Bhoomi Puja (conhecido como Trigunatmika Puja), Holanda é a Terra Sagrada

Huis Overvoorde, Rijswijk (Holland)

1985-07-05 Trigunatmika Puja Talk, Den Haag, Holland, DP, 37' Download subtitles: CS,EN,NL,PT,TRView subtitles: Add subtitles:
Download video (standard quality): Download video (full quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Listen on Soundcloud: Download audio:
Transcribe/Translate/Verify using oTranscribe


Feedback
Share

Trigunatmika Puja, Den Haag Overvoorde, Holanda, 05.07.1985 

Então nós estamos na Holanda, que é a Terra Sagrada da Europa, e a Terra Sagrada da Europa tem muita água nela, fluindo. Está em um nível mais baixo do que a Mãe Terra… e o mar flui através dela, assim é uma boa combinação do mar e da terra aqui. Assim, o mar limpa e a Mãe Terra abençoa as pessoas da Holanda, mas se elas perderam suas amarras e estão voando na direção errada, então a mesma Terra Sagrada pode se tornar a terra do inferno. Então nós temos de ter muito cuidado de nos certificar que… criemos mais e mais Sahaja Yogis neste lugar. Na Minha leitura sobre o caráter dos ocidentais, Eu descobri que eles são extremamente agressivos… por natureza e muito egoístas em geral. Não se deve sentir que Eu estou falando sobre você, mas Eu estou dizendo: vocês são Sahaja Yogis, vocês pertencem ao Reino de Deus, mas Eu estou falando em geral agora. Enquanto Eu estou falando, mantenham seus olhos abertos. Não sei por que as pessoas fecham os olhos, Eu não consigo entender. Agora, quando estamos na Terra Sagrada, nós descobrimos que a Mãe Terra permitiu o mar fluir… e é um lugar muito bom para Eu dizer algo a vocês. Aqui o mar refugiou-se na Mãe. O guru se uniu com as qualidades maternas.

A pessoa se sente mais segura no chão do que no mar ou no ar. Então hoje, é a melhor oportunidade para Eu dizer… que depois do Guru Puja, nós temos de entender que ser santo significa que… você deve permitir que o Guru Tattwa circule no Princípio da Mãe… ou que o Guru Tattwa tem de ser controlado e guiado e embelezado… pelo Princípio da Mãe. É só a Mãe Terra que é bonita, porque Ela consegue criar muitas variedades, muitos dramas, muitos lugares. Qualquer outro elemento, se você observar, não tem nada dentro dele, então Ela é quem pode criar. Então nós devemos adotar mais a qualidade maternal… e tentar unir nosso Princípio do Guru por meio… desse lindo poder maternal criativo, de modo que tornemos nossa presença muito agradável, muito harmoniosa, muito bela, cheia de interesse e variedades; o tempo todo, novas flores; o tempo todo novos frutos; o tempo todo um novo, novo desenho. Como a Kundalini é feita da Mãe Terra, nós somos capazes de fazer isto. Existem gurus e gurus e gurus, mas nenhum até agora é tão mestre como vocês são da Kundalini. Se eles fossem, eles teriam dado a Realização para milhares. Por quê? Porque sua Mãe penetrou em seu Princípio do Guru… e elevou a sua Kundalini, deu-lhe o poder de elevar a Kundalini, rompendo o seu sétimo chakra, muito claramente.

Isso nunca aconteceu com ninguém, mesmo as encarnações não conseguiam fazer isso… com as massas como vocês estão fazendo. A Kundalini está fluindo das suas mãos; o Ganesha está ativo em vocês, mas isso nunca deverá lhes dar o ego… ou a severidade ou o peso do mar, mas isso deve lhes dar a beleza da Mãe Terra. A Mãe Terra é sempre maior do que o mar porque Ela tem de conter o mar. O mar nunca pode ser maior do que a Mãe Terra. Às vezes, ele parece ser maior, mas o mar está contido na Mãe Terra. Ele não pode ir além. Então, a Mãe Terra é sempre mais importante, maior, mais ampla do que o mar. Então a pessoa tem de entender que quando a Kundalini se elevou, você se tornou todos os sete chakras não somente o Guru Chakra, e quando você se torna o Guru Chakra, ele também fica ligado por todos os lados pela Mãe Terra. Sob essas circunstâncias, quando nós somos tão capazes, nós estamos dando a Realização a muitas pessoas, quando nós estamos alcançando tantas coisas. Se nós conseguirmos somente nos tornar humildes, harmoniosos, belos, nós podemos dominar a fundo o mundo inteiro, mas Eu acho que no estilo dos Sahaja Yogis, especialmente no Ocidente e nos indianos ocidentalizados, há muito ego ainda expressado em suas falas, em seu comportamento.

Eles não são capazes disto, de ver, Eu acho às vezes; mas é melhor ver isto. Primeiro, você talvez tenha de agir docemente, talvez, mas você deve aprender desse jeito. Se você não entende que toda a sua liderança, todo o seu Guru Tattwa dependem inteiramente… da capacidade de amor de sua Mãe, da paciência Dela, Eu fico zangada, mas talvez só uma vez a cada dez anos ou doze anos, algo assim, raramente. Isso é melhor, então a raiva tem algum sentido, mas o tempo todo se você está com raiva ou tenta se mostrar… ou se você tem tanto ego que você continua insistindo… em coisas erradas, então você não pode ser efetivo. Outra coisa que Eu tenho visto é que o ego não tem nenhum discernimento, o ego não tem nenhum discernimento de nenhum tipo. Se você é egoísta, a primeira coisa que você perde é o discernimento, então de que adianta ter essa insensatez de um ego… que não lhe dá discernimento? E as pessoas que tem um ego maior sempre insistem também… e você tem de concordar com isso. Vocês ficam mais impressionados com as pessoas… que têm um ego maior do que o de vocês… e vocês gostam de pessoas que não tem nenhum ego, dessa forma vocês podem oprimi-las, mas a parte do discernimento é muito pobre. Isso vocês podem ver, outro dia um guru tinha, um senhor veio e ele recebeu um mantra do seu guru, mas ele não podia ouvir nada contra o guru dele. Por quê?

Porque o ego dele escolheu aquele guru; porque o ego escolheu, como pode o ego estar errado? E o ego está sempre errado, invariavelmente errado. Tudo fica de cabeça para baixo com a orientação do ego. Gradualmente, vocês aprenderão que no ocidente, falta o bom senso nas pessoas, completamente, falta bom senso nelas em tudo. Se eles tivessem bom senso, teria havido muito menos problemas, mas o bom senso está faltando e também, Eu percebo a mesma coisa nos Sahaja Yogis. Falta bom senso neles. Vocês devem se tornar tão sábios que o bom senso deveria ser… sua natureza, mas falta bom senso em nós. Por exemplo hoje, (tomarei um pouco de água), hoje Eu estava discutindo sobre, digamos, problemas de trabalho, que é um problema geral. É um problema geral. Vocês têm um problema de trabalho.

Por exemplo, vocês têm desemprego. Agora, todo o sistema que está formado aqui – e nós também adotamos um pouco dele, mas não nesta extensão – de trabalhar por horas, é absurdo. Por exemplo, vamos supor que você levante às 4:00hs. Quero dizer, essa é uma suposição muito grande, é claro, mas vamos supor que nos levantamos às 4:00hs… e tomamos nosso banho. De manhã é muito tranquilo, podemos meditar, podemos fazer o que gostamos. Então, nós terminamos todo o outro trabalho que temos de fazer, você fica pronto, toma o seu café da manhã ou chá… ou seja o que for que você queira tomar. Então às 8:00hs, você está pronto para trabalhar. Vamos supor que você vá às 8:00hs para o seu trabalho. Então, você consegue trabalhar de 8:00 às 13:00 muito facilmente, muito facilmente, sem nenhum problema. Então às 13:00hs, você volta para casa, come o seu almoço e dá um cochilo.

Se você pode tirar um cochilo por volta de duas horas, até às 15:00hs, 16:00hs; às 17:00hs, você novamente vai para o trabalho. Então você pode trabalhar das 17:00 às 23:00… sem se sentir cansado, depois das 23:00hs, você talvez se sinta. Então você trabalha muito mais, tem muito menos sono e você se mantém saudável e jovem, mas isso requer bom senso. Agora, como o desemprego pode ser resolvido? Algumas pessoas podem trabalhar de manhã, algumas podem trabalhar à tarde. Agora, para aqueles que estão trabalhando de manhã, as mulheres podem ficar em casa, os homens podem ficar fora. Depois os homens saem à tarde; eles podem fazer os trabalhos domésticos. As mulheres podem trabalhar em suas casas ou quando elas estão em casa, os homens podem fazer um trabalho criativo, como fazer estátuas, trabalho manual, coisas feitas à mão. Assim todo mundo tem emprego. Eles se tornam mais criativos, pessoas mais felizes.

E é tão fácil resolver o problema. Mas há desemprego; por causa do desemprego, há tantos problemas. É muito fácil resolver o problema de desemprego, você não dá nenhum seguro social ou nada assim. Você lhes dá o salário deles e deixa-os trabalhar por menos tempo. Se você os faz criar coisas e vendê-las, eles terão mais dinheiro ou poderão ter coisas boas ao redor deles. Senão você pode ter coisas horríveis como esta. Assim, você pode ter muitas coisas que são feitas à mão, mais as coisas feitas à máquina, seja o que for que você queira ter, deve haver um equilíbrio. Com bom senso, devemos saber… até que ponto ir, até que ponto ter equilíbrio. Por exemplo, a máquina continua como louca, não podemos controlar as máquinas. porque achamos que ganhamos dinheiro, nós não ganhamos.

Depois de um tempo, as máquinas têm de parar. Então você tem de ir até – isto, Eu estou tentando colocar… o Guru Tattwa na Mãe Terra. De modo prático. Então o bom senso deve ser aplicado… e isso só pode surgir onde não há nenhum ego. Com o ego que não se pode ter bom senso. “Porque eu gosto disso, eu faço isso”, mas este “eu” é o ego… que é cego, que é sem discernimento, que é estúpido. Então, por fim, nós fazemos coisas estúpidas. Deve haver bom senso, com o qual a pessoa aprende a se livrar deste ego. Agora, as pessoas dizem: “Mãe, como se livrar do ego?” É muito simples, você tem de mover da esquerda para a direita… 108 vezes, na Sahaja Yoga.

Você tem de perdoar as pessoas, na Sahaja Yoga e você pode se observar. Antes de mais nada veja: você observa os outros ou se observa? Antes de mais nada. Havia uma senhora viajando Comigo, uma senhora muita idosa. E ela disse: “Este homem é bonito, este homem não é bonito,” “esta mulher tem boa aparência, ela é bonita”, desse jeito. Eu fiquei simplesmente olhando para ela. Eu disse: “Esta mulher louca,” “ela ficará realmente louca na hora que descermos.” “Ela fica olhando para cada pessoa, julgando todo mundo,” “quem é bonito, quem não é.” E todo mundo que ela chamou de bonito, Eu achei feio. Então, Eu desisti.

Eu disse: “É melhor você decidir,” “Eu nunca tentei estas coisas.” Depois: “Este homem não é bom,” “ele é muito irascível, ele é isto, ele é aquilo,” “ele fala deste jeito, ele anda deste jeito,” “ele não deveria fazer, aparentar, deste jeito”, preocupada com as outras pessoas. Você lhes diz qualquer coisa, eles continuarão balançando seus pescoços deste jeito: “Como você pôde fazer isto?” Mas você mesmo faz isso. Se você tem de dizer “sim”, então faz isto dez vezes: “sim, sim, sim”. Se você tem de dizer “não”, eles ficarão fazendo: “não, não, não”. Não há nenhum bom senso. Por que mover seu pescoço tantas vezes? Se alguém está dizendo isso, você não precisa reagir o tempo todo. Então esta é uma outra coisa: reação interna.

Primeiro é externo, observando todo mundo, julgando todo mundo: “Oh, eu não gosto desta estação; ela é muito empoeirada,” “este banheiro não é bom, este quarto não é bom,” “aquilo não é bom”, continua desse jeito, como se você fosse a Rainha da Inglaterra. Até poderia ser mais do que isso, porque não é permitido que ela escolha nem mesmo seu vestido; o Parlamento tem de decidir. Coitada, não pode ter nenhum ego, de forma alguma, coitada. Ela tem de escolher qual vestido tem de usar para uma ocasião particular; se o Parlamento disser “sim”, ela veste. Se ele disser: “não”, não. É um grande problema para eles. Mas para nós que somos pessoas livres, nós devemos ter bom senso… para entender o que fazer, onde fazer, o que falar, como falar, mas quando há ego, você não consegue ter bom senso. E essa é a razão pela qual Eu acho que os ocidentais se tornaram… tão estúpidos em tantas coisas. O que quer que Eu veja, Eu vejo que está de cabeça para baixo. Os indianos, nós podemos ser pessoas pobres; nas vilas, eles não são tão instruídos.

Todos vocês são pessoas muito bem instruídas, tudo está lá, mas tudo surgiu do ego, então falta o bom senso. Assim, aqueles que lidam com a Mãe Terra, como os agricultores, têm um enorme bom senso. Agora, na Holanda, Eu achava que as pessoas teriam muito bom senso, porque eles são agricultores. Quando Eu vim em 1965, eles estavam em uma situação melhor, pessoas muito melhores, não eram tão insensatos. Eles eram bem vestidos, bons, sensatos, pessoas sólidas. É claro, Eu conheci pessoas muito mais velhas também, Eu devo dizer, mas Eu fiquei surpresa ao ver que no mercado, você não conseguia adquirir um transistor feito na Holanda, não conseguia adquirir nada feito na Holanda. Então Eu disse: “Como é isso, vocês não fabricam nada, nem máquinas?” Vocês disseram: “Por que deveríamos?” “Por 25 bulbos de tulipas nossos, hoje em dia,” “nós conseguimos um transistor do Japão,” “então porque devemos fabricar um transistor?” Bom senso.

“Nós enviamos daqui 25 bulbos”, e eles têm campos e mais campos de todos os tipos de tulipas, por toda parte, quero dizer, quando Eu vim aqui. Então eles disseram: “Por 25 bulbos, nós conseguimos um transistor,” então por que deveríamos fabricar? “Exportamos nossos bulbos para eles e adquirimos seus transistores.” “Por que deveríamos fabricar transistores?” Depois eles disseram: “Exportamos nosso queijo para um determinado…” “país, nossos ovos para a Itália, nosso frango para este país…” “e nós conseguimos tudo que precisamos”. Eu fiquei impressionada, eles são tão orgulhosos de sua agricultura… e fazendo muito daquele jeito, que era uma coisa muito sensata… e porque eles estavam lidando com a terra, Eu pensei que Eu acharia os holandeses os melhores, mas então Me contaram que essas pessoas estão absolutamente… perdendo suas cabeças. Eles se tornaram como bois agora. Trabalhando com a terra, eles se tornaram como bois que aram a terra. Eu fiquei surpresa: “Como eles se tornaram iguais a bois?” Eles eram pessoas muito sensatas, muito sensatas, agricultores sensatamente lidando com as coisas… e trabalhando as coisas de uma maneira tão bela; pessoas muito inocentes e simples, e ingênuas, até o ponto da doçura, muito doces.

Quando nós viemos aqui, eles quiseram nos agradar, então eles quiseram colocar uma bandeira para nós, do nosso país… e eles colocaram a bandeira do Paquistão em nossa frente. Eu fiquei muito feliz em ver aquilo, e eles estavam falando sobre vegetarianismo, mas quando nós viemos, Minha filha se tornou de repente vegetariana, porque ela ficou com uma náusea estranha no, no navio. Assim, ela não estava comendo nenhuma carne ou qualquer coisa assim. Então ela disse: “Eu sou vegetariana”. Então eles disseram: “Tudo bem, então você vai comer frango?” Eles eram simples assim, pessoas muito simples… e agora eles estão falando sobre vegetarianismo. Eu estou surpresa. Somente entre 1965 e 1985, nesses vinte anos, o quanto eles mudaram. Muito agradáveis e… eles não estavam ocupados fazendo todos esses exercícios… e reduzindo peso ou aumentando peso e correndo nas ruas. Exatamente agora, ontem, Eu estava andando, todos estavam correndo feito loucos, eram pessoas muito sensatas, mas eles perderam seu bom senso, porque talvez eles não entram em contato com a Mãe Terra, eles estão usando muito as máquinas.

Talvez esta seja uma das razões… e deve ser o ar vindo de outros países de fora e eles pensam: “Eles são rústicos”, então eles devem aceitar tudo que é moderno, sofisticado, talvez. Há uma história sobre um agricultor que estava viajando de trem… e havia alguns garotos malcriados que vieram da cidade, então eles queriam caçoar do agricultor. Então, um dos garotos perguntou-lhe: “Se os ovos são vendidos aqui nesta estação por 20 centavos…” “e na próxima estação a galinha é vendida por uma libra,” “qual é a minha idade?” Só para provocá-lo. Então imediatamente o homem disse: “Você deve ter 22”. Ele disse: “Como você sabe que eu tenho exatamente 22?” Ele disse: “Porque meu irmão que é completamente louco,” tem 44.” Vejam, eles são tão práticos. Vejam, eles chamam isso na América de “fatos básicos”, eles sabem o que é isso. Ele olhou para ele e disse “22”; “Como?

Por quê?” “Meu irmão que tem 44 é um louco completo.” E aqueles garotos não sabiam para onde olhar, porque eles queriam provocá-lo. E os agricultores têm um ótimo senso. Por exemplo, nós tivemos um ministro que desenvolveu… um problema no pescoço, no Vishuddhi, ele era o Ministro Chefe. Ele costumava andar assim, a cabeça dele se movia assim. Então alguns agricultores vieram vê-lo, eles o viram. E eles olharam para ele. Eles disseram: “le já está dizendo não, de que adianta falar qualquer coisa com ele?” Nós temos muitas histórias de agricultores na Índia… que mostram o quanto eles entendem a vida.

Eu tinha um ótimo jardineiro, ele era de uma vila. Então havia um sujeito, um sujeito idoso, um outro jardineiro. Ele disse: “Não adianta falar com este sujeito idoso.” Eu disse: “Por quê?” Ele disse: “Se ele é um hindu,” “então um homem idoso é um caso perdido.” Eu disse: “Por quê?” “Porque quando jovens, eles vivem como ascetas…” “e quando estão idosos, eles se tornam iguais a bhoots,” “mas se ele for um muçulmano,” “eles não vivem como ascetas quando são jovens.” “Eles aproveitam a vida e quando são idosos são almas satisfeitas.” “Então, é melhor falar com um idoso muçulmano…” “do que com um idoso hindu.” Quero dizer, a leitura é tão correta sobre as coisas.

Tudo o que ele disse era tão prático e tão sensato. Eu fiquei realmente surpresa ao ver como ele pôde dizer essas coisas… com tamanha doçura e com tamanha bondade, e como ele entendeu tantas coisas tão bem. E ele era muito jovem, tinha por volta, Eu diria, de 30 a 32 anos de idade. Então ele veio a Mumbai para nos ver. Ele não sabia nosso endereço, só sabia que era em Marine Drive, então ele disse ao sujeito, ao taxista: “Leve-me à Marine Drive.” Ele disse: “Marine Drive é um lugar grande.” Ele disse: “Leve-me a qualquer lugar em Marine Drive”, então ele levou. Assim, ele foi e perguntou: “Tem um senhor muito alto em algum lugar de Marine Drive?” E vejam, Meu marido é um dos mais altos dentre os indianos. Então ele foi aos empregados, perguntou: “Vocês viram um sahib alto em algum lugar?”

Ele disse “Só um homem alto está lá, veja.” Assim, foi desse modo que ele veio até nossa casa. E ele lhes mostrou seus sapatos: “Estes sapatos foram dados para mim pelo meu sahib,” “ele também é muito alto, vejam.” Então ele disse: “Estes sapatos ele me deu e ele usa o mesmo estilo de sapato.” Assim, os empregados notam todas essas coisas, eles são pessoas muito práticas. Então, outro jardineiro que se encontrou com ele, disse: “Sim, há um sujeito alto e ele usa o mesmo tipo de sapato.” E assim, ele chegou em nossa casa. Como eles são perspicazes e como seus olhos são tão penetrantes, como eles sabem tudo, sobre tudo. É extraordinário, muito extraordinário, e é assim que nós temos de ser. Nós temos de ser gurus com a influência da Mãe sobre nós, o tempo todo a Mãe nos controlando, a Mãe nos guiando, a Mãe fazendo o nosso bandhan, a Mãe fazendo nossas maryadas.

Assim, a Maternidade é a sua bênção. Hoje vocês estão elevando sua Kundalini, porque o seu Guru é uma Mãe, senão vocês nunca poderiam ter feito. E é por isso que a Maternidade é tão importante. Uma das razões, talvez, por que os Sahaja Yogis fogem… dos líderes e algumas vezes das pessoas… que querem fazer o encontro de continuação, talvez, nós não saibamos que eles estão apenas iniciando, apenas começando. Então, tentem ser gentis, apenas chocando, os pintinhos, vejam, morrerão muito rápido. Você tem de lidar com eles muito, muito cuidadosamente. Eu estou dizendo isto depois de muitos anos sem dizer isso… e Eu estou pedindo a todos vocês, tentem desenvolver. Sentem-se diante do espelho e tentem agir como uma mãe. É melhor ver, pratiquem isso, tentem ser bons, gentis, amáveis, pacientes. Se vocês querem expandir a Sahaja Yoga no Ocidente, nós temos de fazer isso, não em Maharashtra, as mães de Maharashtra são bastante rígidas… e elas são muito diretas e as crianças estão acostumadas com isso.

Vocês podem achar que Eu direi que… Minha Mãe era uma mulher muito rígida, mas Eu acho que Eu gosto muito dela porque ela Me ensinou muitas coisas; todas as Minhas irmãs são ótimas cozinheiras; nós estamos muito bem na vida; nós estamos prosperando na vida; nós não incomodamos ninguém.Todas estas coisas vieram de nossa mãe. Ela era uma mulher rígida, já que não tolerava nenhuma insensatez. Ela mesma nunca contaria uma mentira e se você lhe dissesse: “Se este senhor estiver chegando, diga que eu não estou em casa.” “Não me peça para mentir;” “eu vou dizer a ele que você me pediu para dizer mentiras.” Era desse modo que ela era… era desse modo que ela nos tratava, e nós vivemos com isso, mas não nos importávamos, porque o que ela fazia era para o nosso bem. Nós sabíamos que ela estava fazendo isso para o nosso bem. Não neste país, as pessoas não entendem esse fato. Eles têm ego, eles nunca entendem que isso é para o seu bem. Eles sempre vão entender isso como agressividade, porque eles mesmos são agredidos ou são agressivos. Se eles são agredidos, eles são ainda piores.

Então tentem entender qual é a situação neste país. Eu Me adaptei; vocês também devem se adaptar aqui ao jeito que é… e desse modo que Eu não devo escutar mais nenhuma reclamação, novamente, o Guru Tattwa tem de ir para dentro do Mãe Tattwa. Então da próxima vez, Eu não admitirei nenhuma reclamação, mas todos eles devem dizer: “Oh Mãe, que homem bom,” “ele é tão gentil, tão amável, tão doce.” Não custa nada ser assim de forma alguma. Agora, nesta boa atmosfera onde a natureza é tão abundante… e o sol também está escondendo seu próprio ardor, onde tudo é tão lindo, nós devemos decidir que nós nos comportaremos de uma maneira… que será conveniente à nossa Mãe. e não brigaremos, não discutiremos, não diremos coisas. Por exemplo, alguém no trem agora, vamos supor que esteja viajando, irá e discutirá com o coletor de passagens. “Este é o meu assento, este é meu.” Um Sahaja Yogi não faz isso. Sahaj, “Tudo bem.

Você quer, tudo bem, eu me sentarei aqui.” “Tudo bem, tudo que for lícito, eu o farei;” “tudo que for apropriado, eu farei. Você quer, tudo bem, não importa;” “você não permite, tudo bem.” Imediatamente a pessoa se derrete. Mas se você disser: “Não, este é meu assento, eu o reservei, isso, aquilo.” E então sua Mãe prega uma peça lá, em cima daquilo. Então no final, você descobrirá que o assento não era seu. E você ficará olhando isso muito chateado. “Como um Sahaja Yogi é insultado.” Então é desse modo que isso irá funcionar, dessa bela maneira se nós compreendermos… a beleza da doçura e a beleza da sua Mãe Terra, como Ela belamente cria tudo e como Ela é tão doce, Eu lhes digo, se vocês estiverem dormindo embaixo de um coqueiro.

Vocês conseguem imaginar agora? Um coco é tão grande, se ele cair na cabeça de alguém, acabou-se; no estômago também, terrível. Ele pode quebrar seus ossos, mas ele nunca cairá sobre nenhum ser humano ou nenhum animal. Vocês podem acreditar nisso? É um fato. Isso é Rutambara Pragnya. Essa é a qualidade da Mãe Terra. Ele nunca cai sobre nenhum ser humano ou animal. Como ela faz isso? E vocês têm visto como as flores também se formam, delicadamente.

Vocês nunca verão as flores crescendo, como a Mãe faz isso? Senão nós teremos problemas, vejam. De repente você verá uma flor (…). Então Ela, lentamente, Ela faz isso e de repente, oh! Ela cria as folhas tão belamente arranjadas… que todas elas recebem o sol. Como Ela consegue fazer? Então Ela cria um lindo matiz para você, o esquema de cores, tudo tão belo e depois como Ela nutre isso, porque todas as folhas caem no chão… e fornecem nitrogênio novamente à Mãe Terra… e depois Ela novamente os nutre. Mas as folhas têm de cair se o Sol tem de chegar à Mãe Terra. Tudo é ação Dela, mas Ela faz isso tão belamente que nós nem sequer… estamos conscientes do que Ela está fazendo por nós. Nós não sabemos.

Se você notar isto, uma única coisa… a respeito da Mãe Terra, a beleza que Ela cria… e como docemente Ela faz isso, você diria que até mesmo um bilionésimo disso, se nós tivermos, nós poderíamos estar em algum lugar, já, reinando no Reino dos Céus, é o que acontece. Assim, como vocês obtiveram sua Kundalini, vocês devem desenvolver essa doçura em vocês, de tal maneira que as pessoas vejam vocês… e pensem que vocês são mães maravilhosas, mas como vocês sabem, no Ocidente, as mães são tão horríveis, as mulheres são tão dominadoras que as pessoas não têm… uma imagem apropriada de uma mãe também. As mulheres são extremamente dominadoras. As mulheres devem aprender a dominar, isso é tão fácil, um touro pode dominar qualquer um, mas eles podem ser como a Mãe Terra? Que consegue suportar todos os tipos de preocupações, todos os tipos de problemas. Nós podemos fazer desse jeito? Especialmente é por isso que Eu peço às mulheres deste país… para desenvolverem essas lindas qualidades e não as de dominação. Dominação não é apropriado a uma mulher, não fica bem nela. É como um touro, ela está usando… uma peça de diamante ao redor do seu pescoço, não é embelezador. Então nós devemos desistir da ideia de dominação… ou de tentar oprimir o marido.

Ele diz algo, nós dizemos “não” para as crianças, nós dizemos “não”, com todos, nós tentamos dominar. Esse não é nosso caráter. Eu até mesmo acho que Roosevelt uma vez disse que – é claro, ele deve ter conhecido verdadeiras mulheres indianas – ele disse que uma mulher indiana… é como uma magnólia na floresta indiana. É claro, aqui as magnólias são inúteis, mas na floresta indiana, até mesmo uma única flor na floresta, fica escondida, você não consegue vê-la, mas você consegue sentir a fragrância dela. A floresta inteira tem fragrância, você não consegue vê-la em nenhum lugar, é uma única flor, você pode saber dessa magnólia. E essa é a maior qualidade, porque o amor é a coisa mais atraente neste mundo. Por que vocês ficam ao Meu redor? Simplesmente perguntem a si mesmos. Por causa das Minhas vibrações? Minha fotografia possui isso.

Não. Vocês sentem que são amados, que Eu amo vocês. É uma grande qualidade, mas Eu tenho isso inato dentro de Mim, Eu não tenho de ter isso de nenhum lugar. E vocês também têm isso, apenas exponham e manifestem isso. Que Deus os abençoe.