamento Dela, Ela estava – Ela tinha de se cobrir para Seu banho com muitas coisas perfumadas. E isso foi tirado, todas essas coisas, e as vibrações Dela saíram. E Ela criou essa criança apenas para proteger a castidade Dela. Ela O colocou na parte de fora de Seu banheiro. E vocês conhecem toda a história sobre isso. Agora, havia uma parte do elemento da terra nessa criança, pruthivee-tattwa estava presente. Todos os outros centros, todos os outros centros têm alguns elementos neles. Alguns elementos como pruthivee-tattwa estão presentes, o elemento terra, depois vocês têm o elemento água, depois vocês têm o elemento ar, e quando você chega aqui, é o elemento luz, é a luz. E neste ponto, no Agnya Chakra, Ele tinha de atravessar o último elemento, que era o elemento luz.

Isso significa que Ele tinha de se revelar… somente na verdadeira forma do Poder Divino, o Omkara, as vibrações, vocês podem chamar assim, ou o absoluto, vocês chamam isso de “logos” ou algo assim. O primeiro som, Brahma. Então Ele tinha de se tornar o Princípio de Brahma. Para se tornar o Princípio de Brahma, Ele tinha de se livrar de… todos os outros elementos dentro Dele. Então o último também era o elemento luz, através do qual Ele tinha de atravessar. Assim, Ele tinha o elemento terra Nele, visto que Ele foi feito da “mala”… e tinha todos os outros elementos dentro Dele. Mas quando se trata do Agnya, Ele tinha de abandonar todos os elementos, Ele tinha de morrer, ter a morte de todos esses elementos que estavam dentro Dele, para tornar-se completo, totalmente o puro Espírito. O que Ele fez na forma sutil teve efeito na forma grosseira… e para fazer isso, Ele tinha de morrer. E seja o que for que morreu Nele, foi esse pequeno elemento terra e os outros elementos, e o que surgiu Dele foi o puro Espírito. Foi o puro Espírito que foi ressuscitado, o puro Espírito, o puro Brahma Tattwa que tinha formado o corpo de Cristo, que era o corpo de Cristo.

E esse acontecimento ocorreu, Cristo fez o que foi profetizado sobre Ele, Ele era um Salvador, porque Ele passou através dessa porta… para levar as pessoas dessa existência corpórea, quer dizer, aquele que depende dos elementos, para essa existência que é o Espírito. Assim, a ressurreição acontece quando você se torna, a partir de sua atenção, você salta para dentro da atenção do Espírito. Quando você sente sua atenção, quando você se torna o Espírito, esse é o acontecimento que ocorreu a você também. Mas Ele se tornou o puro Espírito, o puro Brahma Tattwa… quando Ele ressuscitou, e a Ressurreição é um acontecimento do Poder Divino… que veio do Muladhara Chakra como simplesmente o elemento terra, começou a crescer. Nasceu de lá, veio até o Agnya Chakra. Lá Cristo foi criado… para passar através de todos os elementos, por fim, entrar no Sahastrara… para se tornar um completo Brahma Tattwa. E isso foi uma coisa muito dífícil, foi muito experimental. E o experimento era muito perigoso. Isso poderia ter falhado também, porque Ele tinha Nele esse elemento humano, o elemento corpo que sofreu. E Ele sofreu, porque esse elemento corpo sofre, não o Espírito, o Espírto não sofre.

O elemento corpo sofre. Então Ele tinha de sofrer com esse elemento corpo… e superar isso, livrar-se disso, e para livrar-se disso, Ele teve de ter uma enorme coragem. Era uma operação tão dífícil. Sem Ele, ninguém poderia ter alcançado. Ele sabia que isso estava predestinado, mas era uma das coisas mais dificeis de acontecer. Eu Me pergunto quantos cristãos conhecem o significado de um ovo. Agora, o ovo significa o estágio onde você está antes da Realização, quanto você está em sua concha do ovo, em que você é Sr. X, você é Sra. Y, e tudo mais. Mas quando você amadurece completamente dentro, o pássaro está pronto, e esse é o momento em que você sai do ovo. Esse é o momento em que você tem o segundo nascimento.

Então, na verdade, a Ressurreição de Cristo significa isso… e é por isso que damos esse ovo para as pessoas, dizendo: “Você é um ovo”, uma lembrança disso, “e esse ovo pode tornar-se o Espírito.” E também está escrito que isso era um ovo quando Ele veio. Primeiro Ele foi criado como um ovo. Metade dele permaneceu… como Shri Ganesha e metade dele se tornou Mahavishnu. Então Ele veio nesta Terra… e Ele partiu com todos os Seus elementos… e as puras vibrações formaram Seu corpo. e Ele permaneceu lá, dentro de todos vocês, para ser despertado, e quando a Kundalini leva sua atenção através deste ponto, lá você também se torna o Espírito. É por isso que Ele disse: “Eu sou a passagem, Eu sou a porta.” Ele não disse: “Eu sou a destinação”. Ele disse: “Eu sou a porta”, porque você não pode se tornar Cristo. É por isso que Ele não disse: “Eu sou a destinação”, que você tem de alcançá-Lo, mas Ele criou esse espaço para você.

Você pode se tornar espiritualmente despertado, você pode se tornar seu Espírito. Mas Cristo é uma Encarnação, Ele era o Filho de Deus. E então Ele é uma Encarnação e essa Encarnação veio nesta Terra… apenas para tirá-los de seus elementos, fazer vocês se tornarem o Espírito. Agora, como é que isso foi a coisa mais dífícil? Porque os seres humanos tinham criado em suas cabeças… todos os tipos de barreiras artificiais; observe que tudo que pensamos e tudo que fazemos com nossa mente é tudo morto, é feito pelo homem, é artificial, porque a realidade está além de sua mente, ela não está em sua mente. Você não pode concebê-la, você não pode retê-la. Tudo que está em sua mente não é a realidade, ela está além. Assim, para um ser humano aceitar algo que está além da mente… tinha se tornado tão dífícil na época de Cristo por causa dos romanos… e de todas aquelas pessoas surgindo. E nós estamos repetindo a história novamente. Eles eram tão orientados para o ego, eles eram tão cheios de ego… que para destruir o ego deles, alguém tinha de fazer isso para criar uma passagem.

Através de Sua morte, muitas coisas são provadas, todos aqueles que O crucificaram eram pessoas estúpidas, elas eram orientadas para o ego, elas eram cegas. Elas não conseguiam ver o que Ele era. Elas não podiam ver que personalidade genuína Ele era. Elas O cruficaram. Quero dizer, isso é a maior estupidez E elas O cruficaram, tudo isso ficou conhecido porque dessas pessoas… eram tão estúpidas, que elas simplesmente O crucificaram, o que mais elas poderiam fazer? Porque elas não podiam suportar com seus pequenos egos, alguém que é tão simples, que é tão genuíno, que é tão verdadeiro. Então elas O crucificaram… e essa crucificação veio como um grande avanço evolutivo para nós. Mas a mensagem para nós é a parte da Ressurreição. A mensagem para nós é a Ressurreição e não a crucificação. A crucificação não é a mensagem, porque Ele fez isso por nós.

Esse é o ponto que os judeus devem compreender. Outro dia Eu estava lendo – hoje – uma discussão que aconteceu com o arcebispo de Canterbury. E o sujeito que estava lhe fazendo perguntas, o estava fazendo… como se ele estive perguntando a Deus. De certo modo, ele disse também: “Eu faria esta pergunta a Deus:” “Por que tantos judeus foram mortos?” Eles pediram isso. Eles desejaram sofrer… porque eles não deram crédito ao sofrimento de Cristo. Eles pensaram: “Todos nós temos de sofrer.” Ego. É ego. “Como alguém ousa sofrer por nós?

Nós devemos sofrer separadamente.” Eles não podiam dar esse crédito a Cristo e… todo o pensamento posterior foi: “Nós devemos sofrer.” Assim, seja o que for que você pense… entra em ação nesse nível grosseiro, então Sr. Hitler nasceu e os fez sofrer. E a estupidez dos seres humanos… é responsável por todos os problemas que são criados nesta Terra. A outra questão era: “Como as crianças contraem leucemia?” Ele perguntaria a Deus: “Como as crianças contraem isso?” Se os pais não muito frenéticos e apressados, as crianças acabam contraindo isso. Se você não é uma pessoa relaxada quando você é casado… e quando você vai ter um bebê, você fica pensando em divórcio e todo o tipo de insensatez, esse frenesi atuará sobre a criança. Psicologicamente é um problema de canal esquerdo e a criança acaba… se tornando um paciente com leucemia assim que nasce. Isso é o que acontece.

Assim, os problemas são criados pelos seres humanos… por causa da estupidez deles. Não existe nenhum problema que Deus tenha criado para vocês. Ele resolveu todos os seus problemas. Todos os seus problemas, Ele resolve. Vocês têm visto na Sahaja Yoga… o modo como Ele resolve até mesmo seus pequeninos problemas. Mas nós criamos problemas para nós mesmos por nossa estupidez, por nosso vício aos elementos, a coisas materiais, a hábitos materiais. A matéria nos domina. Isso acontece, podemos dizer, no nível do elemento terra. Depois nós temos outros problemas como por exemplo apegos emocionais: “Esta é minha filha; este é meu filho; isto é meu; esta é minha;” “eu sou tão apegado a meu filho.” Depois “este é meu país, este é seu país.”

Nós criamos problemas. Estas Ilhas Malvinas… Essa coisa das Ilhas Malvinas… é um problema artificial, você pode ver isso. Quero dizer, quando aquelas pessoas foram lá, aqueles espanhóis, todos eles deveriam voltar para a Espanha. E todos que vieram para o Brasil deveriam voltar para Portugal. O que eles estão fazendo lá? Se essa é a situação. Mas todos eles são seres humanos. O que é esse negócio de território? Deixem os seres humanos viverem felizes onde quer que estejam. O que eles estão ganhando com esse negócio de território?

Deus nunca criou a Argentina, o Chile, a Inglaterra e tudo isso, Ele criou uma estrutura homogênea, e é para cuidarem uns dos outros. Por exemplo, um coração é criado, um fígado é criado, um cérebro é criado, um nariz é criado. Se eles começarem a brigar, digamos que este olho comece a brigar… com este olho Nós rimos, mas nós, seres humanos, fazemos a mesma coisa. Estamos o tempo todo agindo assim. Essa é a estupidez dos seres humanos, que está criando problemas. E quando vocês se tornam muito estúpidos, alguém horrível tira vantagem disso… e vem nesta Terra exatamente como Hitler, e ele tenta corrigi-los. Vocês não precisam de tudo isso. Vocês só precisam de sabedoria… e de sua Realização. E isto é o que é feito hoje: vocês tiveram a Realização. Assim, a Páscoa para os Sahaja Yogis no mundo inteiro… é o acontecimento mais importante, porque se isso não tivesse acontecido, não teria sido possível dar a Realização às pessoas.

Eu acho que Gavin lerá mais tarde… o que está escrito sobre Cristo no Devi Mahatmya. Esse livro foi escrito cerca de 14.000 anos atrás por Markandeya. Assim imaginem, há 14.000 anos atrás Ele sabia, sendo um profeta, exatamente como Blake, o que iria acontecer quando Cristo viesse. Mas Ele era chamado de Mahavishnu. Ele não era Vishnu, Ele era o Filho de Vishnu. E vejam o modo como os cristãos entenderam isso em relação a Páscoa. Eles não entenderam. Eles – isso é – O Cristianismo hoje não é nada além de uma atividade mental, só isso, que é morta, é insensatez. Exatamente como qualquer outra religião insensata, ela se tornou uma outra religião estúpida, absurda que… não tem nenhum sentido. A menos e até que você tenha a sua Realização, a menos e até que você sinta as vibrações, a menos e até que você sinta este Poder Divino que está em volta, como você compreenderá?

Porque essa é a única coisa que é verdade; essa é a única coisa que é realidade, e a menos e até que você alcance isso, como você saberá sobre Cristo? E lutando em nome Dele, como você pode lutar? Eu realmente não consigo entender. Para Mim, é a estupidez indo a um outro extremo. Através disso, o que você faz na verdade é usar… todas essas grandes Encarnações para matarem-se uns aos outros. Vocês podem imaginar? As coisas que vieram para elevá-los, para transformá-los em seres mais elevados, agora são usadas, as mesmas coisas, os nomes são usados para matar uns aos outros, humilhar uns aos outros. No máximo, se você chega a um ponto onde você não compreende, então eles começam a dizer: “Isso é um mistério.” Qual é o mistério? Na Sahaja Yoga não há nenhum mistério.

Tudo simplesmente está lá. Para Mim, os seres humanos são um mistério. Eu não os compreendo. Eu não consigo compreender. A Ressurreição de Cristo tem de ser agora a ressurreição coletiva. Isso é que é a Maha Yoga. Tem de ser a ressurreição coletiva… e para essa ressurreição coletiva, antes de tudo, os Sahaja Yogis devem decidir ser coletivos. Porque através do despertar da Kundalini, você transpõe, sem dúvida, você passa através, mas você entra na área da coletividade. E se você não permite essa coletividade… permeá-lo internamente, então você decai. Vamos supor que você fique em um estado além do elemento, o estado em que você é um ser coletivo; você está consciente do ser coletivo; você está consciente de que você é parte integrante do todo; você está consciente de que você tem de ajudar seu nariz e seus olhos, porque você é parte integrante do todo.

Você alcança esse estágio onde você compreende: “Eu sou tão importante quanto às outras células,” “e as outras células devem ser ajudadas por mim..” “e elas têm de me sustentar, nós somos um.” Deve haver completa concordância. Essa consciência surge após a Realização… e se você não entende que essa consciência, que essa conciencia coletiva, é a única forma pela qual você pode ficar nessa área, senão você sai, você começa a ter seus pequenos poços e simplemente cai dentro deles. Quanto mais você começa a se expandir, você se eleva mais alto… e depois você fica novamente com seus badhas ou seja o que for. Mas se você pensa: “Eu tenho de viver para o todo.” “Eu sou responsável pelo todo.” “Eu sou responsável por criar o núcleo de uma célula,” “que vai cuidar do todo,” “e se eu decair, o resto também sofre.” “Eu não tenho nenhum direito de decair,” “porque eu fui ressuscitado até esse ponto.” “Eu entrei no estado da coletividade,” “onde meu ser, que é o Espírito,” “é o ser coletivo e eu tenho de ficar lá,” “eu tenho de estar lá, eu não posso cair,” “esse não é o modo como eu posso viver.” Mas eu tenho visto que também após a Realização, as pessoas não conseguem sair de suas conchas.

Elas ainda se mantêm na concha. Elas não conseguem expandir suas asas e cantar… e se livrarem de suas conchas… e simplesmente voar. Elas não conseguem fazer isso. Elas ainda ficam grudadas em seus pequenos modos de vida, em hábitos menores, sob todos os aspectos. Em um feriado você sai. Você quer ter um feriado separado. Por quê? Esse é o momento do feriado, dia sagrado, como eles dizem. Dia santo. Esse é o dia sagrado.

Quando você está com outros Sahaja Yogis, você realmente está desfrutando um feriado. De outra forma, onde você desfruta seu feriado? Qual é a outra forma? Estar com eles é o verdadeiro dia sagrado. E é por isso que temos de entender… que você deve expandir sua coletividade. Se você não expande sua coletividade, você é simplemente um desperdício. Vocês são uma criação desperdiçada de Sahaja Yogis, que, sinto muito dizer, decairá. Pessoas assim também mostram, no começo, que gradualmente elas começam a ficar cada vez melhores. E uma vez que vocês estejam presentes no estado pleno, vocês realmente desfrutam a companhia uns dos outros… sem ter nenhum medo em relação a eles, sem nenhuma possessividade em relação a eles, sem ter nenhum tipo de expectativa, mas apenas regozijando uns com os outros. Isso tem de acontecer.

Todas as nossas células em nosso corpo são assim. Se elas podem fazer isso, por que nós não? Porque nós temos muito mais consciência, pelo menos nós achamos que temos mais consciência do que as células. Pelo menos isso é esperado, porque nós evoluímos muito… da forma unicelular a esse estado. E depois vocês são a quintessência da criação de Deus, vocês são as pessoas mais elevadas. Então por que não? Quando você tem a ressurreição, a primeira coisa que deve lhe acontecer é compreender que você não é mais um indivíduo, mas você é um ser coletivo. Você não é mais um indivíduo. Todas as coisas que o faz cortar ao redor sua indivídualidade, jogue-as fora. Você não é mais um indivíduo.

Todos os problemas que chegam a você… como problemas indivíduais são totalmente inúteis, falsos, sem valor. Pense nos problemas coletivos. Eu gosto de pessoas assim. Como outro dia, Fergie estava ansioso para saber… sobre a cidade de Bristol, que pontos existem lá… que estão gerando vibrações da Mãe Terra. Ele está preocupado com Bristol inteira, com todos os jamaicanos, depois com todo o povo britânico, e então você deve estar preocupado com o mundo inteiro. Isso é o que a pessoa deve pensar. A pessoa não deve pensar: “Como minha filha se casará?” “Como eu consigo uma passagem para ir lá?” Todas essas ideias insensatas devem ser abandonadas, porque você agora entrou no Reino de Deus… e Ele cuidará de você. Porque esse estado você estabelece dentro de você, de que você é um ser coletivo.

Todas as outras coisas desaparecerão. Gradualmente todos serão moldados. Mesmo o mais dífícil, Eu tenho visto que melhorou. Mas e quanto a você? Aquele que está melhorando todos os outros, e quanto a você? Até que ponto você está lá? Até que ponto em sua fé você sabe isto: “Eu entrei no Reino de Deus…” “e cada ação minha é cuidada e guiada pelo poder Dele…” “e eu estou consciente disso.” “Eu estou consciente de que eu entrei no Reino de Deus,” “que é expressado através de minha coletividade.” Assim, a coletividade é a natureza de um Sahaja Yogi. E isso é o que a pessoa tem de compreender.

Que Deus os abençoe. Está tudo bem agora? Na hora certa. Como administrei isso sem olhar para o relógio?