Devi Puja, Nossas raízes têm de ir para dentro do dharma

Djamel Metouri House, St Albans (England)

1977-07-06 Devi Puja Talk, St Albans, UK, 32' Download subtitles: EN,ES,PTView subtitles:
Download video (standard quality): Watch on Youtube: Listen on Soundcloud: Transcribe/Translate oTranscribeUpload subtitles

Feedback
Share

Devi Puja St Albans, Inglaterra, 06.07.1977

Então, hoje Eu quero lhes falar sobre a pureza. Este é o Meu nome, vocês sabem disso, Nir-mala. “Ni” significa “sem”; “mala” significa “impurezas”. Aquela que não tem impurezas é Nirmala. E esse é um dos nomes da Deusa. Pureza é uma qualidade que é silenciosa, ela fala em silêncio. É uma das atividades mais não agressivas. Ela sonda você, ela não se expressa de forma alguma. Até mesmo o amor pode se expressar em palavras, ele pode se expressar em ação. Mas a pureza é aquela que não tem expressão. E ela lava tudo que é impureza.

Vocês não podem através da racionalidade entender como ela funciona. Vocês têm de senti-la e conhecê-la, saber que ela está trabalhando o processo dela. Ela é muito delicada. Às vezes, ela fica transbordando também. Mas ela nunca é chocante, nunca. Quando Eu digo isso, Eu percebo que as ideias humanas se tornaram presunçosas. Quando nos tornamos presunçosos? Significa de cabeça para baixo? Quando estamos mergulhando em algo, nós estamos mergulhando em algo onde seremos destruídos. Estamos de cabeça para baixo.

Isso vem de impurezas, de modo que vocês não podem ver as coisas diretamente na perspectiva correta delas. Então vamos ver quais são as coisas… que achamos que criam impurezas em nós. Eles dizem isso em duas palavras: luxúria e ganância. Em Sânscrito, eles dirão kala (ouro) e kama: mulher e ouro. Mas “mulher” não significa “a mulher”. “Mulher” significa “luxúria”… e “ganância” significa “ouro”. Agora vamos ver se realmente essas são impurezas… ou elas criam impureza em nós, ou por que essas duas coisas se tornaram a fonte de impureza para nós? Porque nós não entendemos a perspectiva correta da matéria e do sexo. Se nós pudermos entendê-los na perspectiva correta, então esses dois se tornam a fonte de felicidade e alegria para nós. Por exemplo, digamos, uma árvore, ela tem dois lados: ela tem o galho e a raiz.

Se a raiz ficar para cima e o galho para baixo, ela não sobreviverá. A raiz tem de ir para baixo para dentro da Terra e o galho tem de ir para cima. A raiz tem a capacidade de sugar os líquidos que estão dentro do solo. Ela também tem a capacidade de digerir todos os sais essenciais… necessários para a árvore. Supondo que agora a raiz comece a funcionar mal… e comece a sugar as impurezas em vez das coisas puras… que são necessárias para o corpo da árvore, então o que vai acontecer? Haverá desnutrição e a árvore entrará em colapso. Mas a raiz tem a sabedoria de pegar os sais necessários para sua nutrição. Isso é onde nós devemos entender… que nós não temos sensores adequados para nossa própria nutrição… e nós culpamos Deus ou culpamos a Natureza, culpamos a sociedade, culpamos as culturas, culpamos nossos pais, culpamos nossos governos, nós culpamos isso e aquilo. Porque nós não temos sensores, nós sugamos o que é impuro, que criará mais problemas para nós do que alegria, felicidade e nutrição. Se a árvore tem de crescer, ela deve evitar tudo que é venenoso para ela, tudo que é impuro.

E pode haver dois métodos. Se sua racionalidade é de alto grau, se sua inteligência for desse alto calibre, simplesmente negue tudo que não é bom para seu corpo, para seu corpo espiritual ou para seu corpo mental… ou para seu corpo emocional ou para seu corpo físico. Você simplesmente negará isso, se você tiver esse tanto de pura inteligência. Mas a inteligência ainda não alcançou essa camada Divina, então nós criamos concessões facilmente. Mas quem você está prejudicando? Você está prejudicando a si mesmo. Nós continuamos captando impurezas muito rápido. E isto é o que Eu chamo de liberdade humana: se ele quiser, pode captar impurezas. Uma árvore é tal que ela não captará impurezas. mas se as impurezas a invadirem, ela morrerá, ela também não pode se proteger.

Os seres humanos têm liberdade de escolher. Eles também têm o poder de se proteger das novas impurezas. E os Sahaja Yogis, como vocês sabem, têm muito mais poderes. Então, nossas raízes têm de descer em quê? No dharma, no poder sustentador do amor. Se isso é fraco, então as raízes são arrancadas e pessoas assim são arrancadas pela raiz. Nas tradições, nos erros históricos e nos erros de nossos antepassados, nós podemos ver quais erros eles cometeram e aprender com eles, e evitar as impurezas que eles tinham e os destruíram. Nós podemos ver em grandes impérios que caíram, que se estraçalharam rapidamente. Por quê? O que eles fizeram?

Nós não iremos fazer isso. Mas até agora, Eu não conheci nenhuma nação que se estabeleça… e obtenha uma visão abrangente de todo o quadro: Por que essa nação caiu? Por que essas nações se destruíram? Até agora Eu não conheci nenhum líder político desse tipo. Eles farão uma colcha de retalhos, mas nenhum deles se senta para ver… porque todo o céu desabou, o que aconteceu com essas pessoas… que desfrutavam tanto poder uma vez, de repente sucumbiram. Se alguém pudesse se sentar e refletir assim, eles veriam… que eles sugaram as impurezas. Agora, como você suga impurezas? Você as suga porque seus sensores se tornam embotados. Quando seus sensores estão embotados, você não sabe o que você está sugando. Só é possível quando você é presunçoso, é a palavra, é assim.

No começo o corpo, a mente resistem a tudo que é impuro, na maioria dos casos, Eu diria. Alguns dos demônios, se eles nascem, eles podem ser crianças, mas são exceções a isso. Mas a maioria dos seres humanos nasce na inocência e eles resistem. Gradualmente, vocês começam a fazer com que seus sensores fiquem danificados… e então a impureza começa a entrar. Todas essas coisas começam do desejo, as pessoas dizem claramente: desejo de ser o rei, desejo de ser a pessoa mais bonita, desejo de ser líder do mundo inteiro, desejo de comer, desejo de ter, de possuir, todos os desejos. Mas aqui também, Eu diria, existe uma impureza do desejo em vocês. E em todas essas coisas está o ponto interno e que é a alegria: nós desejamos a alegria. O desejo de alegria, se vocês o mantêm puro, então vocês entendem isto: “Então isto não é a coisa que dá alegria, aquilo não é a coisa que dá alegria.” Nós podemos ver ao redor. Aqueles que estão buscando o dinheiro, vocês devem ir e vê-los, eles alcançam a alegria?

Vocês saberão que eles não são as pessoas que têm alegria entre nós. E quando vocês forem às pessoas que estão na alegria e na tranquilidade, vocês descobrirão que elas estão falando de outra coisa. Quando nós aceitamos o desejo como algo errado, nós também negamos o desejo supremo. Mas a essência “swa”, nós chamamos a essência de “swa”. “Swa” significa “o Si”. A essência de tudo é esta: se você quer ter uma bela árvore na frente de sua casa, o desejo é ser feliz. O que importa para você uma árvore se ela não lhe dá alegria? É como qualquer coisa no mundo, Eu lhes darei. Essa alegria, essa essência de tudo, se ela for mantida pura, então ela está nutrindo vocês. Como por exemplo, as raízes das árvores se enterram no solo da Mãe e sugam… as belezas do solo da Mãe, a essência da Mãe, isso se destina a nutri-los e enriquecê-los.

Mas isso não significa de forma alguma… vocês perderem seu caráter ou individualidade, vocês não perdem. Uma mangueira será uma mangueira, uma bananeira será uma bananeira. Porque o exterior é diferente, mas o interior é o mesmo. E em cada país, a Mãe Terra tem suas próprias variedades, consequentemente, vocês terão árvores, terão plantas. Você não pode ter manga na Inglaterra. Mas você não pode ter um vidoeiro na Índia. Mas isso não faz diferença, desde que elas estejam realmente nutridas. Portanto, seu caráter não é perdido, sua individualidade não é perdida. Pelo contrário, ele é tornado melhor. Em sua forma mais pura, cada caráter é belo.

Cada religião em sua forma mais pura é o lugar de Deus… e as diferentes facetas de um único diamante que é Deus. Elas têm de estar presentes e em qualquer ângulo que você vá, você as vê cintilando. Em todos os ângulos, elas brilham. Um diamante brilha em todos os ângulos, porque ele tem seu próprio caráter, variedade única e suas diferentes formas. Portanto, a unidade essencial entre elas é por meio da seiva que está correndo. Se nossa atenção está nessa pureza da unidade, então muitas das outras impurezas que brotaram dentro de nós também sairão. A outra impureza da qual vocês sofrem é a perda de coletividade. Nós não nos importamos de usar as mesmas roupas pelo mundo inteiro. Se um jeans é lançado, em todos os lugares que você vai, mesmo no Japão, você irá para a Austrália, você irá até mesmo para a China, para países comunistas, em qualquer lugar, todo mundo está usando o jeans. Mas a unidade essencial dentro de nós em sua forma mais pura… não está em lugar nenhum.

É claro, esses sensores vocês desenvolvem após a Sahaja Yoga. Mas se vocês falharam em seus dharmas, essa é a base, é a raiz, se nós não tivermos essas raízes adequadamente feitas, então a árvore não pode ficar em pé, isso é necessário. É claro, a Encarnação é exatamente o oposto disso: Suas raízes estão nos céus, a Encarnação floresce no corpo. Uma Encarnação não rompe Seu dharma. Ela é o dharma. Ela não precisa, Ela é dharmateet, Ela está além do dharma. Tudo que Ela faz é a religião do mundo inteiro. Nada A toca, Suas raízes estão no Divino, apenas a Força Divina. Está fora de questão impureza Nelas, está fora de questão limpá-Las ou banhá-Las, porque Ela está na Força Divina e Ela está sugando isso… e dando a vocês. Ela está florescendo nesta Terra, é uma flor de cabeça para baixo, enraizada em vocês.

Assim, para uma Encarnação, não há dharma, Ela é dharmateet, Ela está além do dharma, Ela é gunateet, Ela está além de todos os humores, Ela está além de tudo. Mas os seres humanos têm de primeiro desenvolver seu dharma, depois se elevam, se elevam além de si mesmos… na consciência coletiva. E quando eles se viram de cabeça para baixo, eles se tornam encarnações. É possível. Duas Pessoas fizeram isso até agora: Buddha e Mahavira, vocês podem chamá-Los de Divindades. Apenas essas duas Pessoas fizeram isso. E na Sahaja Yoga, se fizermos isso, é possível sermos encarnações, quando nossas raízes estarão na Divindade. Aqui vocês têm de escolher… até que a liberdade de escolha exista dentro de vocês. Para Mim, não há liberdade de forma alguma. Eu não posso escolher a impureza.

É por isso que digo que Eu não tenho tentações. Eu não tenho senso de posse. Portanto, a escolha não existe de forma alguma para Mim, de nada. Eu não tenho tempo e espaço. Eu sou sem espaço, Eu sou atemporal, porque Minhas raízes estão em Meu Ser. Mas mesmo para ter o florescimento dentro de você mesmo… e para que os outros desfrutem, mesmo para se nutrir, você tem de ter seu dharma devidamente estabelecido. Então nós chegamos à questão da luxúria e da ganância. Luxúria e ganância devem ser vistas nesta luz. Nós temos forte desejo de estar com Deus? Nós somos gananciosos por Sua riqueza?

Se vocês fizerem essa pergunta, então vocês verão a pureza. Nós desperdiçamos muito tempo pensando sobre ganância e luxúria. Mas nós temos muito pouco tempo para pensar neste desejo essencial. Agora, há dois tipos de coisas, uma é de um ser humano e outra é de uma Encarnação. É por isso que o comportamento das Encarnações não podem determinar… o comportamento dos seres humanos. Esse é um erro muito grande que sempre temos cometido. E por favor tomem cuidado. Vocês não podem ser encarnações agora e vocês não devem determinar… seu comportamento de acordo com o comportamento de uma Encarnação. Porque uma Encarnação está acima de todas essas coisas. É uma coisa totalmente diferente, como Eu lhes disse.

Uma árvore deve receber sua nutrição ou estar enraizada no Divino. Vocês ainda têm de se elevar a esse estágio, onde seus assentos talvez entrem nisso. E talvez as árvores irão e informarão o Divino em relação a isso. Então os padrões de vida que são seguidos por uma Encarnação… são sempre seguidos e é por isso que as falsas religiões falham. Por exemplo, nós veremos que Cristo pegou um açoite em Sua mão… e começou a chicotear as pessoas, batendo nelas quando elas estavam vendendo Deus. Eu Me sinto da mesma maneira e estou fazendo isso. Se vocês lerem Kabir, perceberão que ele está chicoteando todas essas pessoas. Se vocês lerem Profeta Maomé, Ele as criticou. Mas vocês não são a Encarnação. Vocês não são encarnações.

Em vocês, quando vocês têm essas impurezas, porque o que Eu vejo é que os seres humanos as nutrem dentro de si mesmos… e eles gostam de ver o drama nisso. Por exemplo, digamos que eles vão a um filme de um drama… e eles verão um homem cruel batendo em alguém. E eles dizem: “Que homem cruel! Ele é horrível!” Mas eles não sabem que essa crueldade eles compartilham dentro de si mesmos. Eles querem chamar os outros de cruéis, mas não a crueldade que existe dentro deles. No que diz respeito aos outros, eles se tornam uma testemunha, mas, no que diz respeito a eles, eles não são. Se eles pudessem ser, se eles pudessem ser uma testemunha de si mesmos, se eles pudessem se observar, então o que aconteceria é que… as forças purificadoras dentro deles iniciariam, especialmente para os Sahaja Yogis, porque isso se abriu agora, a torneira está aberta, o Espírito está emitindo exatamente agora. Apenas vejam onde isso está dentro de vocês, com sua atenção em seu Ser. Apenas coloquem dentro de vocês.

Não justifiquem dizendo: “Minha sociedade é ruim, meus pais são ruins, isso aconteceu,” “Por causa disso, isso aconteceu, por causa…”. Não! Elas estão lá porque vocês as estão abrigando. Nos outros, vocês podem ver claramente, mas em si mesmos, não conseguem ver. Isso é o que é uma mente humana, é uma mente muito estranha… que está sendo evoluída dessa forma. Vocês leem um livro, por exemplo, se vocês leem o livro de alguém, imediatamente vocês se identificam com o herói e nunca com o vilão. Nós não sabemos que o vilão está muito mais presente dentro de nós do que o herói. É um tema comum que Eu tenho visto nos seres humanos. Eu agora aprendi através de muitas vidas e desta agora, o que um ser humano é. Exatamente o oposto é uma Encarnação. Exatamente o oposto é uma Encarnação.

Supondo que vocês tenham um problema dentro de si mesmos, imediatamente Eu tento ver dentro de Mim mesma se há problemas ou não. Na Minha própria vastidão, Eu corrijo isso e vocês obtêm isso, porque vocês são o Meu corpo. Vocês estão dentro de Mim, todos os Sahaja Yogis estão dentro de Mim, que Eu procuro e descubro. É desse modo que Eu faço isso. E a menos e até que Eu faça isso, Eu não Me sinto bem, vocês têm visto isso. Meus problemas são muito diferentes dos seus. Portanto, nós devemos prestar atenção em nós mesmos. Mas atenção de uma forma que é sabedoria muito pura, é uma atenção mais profunda, não é superficial. Vocês devem aprender como se aprofundar em si mesmos e verem por si mesmos: “Nós somos pessoas cruéis?” “Eu sou cruel?”

“Qual parte minha é cruel?” “Qual parte minha está prejudicando os outros?” Agora, esse menino que chegou, ele não tirou as meias… porque ele achou que havia um mau cheiro nelas. “Nós mesmos somos fragrantes?” “Nós consideramos que somos igualmente fragrantes?” É um processo silencioso, é uma quietude dentro de vocês agindo. E isso tem de estar presente. E porque, como Eu disse, nos países ocidentais vocês são pessoas estraçalhadas, vocês perceberam que vocês se estraçalharam. É muito mais necessário para vocês trabalharem mais… do que as pessoas que ainda estão para se estraçalharem. Elas estão prestes a fazer isso, a maioria delas estão vindo atrás de vocês.

E vocês têm de anunciar com uma corneta: “Agora, não se estraçalhem! Nós nos estraçalhamos.” Isso vocês têm de fazer, Isso é muito importante. Qualquer homem que tenha alguma consideração, algum sentimento pelos outros, se ele se ferir com uma pedra no seu caminho, ele imediatamente ficará lá… e dirá: “Oh, há uma pedra aqui, agora vá, tenha cuidado, não tropece.” Quando nós somos feridos por certas tolices e estupidez, ou vocês podem dizer, mesmo as impurezas que juntamos dentro de nós, nossas próprias buscas egoístas, vamos anunciar ao mundo: “Nós temos sido tolos,” “nós fizemos isso, somos pessoas despedaçadas, quebramos nossas mãos,” “quebramos nossas cabeças, danificamos nossos chakras.” “Agora, pelo amor de Deus, não façam isso.” Porque eles estão seguindo vocês. Eles acham que vocês estão em ascensão. Eles não sabem que vocês tiveram o suficiente disso. De todas as formas possíveis, vocês têm de anunciar.

Mas o anúncio é esperado pelas pessoas. É um mundo tão estranho para ser uma pessoa perfeita. Então, eles querem também a ascensão de vocês. Isso é o que o mundo é. Hoje, supondo que você diga: “Eu fui estraçalhado,” “eu fui liquidado, não tenho nada em mim para lhe oferecer.” Eles dirão: “Então sobre o que você está falando? Cale a boca!” Mas ainda assim, depois vocês têm algo a oferecer na vida. E o que vocês têm a oferecer é: “Estamos estraçalhados por causa disso”. Isso ajudará muitas pessoas, vocês não têm ideia. Mas as pessoas os negarão se vocês disserem apenas isso.

Mas se vocês disserem: “Não, eu estava estraçalhado, mas estou completo agora.” Mas o seu ser deve anunciar que vocês tiveram a ressurreição. Pelo contrário, se vocês forem gananciosos, se vocês ainda são do mesmo estilo que eram, então quem irá acreditar nisso? Assim, a Sahaja Yoga lhes deu esse caminho pelo qual vocês ascendem. E quando vocês ascendem, vocês podem continuar dizendo às pessoas: “Não decaiam! Não decaiam!” “Se vocês decaírem, é difícil ascender, isso aconteceu conosco,” “então não decaiam! Existe um caminho mais curto.” “Venham para o caminho mais curto.” “Seus dharmas devem ser estabelecidos, é muito necessário.”

Em todas essas sociedades estraçalhadas, os dharmas devem ser estabelecidos. O que estamos fazendo sobre isso? Nos países em desenvolvimento, eles reúnem suas impurezas… por uma premissa errada que eles têm. Eles pensam: “Oh, nós devemos desenvolver.” “Devemos ter carros, devemos ter telefones.” Toda a atenção é: quão eficientes vocês são no que diz respeito às suas coisas materiais. Ou seja, quando eles começam a se livrar da pobreza deles, eles simplesmente esquecem: por que eles removeram a pobreza deles? Para quê? Isso seria como um noivo que tem de estar pronto para se casar, então eles o vestem, ele está pronto para se casar. Agora ele está pronto para se casar.

Ele está casado. Agora, a noite passou, ele tem de se encontrar com sua esposa, ele continua com sua roupa como um tolo. Por que ele se casou? Para amar sua esposa. Como um tolo, ele ainda está com seu traje, orgulhoso de suas coisas externas… que ele fez para ele sem entender que isso tem um significado. Nós removemos a pobreza para quê? Nós removemos todos esses problemas para quê? Nós nos desenvolvemos para quê? Nos desenvolvemos para que nosso dia a dia… se torne mais fácil e tenhamos tempo para Deus, tenhamos tempo para a meditação. (N.T: Fim da gravação).