Puja de Páscoa

(Itália)


Feedback
Share

Puja de Páscoa, Roma, Itália, 19.04.1987

Feliz Páscoa para todos vocês. É um grande dia vir a Roma… celebrar o Ressurreição de Cristo. Agora, nós temos de fazer a ressurreição do Cristianismo, que está simplesmente se movendo na direção oposta… à Ressurreição de Cristo. Como você sabem, Cristo era… somente chaitanya, mas Ele veio no corpo… de chaitanya. O corpo inteiro era feito de chaitanya, e Ele ressuscitou… para mostrar ao mundo… que você pode ter a ressurreição também, se você conseguir preencher seu corpo com chaitanya. Há sempre uma luta entre a matéria e o Espírito. Na vida humana, o que nós vemos… é que a matéria está o tempo todo tentando dominar o Espírito. E é desse modo que falhamos em nossa ressurreição. Nós falhamos em nossa ressurreição… porque nós nos entregamos à matéria. Nós viemos da mateira, é fácil voltar para a matéria. Mas todas as nações cristãs… adotaram o desenvolvimento material, a identificação com a matéria, não a sublimação da matéria.

Por que nos desencaminhamos? É porque a matéria se tornou muito importante para nós. Nós estamos muito identificados com a matéria, com nosso corpo, com tudo que é material para nós. As pessoas estão muito preocupadas com as coisas materiais. O que Eu percebo é que a cultura toda se tornou materialista… e eles ficam totalmente envergonhados com isso, mas ainda assim ele continuam, a forma é tão vergonhosa e tão degradante… que degrada os seres humanos. Quando Eu vim ao ocidente, Eu vi essa tendência muito claramente. Por exemplo, em um lar, tudo que eles compram está à venda, o tempo todo. Então seja o que for que eles comprem, eles se certificarão… de que seja de um certo padrão. Por exemplo, deveria ser… se tem de ser um diamante, ele tem de ser um diamante perfeito, porque ele tem de ser vendido novamente. Se eles compram uma casa, eles ficam com medo: “Não devemos estragá-la” ou “não devemos fazê-la ficar bonita,” “nós não devemos tentar fazer algo…” “que abaixará o preço da casa,” “porque nós gostamos de um tipo específico de decoração.”

Tudo está à venda. Eles nunca desfrutam nenhuma matéria. Não existe regozijo. Seja o que for que eles comprem, eles pensam: “Nós podemos vender isto de volta?” Por exemplo, mesmo sobre – Eu tenho visto mesmo as pedras preciosas. Como na Índia, todos podem gastar para ter pedras preciosas, porque o rico comprará as mais caras, então as pessoas pobres podem comprar as mais comuns, por exemplo, todos podem ter prata, porque alguns podem ter prata que seja 100% pura, alguns podem ter um pouco misturada, alguns podem ter com algum outro material. Mas se você for a qualquer país no ocidente, a prata tem de ter “selo de qualidade”. O selo de qualidade tem de existir. Senão eles nunca a comprarão… a menos e até que haja um selo de qualidade, ter um selo de qualidade significa que pode ser revendido. Agora, vamos supor que na Índia você compre… tudo sem selo de qualidade, não há nenhum selo de qualidade, mas quando você quer vender isso também a qualquer momento, quero dizer, se você tem de vender, então você vai no mercado e eles sabem… qual é o valor intrínseco daquela determinada prata… e é desse modo que eles lhe pagam.

Mas nós não temos selos de qualidade. Agora, com o ouro, a mesma coisa que eles fazem é ter ouro nove quilates, com um selo de qualidade. O que é ouro nove quilates? Não é ouro de forma alguma, mas eles terão um selo de qualidade para isso. E isso será muito caro porque… eles não têm muito ouro, então eles colocam um selo de qualidade… e fazem com que fique caro. Toda a economia é essa estupidez direcionada ao materialismo. onde a matéria não é para o regozijo, mas sim para vender a preço especial. Então eles não desfrutam nada, seja o que for em suas vidas. Hoje em dia, Eu não sei se plástico pode ser revendido ou não, mas tenho visto pessoas que são muito minuciosas em relação ao plástico, em relação ao aço inoxidável, em relação a tudo que elas têm. Talvez não seja revendido, mas agora psicologicamente, eles são produzidos de tal maneira que eles querem até mesmo preservar, se há um coisa de plástico, mesmo que haja um fio, qualque coisa, um alfinete, eles gostariam de preservá-lo, entendem?

Nada como jogar fora qualquer coisa. Todas essas coisas nos levarão… à infelicidade, à frustação e à estupidez. Então agora, eles formam uma anticultura. O que é uma anticultura? Não é nada além de… uma outra forma de materialismo, que é a feiura. Por exemplo, você pinta o seu cabelo, você se torna algo anticultura. Se você vestir calças esburacadas, então você é anticultura. Se você vestir roupas sujas, então você é anticultura. Mas também essas coisas são vendíveis. Há mercados e mercados onde você pode adquirir… todas as roupas sujas, roupas “stone washed”.

Todas essas modas estão surgindo… dos dois lados ou das duas faces… da atitude materialista dos seres humanos. E eles não têm vergonha às vezes com o modo como pedem algumas coisas. Vamos supor que você conheça alguém que esqueceu uma colher com alguém, então eles lhe telefonarão três vezes: “Você levou minha colher?” “Você levou minha colher?” Sem vergonha, há uma nenhuma cultura sobre isso. Enquanto, Eu não sei, talvez tenha sido melhor antes, o que Eu sei sobre a Índia… é que mesmo agora, em uma boa família, é sempre dito: “Se a caneta de alguém está com você, tome cuidado e a devolva,” “mas mesmo que seu ouro esteja com alguém, não pergunte,” “não se faz isso, não é educado, não é refinamento.” Mas o refinamento todo se tornou materialista, é enlouquecedor, e isso enlouquece a mente ocidental. Por exemplo, se você tem de servir, digamos vinhos e coisas assim, você tem de ter diferentes tipos de taças, diferentes tipos de pratos, diferentes tipos de colheres. Você tem colheres para abacate, você tem colheres para diferentes coisas, você se comporta como louco, e se isso não estiver com você, então eles rirão de você. Se ele vierem em sua casa: “Oh, Deus!”

“Eles nos serviram abacate com colheres de sorvete!” Esse é o maior pecado que a pessoa pode cometer. Assim, a ideia toda de pecado torna-se… tão materialista e insensata. Assim a ressurreição não pode acontecer… quando a matéria é tão morta e destruída. Então essa matéria entra no cérebro. Quando ela entra no cérebro, ela apodrece lá. Então você começa a discutir sobre, digamos, transações bancárias… ou sobre como economizar. Quero dizer, o mantra em Londres, como Eu digo, deve ser em todo lugar: “economize libras”. Assim que você vai ao aeroporto, há o grande mantra escrito: “Economize libras contratando um taxi para o aeroporto Heathrow”. Imaginem só, eles não estão nem mesmo conscientes do que estão fazendo.

O tempo todo: “economize libras, economize dinheiro, economize isso”, para quê? Porque eles são muito frustrados, a coisa material toda é tão frustrante… que eles têm de poupar dinheiro para superar essa frustração. E a frustração é contrabalançada… pelas drogas ou… bebendo vinhos e todos os tipos de coisas insensatas, e também queijo podre… ou algum tipo de coisa que seja absolutamente uma matéria morta, uma coisa inútil que faz com que você fique morto e preguiçoso, de modo que você foge da realidade, porque você fica tão frustrado que você quer ter alguma coisa… que neutralize isso. Então com isso também, quando eles percebem, não está feito, eles ainda estão extremamente perturbados. Então o que fazer depois? Se você está infeliz assim, você tem de descobrir alguma outra coisa. Como Eu lhes contei uma história sobre crianças… que eram malcriadas e a mãe estava saindo, então ela disse: “Vocês são crianças malcriadas,” “então eu as trancarei na cozinha”, porque em qualquer outro lugar elas podem quebrar algo, estragar algo… e ela não poderia vender as coisas novamente, talvez. Então ela as colocou… na cozinha pensando: “O que elas podem destruir lá?” Então quando ela voltou, elas disseram: “Nós comemos todas as suas folhas de chá.” É desse modo, quando eles ficam muito frustrados, eles não sabem o que fazer, então colocam pregos nos ouvidos deles, alfinetes nas bochechas deles, alguma coisa no nariz deles, eles não sabem o que fazer com eles mesmos, então eles arrancarão os bigodes deles ou pintarão o cabelo deles, ou farão todos os tipos de coisas insensatas estranhas, pessoas totalmente frustradas.

Mas a pior parte, que não pode ser entendida, é que são tão confiantes em relação a isso. Eles não fazem isso com nenhuma falta de confiança, é com completa confiança. A atenção deles está por toda parte para ver: “Agora, como devemos ser?” Agora, se eles virem um árvore que tem folhas… que ficaram totalmente meio que enrugadas… por causa de má nutrição, então eles querem ser assim. Eles querem se tornar pessoas que têm má nutrição. Então eles parecem pessoas miseráveis. As buchechas estão para dentro, o nariz para fora, um tipo de coisa assim continua, e se você observá-los, eles parecem pessoas doentes. Este é o sinal de descobrir… alguma forma de expressão da frustração deles. Mas Cristo pavimentou o caminho, o oposto. Ele disse: “Coloquem chaitanya em sua matéria”, então vocês desfrutarão esse chaitanya.

Coloquem chaitanya, as vibrações, na matéria. Essa é a mensagem Dele. Ele não ressuscitou só como Seu Espírito saindo, mas o corpo inteiro Dele ressuscitou. Então Ele está falando sobre… a ressurreição do corpo, da matéria, dentro de nós. Na Sahaja Yoga também, quando nós entramos, a Kundalini se eleva, Ela lhes dá a Realização, vocês de fato sentem o chaitanya… em suas mãos, vocês o sentem em volta, suas faces brilham como belos lótus, sua pele melhora, vocês parecem florescentes, tudo está muito bem, mas ainda assim há apegos materiais, os quais podem ser muito sutis, podem ser muito grosseiros. O grosseiro pode ser assim: “Este é meu tapete, este é meu carro,” “esta é minha joia”, algo assim. Mas quando se trata… do estilo de Cristo, você tem de estar identificado com a matéria que é vibrada, que está vibrando, que tem valor vibracional, não que tem valor material, mas sim valor vibracional, valor espiritual, valor divino. Poderia ser qualquer coisa, poderia ser flores, poderia ser água, poderia ser um sari, poderia ser um assento, poderia ser qualquer coisa que se torne de valor. Então a atenção começa a mudar do grosseiro para as vibrações. Mas mesmo agora, se você tem a atenção furtiva… em coisas materiais, então é difícil para você se elevar rápido.

Tudo que você usa… é util para suas vibrações ou não? Tudo que você faz é bom para suas vibrações ou não? Ou é o mesmo costume antigo que você está levando? Como as pessoas loucas que vi ontem, elas vieram de férias… e não sabiam como desfrutar, elas estavam tentando tudo. Elas devem ter pago muito caro pelo turismo, coitadas, elas devem ter pago muito caro nos hotéis, devem ter pago muito caro no restaurante, mas Eu percebi que elas não estavam regozijando de forma alguma, nenhuma delas estava regozijando, elas estavam infelizes… e não sabiam o que fazer. E no final disso, Eu fiquei pensando que elas talvez simplesmente iriam… e quebrariam suas cabeças com frustração. Assim, a matéria nunca pode lhe dar alegria. Somente a matéria que é vibrada, que tem vibrações pode lhe dar alegria. Um ser humano nunca pode lhe dar alegria, pode ser sua esposa, pode ser seus filhos, pode ser seu pai, sua mãe ou qualquer um, a menos e até que a pessoa tenha vibrações, porque alegria são as bênçãos de Deus. E a menos e até que você esteja conectado com Deus, seja o que for que você tente, seja o que for que você adquira, você nunca pode ter essa alegria.

Você pode ter essa confiança artificial, porque uma pessoa que é frustrada tem de dizer, mostrar externamente: “Oh não, não estou frustrado, sou muito feliz.” É como estar tenso e dizer: “Estou muito relaxado”, é desse jeito. Então eles podem apenas para manter a imagem, podem dizer: “Nós somos muito confiantes”, mas eles são pessoas sem confiança, eles são fracos. Então poderia ser seus filhos, poderia ser qualquer um, qualquer ser humano. Talvez você pense demais nessa pessoa, você pode estar muito identificado com essa pessoa, você pode achar que essa é a coisa mais importante, que é a pessoa mais importante que você já encontrou, isso não pode lhe dar alegria. Mas uma pessoa comum, um trabalhador, talvez um mendigo, talvez alguém, um Sadhu, sentado sozinho na floresta, será uma pessoa que dá tanta alegria. Ele pode falar, pode não falar, será uma coisa mais preciosa, valiosa para você… do que uma pessoa que é rica, bem situada, altamente admirada. Isso é onde o Cristianismo falhou, cobiçando com os reis. Agora, este Sr. Papa aqui, Meu marido foi vê-lo… e o Papa foi muito bom com ele, porque ele é… veio de um… ele é um homem importante no mundo material. Mas ele não se encontrará Comigo.

Ou Eu talvez não Me encontre com ele. Então o sistema todo de valores, o sistema todo de valores tem de mudar, e esse sistema de valores é… aquele em que você não se importa com nada mais, exceto o seu Espírito. Nada importa, exceto o Espírito. O Espírito lhe dá o conforto de um palácio. Ele lhe dá a bem-aventurança de toda a proteção. Ele lhe dá alegria de todos os relacionamentos do mundo. Então por que você deveria se importar com algo que é inútil? Você pode ver isso tão claramente. Se você tem sua visão pura, você pode ver isto muito em sua volta: essas pessoas parecem tão infelizes, tão tristes, correndo atrás disso, correndo atrás daquilo. Agora, primeiro eles eram hippies, depois se tornaram punks, agora eles estão se tornando cavalheiros bem vestidos.

Tudo é a partir disso para aquilo, daquilo para isso, levando-os a nenhum lugar, seja qual for. Tão claramente você vê que você está distante deles. Você está em um reino diferente e você os observa. Você não chega perto deles. Tente mostra essa… beleza em você, de modo que eles venham a você… e veja por você mesmo, vejam por eles mesmos que vocês são… pessoas que tiveram a ressurreição, vocês tiveram a ressurreição. O Espírito está sempre presente em seu coração, sempre lá, vigiando você, observando você, mas agora porque a matéria que cerca o Espírito… está tendo a ressurreição, está sendo vibrada, seus olhos brilham, sua pele brilha, sua face brilha, sua aparência está tão bela, isso é que é a ressurreição. Na Sahaja Yoga, não há nenhum lugar para seriedade estúpida. Sobre o que você é sério? “Oh, eu tenho de vender meu diamante e você sabe,” “eles disseram que há uma pequena mancha nele.” E daí?

Use-o. Toda essa seriedade vem da matéria morta em sua cabeça, e você sabe que no que está morto cresce o fungo, e você também sabe que esse fungo lhe causa todos os tipos de doenças. Então mantenha-se longe de tudo que está morto. Somente o chaitanya faz… a matéria vibrar, e a menos e até que você esteja conectado com Deus, você não consegue vibrar nada. Esses grandes santos, profetas, encarnações que vieram nesta Terra… tentaram dizer isto a todos nós: “Fique conectado com Deus.” Todos disseram a mesma coisa. É claro, Eu mesma fiz o trabalho. Isso é bom, eles estão apreciando isso. E você tem de somente pensar nisto: esta conexão não pode estar frouxa, ela não pode ser perturbada, ela não pode ser duvidada. Fixe-a adequadamente.

Então você nunca a perderá por nada, seja o que for, como: “minha esposa é assim, meu marido é assim,” “meu irmão é assim”. Esses são os sinais de personalidades muito fracas. Se você é uma personalidade forte, com essas vibrações, se você é forte, então você torna a outra pessoa mais forte também… e traz a outra pessoa para a Sahaja Yoga… e lhe dá o néctar da vida. Assim, hoje é a mensagem de que nós temos ressuscitar… nossa matéria dentro e fora. Assim, você está elevando sua Kundalini, tudo bem. Você também tem de expandi-La, horizontalmente, para suas mãos, para seus pés, para seu corpo, para sua face, para seu pensamento, para tudo. O que é um mantra? Não é nada além de um pensamento que está vibrado. Qualquer pensamento que está vibrado é um mantra, mas as vibrações só podem ser… carregadas por um determinado tipo de, ou podemos dizer, um determinado coeficiente é necessário. Na roupa, no pensamento, em qualquer coisa que seja mundana, há um tipo de coeficiente que trabalha as vibrações.

Se esse coeficiente não existe, você não pode captar as vibrações… e também não pode dar vibrações. Então há somente duas ramificações, uma é a esquerda, a outra é a direita, não há muitas, muito fácil se livrar delas. Há somente dois caminhos na Itália, um é o direito ou o esquerdo. Assim, da mesma maneira dentro de nós, se você não vai para esquerda e não vai para a direita, você se mantém no centro, você fica vibrado. Você pode vibrar tudo. Mas manter-se no centro, não ir para nenhum extremo. Mesmo na Sahaja Yoga, há pessoas que parecem loucas, elas meditam por 12 horas. O que há para meditar por 12 horas? Você já está em meditação. Ou então elas farão um piquenique com a Sahaja Yoga.

Um extremo para isso. O que é necessário é pensar: “Eu sou o Espírito e estou conectado com Deus.” “O quanto eu estou conectado? O quanto eu estou absorvendo?” “O quanto eu estou envolvido nisso?” Só isso. Você não tem de fazer muito em relação a isso. Esses dias acabaram em que as pessoas constumava quebrar suas cabeças, ficar de cabeça para baixo ou ir para os Himalaias. Mas peculiaridade no temperamento… não é sinal de um bom Sahaja Yogi. Todas as peculiaridades vêm da matéria.

Então uma pessoa peculiar na Sahaja Yoga… pode ser uma pessoa com bhoot ou pode ser egoísta. Uma das duas coisas numa pessoa peculiar. Não há nenhuma peculiaridade em um Sahaja Yogi. Há individualidades, mas não peculiaridades. Significa que alguém terá o nariz que ele tinha, isso não mudará, ele terá os olhos que ele tinha, mas haverá uma luz no olho. Da mesma maneira, nós podemos observar em relação a nossas roupas, nós começamos a usar roupas sóbrias, mas não roupas pálidas ou sujas, vestimos roupas coloridas porque somos coloridos. No Sahasrara há sete cores. Hoje Eu vesti esta cor, porque esta é a cor da primavera na Índia, porque todas as flores são amarelas… e também há a cor mostarda que é amarela… e isso é chamado de “uma cor da primavera”. Na cultura indiana, há um dia para isso… em que eles vestem esta determinada cor para celebrar a primavera, porque nós somos meio que muito conectados com a natureza. Assim, hoje, nós recebemos uma mensagem muito boa… de Nova York, eles sonharam que Eu iria usar… uma cor da primavera, então Eu queria que alguém pudesse ler isso para vocês, ler o que eles disseram, e vocês ficarão surpresos, isso corresponde, como isso corresponde ao que estou vestindo hoje, e assim que Eu vesti este sari, o tempo ficou quente e Eu sabia que isso aconteceria.

Neste momento, ele ficou quente e Eu sinto muito por isso, porque você estão percebendo que está muito quente. Assim, hoje é um dia para celebrar a primavera… e como vocês sabem, Eu nasci na primavera… e Cristo teve a Ressurreição na primavera. Assim, a primavera começa depois da Ressurreição de Cristo. Da mesma maneira, nós estamos agora no clima de primavera… para desfrutar, para ser feliz, para simplesmente ficar alegre. Mas não ser frívolo, não ser vulgar, não ser infantil. Essa é a maneira como um Sahaja Yogi deve ser. E Eu estou muito feliz que com esse Meu arranjo espontâneo… de vir para Roma, muitos de vocês vieram. Isso mostra o quanto vocês Me amam e Eu não consigo realmente expressar… o que Eu sinto sobre tudo isso, exceto pelas lágrimas vindo aos Meus olhos. Por seja o que for que Cristo sacrificou em Sua vida, que foi algo terrível de acontecer, Ele sacrificou Sua vida, Ele sofreu tanto, mas a consequência disso é você, todos vocês aqui, que tiveram a ressurreição hoje e seus Agnyas estão limpos, e tudo está muito bom. Que Deus os abençoe.