Shri Virata Puja

Cabella Ligure, Nirmal Temple (Itália)


Feedback
Share

 Shri Virata Puja 1999.09.05

 

Esta noite, nós iremos venerar Shri Krishna como Virata. Primeiramente, é importante compreender… a Encarnação de Shri Krishna. A palavra “Krishna” vem da palavra “Krishi”, “Krishi” significa agricultura. Ele semeou as sementes da espiritualidade. E para isso, antes de mais nada, Ele teve de pensar: “Onde nós estamos no que diz respeito à espiritualidade?” “Como está o terreno?” Assim, o que aconteceu na época de Shri Rama, foi que Ele criou muitas maryadas e com essas maryadas, mentalmente, as pessoas começaram a pensar: “Eu não devo fazer aquilo, eu não devo fazer isso”. Era apenas ligação mental, não era espontâneo, não era sahaja. Como resultado, as pessoas se tornaram extremamente sérias. Elas não falavam muito e não sorriam, elas não desfrutavam nada. Então, Shri Krishna decidiu: “Antes de tudo,” “nós devemos removê-los desse condicionamento.”

“E esse condicionamento tem de ser removido…” “de tal maneira que eles se divirtam.” Então, Ele descobriu que havia três soluções… no que se refere a alcançar o objetivo. Assim, a primeira, como Ele diz, é tornar-se uma alma realizada, Sthita Pragnya. Ir além de todas as tentações, ir além de todo ego, ir além de todos os tipos de condicionamentos… e tornar-se um Sthita Pragnya.. Sthita Pragnya é quando a pessoa não se sente… como as pessoas comuns, atraída pelas coisas, mas é totalmente desapegada. E essa pessoa desapegada… não se entrega a nenhum tipo de ressentimento, de ciúme, todas essas coisas. Ele disse isso. Mas como alcançar isso, Ele nunca disse. E a segunda coisa que Ele descreveu é… que vocês devem trabalhar. Vocês têm de trabalhar. Afinal, vocês adquiriram todas as tendências humanas, uma é trabalhar.

Mas o fruto do trabalho, vocês o deixam aos Pés de Lótus de Deus… ou vocês podem chamar, Poder Divino. Esse é outro de Seus truques, porque Ele percebeu… como os seres humanos eram pervertidos e como eles tinham ego. Se você lhes diz algo, como eles interpretarão mal aquilo. Assim, Ele adotou o oposto: “Diga-lhes algo absurdo.” Agora, seja qual for o trabalho que façam, o seu ego fica intacto. E com esse ego, vocês nunca conseguem entregar isso aos Pés de Lótus do Divino. Então é impossível. Assim, Ele criou uma situação impossível em que, após algum tempo, as pessoas perceberão que isso não pode… ser feito e elas desistirão dessa idéia de… deixar tudo aos Pés de Lótus do Divino. Foi assim que Ele preparou o terreno. A segunda coisa que Ele disse: “Pushpham phalam toyum.”

“Flores, frutas e água,” “o que quer que Me ofereçam, Eu aceitarei. Eu aceitarei.” “Mas quando vocês fizerem isso,” “quando fizerem isso, vocês devem ter ananya bhakti.” Ananya significa… uma bhakti (devoção) completamente dedicada, inabalável. Quando não existe o outro. Isso só é possível após a Realização. Somente depois da Realização, vocês podem colocar… os frutos do seu trabalho aos Pés de Lótus do Divino. E somente após a Realização do Si, vocês podem ter ananya bhakti, que significa a devoção que é única, singular. Ele colocou essas condições absurdas para os seres humanos, porque eles eram muito complicados. Muitas pessoas Me dizem: “Mãe, estamos praticando ananya bhakti”.

“Como?” “Porque nós estamos cantando nas ruas,” “estamos recitando o nome de Deus o tempo todo.” “Estamos indo para Pandharipur em farrapos e durante um mês,” “caminhamos cantando, cantando, cantando.” Esses tipos de idéias absurdas sobre bhakti, Ele nunca deu. Mas essa foi a maneira pela qual Ele quis neutralizar… os absurdos dos seres humanos, que eles pensavam que era bhakti, que não é. Ananya bhakti só é possível quando você é uma alma realizada, quando você está conectado com o Divino, quando não existe o outro. Foi assim que Ele tentou atacar em três direções, Eu diria, sobre os seres humanos, de um certo modo, sobre sua estupidez. Porque Ele pensou: “Se Eu lhes disser diretamente façam isso.” “ou façam aquilo,” então eles dirão… ‘É claro, nós o fizemos e ainda assim nunca alcançamos isso’. Na Índia, há um grande culto, podemos chamar assim. As pessoas vão a Pandharipur.

Durante um mês, elas caminham esfarrapadas, cantando músicas e, no caminho, elas seguem comendo em diferentes locais. Segundo elas, isso é ananya bhakti, e elas não alcançaram nada. Elas têm ficado muito doentes e muito cansadas… e têm uma velhice muito ruim. Mas quem consegue falar com elas? Todas elas estão perdidas nisso. Assim, essa é uma maneira pela qual alguém poderia enfrentar… os seres humanos para mostrar a estupidez deles. E muitas pessoas Me perguntam, como Eu lhes disse: “Como pode ser que nós praticamos tanto a bhakti” “a Shri Krishna e não temos alcançado nada?” Assim, Ele é Aquele que preparou a terra para a semeadura. Nós podemos dizer que Ele é Aquele… que foi como um grande agricultor. Assim, seu nome era Krishi – Krishna.

Há tantas coisas que Eu tenho lhes dito sobre Ele: como Seu nome surgiu como Krishna, depois como Ele foi chamado. Sobre Radha, quem era Radha, quem era Krishna e todas essas coisas. Mas, quando Ele falou dessas coisas, também Ele disse que você deve se tornar Sthita Pragnya. Isso é o que eles chamam de Gnyana Yoga. Gnyana significa conhecimento. Portanto, vocês devem adquirir um conhecimento absoluto. Ele não disse como. Isto vocês sabem, o que é o conhecimento absoluto, o qual podem sentir nas pontas de seus dedos na Sahaja Yoga. Outra coisa é que Sua especialidade era criar discernimento em vocês. Ele pensou que ao fazer todas essas coisas de uma maneira estúpida, eles poderiam desenvolver o discernimento para saber: “Esta não é a maneira pela qual vocês podem alcançar alguma coisa,” “vocês têm de obter a Realização do Si.”

O discernimento era muito importante… Nesta conjuntura, quando nós estamos enfrentando… um tipo de desafio deste novo milênio, em que o mundo inteiro será destruído… e todas essas coisas que as pessoas estão dizendo, é realmente muito importante saber, através do discernimento, o que é bom e o que é ruim. Alguém pode dizer que algo é muito bom, que algo é muito ruim. Mas o Discernimento Divino é muito, muito diferente. Muito diferente e atua por si mesmo. Uma vez que vocês estejam no reino do Discernimento Divino, vocês não podem cometer erros, mesmo que vocês queiram fazer isso. Eu lhes darei Meu exemplo. Nós fomos comprar uma casa… e o rapaz era como um mendigo. Ele disse: “Nós não temos nada, não temos nenhuma comida.” “Eles tomaram todas as nossas coisas…” “e nós estamos morrendo de fome”. Quando eles disseram aquilo, quando ele disse isto: “Nós estamos morrendo de fome, não temos nada”, então Eu senti pena dele e disse: “Está bem, aumente o preço”.

Primeiro, nós aumentamos o preço. Ainda assim, ele ficou dizendo: “Não, não, ofereçam mais.” Ainda assim aumentamos o preço. Eu disse ao Meu marido: “Aumente o preço.” . Embora relutantemente, ele aumentou o preço. Pela terceira vez, novamente nós aumentamos o preço. Então ele disse: “Não, nós precisaremos de um pouco mais do que isso, um pouco mais.” Imediatamente este discernimento funcionou e Eu disse: “Essas pessoas são hipócritas.” Eu simplesmente os deixei… e sentei-Me no carro, no momento certo.

Aquela não era uma proposta tão boa, nem nada. Mas Eu pude ver que Eu estava comprando aquilo por causa… da Minha piedade, vocês podem chamar isso de compaixão. Mas acima da compaixão estava este discernimento, que disse: “Nada feito. É melhor sair disso”. Assim, este Discernimento Divino é algo muito, muito importante, o qual nós deveríamos ver como ele atua… e deveríamos ficar satisfeitos com ele. Não se sentirem mal por terem perdido uma oportunidade… ou algo assim, mas vocês devem sentir-se muito contentes… de que isso tenha ocorrido… e que seu discernimento divino tenha cuidado disso. Então, algumas vezes parece que, neste discernimento divino, vocês talvez façam algo errado, que vocês tenham feito algo errado. Mas se é divino, no final das contas, mostrará ser muito bom. Eu lhes dei um exemplo muito básico, mas isso também é muito verdadeiro… quando vocês praticam a Sahaja Yoga. O discernimento do Discernimento Divino é extremamente importante… que ele desempenhe um papel muito grande em nossas vidas.

Porque esse Discernimento Divino nos dá a verdadeira alegria… do nosso ser, do nosso Si, da Sahaja Yoga. Então, para Ele, o terceiro ponto foi tornar as pessoas alegres e felizes. Mas, com todas essas maryadas de Shri Rama, Ele não sabia como fazer isso. Então, para dar alegria às pessoas Ele disse: “Tudo bem, vamos dançar, vamos cantar,” “vamos nos divertir com Holi” (festival de cores)”, todos os tipos de coisas. E com isso, Ele realmente eu origem… a muitas coisas que não eram tão sérias. Podem parecer frívolas, mas naquilo havia alegria manifestando. Tudo isso, Ele fez… para dar-lhes uma completa idéia quanto a um Sahaja Yogi ou, vocês podem dizer, a uma Alma Realizada, de qual deve ser a atitude em relação a tudo. Mas, não é que vocês tenham que fazer isso, mas simplesmente funciona, é desse modo que, no estado de Sahaja, vocês desfrutam tudo. Alegria. E esta é que era a idéia Dele: criar um sentimento de alegria entre as pessoas.

Muitas pessoas… Há muitos críticos que têm criticado essa parte da Sua vida. Segundo eles, a religião significa… que as pessoas devem se tornar simplesmente velhas. Com a idade de 20 anos, vocês devem tornar-se como um velho de 80 anos, algo assim. Ideias estranhas de conquista religiosa. Mas Ele falou de alegria e Ele nunca falou de renúncia. Ele nunca disse: “Abandonem suas famílias,” “abandonem seus filhos, abandonem tudo”, nunca, nunca. Ele disse: “Vocês devem desfrutar, desfrutar com desapego.” Para as pessoas, é muito difícil entender… como isso pode acontecer sem apego. Com apego, você nunca pode desfrutar. Se você está apegads a algo, você não pode desfrutar nada plenamente.

Como, por exemplo, vamos supor que você esteja apegado ao seu filho. Uma coisa muito simples: você está apegado ao seu filho. Você está apegado ao seu filho, então você ficará preocupado… com coisas que não deveriam acontecer, que também não darão alegria ao seu filho. Você não permitirá que seu filho, digamos, saia ou converse com as pessoas, seja o que for. Você colocará todos os tipos de restrições. Mas se você tiver realmente o Discernimento Divino, então você saberá com quem ele deve conversar, aonde ele deve ir, com o que ele deve se divertir e você verá que ele aprecia a vida. Qualquer apego a qualquer coisa… não lhe dá uma visão plena dessa pessoa, dessa coisa. Se você estiver desapegado, então poderá observar isso, digamos, de cima, acima da pessoa, acima da situação. Se você está desapegado, você fica em consciência sem pensamentos também. Como Eu disse agora, vejam os tapetes que estão ali.

Eles são tapetes muito, muito bonitos. Agora, se eles estão aqui, se eles são Meus, Eu ficarei preocupada. Eu ficarei preocupada o tempo todo porque Eu estou apegada: “esses tapetes não devem ser estragados, algo dará errado”. Mas se Eu não estiver apegada, Eu olho para esses tapetes e o que é que Eu vejo? A alegria, a alegria que é colocado pelo artista que os fez. E essa alegria realmente tenta se refletir em Mim também. Essa alegria vem a Mim. Assim, ter algo, apego a algo, então haverá… alegria, Eu devo dizer, haverá felicidade, mas não alegria. Porque, o alegria é um sentimento único, a felicidade é dual: felicidade e infelicidade. Portanto, mesmo se Eu tentar desfrutar alguma coisa, pensarei: “Oh, ainda assim, isso, esse ponto, isso, aquilo.”

Mas a alegria permeia tudo, ela não tem limites. E você simplesmente se dissolve, você se dissolve no oceano de alegria. Esta era a idéia de Shri Krishna: “Acabem com essas maryadas”. Hoje em dia, vemos que as maryadas… relativas a muitas coisas são realmente inúteis. Por exemplo, vocês descobriram as maryadas da religião. Vejam, quando eles vivem nas maryadas, então o que acontece? Eles meio que pavimentam isso… ou eles têm todos os tipos de germinações dentro, assim como o reservatório de água que está completamente limitado, que não está fluindo como um rio. Assim, desse modo, vejam, isso se transforma num tipo de… mente fechada com essas maryadas. E quando vocês têm estas maryadas, vocês começam a pensar: “Eu deveria fazer isso ou não, eu irei desfrutar isso ou não”. Com estas maryadas somente, vocês matarão o regozijo.

Agora, nós temos outras maryadas relativas a digamos, nós temos relativas ao país…, como Eu disse, relativas à religião. Agora, muitas pessoas adorariam vir para a Sahaja Yoga, mas porque elas têm maryadas de coisas tolas de sua religião, elas não conseguem vir. Elas pensam: “Esta é a nossa religião”, embora elas não compreendam. A falsidade se transforma nas maryadas… e eles não entendem que o que é a maryada, na verdade, é criada pela religião também. Vejam agora o que está acontecendo no Islã. Com estas maryadas, eles querem ter outro país, essa coisa, aquela coisa. Em outra religião, a Cristã, a mesma coisa acontece. Também na religião Hindu. Todas estas maryadas estão, na verdade, estagnando-os completamente e eles estão ficando esmagados nisso. Não há nenhum discernimento.

Porque disseram isso, eles o fazem. Eles estão tão cegos em relação a isso… que eles não conseguem ver o que é certo e o que é errado. Mas após a Sahaja, vocês podem ver, vocês podem rir deles e vocês podem ver. Então nós temos as maryadas sociais. As maryadas sociais existem, as quais, algumas vezes, quando abandonadas, podem tornar-se horríveis também. Como no Ocidente agora, as mulheres pensam que quanto menos roupas elas usam, mais bonitas elas estão. Essa é uma coisa nova que elas começaram. Agora, isso é absurdo. Vocês devem observar que o discernimento… por trás é muito simples: nós fomos animais… e agora nós não queremos ter nenhuma roupa porque nós éramos animais. É a herança animal que se… É por isso que muitas mulheres não querem usar roupas apropriadas.

É simplesmente um comportamento animalesco. Assim a maryada de… As pessoas também podem abandonar as boas maryadas… dizendo: “Nós não queremos nenhuma maryada.” “Somos livres, podemos fazer tudo que quisermos.” Mas nessa liberdade, o que vocês alcançam? O seu instinto animal atua nessa liberdade… e você pensa que é uma pessoa muito livre. Além disso, nós temos as maryadas do nosso país. Deus não criou, de maneira alguma, países diferentes. Nem é verdade que há países diferentes, mas a variedade existe. A variedade de pessoas, a variedade de lugares existe. Essa variedade deve ser aceita como algo muito artístico… e não se deve ficar arruinado e confuso com essas idéias de que: “Nós somos americanos, nós somos indianos,” “nós somos isso e nós somos aquilo”.

Vocês não são. Agora vocês podem entender, depois da Sahaja Yoga, que todos vocês são Sahaja Yogis… e vocês não pertencem a nenhum país específico. O país pode pertencer a vocês, mas vocês não pertencem ao país. Quero dizer, o trabalho hoje é compreender que… se vocês realmente querem cuidar de todos esses países e tudo mais, então vocês devem fazer algum trabalho. Um trabalho da Sahaja Yoga, de modo que as pessoas se livrem… dessas idéias tolas de lutar por território, por isso, por aquilo. No mundo todo, isto está acontecendo: “Nós queremos essa terra, nós queremos aquela terra.” A terra pertence a Deus, não aos seres humanos. E de que adianta brigar por terra? Eu não compreendo. Mas essa confusão existe e essa ilusão existe.

E as pessoas trabalham nessa confusão e ilusão a tal ponto… que elas arruínam as suas vidas, as vidas dos seus filhos. Tantas pessoas estão perdidas, tantas pessoas estão no hospício, Eu diria, porque elas acabam numa espécie de campo de refugiados. Elas têm uma casa boa, estão vivendo bem lá. Depois, você se torna um refugiado. Por quê? Porque eles acreditam que podem ter sua própria terra, que eles podem ter seu próprio lugar e que eles deveriam viver lá. Essa idéia surge, Eu acho, de alguns líderes estúpidos… que querem ter essas terras para eles próprios… e é desse modo que as pessoas lutam por terra. Não há nenhuma necessidade de lutar por terra… ou lutar pelo seu país ou lutar por isso ou lutar por aquilo. Mas a situação é tal que a menos e até que vocês lutem, vocês não poderão alcançar a verdade. E é por isso, se vocês se lembram, que Shri Krishna disse a Arjuna: “Lute.

Lute. Você tem de lutar, esse é o seu trabalho.” “Você tem de lutar contra essas pessoas,” “porque elas são as pessoas que não vivem com Dharma.” “Elas são adharmis, portanto você tem de lutar.” E é desse modo que a sua luta foi tão justificada, porque depois de lutar na guerra, eles tiveram de volta o que eles mereciam. Eles foram enganados. E isto é o que Shri Krishna disse: “Você não deve de forma alguma…” “tornar-se um escravo destas pessoas, mas revide.” Assim, a luta também é justificada no Discernimento Divino. É novamente o Discernimento Divino no qual você tem de lutar, porque você não quer ser um escravo. Se você for um escravo, você é inútil.

Então, por isso, você pode lutar. Mas quando as pessoas… começam a lutar pela separação de um território, não é correto. Ao contrário, não se deve nunca pensar em separação… do território principal. Isso cria muitos problemas. Mas agora nós acreditamos na religião global. Nós acreditamos no território global. Nós não temos de pedir nada. Em qualquer lugar que você vá, você é um cidadão daquele lugar. Qualquer um que queira ir à Rússia, em qualquer momento, todos os russos estarão com vocês. Se vocês forem aos Estados Unidos, eles estarão com vocês.

É desse modo, porque todas essas são idéias dos seres humanos. E se os seres humanos se transformarem, não haverá nenhum problema de guerra, nem território a ser anexado. Este era o Discernimento Divino de Shri Krishna, o qual é incutido em nós. Como vocês sabem, isso é parte integrante do Vishuddhi Chakra, onde Shri Krishna reside. Mas quando Ele se eleva ao seu Sahasrara, quando Ele se eleva a este nível, então Ele se torna o Virata. Assim, o Chakra do Virata está localizado na cabeça, aqui, acima do Agnya. E este Virata é a forma de Shri Krishna… que se elevou acima do Agnya. Quando você se eleva acima do Agnya, você se torna uma parte integrante do território do Virata, podemos dizer. Porque, a menos e até que você esteja acima do seu ego, você ainda está envolvido consigo mesmo… e com idéias erradas das maryadas. Mas quando você se eleva acima disso e você se torna o Virata, o Grande, então você está no território do Virata.

E os poderes do Virata são enormes, como foi visto por Arjuna – a forma do Virata. O poder do Virata se torna tão grande que ele atua globalmente. Ele atua de tal maneira que você se senta aqui… e ele pode atuar em qualquer lugar. Vocês têm visto que agora muitas vezes as pessoas dizem: “Mãe, é um milagre.” “Minha mãe estava doente e ela não estava aqui… “e eu simplesmente orei e ela ficou bem.” Tudo isso é o poder do Virata. O poder do Virata é que Ele pode penetrar… no lado sutil dos seres humanos de tal maneira… que nós estamos conectados a tudo, nós não estamos separados. E cada gota está conectada com o oceano. Nós estamos conectados com o universo inteiro. E quando, Eu diria, você se torna um cidadão do Virata, então todas as coisas com as quais você está conectado… também recebem suas vibrações, suas idéias, suas aspirações.

Todas as coisas passam através disso. E Ele atua, Ele atua. Vocês têm visto como muitos milagres… têm acontecido em suas vidas. É o Virata Shakti que atua. Agora, para isso nós temos de saber como venerar o Virata. Antes de tudo, vocês têm de se elevar acima do seu ego, isso é muito importante. Senão, como vocês podem venerar? Há o seu ego se colocando no meio… e como você pode se elevar ao ponto do Virata? Vocês têm de passar pelo ego. Uma vez que você esteja acima do seu ego, você entra no Reino do Virata.

Lá o Rei é o Virata e você é o súdito… que é completamente cuidado pelo Virata Shakti, pelo Poder do Virata. Mas, nesse estágio, você se torna realmente… uma personalidade universal, de certo modo, porque sejam quais forem nossos problemas, universalmente… Agora, não necessariamente eles deveriam ficar ligados a você… ou conectados a você. Vamos supor que uma pessoa seja desse nível. Agora, talvez haja uma guerra em algum outro país, isso pode acabar. Alguém que está sendo oprimido pode conquistar apoio. Em qualquer lugar para onde a sua compaixão se mova, ela atua. Toda vez que a sua atenção se mover, ela irá atuar. E às vezes, vocês ficam surpresos ao ver como isso atua. “Mãe, como essas coisas atuam? Como essas coincidências,” “como essas coincidências têm acontecido?”

A única coisa é que vocês atravessaram este estado… do seu ego e entraram no estado do Virata, o qual é uma coisa muito importante a ser feita: entrar na área do Virata. Então vocês não pensam: “Este é seu país, isto pertence a você, aquilo pertence a você.” Esse negócio de “pertencer” acaba. Então vocês pertencem ao Virata. E Ele usa vocês para Seus próprios propósitos, no sentido de que quando todo o seu pensamento é diferente, torna-se um pensamento global, então Ele atua. E então Seus poderes são multiplicados. E o poder de Krishna é que Ele usa uma concha para chamar as pessoas. Eu tenho dado conchas a todos os líderes. Assim, nós temos agora que anunciar e chamar as pessoas. Mas no nível do Virata, vocês não têm de fazer tudo isso.

No nível do Virata, simplesmente as pessoas vêem e elas saberão. Elas simplesmente observarão vocês e saberão. Elas simplesmente pensarão que vocês são seres humanos… e vocês são tão gentis, tão bons, exatamente como pedras preciosas brilhando todo o tempo. Então, elas ficarão impressionadas. Isso vem através da bênção do Virata. Quando você se torna isso, então você esquece todas as outras coisas, como ter cargos importantes ou qualquer coisa, que você vem de uma família muito rica ou aquilo. Todas essas coisas insensatas que não são realmente verdadeiras. E todas essas coisas, nas quais você quer viver, não existem mais. As pessoas gostam de ostentar a sua riqueza, alguma pessoas gostam de… talvez… muito de demonstrar o que elas pensam que são. Mas no caso de uma pessoa que se eleva acima do seu ego… e ela é uma parte integrante deste Virata Shakti, ela entra no reino do Virata, ela sabe que ela é muito pequena.

Ela é muito pequena comparada ao Virata… e ela simplesmente se dissolve nesta shakti. E isto deve nos acontecer: nós devemos ser humildes. Nós devemos ser humildes e saber que os nossos poderes, quaisquer que nós tenhamos, se eles nos derem ego, nós devemos nos livrar disso. Nós não devemos ter esse ego… Nós devemos nos livrar disso e… nós devemos realmente alcançar este estado… no qual vocês podem ser chamados de cidadãos do Poder do Virata.

Que Deus abençoe todos vocês.