Shri Saraswati Puja, A Base da Criatividade é o Amor

Dhule (India)

1983-01-14 Saraswati Puja Talk, Dhule, India, DP-RAW, 26' Chapters: English Talk, Marathi TalkDownload subtitles: DE,EN,FR,HU,IT,PT,SK,TR,ZH-HANS,ZH-HANTView subtitles: Add subtitles:
Download video (standard quality): Download video (full quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Listen on Soundcloud: Transcribe/Translate oTranscribe


Saraswati Puja, Dhule, Índia, 14.01.1983

Com amor todos os tipos de ações criativas acontecem. Vocês vêem como Raulbai tem amor por Mim e neste lugar… todos vocês também tiveram novas idéias de criar algo belo. E assim como o amor irá crescer, sua criatividade se desenvolverá. Então a base de toda a criatividade de Saraswati é o amor. Se não existe amor, não existe criatividade. Mesmo num sentido mais profundo, se você observar. As pessoas que criaram todas as coisas científicas fizeram isso… por amor as massas, não para si mesmas. Ninguém produziu nada para si próprio. Se eles fazem algo para si mesmos, deve se tornar de uso universal, senão não tem significado. Você pode dizer que até mesmo as bombas atômicas e todas essas… que são criadas pela ciência são também muito protetoras. Se eles não as tivessem criado, essas pessoas não teriam tirado a sua mente da guerra.

Agora, ninguém pode pensar em ter uma grande guerra. É claro, eles estão tendo as guerras frias, mas isso também… irá parar gradualmente quando eles estiverem fartos disso. Assim, toda a atividade do canal direito, de Saraswati, basicamente deve terminar em amor. Inicia com amor e termina em amor. Tudo que não termina em amor se enrosca e acaba. Simplesmente desaparece. Assim vocês podem perceber que mesmo a matéria… que não é usada para o amor simplesmente é destruída. A base tem de ser o amor. Caso contrário, toda matéria que criamos que tenha angularidade, que não seja adequada à mídia em massa, que não seja interessante às massas… – é claro isso leva tempo, vocês têm visto que leva tempo – mas isso, de fato, sempre têm a tendência de desaparecer no ar, tão logo você descubra que elas não interessam às massas. Agora esse amor, do qual nós falamos, esse grande amor de Deus do qual falamos, nós o conhecemos, em definitivo, através das vibrações.

As pessoas não possuem vibrações, mas ainda assim… elas podem senti-las de uma maneira inconsciente. Todas as grandes pinturas do mundo têm vibrações. Todos os grandes trabalhos criativos do mundo têm vibrações. Somente aquilo que tem vibrações tem-se mantido ao longo do tempo, do contrário, todas as outras coisas são destruídas. Deve ter havido monumentos, estátuas horríveis e coisas horríveis… que foram criadas há muito tempo atrás, mas todas foram destruídas… pela Natureza e não puderam suportar o impacto de Kala, isto é, do poder destrutivo do tempo. Assim, tudo que está sustentando, tudo que está nutrindo, tudo que está capacitando, vem desse sentimento de amor, que está muito desenvolvido em nós, mas nos outros também, naqueles que ainda não são realizados. Por fim o mundo todo tem de compreender que… devemos nos mover para este Supremo Amor de Deus, senão não há nenhum significado. Vocês têm visto que na arte as pessoas têm adotado outros métodos… de atrair as pessoas, usando coisas baratas e muito vulgares, apenas para fazer com que as pessoas pensem que isso é arte. Mas tudo isso irá desaparecer. Não pode suportar o impacto do tempo como Eu lhes disse.

Não pode porque o tempo irá destruir isso. Todas essas coisas… devem desaparecer e vocês já podem ver o resultado, como as coisas estão mudando em todo lugar, mesmo no ocidente. Assim, não há necessidade de ficar tão desapontado com o ocidente… e dizer que o mundo ocidental é uma terra inculta. Tudo ficará bem e isso tem de ser feito. Especialmente, tem sido feito muitos Pujas a Saraswati, Eu diria, no ocidente. Muito mais do que tem sido feito na Índia porque eles precisam… aprender e eles têm tentado descobrir muitas coisas. Mas a única coisa que eles esqueceram é que Ela é uma Deusa, a Deusa do aprendizado. Tudo vem da Deusa, isso é o que eles esqueceram. E é por isso que todos os problemas foram criados. Se não existe o Espírito em seu aprendizado, se não existe a fonte da Deusa em seu aprendizado, então ele é totalmente inútil.

Se eles tivessem percebido que existe o Espírito e que Ele está… fazendo as coisas funcionarem, eles não teriam ido tão longe. E era sobre isso que Eu estava alertando os indianos: vocês estão caminhando, de certa maneira, para a revolução industrial… e para evitar todas as complicações da revolução industrial, vocês devem tentar conhecer o Espírito. Se não conhecerem o Espírito, vocês terão os mesmos problemas que… essas pessoas têm, porque elas também são seres humanos… e vocês também são, vocês irão pelo mesmo caminho. Vocês correrão aleatoriamente e haverá problemas, os mesmos problemas que os ocidentais têm. Agora, as bênçãos de Saraswati são tantas que… não se pode descrevê-las em tão pouco tempo. E Surya (Sol) tem nos dado tantos poderes que é impossível… contá-los em uma palestra, nem mesmo em dez palestras. Mas o modo como vamos contra Surya e contra Saraswati, enquanto veneramos Saraswati, deve ser observado claramente dentro de nós mesmos. Por exemplo, os ocidentais gostam muito de Surya… porque eles não têm Surya. Mas eles vão muito longe com isso, como vocês sabem, e criam complicações em relação a Surya dentro de si mesmos. Mas a coisa principal que se deve alcançar através de Surya é a Luz, vivek, a Luz interior.

E se o chakra de Surya no nível do Agnya está ocupado pelo… Senhor Jesus Cristo, então é ainda mais essencial a pureza da vida, que chamamos Niti, que é a moralidade da vida. A própria moralidade tornou-se um tipo de debate no ocidente. As pessoas não têm nenhum senso de moralidade absoluta. Pelas vibrações, claro, você sabe. Mas todos eles têm ido contra ela. Aqueles que veneram Jesus, os que veneram Surya, de Saraswati, todos foram contra, contra os poderes de Surya, simplesmente desobedecendo-os. Porque você não pode ser um Surya se você não tem… um senso de moralidade e de santidade apropriados. Surya por si mesmo traz luz para vermos tudo claramente. Surya tem muitas qualidades. Ele seca qualquer coisa que esteja molhada, suja, imunda.

Ele seca todos esses lugares que criam parasitas. Porém muitos parasitas são criados no ocidente. Não somente parasitas, mas existem cultos horríveis e coisas horríveis… que foram para estes países que deveriam estar cheios de luz. E nesta escuridão, eles existem. Escuridão sobre o Espírito, escuridão sobre seu próprio conhecimento… e escuridão a respeito do amor. Essas três coisas assumiram o controle nos lugares onde… se deveria amar a luz. Luz não significa o que você vê com seus olhos grosseiros. Luz significa de dentro, a Luz do Amor. Isto é o que deveríamos entender: a Luz do Amor. E ela é tão suave, é tão doce, tão bela, tão cativante, tão abundante… que a menos e até que você sinta essa luz dentro de você, aquela luz que é do puro Amor, da pureza, dos puros relacionamentos, da pura compreensão.

Se você puder desenvolver esse tipo de luz em você mesmo, então tudo será purificado. “Lave-me e eu serei mais branco que a neve.” Isso é o que acontece com você quando… você está completamente purificado. A forma mais pura da natureza está dentro de nós. A forma mais pura da natureza está dentro de nós. Nossos chakras são feitos dessa mais pura forma da natureza. Nós somos as únicas pessoas que estão estragando isso pela… nossa atividade mental, novamente o mesmo trabalho de Saraswati. Vocês estão indo contra a própria Saraswati. Saraswati purifica tudo o que é impuro na Natureza, enquanto que com nossa atividade cerebral, nós estamos estragando tudo isso. Toda a nossa atividade cérebral vai contra a pura inteligência.

E isso é o que devemos entender, que essa inteligência pura… não deve ser estragada pelo nosso pensamento. Nosso pensamento pode nos tornar tão arrogantes, tão orientados pelo ego, tão impuros, que nós realmente podemos comer o veneno e dizer: “O que há de errado nisso?” Exatamente oposto de Saraswati. Se Saraswati está em nós, Ela nos dá subuddhi, sabedoria. E por isso que para venerar Saraswati, para venerar Surya, nós devemos ter aquela visão clara do que devemos ser. O que estamos fazendo, em que sujeira nós estamos vivendo. Em que nossa mente está entrando. Afinal nós estamos aqui para a emancipação e não simplesmente… para mimar nosso ego e viver com a imundice que está conosco. Então essa luz veio dentro de nós e devemos tentar nos elevar acima… da nossa própria sujeira mental, que tem sido criada ao nosso redor. Além disso, você deve ir mais alto… e compreender que existe dentro de nós uma coisa chamada ego.

E este ego é falso, totalmente falso. Você não faz nada. Em verdade, quando você movimenta seus olhos aqui e ali, quando sua atenção está aqui e lá, não é nada além de seu ego, que está tentando dominar você. Mas na verdade, o ego é uma falsidade absoluta porque existe… apenas um ego e que é o de Deus Todo-Poderoso, Mahat Ahamkara. Nenhum ego realmente existe. Isso é um mito. É um mito muito grande, porque se você começa a pensar que você está fazendo tudo, você está fazendo isso, aquilo, o qual você não está fazendo, então esse ego insensato entra em ação e você começa a trabalhar isso, ele pode se projetar em qualquer direção. Quando ele se projeta para frente, ele subjuga os outros, ele tenta dominar os outros, tenta matar os outros, torna-se cruel. Quando ele se move para o lado direito, ele se torna o supraconsciente. Ele começa a ver coisas que são absurdas, insensatas, estúpidas.

Quando ele se move para o lado esquerdo então ele começa a dizer, ou melhor a ver coisas, ver você mesmo como um grande homem, como um grande Cristo ou uma grande Deusa… ou algo como Adi Guru: “Eu sou uma personalidade formidável.” Isso é canal esquerdo. Quando ele se move para trás, é o mais perigoso. Então as pessoas tornam-se gurus que ficam arruinando outras pessoas. Quando o ego delas move-se para trás, então elas se tornam gurus, elas mesmas possuem muitos defeitos… e tentam arrastar as pessoas para essas coisas horríveis, que são descritas como absoluto Naraka. É dessa forma que é o movimento do ego para todos os lados. Agora, quando as pessoas tentam usar o Vishuddhi direito, isto é, falar de si mesmas, é o pior de todos. Qualquer tipo de ego que você possa ter, se você começa a se gabar e a falar sobre isso, então ele circula, engrossa tanto as paredes do ego que é impossível penetrá-lo. Porque uma pessoa assim está completamente satisfeita… consigo mesma e ela acredita que é assim. E uma vez que ela comece a acreditar numa insensatez… como essa, é uma impossibilidade, é uma impossibilidade penetrar.

Então, quando você se vangloria dessas coisas ou se gaba, tenha cuidado. Vocês sabem quem Eu sou, mas quantas vezes Eu digo: “Eu sou Aquilo”? Ainda que Eu diga uma vez, isso cria tremendas vibrações para vocês. Mas quantas vezes Eu digo isso? No máximo se vocês dizem algo, Eu digo “sim”. Mas Eu não digo isso. Se Eu disser em voz alta, Eu não sei o que pode acontecer. Tudo poderia ser explodido. Então, deve-se entender que Mahat Ahamkara é aquele que age, que trabalha, que cria. Algumas vezes Eu grito com vocês.

Imediatamente todos os bhoots fogem. Eu grito apenas uma vez. Ontem vocês viram todos os bhoots que estavam tossindo, todos eles fugiram. Ontem apenas comecei. Assim, você deve entender que agora você é uma alma realizada, você também pode fazer o mesmo. Use o seu Vishuddhi direito para gritar com você mesmo: “Agora, por favor, você vai parar de se gabar, vai parar de dizer…” “todos esses absurdos, parar se exibir”. Então isso irá parar. Agora, esse espessamento ocorre em pessoas que… realmente são muito ativas, elas querem fazer alguma coisa, não aquelas que não são ativas, elas querem fazer. Mas elas só conhecem um modo, que é agir através da fala. Elas não compreendem que existem maneiras interiores… através das quais você controla isso muito mais.

Porque elas não querem adotar isso, elas adotam essa fala, E uma vez que elas criem o hábito de falar e falam sobre isso, todo poder vai embora. Mas se elas não falam sobre isso e guardam isso para si mesmas… Tudo bem, você pode Me contar sobre suas experiências… ou qualquer coisa, mas se você começa a contar aos outros… e falar muito sobre isso, então os poderes que você obteve, todos desaparecerão gradualmente. E você simplesmente cairá para o mais baixo nível. Então, não se deve falar muito: “Eu tenho esse poder”, ou “eu vejo isso” ou “eu faço isso”, que é algo muito errado. Eu os alerto, não tentem se exibir. Ha (Sim), vocês podem falar sobre Meus poderes. Tudo bem. Mas não tentem falar sobre os seus poderes. Quando ocorre, é claro, ao dizer a uma pessoa que é negativa ou dizer a alguém, você deveria dizer “nós”, não “eu”. “Nós temos”, “alguns de nós têm sentido esse poder dentro de nós”, “nós temos visto pessoas…”.

Pode ser que seja somente você, Mas não precisa dizer “eu tenho”. O que você tem de dizer é “nós”. Então você se torna Mahat Ahamkara. Quando você diz “nós”, “algum de nós”, “nós fazemos”. Como no livro do Gregoire, Eu fiz isso, Eu Me certifiquei de que não tivesse muitos “eus”, mas que ele deveria ter “nós”. “Nós achamos”, “nós fazemos”, “nós”. Significa que é o ser coletivo todo, o organismo coletivo, o organismo vivo de Sahaja Yogis. Então, se você diz: “Sim, alguns de nós obtiveram isso”. Isso significa que você se pôs abaixo, pôs todos acima de você. “Sim, alguns de nós têm.

Conheço algumas pessoas que têm isso”. É assim que se deve fazer. Porque se você tem de sobrepujar o seu ego, você tem de permitir que ele se disperse por todos os demais. É desse modo que você o deixará perfeitamente correto. Deixe ele dispersar. “Todos nós os Sahaja Yogis, nós todos”. Esse orgulho não existe, tenho visto que esse orgulho não existe. Ainda é muito individualista. Se vocês começam a pensar: “nós Sahaja Yogis”, então o que acontece é que vocês se tornam… uma única personalidade, uma única organização. Mas a pessoa vai menosprezar os outros.

Essa pessoa verá: “Essa pessoa é inferior, aquela pessoa é superior, aquela pessoa é assim.” Mas ela não irá pensar: “Nós os Sahaja Yogis, quão belo nós somos.” “Nós, o corpo da Sahaja Yoga, quão belo nós somos.” Portanto sempre pense na palavra “nós”, assim seu ego se tornará muito menor, muito menor, muito menor. E o mesmo ego, que parece muito engraçado e absurdo, formará amanhã o Ekadasha. O ego individual de hoje irá se fundir ao Ekadasha. Mas todos nós devemos lembrar de dizer “nós” o tempo todo. O dia de hoje é isso, é um grande dia para nós mudarmos, porque agora o Sol mudou sua posição. Ele está vindo para este lado. Então vamos dar as boas vindas ao Sol, que está vindo para o norte agora, desse modo.

E para os australianos apesar do sol ter ido embora, vamos estabilizar o Sol, o domínio do Sol, dentro de nós mesmos. Porque o Sol nunca desaparece de dentro de nós. É dessa maneira que temos que adotar um temperamento através do qual… nós devemos pensar em uma única personalidade, “todos nós juntos”, “todos nós juntos.” E qualquer um que tente ser algo separado ou diferente, irá se retirar. Eu irei retirá-lo. O que quer que seja, será retirado. Então não se preocupe, qualquer um que tente ser destacado. Todos devem fazer tudo que acham melhor para nutrir o todo, para ajudar o todo, para emancipar o todo. Mas não, de forma alguma, colocar alguém para baixo sempre. Porque não é dessa maneira que é a Sahaja Yoga.

A Sahaja Yoga somente funciona em coletividade. E aquele que desenvolveu esse espírito permeável é… um verdadeiro Sahaja Yogi. Quem não desenvolveu isso, não é. Seja o que for que você possa pensar sobre si mesmo, Eu não tenho nada a dizer. Mas essa personalidade permeável, que se move de um lugar ao outro, quer você diga ou não. Como sua Mãe, quer Eu encontre você ou não, não faz diferença, mas Eu estou permeando através de todos vocês por pequenas, pequenas coisas também, Eu estou com vocês. Então dessa forma, tente permear em cada um e veja a beleza. E você desfrutará ao máximo de si mesmo, porque isso é… o mais importante. Essa é a coisa mais importante a ser alcançada. Porque este ego faz de você uma casca de noz… e você simplesmente não consegue ter uma afinidade com… essa beleza da permeação e simplesmente ver como… as notas musicais se movem de um para o outro. Hoje, será uma grande idéia, é uma grande coisa, que hoje… nós tenhamos este Puja em Dhulia.

Dhulia significa pó, pó. E um dia Eu escrevi na Minha infância, um poema, Eu Me recordo. Era um poema muito interessante, não sei onde está agora, mas dizia: “Eu quero ser como uma partícula de poeira…” “que se move com o vento. Ela vai a qualquer lugar.” “Pode ir, sentar-se na cabeça de um rei…” “ou pode ir e pousar no pé de alguém.” “E pode ir e sentar-se em uma pequena flor,” “pode ir e sentar-se em qualquer lugar.” “Mas Eu quero ser uma partícula de poeira,” “que tem fragrância, que nutre, que é iluminada.” Dessa forma, Eu escrevi um lindo poema, Eu devia ter sete anos, Eu Me lembro: “Ser uma partícula de poeira”, Eu lembro disso muito claramente, há muito tempo atrás, que Eu deveria ser uma partícula de poeira, de modo que Eu permearia as pessoas. Que é uma grande coisa, tornar-se uma partícula de poeira desse tipo. Qualquer coisa que você toque, que você veja, torna-se iluminada, o que quer que você sinta tem fragrância.

É algo grandioso ser assim. E esse era o Meu desejo e tem sido alcançado. Naquela tenra idade, Eu tive esta idéia de Me tornar uma partícula de poeira… e hoje só em falar com vocês, Eu lembrei que Eu queria ser isso… e é isso que este lugar é. E Raulbai é assim. Ela é uma mulher muito simples, uma mulher muito simples e vive como uma pessoa muito simples, mas ela tem o senso de permeação. E agora há muitos Sahaja Yogis, que vieram ontem. Eu tenho certeza que eles irão se dedicar na Sahaja Yoga muito bem. E há muitos Sahaja Yogis de Dhulia agora, e Eu tenho certeza que haverá mais pessoas. Eu espero que vocês tenham encontrado todos eles. Façam amizade com todos eles, tentem conhecê-los, quem eles são. Eles podem não saber inglês, então arrumem alguém para traduzir.

Falem com eles e sejam bons para eles, seja amigáveis. Queria que vocês os encontrassem para essa permeação. Vocês deveriam saber quem são as pessoas aqui, quem está em Nasik. Porque de certa forma nós nunca encontramos os Sahaja Yogis, que estão naquele determinado lugar. E quando voltamos, nós temos somente um ou dois endereços. Não é uma boa idéia. Tentem ver quantas pessoas existem. Façam perguntas sobre elas e tudo o mais. Essa permeação somente é possível quando seu ego começa… a permear tudo em volta e esse é o caminho para superar… os problemas do canal direito e é assim que se venera Saraswati. Porque Saraswati tem uma vina em Sua mão… e esta vina é o instrumento primordial, com o qual Ela toca música e a música penetra no coração.

Você não sabe como a música entra em você e como ela funciona. E é desse modo que uma pessoa que é um Sahaja Yogi deve permear, como a música. Ela tem tantas qualidades, com Eu lhes disse, que não podem ser descritas em uma palestra. Mas, uma das maiores qualidades Dela é que Ela termina em coisas muito sutis. Como a Mãe Terra terminará em fragrância, a música terminará em melodias. Desse jeito, tudo o que Ela cria termina em algo maior. A matéria, seja o que for que Ela produza, termina em estética. Se a matéria não tem estética então ela é grosseira. Desse jeito, todas as coisas. Agora vocês Me dirão: “O que é a água”.

A água se torna o rio Ganges. Essas são as coisas mais sutis. Então a matéria entra em… em coisas mais sutis porque ela tem de permear, ela tem de permear. Assim todas as coisas, seja o que for. E o melhor de todos é o ar. O ar se transforma em vibrações. Assim vocês podem ver como o que quer que surja da matéria, desses cinco elementos, torna-se essa coisa sutil. É claro, o canal esquerdo e o canal direito direito, ambos ftrabalham isso, porque o amor tem de trabalhar nisso e quando o amor age na matéria ela se torna aquilo. E é assim que se deve olhar para a própria vida, para fazer dela uma bela combinação de amor e matéria. Que Deus os abençoe.

[Marathi]