Talk, Eve of Shri Vishnumaya Puja

(United States)



Send Feedback
Share

Dia anterior ao Puja a Shri Vishnumaya.

Palestra para os Sahaja Yogis. Nova York, EUA, 08.08.1987 É muito gratificante ver tantos de vocês, americanos, que se reuniram hoje, e amanhã, vocês querem fazer o Puja a Vishnumaya. Eu Me lembro dos dias em que Eu falava somente para as cadeiras. Mas após todos esses anos, depois de trabalhar arduamente, visitando este país muitas vezes, nós ainda temos muito, muito poucos Sahaja Yogis… comparado a qualquer outra nação. Neste país de Shri Krishna, é inevitável que as pessoas coloquem sua atenção no dinheiro, porque Ele é a Encarnação de Visnhu… e Seu Poder é Lakshmi. Lakshmi é a Deusa do dinheiro, mas não o dinheiro que é chamado de “dólar”. É o dinheiro que significa… uma forma completa, integrada da riqueza material. Na realidade, a matéria tem somente um poder: ela pode expressar nosso amor pelos outros. Por exemplo, se você tem de expressar seu amor por alguém, você fará um belo presente… ou algo que seja útil para a pessoa, ou você pode dar sua propriedade, sua riqueza para seus filhos. De uma forma bem simbólica, você pode até mesmo dar uma pequenina pedra… para sua mãe, se você for uma criança, com a qual você acha interessante que… aquilo fará sua mãe feliz.

Mas o tempo todo, a… ideia por trás de dar algo material a alguém… é para mostrar seu amor e suas emoções, para mostrar seu zelo… e expressar seu coração. Assim, para expressar seu coração através de algo grosseiro, nós usamos a matéria. Agora, quando essa matéria é convertida em algo… e ela se torna um tipo de atividade econômica, onde você tem de precificá-la, então a atenção se desloca das emoções para a matéria… como algo que tem um valor mais superficial… do que o valor mais profundo que é o amor. Mesmo no passado, quando as pessoas tinham muito dinheiro, elas decoravam suas casas, vestiam belas roupas, para convidar as pessoas para suas casas, para fazê-las felizes, para fazê-las se sentirem confortáveis. Um homem rico teria um bazar de caridade… ou algo assim para fazer as pessoas felizes. Gradualmente, a atenção novamente se desloca disso… para algo que é extremamente grosseiro, para se exibir. Mas o propósito fracassa completamente quando você tenta se exibir, a outra pessoa nunca fica feliz. Pelo contrário, ela fica com inveja. Assim, de que adiante se exibir? Porque o propósito é tornar uma outra pessoa feliz.

Ao invés disso, você a torna invejosa. Depois o segundo passo vem com isso. Você cria sentimentos antagônicos em uma outra pessoa. Essa pessoa pensa: “Por que ele tem e por que eu não tenho?” Porque essa pessoa não consegue desfrutar o que você tem. Desse modo, há teorias e mais teorias que surgiram… em nossos sistemas políticos, em nossos sistemas econômicos: como exagerar isso… e como utilizar isso para algo ainda mais grosseiro. E o grosseiro cresce cada vez mais. Uma vez que você permita que a matéria atue assim, a matéria nos domina. Nós ficamos impotentes. É a matéria que se torna poderosa, porque ela nos governa completamente.

Não conseguimos agir sem isso, não conseguimos agir sem aquilo, não conseguimos agir sem isso. E então nos tornamos escravos completos da matéria. A matéria nos domina tanto que… ficamos completamente cegos… em relação a qual é o nosso propósito nesta Terra, e começamos a nos rastejar como vermes sob a pressão da matéria. O que é isto? Não é nada além de pedras, tijolos, tudo é matéria. Qual é a importância disto? Isto não é nada, exceto quando temos de ter um seminário. Se não tivermos o seminário, se você não vai fazer algo sensato para criar harmonia… e compreensão, não adianta ter tudo isto. Isto é o que tem de ser compreendido: a matéria tem o seu próprio propósito e como Sahaja Yogis, nós não vamos ser governados pela matéria. É muito difícil decidir, porque desde nossa infância, nós somos ensinados: “Tenha cuidado!

Não toque nisto.” “Não toque naquilo.” Como se aquilo fosse Deus. “Não estrague isto.” Assim, a atenção inteira fica engolida… dentro dessa existência grosseira da matéria. Então a pessoa começa a se mover de sua ascensão para o seu declínio. A partir da matéria, vocês se tornaram o carbono; do carbono, vocês se tornaram aminoácidos; dos aminoácidos, vocês se tornaram coisas vivas; de coisas vivas, vocês se tornaram seres humanos, e agora vocês têm de se tornar Sahaja Yogis. Mas a atenção começa a se mover para baixo em direção à matéria… e nós adquirimos todas as qualidades que são da matéria, exceto uma, com a qual somente nós podemos dar esse poder à matéria: ela pode expressar nosso amor. Você se torna estático, você se torna imutável. E quando você começa a usar essa matéria… para uma finalidade inferior a aquela, então você fere.

A mesma matéria começa a se envolver… em coisas como armas. Primeiro deve ter sido a pedra, eles devem ter batido com ela, depois as clavas de pedras, depois vieram as espadas, depois vieram as armas de fogo, depois veio a energia atômica. Assim, a mesma matéria entrou na evolução… em uma outra direção. Mas a matéria poderia ter sido… direcionada para uma direção mais elevada, se vocês tivessem visto a qualidade da matéria de dar alegria. Então nós fizemos isso por bastante tempo, fizemos belas esculturas, belas igrejas e templos, belas pinturas, belas estátuas. Eu acho que isso acabou nos EUA quando… eles fizeram a Estátua da Liberdade. Depois disso, isso tomou uma outra forma. Agora, se você observar as mulheres da América, você compreenderá que não há nenhuma semelhança… com a Estátua da Liberdade. Quero dizer, mesmo para ter um modelo, você terá de importar de algum outro lugar… para fazer um modelo para criar aquela estátua. A dignidade, a presença, o sentimento de maternidade que ela emite, a proteção que ela dá com sua força.

Tudo mundo está cansado deste jeito. Todo mundo é completamente uma “bonequinha delicada”. Não querem assumir nenhuma responsabilidade, colocam a responsabilidade em alguma outra pessoa. Sustenta-se aqui um símbolo… de uma proteção tão grande de uma mulher para com um homem. Ao contrário, a mesma proteção hoje se tornou uma dominação dos homens. Ao invés dos homens se tornarem homens, eles se tornaram vegetais aqui. As coisas se moveram ao contrário aqui. Acho muito difícil de acreditar… que na mesma época nós tivemos pessoas como Abraham Lincoln. Agora Eu não acho que possamos gerar alguém assim. Onde estão aquelas mães que criaram Abraham Lincoln?

Onde estão aquelas grandes mulheres que sacrificaram tudo… por seus filhos para lhes dar tamanha grandeza? George Washington lutou o tempo todo, por toda a sua vida, com uma esposa tão forte que ele tinha. Mas aqui agora, as mulheres se tornaram nada além de matéria, elas acham que vestindo tal e tal vestido… ou indo a um cabeleireiro, cortando todo o cabelo de uma forma estranha, elas se tornam poderosas. Eu estou falando sobre as mulheres hoje, porque estamos falando de Vishnumaya, mas não é para magoar vocês. Porque nisso, os homens são muito mais responsáveis. Vamos ver, vejam o ponto, aonde estamos indo. A sociedade inteira está arruinada hoje, se você observar. Você se sente horrível quando você vê… como as coisas estão acontecendo neste país. As crianças estão atirando em todo mundo, criancinhas estão atirando. Se você for na rua, todo mundo está em pânico.

Por que isso nos aconteceu? Onde vocês criaram heróis tão grandiosos neste país… e agora vocês não conseguem criar nenhum herói. O que está errado? Onde? Eu sei que eles fizeram uma bagunça, esses homens fizeram uma bagunça com toda essa política… e tudo que eles chamam de “masculino”, assim chamado. Mas Vishnumaya é o poder de uma mulher. Ela é o poder de uma mulher e eles dizem que… as mulheres americanas são muito, muito poderosas. Onde está o poder? O poder está em quantos homens você consegue se divorciar… e quanto dinheiro você tem. Quantas pessoas você pode se divorciar e ter, dentro da lei, muito dinheiro, esse não é, esse não é o poder de uma mulher.

Temos de entender onde nós perdemos nosso poder. O poder de uma mulher não é ser escravizada pelos homens, de maneira que eles devem apreciar você de manhã à noite, toda pessoa na rua deve olhar para você, esse não é o poder de uma mulher. Esse pode ser o poder de uma prostituta, mas não de uma mulher que se sustenta como um símbolo da liberdade. O poder da mulher é como o poder da Mãe Terra. Vejam o quanto Ela tem feito por vocês. Ela lhes deu toda a vegetação, a beleza. Onde quer que Ela se afunde, Ela se enche com água, e Ela lhes dá tamanha alegria e felicidade… e suporta todos os problemas do mundo, apesar de todas as coisas que temos feito a Ela, apesar da maneira como extraímos toda Sua riqueza e tudo mais, Ela ainda está nos dando riqueza. Isso é o que nós somos. Quando perdemos nosso poder, nossa sociedade decaiu. A sociedade tem de ser mantida pelas mulheres, não pelos homens.

Devemos entender, as mulheres desempenham o papel mais importante. Ela não é de forma alguma inferior ao homem, mas se ela se torna esse tipo de poder, a destruição começa a se mover em outra direção. A bagunça inteira nós temos de corrigir na Sahaja Yoga. Quando Eu vejo a imagem da Sahaja Yoga, quando Eu vejo que todos nós estaremos juntos… onde todos nós estaremos nos deleitando, Eu quero ver Minhas mulheres, Minhas filhas, serem o símbolo do amor e o símbolo do sacrifício… e o símbolo da compreensão. E então, o dinamismo… desse sacrifício será mostrado, porque elas são a energia potencial. Vocês são aquelas, vocês são aquelas que realmente são a energia potencial… e vocês têm de lhes fornecer energia para eles serem a energia cinética. Aqueles que não podem ter energia potencial se tornaram energia potencial. De que adianta? Enquanto aquelas que têm energia potencial… se tornaram energia cinética. De que adianta?

Isso tem de mudar agora. Nós temos de pensar sobre isso, compreender. Nós cometemos erros, realmente nós cometemos erros em alguma parte… e nossos filhos terão de pagar por esse erro, os filhos delas terão de pagar, a nação inteira terá de pagar. Vire sua atenção para algo muito nobre. Esse é o poder de Vishnumaya, porque Vishnumaya é Aquela que era a Irmã de Shri Krishna. Ela veio como a Irmã de Shri Krishna. É claro, Ela é a virgem. Ela nasceu como a Irmã de Shri Krishna. Agora vejam, a história é muito interessante. Se você vir a história, então compreenderá o que Eu estou tentando lhe dizer.

A história é assim: a oitava Encarnação – como eles chamam, poder, de acordo com a Sahaja Yoga, nós O chamamos de Rei do Vishuddhi Chakra – Shri Krishna devia nascer. Ele nasceu em uma prisão. Seus Pais estavam na prisão. Então Vishnumaya nasceu na mesma época… numa vilarejo chamado Nanda Gram, onde um outro amigo chamado Nanda estava vivendo, e sua esposa era Yeshoda. Ela nasceu nessa família. Então Ela era uma criança muito, muito poderosa. Quando Shri Krishna nasceu, Ele foi levado da prisão pelo pai. Por causa dos poderes de Shri Krishna, todos os seus grilhões, todas as suas correntes foram quebradas, as portas se abriram, e ele andou com dificuldade através do rio Yamuna… e carregou a criança e A deu para Nanda. Nanda disse: “Eu tive um filho, mas Ela é uma menina,” “por volta da mesma hora.” Assim, vejam o poder que naquele momento, aquela criancinha deu à Mãe Yeshoda.

Eles disseram: “Tudo bem, faça uma coisa:” “leve esta criança com você e coloque-A no lugar de Shri Krishna.” Que sacrifício para uma mulher… dar seu próprio filho naquele momento, um bebezinho, para ser morto por aquele sujeito horrível, Kansa, Nenhuma mãe faria tal coisa. Você pode imaginar qualquer mãe… que daria Seu filho para ser morto… no lugar de Shri Krishna? Não conseguimos pensar em nenhuma mãe, mas nós tivemos algumas mães assim na Índia… que fizeram sacrifícios muito grandes. Agora, aquele foi o maior sacrifício que alguém poderia pensar… para uma mulher. Ela pode sacrificar pequeninas coisas… ou bastante coisas, mas sacrificar seu próprio filho é algo excepcional. A mulher se sacrifica muito por seus filhos. Ela trabalha para eles, ela fica noites e mais noites em vigília por causa deles. Ela faz muito por seus filhos. Mas abrir mão de seu próprio filho é… algo tão extraordinário que Ela fez.

E quando ele trouxe a criança, aquela criança era o Poder, era a Adi Shakti na forma de uma virgem… e foi escondida. Então quando Kansa veio de manhã, e ele ouviu falar que uma menininha tinha nascido, ele ficou surpreso. Era para ser um filho, como é que uma menina nasceu? “Seja o que for”, ele disse, “eu destruirei essa criança.” Segurou aquela criança… e estava para bater a criança no chão, quando Ela escapou e foi para o céu, e se transformou em um raio para anunciar: “Aquele que vai destruir ainda está vivo.” Ele ficou chocado. Assim, atrás de tudo isso, o que vemos é o caráter de Yeshoda, que se sacrificava tanto, o caráter do pai que se sacrificava tanto, de uma sociedade onde era importante… preservar a Encarnação acima de qualquer outra coisa. E quando esse tipo de acontecimento ocorreu, Shri Krishna cresceu na casa de Nanda, onde depois Ele se expressou como uma personalidade poderosa. Mas Vishnumaya estava lá… e Ela é muito ativa atualmente, extremamente ativa. Ela é Aquela que está dentro de você, está muito presente, Ela está sentada no Vishuddhi Esquerdo.

Ela não permite que você se sinta culpado. “Por que você é culpado?” O tempo todo Ela diz: “Por que você é culpado?” “Por que vocês estão infelizes? Vocês são almas realizadas,” “vocês são Sahaja Yogis, livrem-se disso!” “Esse negócio de se sentir culpado é inútil, livrem-se disso!” “Venham, vocês têm de descobrir uma forma.” Sim, a destruição está diante de vocês. Vocês veem a destruição deste grande país, vocês veem tão claramente que está acontecendo. Eu sinto que dois mundos que agora estão se construindo.

Um que está sendo destruído, outro que está surgindo como uma flor de lótus. Mas atrás está o Poder de Vishnumaya, é o Poder de Vishnumaya, o Poder da Irmã de Shri Krishna. Agora, Vishnumaya é um Poder feminino, como vocês sabem. Ela não se importa com qualquer coisa mundana. Você pode imaginar Vishnumaya… correndo atrás de todas essas coisas insensatas? E para proteger Seus irmãos e dar toda a força a esses irmãos, o que Ela fez? O que Ela fez? Ela veio em Sua forma mais pura, como uma irmã. Todas vocês têm aqui muitos Sahaja Yogis como seus irmãos. Vocês também devem ter outras pessoas como seus irmãos.

Essa pureza tem de ser trazida para dentro das mulheres. A menos e até que essa pureza entre nelas, elas não terão nenhum poder, elas são impotentes. Então nós chegamos a coisa principal que é: onde as mulheres são puras e castas, lá reside os poderes de todas as Divindades. Assim, é uma tamanha responsabilidade para nós sermos muito castas… e sermos muito puras, e sermos as irmãs para nossos irmãos, de modo que seus irmãos também estejam protegidos… de todas as tentações do mundo; de modo que eles também tenham sua atenção… em algo mais elevado e grandioso. Eu sinto que este é um dia muito, muito grandioso para vir à América… para fazer este Puja. Eu vou falar a todos vocês sobre isso, mas vamos compreender que nós somos o poder, nós somos o poder. Não somos o poder que pode ser dominado pelo dinheiro, por qualquer outra coisa. Nós somos o poder porque nós somos Sahaja Yoginis, porque nós temos esse caráter. Agora, é importante os homens entenderem o valor das mulheres. Esses homens neste país, tudo bem, eles parecem vegetais, mas eles podem ser horríveis, pessoas totalmente horríveis, porque eles não têm nenhum senso de pureza em seu caráter.

Se o homem não está bem, como ele pode ter uma irmã que seja pura? Se o homem não acredita na castidade da vida – para alguns homens, quero dizer, para a maioria dos homens, não há nada como a castidade. Eles nunca acreditaram em nada como a castidade, nos tempos modernos. Isso é o que falta em nós, e na Sahaja Yoga, quando Eu penso em Meus filhos, em Meus filhos homens, eles devem ser brilhantes com castidade. A presença inteira deve brilhar com castidade. Quando as pessoas olharem para eles, elas devem dizer: “Ó, isso é a inocência passando.” “Vejam a inocência e a castidade se movendo juntas.” Assim, isto é o que está nos homens: a inocência. Não é necessário ser tão astuto. Ninguém pode enganá-lo.

Uma pessoa inocente, com um único golpe, pode matar centenas de pessoas inúteis. Assim, é importante… que os homens também compreendam o valor da inocência. Ela era a Irmã de Shri Krishna. Tudo bem, agora, olhem para Shri Krishna como uma criança, como Ele era inocente e como era poderoso. Ele quis comer a manteiga. Agora, por que Ele quis comer a manteiga? Porque toda a manteiga que era feita em Gokul, naquele lugar, era enviada para Mathura, onde esse rei horrível Kansa estava governando. E todos os seus militares se tornaram muito fortes comendo aquela manteiga. Então Ele não queria que eles comessem a manteiga, então Ele começou um tipo de tribo de crianças pequenas e um jogo, no qual eles subiam um em cima do outro. E a manteiga era mantida em um pote pendurado no telhado, então eles iam e comiam aquilo tudo.

Nessa infância, Ele começou esse jogo inocente, então todas as crianças subiam e comiam a manteiga. Assim, não restava nenhuma manteiga, então como a levariam para Mathura? Isso foi feito e um dia, Sua Mãe O segurou. Ela disse: “Você comeu alguma manteiga daqui?” Toda a manteiga estava aqui por toda parte. Ele disse: “Como? Como Eu posso comer a manteiga?” “Veja, Minha mão pode alcançar lá? Veja agora, como Eu posso comer?” “Você pegou a vara e quebrou aquilo?”

– “Não, não, não quebrei” – “Então o que é tudo isto?” “Veja, estes são todos os Meus amigos que a comeram.” “Eu a coloquei na Minha boca, de modo que Você pode Me bater.” Tão inocentemente falando como uma criança comum, como uma criança comum, simples. Então a Mãe disse: “Tudo bem, deixe-Me ver Sua boca.” Ele abriu a boca e Ela viu o universo inteiro, o universo inteiro girando dentro de Sua boca. E Ela viu aquilo. E Ela disse: “Ó Senhor, por favor Me perdoe.” “Eu esqueci. Eu realmente esqueci que Você é o Senhor deste universo…” “e Eu estou duvidando de Você.”

Ela simplesmente caiu aos Seus Pés. “Deve haver alguma peça na qual Você esteja atuando.” De uma forma simples, inocente como uma criança diria, Ele falou com a Mãe. Assim, a inocência de uma criança e a inocência de uma virgem, ou podemos dizer, a castidade de uma virgem… e a inocência de uma criança trouxe à existência, trouxe à existência a América. A partir disso, este país foi criado. Então vocês podem imaginar o que este grande país tem agora, vejam em todo lugar a beleza, quero dizer, em cada lugar que você vai, você descobre tamanha vegetação. Eu fui a Los Angeles, é um deserto, mas ainda assim você pode conseguir água… e pode transformá-la em um belo lugar. Vocês têm tudo que um ser humano pode pedir, mas há algo faltando: é não compreender por que isso foi nos dado, como isso foi nos dado. Como Eu lhes disse, ele foi criado a partir da inocência e da castidade. E se não conseguimos pensar nessa castidade e nessa inocência, então nós nunca poderemos amadurecer como… Sahaja Yogis respeitáveis, sensatos.

Não há nada para se sentir magoado quando alguém lhe diz: “Veja, isto é o que nós somos.” Basicamente isso é o que nós somos e fundamentalmente é desse modo… que devemos entender e… crescer em uma personalidade que é americana. Mas o que se percebe é que todos os instrumentos de… destruiçlão são criados. Como crianças pequenas, quero dizer, você encontra crianças e mais crianças. Criancinhas, vocês as encontrarão brigando umas contra as outras. Tudo bem. A briga está tudo bem. Mas não somente isso, elas matarão seus pais. Elas matarão se avós. O que está acontecendo?

Como isso está acontecendo? Onde nós perdemos a inocência? O que está errado? Onde nós erramos? Nós só temos de dar meia-volta. Se vocês realmente sentem que são americanos, vocês têm de salvar este país. Ele está em grande perigo de destruição completa. Vocês não se dão conta do que estão enfrentando. Não é com a Aids que estou tão preocupada, ou não é o terremoto que está pairando sobre eles. É a completa perda do seu ser e se tornarem matéria.

Quando vocês têm robôs, vocês se tornarão a mesma coisa, e vocês se destruirão dessa maneira. É um assunto muito, muito sério que ainda não é visto… através de seus olhos, pois vocês não veem isso. Vocês realmente devem ficar rezando: “Ó Deus, por favor salve este país.” Vocês devem realmente ficar pedindo nada além de: “Salve este grande país”, parte integrante do Virata, e o Virata governa no Vishuddhi. É um grande problema para Mim. A coisa toda está de cabeça para baixo. Eu tenho de começar da América, e aonde Eu vou? Eu comecei da América. Eu vim aqui, como Eu lhes disse, fiquei falando para as cadeiras, e muitos ainda são somente cadeiras. Todas as sutilezas do cérebro desapareceram.

Seja qual for o avanço que tenha sido feito, os tornou primitivos. E após algum tempo, eles se tornarão como pedras. Eles não sentirão nada, eles não ouvirão nada, eles não entenderão nada. Eles não crescerão nunca mais. Então, o que posso fazer? Este universo, que foi criado como o… trabalho do Virata, terá de mudar para algum outro estilo de universo, que é uma mudança muito grande. Para todos os Sahaja Yogis, é necessário compreender… a importância da existência deles como Sahaja Yogis. Primeiro eles são Sahaja Yogis, depois são americanos. Mas se eles são primeiro americanos, então eles devem trabalhar isso. Não é algo unilateral: “Tudo bem, há um seminário, vamos para o seminario, ótimo”, depois voltam para casa, exatamente o mesmo novamente.

Vocês têm de realmente meditar, trabalhar duro. Vocês são as pessoas que irão mudar este país, e, no final, o universo inteiro. São vocês que têm de entender, não Eu. Vocês têm de salvá-lo e compreender… que a posição de vocês é muito importante. Na Sahaja Yoga, os americanos têm uma grande posição. Lembrem-se, no começo, nós pagamos tudo… para que os americanos fossem para a Índia. Eles eram tratados com tanta opulência. E todo mundo ficava dizendo: “Por que a Senhora está pagando as passagens deles?” “Por que a Senhora está pagando a comida deles?” “Por que a Senhora quer que eles sejam tão bem tratados?”

“O que há de tão grandioso com os americanos? “Eles desenvolverão o ego novamente” Eu disse: “Vocês não sabem.” É claro, todos aqueles estão perdidos agora. Eu não os vejo em nenhum lugar, mas seja o que for, Meu desejo, Meu anseio, Minha preocupação atuou. Estou muito feliz por todos vocês estarem aqui. Eu pude vir para cá, para o Puja a Vishnumaya. É algo que espero que trabalhemos. Eu não sei até que ponto fomos agora. De uma forma mais sutil, Eu acho que o Ganesha Puja tem ajudado muito, e Eu posso ver os dois mundos surgindo muito claramente. Um que está vivendo, que está pulsando, que está cheio de vibrações, que está se tornando o lótus; o outro que está se tornando o verme, a lama, o atoleiro.

Eu vejo isso tão claramente, separados por esses Pujas a Ganesha. Agora, através desse Puja a Vishnu, vamos ver se nos tornamos… esses Sahaja Yogis dinâmicos, amorosos, afetuosos, compassivos, e os relacionamentos puros uns com os outros, de modo que as pessoas os vejam como algo muito grandioso… como o raio, eles devem vê-los brilhando no céu… e eles devem então vir para a Sahaja Yoga… e estar à altura das expectativas de Shri Krishna.

Que Deus os abençoe.


(part 2)

Dia Anterior ao Shri Vishumaya Puja Perguntas e Respostas Nova York, EUA, 08.08.1987

Agora, alguma pergunta?

Eu tenho uma pergunta. Algo que estou encontrando em minha vida, e eu e esse sujeito que eu trouxe para a Sahaja Yoga… e nós fomos juntos. Ele ficou muito amedrontado depois do primeiro encontro… e se tornou contra a Sahaja. – Comigo? – Sim, dizendo que a Senhora era ruim. E continuamente, eu tenho tido grandes experiências… com outra mulher que experienciou. E ele, ao contrário, está muito contra isso… e estávamos muito envolvidos com… mediunidade e um homem que canaliza espíritos. E parece, eu acho, que ele ainda está envolvido… com isso de alguma forma. Eu acho que isso é o que o está restringindo. Algo o está restringindo e eu não sei… se é meu dever ajudá-lo ou ser apenas uma luz, não sei o que fazer.

Agora, para ser bem franca, nenhum americano tem medo de qualquer coisa. O mundo todo tem medo deles. É uma ideia errada que eles têm. É surpreendente que as pessoas… que causam senso de insegurança a todos sempre dizem: “Eu sou inseguro.” Muito surpreendente. Essa é a forma que eles só conseguem falar. Eu não encontrei nenhum americano que fosse inseguro. Pelo contrário, eles são pessoas extremamente agressivas, muito, muito agressivos por nada, de forma alguma. Eu darei um exemplo. Outro dia nós fomos a um advogado… e estávamos esperando o elevador descer.

Quando o elevador chegou, um homem muito robusto, alto, com pelo menos 1,90m, um homem muito robusto estava no elevador. E nós estávamos em pé esperando o elevador chegar, não sabíamos que havia alguém dentro dele. Assim que o elevador abriu, ele disse: “Quem são vocês como um bando de criminosos em pé aqui?” Vocês podem imaginar? Nós ficamos surpresos. Não havia nenhuma necessidade. Ele teve a chance de dizer algo para nós, ele simplesmente disse aquilo. “Por favor”, nós dissemos, “tudo bem.” O que você poderia fazer? Esse é o tipo de medo que eles têm.

Os russos e os americanos. Ambos são exatamente a mesma coisa, Eu diria. Deixe-os brigarem entre eles mesmos. Mas dizer que um americano tem medo de algo… é a maior piada. Eles não são amedrontados. Pelo contrário, eles sempre arrumam problemas, porque vão ao encontro de algo que é desafiador. Todos os falsos gurus tomam dinheiro de vocês. Tudo bem, agora eles falam sobre aquele outro, recentemente alguém Me contou… que ela pagou muito dinheiro a um homem. Ele a levou para dentro de uma sala sozinha. Ela não ficou com medo.

Uma mulher indiana ficaria com medo de um homem… que a levasse para uma sala sozinha. Ela diria: “Não, não, não.” “É melhor você fazer o que você quiser.” Ela não estava com medo. Ela entrou dentro da sala. Ele disse: “Agora tire suas roupas.” Ela tirou a roupa dela. Não estava com medo. Ele disse: “Agora sente-se aqui e pule, pule, pule, pule.” Ela começou a pular.

Sem medo de quebrar seus ossos ou as mãos ou os pés… ou qualquer coisa. Simplesmente começou a pular. “Aaa, eu me sinto muito bem, me sinto muito bem.” Do que eles têm medo? Eles não têm medo de fazer coisas estúpidas, de fazer coisas insensatas, eles não têm medo, mas de fazer coisas sensatas, eles têm medo. Essa é basicamente a coisa errada. Em Brighton, nós tivemos uma nudez, uma nudez, do que vocês chamam aquilo? Piscina de nudez. Quando lá tem um clima tão frio. Eu não sei por que em um país que é tão frio, as pessoas querem tirar suas roupas.

Um tipo de – Eu não consigo entender. À noite, nós dormimos com todas as nossas roupas… em um lugar como a Índia. Qual é a necessidade de tirar as roupas? Eu ainda não entendo. Tudo bem. Então havia uma piscina onde eles começaram… um empreendimento muito grande. Todos os canais de TV, tudo focado e todo mundo assistindo, era para mulheres e homens que ficam nus. O que é tão grandioso? Qualquer um pode ficar nu. Mas havia uma senhora idosa, da Minha idade, andando dentro d’água.

Estava muito frio, Eu fiquei Me perguntando: “Esta mulher pegará um resfriado ou algo assim e pneumonia.” Eles disseram: “Como você se sente?” “Ó, eu me sinto muito quente.” Essa mulher estúpida estava se sentindo quente. Isso é o que acontece. “O que está errado?” Para fazer algo estúpido, insensato, eles não têm nenhum medo. Como é que vocês acham que todos esses gurus prosperaram… com todos os seus truques, onde as pessoas ficaram loucas, ficaram malucas? Elas perderam seu dinheiro, venderam seus filhos. Como?

Com a Sahaja Yoga, elas ficam com medo. Por quê? Vejam o ponto, vejam o ponto. Esse é exatamente o caráter. Pessoas assim não conseguem praticar a Sahaja Yoga. Nós temos de ter pessoas fortes, pessoas de caráter, pessoas com dignidade. Não podemos ter pessoas assim que vão atrás desse tipo de coisa. Como outro dia, um rapaz veio e Me fez… todas as perguntas estúpidas e ficou falando: “E quanto a voar?” Eu disse: “Tudo bem. Mas vamos supor que você de repente caia.”

“O que você fará?” Ele estava querendo voar. Vamos supor que ele não tenha asas, nada disso, nenhum paraquedas. Como ele descerá? Mesmo as crianças entendem a piada. Assim, isso é o que é. Ser como um palhaço, eles não têm nenhum medo, de forma alguma. Mas ser sensato, equilibrado e digno, eles têm medo. Não estamos aqui para pedir eleições, estamos? A Sahaja Yoga é difícil… para as pessoas que são estúpidas, naturalmente, para pessoas que querem ter uma vida de destruição. Ela é para pessoas que querem evoluir, pessoas que querem se tornar mais compassivas, amorosas e humildes, o que é muito difícil.

Aqui a educação é: se você for humilde, qualquer um maltratará você, você será arruinado, será morto. Certo? Você tem de ser agressivo. Dizer que uma pessoa agressiva tem medo de outra pessoa, então é melhor mudar o significado da palavra “agressivo”. Eu não diria somente os americamos, mesmo os ingleses. Na língua inglesa, dizem: “Eu receio.” Do que eles têm medo? Todo mundo tem medo de um inglês. Se ele for em sua casa, tome cuidado. Ele criará problemas entre marido e esposa.

O que há para se ter medo? Medo do que é Divino, do que é bem-aventurado. Essa é uma grande vantagem para você. A Sahaja Yoga não é nada além de bênçãos, bênçãos, bênçãos. Nada para se sacrificar, nada para abandonar, nada para vender. Mesmo coisas pequenas, como as crianças, os problemas delas, isso, aquilo, é cuidado. Alguém que cuida de você. Alguém que lida com as coisas. Alguém que o torna poderoso e confiante e seguro. O que há para se ter medo?

Mas os cérebros estão de cabeça para baixo. Eles não têm medo de um tigre, mas têm medo de uma vaca. O que você fala para uma pessoa assim? Você diz: “Do que você está com medo?” “Estou com medo de uma vaca.” – “E do que você não tem medo?” – “Não tenho medo de um tigre.” “Tudo bem, então tudo bem, sinto muito.” “Irei a outro lugar”. Isso é o que você tem de dizer.

Isto é o que é: as pessoas estão simplesmente em completa confusão. O sistema de valor delas está invertido. Eu lhes darei um exemplo, um exemplo muito simples. Este Sr. Hart perdeu a eleição… porque eles disseram que ele tinha um relacionamento… com uma mulher em algum lugar. Isso é tão comum neste país. O que havia para ele perder? Se ele tivesse feito alguma outra coisa, por exemplo, se ele tivesse tirado algum dinheiro do governo… ou tivesse os enganado, então tudo bem. Mas em uma coisa que todo mundo faz. Isto acontecerá amanhã: “Por que você comeu salsicha? É por isso que você perde.”

É um absurdo. Eles estão em completa confusão. Os cérebros estão de cabeça para baixo. Qual é a lógica? Para aqueles que dizem que estão com medo, diga: “Você está certo.” “Vá e bata com algo em sua cabeça.” “Isso será melhor para você.” É tudo história, Eu lhes digo, é o modo como eles o colocam para baixo. Não há nada para se ter medo… do perfume da flor, é desse jeito. Existe um guru que não pode suportar nenhuma flor, nenhum perfume.

Mas se você pegar a água das valetas, ele ficará muito feliz. Agora, o que você diz para isso? Não estamos aqui para agradar pessoas assim, estamos? Vocês sabem que há um guru assim. Ele não consegue suportar… Ele ganhou quantos Rolls Royces? 63 Rolls Royces. E eles pegavam água da valeta para ele, ao invés de dar flores. E há muitos americanos que fizeram isso, milhares e milhares e milhares. Imaginem, comprar 63 Rolls Royces com o dinheiro dos americanos. O que você fala para eles?

Mas eles têm medo de vir para a Sahaja Yoga. Entendem? Isso é autoenganação. Não há nada escondido na Sahaja Yoga. Nós temos de dizer o que temos de dizer. Nós temos de enfrentar o que temos de enfrentar. Vocês não devem ter nenhum condicionamento em relação a isso. Vocês não devem ter nenhum ego em relação a isso. Tentem entender que isto tem de ser compreendido: nós temos de ser nós mesmos, nós temos de crescer. Seja o que for que esteja errado dentro de nós tem de ir embora.

Mas isso só é possível quando você se torna o Si. Por exemplo, se Eu tenho algo errado em Meu sari, Eu só posso ver isso se Eu estiver de olho, senão alguém dirá: “Você está usando um sari que está sujo”, Eu talvez fique com raiva. Se Eu estiver identificada com o sari, Eu ficarei com raiva. Mas se Eu vir: “Oh Deus! É melhor Eu limpá-lo.” Assim, é um círculo vicioso, como abrir os olhos deles? Porque abrir os olhos deles é muito difícil, impossível, porque eles têm medo. Eles têm medo da luz, estão felizes com a escuridão. Agora, você não consegue agradá-los. Também você deve saber que… se você colocar todo o povo americano junto… e todo o povo ocidental junto, temos muito mais pessoas, digamos, na Índia e em outros países… que se tornarão almas realizadas.

Deus não se importa de onde eles vieram. Se eles querem aceitar gurus tão horríveis, deixe-os ter isso e ir com eles. Como eles dizem: “Dê dois pulos correndo e vá para o inferno.” Essa é a atitude do Divino, Eu realmente lhes falo. Mas não a Minha, porque Eu sou a Mãe, então Eu tenho de fazer a conciliação entre… as pessoas insensatas e o Divino, que não é nada além de bom senso. Lá, isso é senso comum. Então o que Eu tenho de fazer é: “Tudo bem, não importa. Vamos tentar, vamos tentar.” “Eles mudarão de ideia, eles ficarão bem.” “Eles foram criados por Deus, é por isso que eles são amados.”

Mas não porque vocês estão procurando eleições. Vocês devem se dar conta disso. Não somos somente seres humanos vivendo. Não somos as pessoas da elite. Vamos ver aonde nós fomos. Não quero condenar ninguém assim, porque todos eles são Meus filhos, mas Eu gostaria de ver onde nós estamos. Nós devemos entender, estamos sendo destruídos, nossos filhos estão sendo destruídos, nossa sociedade está sendo destruída, a coisa toda está sendo destruída. Onde nós estamos? De que adianta chamarmos a nós mesmos de “grandiosos”? A AIDS.

Vocês ficarão surpresos, há uma guerra acontecendo na AIDS. Qual é a guerra na AIDS? Uma vez, esses turistas traziam suas roupas… e seus, o que vocês chamam, sacos de dormir e tudo mais, e os vendiam na fronteira do Nepal. Minha filha vive lá. Quando eles receberam notícias da AIDS, não que eles comprem aquelas coisas, mas eles jogaram tudo fora, tudo que eles tinham na casa e queimaram. Essa é a situação. Ninguém quer beijar uma americano atualmente, para sem bem franca. Eu tenho sido alertada. Isso é o que vocês são; É para isto que estamos indo. Vamos ver para onde estamos indo, relativamente.

Mas nós pensamos: “Nós ainda somos grandiosos”. Então quem pode ajudar vocês? Vocês simplesmente estão se agarrando em algo agora. A qualquer momento, vocês cairão. Vamos supor que essa é a situação, então tentem entender que vocês estão numa situação difícil. Eu quero alertá-los novamente, exatamente como Vishnumaya, não somente isso vocês devem entender, mas estejam com a posse dessa compreensão… de que temos de salvar os outros. Se eles estão com medo, diga-lhes: “De que você está com medo, sujeito tolo?” “Venha.” Eles gostam disso, Eu lhes digo. “Mas estou com medo.”

Então você também diz muito sofisticadamente: “Oh, sinto muito por você estar com medo. Do que você tem medo?” Tudo bem? É desse modo que isso funcionará. Do contrário, não vai dar certo. Eu tentei todos os truques. Nada dá certo a menos e até que vocês falem com eles: “É melhor virem para a Sahaja Yoga, senão vocês serão destruídos amanhã.” “Vocês terão câncer, terão AIDS, terão isso.” “Se você quer se salvar, venha para a Sahaja Yoga.” Isso é o que eles entendem, e isso é o que os gurus fazem com eles.

“Se você não pular, eu jogarei você para fora da sala.” Então eles começam a pular. É um fato. Até que eles quebrem seus ossos, eles pularão. Assim, vocês devem saber que vocês são Sahaja Yogis… e vocês estão construindo uma nova sociedade de pessoas… que podem salvar os outros. Para isso, vocês têm de saber até que ponto as pessoas foram, como vocês têm de afastá-los disso, como vocês têm de trabalhar isso. Qualquer estilo de conciliação, qualquer estilo de explicação, de diálogo, tentem tudo, porque, afinal de contas, Eu não quero que eles sejam destruídos. Mas não achem que o que eles dizem tem algum sentido. Vocês devem ter uma compreensão mais elevada do que a deles, porque vocês sabem que eles estão bloqueando o Agnya… e estão com medo. Tudo bem?

Alguns deles de fato dizem, Eu ouvi: “Vamos supor que nos transformemos,” “então não podemos regozijar a vida, cada dia da vida.” O que vocês estão regozijando? Vocês estavam andando na rua. Quando Eu vim a Los Angeles, eles Me disseram: “Mãe, a Senhora sabe que coisas sérias aconteceram?” Eu disse: “Que coisas sérias?” “Nesta rua, três pessoas foram mortas semana passada.” Eu disse: “Como?” “Simplesmente atiraram nelas.” “O que é tão grandioso em relação a nós? “, vocês devem perguntar.

“Vocês não estão preocupados que isso possa lhes acontecer?” “Acontecer a seus filhos? Eles serão mortos?” “Qualquer um pode matar vocês. O que vocês estão fazendo sobre isso?” Falem desse jeito, como se vocês entendessem o problema. Expressem sua preocupação, sua preocupação sincera. Certamente eles entenderão. Porque eles Me disseram: “A Sahaja Yoga é muito ruim,” “porque seremos transformados e então não nos divertiremos.” “Assim, isso é o que vocês estão regozijando na rua, vão em frente.”

Desfrutem o medo, o pavor disso. Vocês não podem deixar seus filhos brincarem na porta da frente da casa. Isso é o que vocês estão regozijando. Eles regozijam, se forem estúpidos, eles dirão: “Este é nosso direito fundamental: sermos estúpido.” Mas você tem um direito fundamental de desfrutar a alegria, encontrar a alegria. Vocês encontraram a alegria? Este é seu direito fundamental: ser o Espirito. Vocês se tornaram o Espírito? É o direito fundamental, qual tipo de direito fundamental é ser estúpido? E eles falam isso abertamente, sem nenhuma vergonha, sem nenhum respeito por si mesmo.

Eles não têm nenhum respeito por eles mesmos, então eles têm de primeiro ter seu próprio respeito. Para isso, eles têm de entender que eles são seres humanos… no ápice da evolução. Eles não têm de se tornar vermes agora, nunca mais. Tudo isso vocês podem lhes falar do mesmo modo que estou lhes falando, todos vocês, e falem com eles: “Vejam agora, isso é o que acontece.” “O que está acontecendo? O que estamos fazendo em relação a isso?” Tudo bem? Mesmo assim, se eles falarem desse jeito, tudo bem, não desperdicem sua energia. Nós temos de realizar isso juntos. Tentem qualquer truque que for possível, vocês estão autorizados.

Mas na Sahaja Yoga, não há nenhuma necessidade de dizer mentiras, nenhuma necessidade de ferir, de torturar alguém. Não há nenhuma necessidade de forma alguma. Mas é melhor trazer para a compreensão deles, para a visão deles, o que vai acontecer ao país deles. Esse é o seu trabalho como Sahaja Yogis. Eu não quero nada de vocês, como vocês sabem. Mas vocês têm de entender: “A Mãe nos deu a Realização,” “nos tornamos Sahaja Yogis, para quê?” Nos tornamos Sahaja Yogis para sermos a luz, para mostrar para eles a luz, mostrar-lhes a escuridão, mostrar-lhes a forma como eles estão decaindo e serão destruídos. Esse é o nosso trabalho, tudo bem? Que Deus os abençoe. Alguma outra pergunta, por favor?

– Eu estava me perguntando se Você… – Um pouco mais alto. Estava me perguntando se a Senhora poderia falar sobre o que podemos… fazer para formar uma escola para nossos filhos aqui na América. Muitos de nós temos agora crianças pequenas (…) Esse tem sido o Meu problema primordial aqui. Eu sei, é terrível, Eu sei. Vai ser muito difícil para vocês… ter seus filhos enviados a essas escolas, porque o ambiente é tão ruim. Por agora, Eu só sinto que… vocês devem criar seus filhos de tal maneira… que eles se tornem fortes, autoconfiantes, e também eles terem bons exemplos diante deles, assim como vocês são, antes de tudo. E vocês encontrarão muitas famílias indianas aqui, mas o que Eu tenho visto é que as crianças… de pelos menos 60% das famílias indianas… não aprendem coisas ruins, normalmente. Essa é Minha própria experiência. A razão é porque na família indiana, as pessoas ficam o tempo todo conversando com seus filhos, tendo bons encontros familiares juntos, levando-os para passear, falando-lhes sobre coisas boas, sobre compartilhar, porque essas pessoas da Índia que estão aqui… tiveram esse tipo de educação, então eles estão tentando educar seus filhos da mesma maneira. Agora, as famílias que são chamadas de “avançadas” aqui… podem ser muito ocas em coisas insensatas.

Porque quando se trata de avanços, eles não sabem como relacionar isso com nenhuma outra coisa. Mas aqueles que não são dessa maneira. aqueles que têm vivido um estilo de vida, ainda mantêm suas próprias ideias e seu próprio comportamento, seus próprios princípios. Eles ficam absorvidos pelos filhos e simplesmente pensam: “Esta é uma outra categoria de pessoas,” “estes não são o nosso estilo, estes são diferentes.” Eles não mudam. Eu tenho visto muitas famílias assim. Da mesma maneira, antes de tudo, vocês devem prestar total atenção a seus filhos, conversar com eles, educá-los de tal maneira que… eles tenham um outro sistema de valores. Eu posso falar sobre Minhas próprias filhas ou sobre Meus netos, Coloque-os em qualquer lugar no mundo, eles nunca se tornarão como os outros, porque eles têm suas raízes. Assim, vocês devem tentar fazer com que… as raízes deles sejam muito fortes em grandes princípios. Então eles não serão muito difíceis.

Por exemplo, Eu estava discutindo hoje, as pessoas que veem que… Como eu disse, a sociedade indiana se formou na tradição, por eras ela se formou nas tradições e coisas assim. Então ela deve ter cometido erros, tentativa e erro e tudo mais. Mas ela alcançou realmente alguns pontos muito bons. Uma coisa é sobre as crianças na Índia, por exemplo, nós não falamos com elas: “Não toque nisto, não pegue isto.” “Não abra isto.” Nunca. Nós também não as permitimos se comportarem como… touros numa loja de porcelana. Vamos supor, agora Eu quero tomar uma Coca Diet, tudo bem? Então Eu falo com uma criança: “Tudo bem, vá e pegue uma lata de Coca Diet.” “Agora, traga este copo.

Vagarosamente, porque ele é muito bom,” “muito bonito, você tem de usá-lo com muito cuidado.” “Agora, coloque-o lá.” “Agora, abra a lata, coloque-a lá.” “Agora você tem de trazê-lo e dá-lo a um amigo ou a alguém.” Assim, a criança carrega o copo com muito cuidado. Mas vamos supor que ele caia, não importa. Ele terá um outro. Assim a criança desenvolve a habilidade de lidar com as coisas, o respeito por isso e não um tipo de medo das coisas. Cozinhar é a mesma coisa. Hoje havia… uma grande reclamação sobre a forma como as pessoas cozinham aqui.

E na discussão, depois Eu cheguei a conclusão… que a mãe cozinha dessa maneira. Então o que a mãe diz, tudo bem, ela – a criança não se senta na sala de TV se a mãe está cozinhando, nos lares indianos. A criança está na sala de TV? Não, está com a mãe. A mãe diz: “Tudo bem, agora o que você faz?” “Nós cortaremos algumas verduras. Eu estou cortando.” “Agora, é melhor você fazer isso.” “Agora, tudo que foi deixado de lado,” “que não é para ser usado para cozinhar,” “nós temos de por dentro desta coisa.” “Agora, isto tem de ir para a cesta de lixo.”

E uma cozinha indiana fica o tempo todo limpa, impecavelmente limpa, em cada minuto. Cada sala é impecavelmente limpa. A casa. Do lado de fora, o que podemos fazer? É o governo, a insensatez administrativa. As pessoas aqui acham que são muito limpas. Eu acho que elas não são, somente o governo é que é limpo. As roupas ficam penduradas aqui, isso, aquilo. Nas casas indianas, vá mesmo na mais pobre das pobres, tudo parece impecavelmente limpo, asseado. Porque é falado para as crianças manterem limpo.

Agora, a criança tem, digamos, um papel na sua mão. Ela não o jogará em qualquer lugar. Ela o levará, o colocará no lixo. Como? Porque a mãe dirá: “Tudo bem, agora este papel está aqui. Para onde ele deve ir?” O tempo todo, a mãe e o filho estão juntos, ou o pai. O tempo todo, seja onde for. Não é que as crianças não possam ir a esse lugar. Aqui, o começo está errado.

Quando uma criancinha nasce, vocês a colocam em um outro quarto… e os pais ficam dormindo em outro quarto. É a pior coisa que vocês podem fazer a um bebê. É desse modo que a criança se tornará muito insegura, infeliz, anormal. No subconsciente, a criança terá sentimentos muito estranhos. Depois do casamento, depois de ter filhos, os pais têm de aceitar a paternidade. Elas ainda estão em roupas de noivas, ou os homens ainda são solteiros, eles são heróis românticos andando por aí. Vocês são pais agora. Senão não tenham filhos, se vocês têm filhos, sejam pais. Isso não significa que vocês devem se tornar… tipos de pessoas totalmente chatas. Mas, tenham interesse em seus filhos; os mantenham o tempo todo com vocês, conversem com eles, falem com eles como se comportar.

O comportamento aqui das crianças é anormalmente estranho, Eu acho. Para isso, temos de culpar a educação. E toda liberdade deve ser dada a criança. Agora, o tapete é mais importante do que o filho; a porta é mais importante; a parede é mais importante do que o filho. Então o que acontece? Quando os filhos crescem, Eu tenho visto, quando eles vão à casa de alguém, eles começam a usar tudo como se fosse deles. Na casa deles, eles ficam sentados muito confortavelmente. E também, de todas as formas, vocês têm restrições para as crianças, que às vezes choca. Eu lhes darei o exemplo de Minha neta, ela estava falando para Mim: “Vovó, eu convidei algumas meninas para a minha festa de aniversário.” “E elas gostaram muito.

E elas me perguntaram:” “Posso ter mais um pouco?” “Eu fiquei surpresa. Foi a Mamãe que tinha feito para elas,” “e tinha tanto lá dentro, e estavam desfrutando,” “elas estava comendo. Então elas vieram e me pediram:” “Posso ter algo mais?” Eles não são mendigos, eles são crianças. Eles devem controlar todos os desejos deles. Eles devem pedir isso. Mas depois vocês darão alguns brinquedos, os colocarão lá, o brinquedo fica com o filho. O filho não conhece os pais. Brinquedos, enchem com brinquedos.

Então quando… você vai na garagem, não há nenhum lugar. Todos os brinquedos estão guardados lá. Assim, o sistema de educação todo está errado. Você deve levar seu filho com você. Você deve levá-lo para passear. Você deve mostrar tudo. Quem mais vai ensiná-los? Eu encontrei uma mãe que é, digamos, uma pessoa que fez, digamos, mestrado em Botânica, e o filho não sabe… o que é uma folha e o que é uma flor. Envolva-os com você. Você vai trabalhar, conte-lhes o que aconteceu: “Hoje isto aconteceu…” “no trabalho, isso é o que acontece.”

Eles ficam separados de você. Como eles podem crescer? Nesse momento, eles dependem de você para toda a nutrição deles, o tempo todo. E nisso, vocês têm de ensiná-los como compartilhar as coisas. Mas Eu acho que muito pouco tempo é gasto com os filhos, que deveria ser muito mais, muito, muito mais. Isso deveria ser contínuo. Mesmo Minhas filhas que têm – uma tem 40 anos de idade, mesmo agora, ela vem e dorme Comigo de manhã, Ela precisa Me abraçar, e quando Eu chego, ela chora como um bebê pequeno, o que fazer? Eu fazia o mesmo com Minha mãe. Mas Eu sabia tudo sobre Minha mãe, e Eu sabia muitas coisas que ela gostava e o que ela não gostava, e o que não deveria ser feito. E há um tal apego… à mãe e ao pai.

Você não quer perder aquele amor. Uma vez Minha filha Me perguntou quando ela estava na faculdade: “Eu quero usar blusas sem manga.” Eu disse: “Vá em frente, sem problema.” Ela disse: “Mas por que a Senhora não usa?” Eu disse: “Eu fico constrangida.” “Eu Me sinto constrangida em expor Meus braços.” Então ela disse imediatamente: “Então não há nenhum critério,” “porque eu Lhe perguntei, a Senhora deveria dizer ‘sim’ para mim?” “Não, isso não é bom.” Ela própria se corrigiu. Assim, primeiro uma integração completa dos filhos com você.

Agora, os filmes, eles têm filmes para crianças, para adolescentes, então Eu não sei o que mais existe. Não, todos os filmes deveriam ser para todo mundo. Mas se você tem de mostrar coisa obscena, então você tem de ter isso depois da meia-noite. Por que assistir coisas obscenas? Seja o que for que seus filhos não possam ver, por que você deveria ver? Não é algo muito maduro, não é? Você querer ver e seus filhos não poderem ver. Então toda a mudança começa, por exemplo, uma mãe está vendo algo muito maduro sobre Deus, sobre alguma grande Encarnação, sobre alguma filosofia, os filhos também estão assistindo, e eles começam a perguntar: “O que é a consciência coletiva? “, bem jovens. “O que é Chaitanya?

O que é Omkara?” A atenção toda se move para alguma outra coisa. Ao contrário, vocês lhes mostram coisas para crianças, nisso eles lhes mostram está boneca que está surgindo hoje, aquela boneca. “Mamãe, eu preciso ter essa boneca!” Conseguem para elas a boneca e acaba com elas. Essa não é a maneira de fazer. Levem a atenção deles para fora de todas essas coisas. Todas essas mídias, tudo, estão trabalhando em seus filhos de manhã até à noite. Agora eles têm uma boneca nos EUA que tem até mesmo data de nascimento. E então você tem de se associar a um clube, e para esse clube, você tem de pagar muitos, muitos dólares.

Então você se torna um membro dele e eles escrevem para você dizendo… qual é o nome da criança… e quando ela foi batizada, e isso e aquilo. Eles estão tirando proveito de seus filhos. E vocês ficam felizes contanto que os filhos não os perturbem, e quando eles os perturbam na Inglaterra – Eu não sei o que eles fazem nos EUA – eles matam os filhos deles. Depois os filhos os matam. A coisa toda está em completa confusão. Isso pode acontecer na Índia, se eles se tornarem desevolvidos e avançados. Assim, nós somos pessoas diferentes, nós saímos disso. Agora vamos começar uma outra forma. Não vamos nos identificar com essa insensatez. Vamos ser algo extraordinário.

Vamos tornar nossos filhos algo diferente. Isso é o que deve ser dado aos seus filhos, não dinheiro, riqueza, brinquedos. Não. Personalidade, raízes. Vocês são as raízes deles. Se vocês são volúveis assim, como esperam que seus filhos fiquem bem? Vocês têm de nutri-los. Certo? Então antes de tudo, a educação do filho começa com o pai, a mãe e a família, e o respeito pelos mais velhos. Vamos supor que seu pai esteja presente, sua mãe esteja na casa, se você tratar mal seus pais, os filhos tratarão você mal, naturalmente.

Há uma história muito interessante. Havia uma senhora idosa e ela tinha um sogro, que era muito idoso, e o filho sempre levava sua sopa… numa tijela feita de barro ordinário. E ela costumava tratar o sogro como um cachorro, a nora. Um dia a tijela quebrou, e aquele menino caiu e a tijela quebrou e ele começou a chorar. A mãe achou que ele estava muito ferido pelo modo como estava chorando. Ele disse: “Não, não estou ferido, mas esta tijela está quebrada.” “Então por que você está chorando por isso? Nós podemos conseguir outra.” “Tem certeza que você consegue outra?” Ela disse: “Sim.”

“Porque eu estava preocupado, como eu lhe darei comida…” “quando você estiver velha?” “É por isso que eu estava preocupado,” “quando eu tiver de lhe dar comida, como conseguirei fazer isso?” Então ela entendeu. Como você trata os outros, como você se comporta em relação aos outros, como você vive organizadamente, costumes de limpezas e coisas assim, isso é o que os filhos aprendem. A coisa mais importante, mais do que os preceitos, são as práticas. Aqui o marido e a esposa brigarão na presença dos filhos, baterão um no outro. Vocês podem imaginar? Eu tenho visto isso. Se você assistir qualquer filme atualmente, é briga entre marido e esposa, “coloque deste jeito, daquele jeito, daquele jeito, deste jeito.” É só isso, você fica farto disso.

Nenhum respeito, nenhum amor, nenhuma afeição. Ou é algum tipo de destruição. Depois os filhos, eles próprios não querem ver nenhum filme. Quando Minhas filhas eram pequenas, Eu só as levava para filmes religiosos, como a Vida de Shri Rama, isso, aquilo e tudo mais. Então elas desenvolveram um gosto por isso. Então quando elas foram para a casa de Minha mãe, elas disseram: “Não iremos a esse filme. Se houver Ramas, Hanumanas,” “então nós iremos.” Então Minha irmã disse: “Primeiro não podemos deixá-las sozinhas em casa.” “Você não pode levá-las para qualquer filme,” “elas não gostam de nenhum outro filme, exceto filmes de Deus.” “Não há tantos, então o que fazer?”

Eu disse: “Tudo bem, por que você também não assiste com elas o mesmo filme?” Ela disse: “Mas há alguns bons filmes sociais,” “mas elas não gostam.” Assim, qual tipo de livros você lhes dá, qual tipo de coisas você conversa com eles, sempre esteja com eles, mantenha-os com você. Isso é o melhor. Ou mesmo que eles tenham de ir para alguma escola, deve ser uma escola onde há amor, afeição, boa companhia, eles falem da Sahaja Yoga, esse tipo de coisa. Eu desejo que vocês consigam fundar uma escola da Sahaja Yoga na América. Mas vocês sabem como é difícil começar algo sensato? Todo mundo tem medo. Mas se você quer começar uma escola de coisas insensatas, eles ficarão muito confortáveis, eles lhe darão concessões. É muito difícil, mesma na Inglaterra, é a mesma coisa, você não consegue fundar uma escola.

Se você quer começar um tipo de discoteca, é muito fácil. Muitas escolas estão fechando na Inglaterra. Na verdade, há uma escola à venda. Eu quis comprar, em Minhas próprias ideias simples, eles disseram: “Mãe, a primeira coisa é por que ela está fechada.” Eu disse: “Por quê?” “Por causa de diferentes regras e regulamentações, ela está fechada.” Eu disse: “Então,” “os seus bisnetos talvez consigam ir para essa escola.” “Isso levará muito tempo.” Então a primeira coisa que direi: vocês devem cuidar de seus filhos. Falem para eles quando algo é errado, vocês devem lhes falar: “Isto é errado, não deve ser feito.”

Por exemplo, seus filhos não respeitam os outros, vocês devem lhes falar. Se ele não fizer, se ele estragar algo… ou fizer algo errado aos outros, então você deve falar com ele. Se ele não compartilha as coisas, você deve falar com ele: “Você deve compartilhar sua boneca, você deve compartilhar isto.” Mas se trata de corrigi-lo para coisas insensatas, vocês não devem. Vocês verão, isso mudará. Então mais tarde, é claro, nós temos de pensar na escola… e tudo mais, tentar fazer algo. Vamos fazer dar certo, talvez, então assumiremos o controle. Basicamente eles devem estar bem. Senão eles vão para a Índia e dão tapas em todos os professores. De que adianta?

Não é fácil. As crianças ocidentais não são fáceis, vocês sabem, de lidar. Realmente, então definitivamente eles ficarão com medo… das crianças ocidentais irem para a Índia, é muito difícil. Porque vocês devem discipliná-los. E a coisa principal é que eles devem gostar da disciplina, eles devem querer disciplina. É desse modo que você deve criar. Essa ideia estúpida de liberdade significa licensiosidade, deve ir embora. Eles deveriam gostar daquilo. Eu Me lembro de Meus pais, o modo como eles nos disciplinaram, nós gostávamos daquilo. Qualquer criança se lembrará: “Oh, meu pai era muito exigente.”

Mas aqui eles chamarão uma criança de 12 anos – Eu soube de um amigo nosso, uma história tão chocante. A senhora veio – amigo no sentido oficial. Ela veio a Londres e disse: “Você viu os bares?” Eu disse: “Não.” “Há bares maravilhosos e interessantes em Londres.” Eu disse: “Verdade?” Ela tinha uma lista deles. Ela disse: “O melhor é este aqui.” Eu disse: “O que é tão especial?” “Ele é chamado de Bar do Hermit.”

“O que é tão grandioso?” “Um homem morreu naquele lugar,” “e por meses, as pessoas não sabiam.” “Então o cheiro começou a sair, então eles entraram,” “o tiraram e o enterraram.” “Mas todas as teias de aranha e todo o mau cheiro ainda estão preservados.” “E esse é o bar mais caro em Londres.” Eu disse: “Oh Deus, o que é isto que está acontecendo?” Essa senhora disse: “Nós somos muito livres com nossos filhos.” “Nós os permtimos fazerem o que quiserem.” Ela tinha dois filhos, Eu acho que um com 12 anos… e outro com 11 anos. E o marido e a esposa estavam dormindo no andar de cima, nos EUA.

Essas duas crianças estavam dando uma festa, e o pai lhes tinha dado bebida alcoólica, cerveja, bebida à vontade. “Oh, curtam, nós somos demais!” E essas crianças desse grupo de idade começaram a beber, e então Eu não sei o que lhes aconteceu, eles colocaram fogo em um pouco de álcool e a casa toda se incendiou. Um filho saiu correndo, o de 11 anos. A mãe, o pai, um filho, todos morreram e muitas crianças. Isso não é nenhuma liberdade. Vocês têm de ensinar seus filhos a terem discernimento, vocês têm de ensiná-los. Isso é o que temos de aprender. Assim, Eu acho que antes de começar uma escola para crianças, vamos começar uma escola para os pais. O que vocês dizem?

Tudo bem. Qual é o próximo? Shri Mataji, a Senhora sugeriu que podemos tentar muitos truques… ou diferentes truques para abordar os buscadores, para encontrar nossos irmãos e irmãs. E na Austrália, quando alguém tem… Não, não, não. Eu não consigo ouvir você. Venha para cá. Sim, Ursula. O que é? A Senhora tinha sugerido que podemos tentar muitos truques… para encontrar nossos irmãos e irmãs, e diferentes formas e abordagens. E na Austrália, cada ideia parece ser… eles são tão entusiasmados e eles, eles apoiam a ideia.

E isso é, eu não sei se é somente meu sentimento, mas há um sentimento aqui que quando há uma sugestão… ou uma ideia, nós somos muito “Oh, não.” Uma pessoa talvez diga: “Sim, boa ideia.” Uma outra pessoa talvez diga: “Não, não.” E então você não quer fazer nada errado, você simplesmente não faz nada, apenas espera. E então nada acontece. – Você quer dizer entre Sahaja Yogis? – Entre Sahaja Yogis. Isso surge da atitude individualista sobre nós mesmos. Qualquer coisa que você lhes fale, eles não conseguem viver coletivamente, isso nós sabemos no ocidente. Eu sei o que Eu temos de passar quando temos de organizar… seus programas com 300 pessoas chegando, isso e aquilo.

Mas… Esse individualismo é demasiado, por exemplo, cada banheiro tem uma torneira diferente. É melhor você perguntar a alguém, senão acabará em dificuldades. Mesmo as gravatas têm de ser diferentes, tudo tem de ser diferente. Agora, se há algo fundamental, então você pode perguntar ao seu líder. Mas se é algo mundano, tudo bem. Você quer azul? Eu tenho azul. Você quer vermelho? Tenha em vermelho. Dessa jeito você pode resolver seu problema.

Se for algo fundamental, então você deve perguntar ao seu líder. Mas se for algo que não é fundamental, que é muito simples, deixe-os fazerem da forma deles, então gradualmente eles crescerão nisso. Porque esse é o problema básico desses países. O assim chamado individualismo faz com que eles sintam que: “Oh, isto é meu. Farei isso da forma que eu gosto.” Agora, por exemplo, um carro tem uma maçaneta diferente. Agora, uma pessoa que está sentada dentro deve saber… qual tipo de maçaneta é. Amanhã algo acontece, você não consegue nem mesmo abri-lo. Por outro lado, eles não são de forma alguma individualistas, lhes direi como. Por exemplo na Índia, vamos supor que Eu esteja usando este sari. Talvez exista um outro sari assim.

Se uma outra mulher está usando o mesmo sari, ela irá e trocará e voltará. Ela não usará o mesmo sari. Mas aqui, quando é moda, se alguém… Agora essa nossa Princesa de Gales tem este tipo de corte de cabelo. todas as garotas inglesas têm o mesmo estilo de corte de cabelo. Você são sabe quem é quem. Assim, o que é tão individual em relação a elas? Se alguma moda começa, agora está é a moda, está muito na moda. O que está na moda? É cortar seu cabelo dessa maneira e fazê-lo igual a um punk. Então todo mundo é um punk.

De repente, você percebe os Sahaja Yogis andando como punks, você quer saber quem é quem. Assim, qual é o caráter individual lá? Onda está a individualidade? Nos princípios, vocês devem ser individuais, Nos princípios e não nas coisas artificiais. Agora, este aqui tem um princípio. Vamos supor que Eu esteja usando este sari. Ele é feito a mão, é um desenho de uma única pessoa. Então Eu estou dando importância a uma pessoa. Agora, ele pode ter feito dois ou três ou quatro no máximo. Agora, se alguém repete o mesmo sari, isso significa que Eu não incentivei muito esse homem.

Por exemplo, você pode ter o mesmo sari feito, digamos, de uma máquina. Então você começará: “Tudo bem, tenham dez sari assim,” “vinte saris assim, todos feitos por máquinas.” Mas aqui, porque queremos ter um sari separado, ele tem de ser feito à mão. Em princípio, entendem? Como isso ajuda. Isso é o que acontece. Em princípio, você deve ser coletivo, em princípio, você deve ser individualista. Na Sahaja Yoga, não queremos vocês vestidos da mesma maneira. Eu não quero que os americanos andem por aí como algo chinês. Vamos ter nossa própria roupa, nos vestirmos da forma que gostamos, tudo.

Isso está bem. Não é nada importante. Mas em princípio, nós temos de ser os mesmos. Um principio nutre a árvore: a seiva. Ela tem muitas flores, frutos. Ela tem muitas folhas, tudo bem, externamente. Assim, em princípio, vocês têm de ser coletivos. Certo? Por coisas mundanas, por que brigar? Mas seja como for, alguém que é mais velho, que sabe melhor, que é sábio, ouçam essa pessoa.

Nós sempre temos uma admiração e respeito pelos mais velhos. Por exemplo, graças a Deus, vocês têm agora Sherayu, supondo, pegue como exemplo um caso, um caso individual. Ela veio da Índia, agora está ficando aqui. Ela sabe muito sobre pujas, sobre coisas assim. Ela sabe como fazer muitas coisas. Vocês devem estar preparados para conhecer a partir dela. Do contrário, às vezes é muito embaraçoso… o modo como as coisas acontecem. Agora ela está aqui, ela pode ensiná-los. Não há nada errado em aprender. Ela aprendeu muitas coisas de vocês.

Mas não há nenhum respeito, Eu acho, às vezes, por ela, de forma alguma. Ela é uma tia em algum lugar sem utilidade. Não, ela está aqui para um propósito, devemos aprender, respeitar. Mas isso não significa você se tornar um escravo dela… ou qualquer coisa assim, mas ganhe alguma coisa dela. Uma outra pessoa que vem aqui deve aprender. Por exemplo, dos americanos, nós temos de aprender muito. Conte-Me o quê. Eu não acho que estamos fazendo muito sobre comunicação. A comunicação não existe por causa do invidualismo. Mas não é assim.

Não há nenhum individualismo de forma alguma, porque Eu tenho visto que quando a moda começa, todo mundo parece o mesmo. Eu vim outro dia, Eu vi mulheres parecendo homens com músculos assim, andando assim. Eu disse: “Que tipo de criatura é esta?” Uma veio, duas vieram, três vieram, cinco vieram, dez vieram. “O que é isto que está acontecendo?” Eu não entendi. Todas elas estavam andando deste jeito, como Dráculas. Eu disse: “O que é isto?” “Oh, está na moda.” “O que está na moda?”

“Elas estão desenvolvendo músculos.” Qual é o princípio? É isto. Então em coisas assim, nós não argumentamos. Significa que com a estupidez, nós não argumentamos, mas em coisas sensatas, nós argumentamos, em coisas sensatas. Nós temos de entender o que é sensato. Afinal nós somos almas realizadas. Não somos como outras pessoas. Nós devemos entender o que é bom. Quando Eu digo algo, vocês concordam.

Eu não sei como. Vocês gostam. Talvez Eu diga algo também… que talvez não seja tão agradável, mas vocês gostam. Acham que devem tomar, que é um remédio. Da mesma maneira, vocês devem se certificar das coisas… que talvez não gostem muito, porque talvez vocês estejam condicionados, mas vejam o sentido disso, o bom senso, o equilíbrio. Vocês podem entender e vocês têm algo muito grandioso… chamado vibrações. Mas mesmo nisso também, Eu tenho visto, eles fazem coisas horríveis. Alguma pessoas foram, um casal foi ficar com uma senhora, porque o marido dela tinha ido para a Índia. Jogaram fora todos os móveis dela, todos os tapetes, jogaram tudo fora. Eu disse: “Por que vocês fizeram isso?”

“Vibrações muito ruins.” Eu disse: “Verdade? Agora por favor paguem por tudo aquilo…” “por causa das vibrações ruins.” As coisas de uma outra pessoa, quem é você para decidir sobre o que tem vibrações boas ou ruins? Cuide de suas próprias vibrações. Então eles também às vezes usam as vibrações… apenas para, meio que, expressar o ego deles. Assim, vamos tentar em nós mesmos, todo mundo: “Estou fazendo isto somente para o bem do ego?” “Estou discutindo por causa do ego? Estou dizendo ‘não’ por causa do ego?” Tanto quanto possível, tente ceder.

Você se sentirá muito melhor. Você aprenderá muito mais. Eu aprendi tantas coisas desde que fui para o exterior, Eu não sabia muitas coisas. Eu não sei mesmo agora. Por exemplo, Eu não sabia como operar uma televisão. Mesmo agora, Eu não sei muito sobre isso. Verdade! Eu não sabia como usar… um telefone de um determinado tipo. Então Eu tive de aprender. Eu tive de aprender como reservar uma passagem, que Eu não sei mesmo agora, mas ainda assim Eu tenbo de aprender.

Eu tenho de aprender muitas coisas, e tudo que Eu possa aprender, Eu gostaria de aprender. Cozinhar, Eu sei, mas Eu nunca soube como lavar a louça, porque na Índia, normalmente nós temos empregados. Mas Eu aprendi isso, no estilo de vocês, com sabão líquido. Eu tive de aprender. Não há nada errado nisso. Assim, a pessoa deve tentar aprender, ao invés de argumentar. Na Austrália, o entusiasmo e a alegria que eles têm. E se alguém tem uma ideia para algo, há somente muito suporte para isso, – eles fazem o máximo para ajudar uns aos outros. – De fato. Se torna um esforço coletivo muito grande.

Mas a Austrália, os australianos são pessoas muito sábias. Eles entendem a sabedoria. Isto é o que temos de ser: sábios, muito sábios. E se qualquer indiano estiver lá, eles tentam perguntar: “Como você faz?” Coisas específicas, em princípios, como as coisas de puja, eles perguntarão a um indiano. Mas reservar assentos, nunca pergunte aos indianos. Eles não são bons nisso. Cozinhar, limpar a cozinha, são muito bons. Manter a casa, tudo bem. Cuidar das crianças, tudo bem.

Mas dirigir um carro, um indiano? Me salvem! Eu nunca sentaria num carro… que está sendo dirigido por um indiano nos EUA. Por causa da forma louca que as pessoas dirigem. Você sabe que o sujeito não saberá como fazer isso. Assim, é somente sabedoria e discernimento que temos de usar, e não brigar. Isso acontece, Eu estou feliz, tenho visto isso nos australianos. Eles eram declarados como pessoas, pessoas que eram criminosas, os filhos de criminosos. Eles são tão sensatos. O discernimento deve ser usado, isso é importante.

Está mal, mas ficará bem, tenho certeza, um dia. Nunca argumente com coisas que não envolvem nenhum princípio. É a melhor forma, é a mais feliz. Mesmo agora, hoje estava tão quente. Eu queria usar um sari de algodão. Mas Meus filhos disseram: “Não, a Senhora deve usar este aqui.” Eu disse: “Vestirei isto.” Eu estava transpirando, isso, aquilo. Tudo bem, não importa, qual é a diferença? Transpirei por algum tempo.

Saí com este sari. Eles gostaram dele, então está tudo bem agradá-los. Nada, nenhum princípio está envolvido nisso. Quando você pensa nos outros, então você se livrará desse problema. Mas muitas pessoas tentam pregar também a Sahaja Yoga aos outros. Eles não devem. Ela é uma coisa muito séria, eles começarão a ensinar. Ela não precisa ser ensinada dessa forma, depois as pessoas não gostam disso. Mas em seu comportamento, em seu caráter, em suas respostas, as pessoas devem ver: “Esta pessoa é assim.” E eles devem absorver isso.

Este é o ponto, Eu acho que o que está faltando em nós é o discernimento. Se você tem discernimento, você aprenderá muito rápido, não é difícil. Nós ainda somos muito julgadores em relação aos novatos. Se eles têm determinados problemas, nós pegamos todos… é difícil. Com os novatos, Eu concordo. Com os novatos, vocês não devem ser ríspidos com eles. Vocês devem ser gentis, devem tentar compreender isso. Mas vocês sabem, Eu ainda lhes falo às vezes. Outro dia, teve um rapaz que veio, tudo bem? Ele Me fez pelo menos 20 perguntas.

Eu as respondi apropriadamente, isso, aquilo. E ele ficou tão mimado, ele Me enviou notícias: “Eu não quero me tornar um Sahaja Yogi.” Mas por causa de Mim, qualquer um socaria seu nariz… por uma resposta dessa. Vocês têm de aceitar isso com calma. A situação está tão ruim, a situação está muito ruim. Vocês devem entender que estamos em guerra, tudo que for possível, nós podemos fazer. Mas cada país melhorou muito. Então o que está errado aqui é que as pessoas não querem aprender, as pessoas não querem compreender… o sacrifício de abandonar seu ego, abandonar suas decisões. “Tudo bem, vamos ver, vamos ver”, desse jeito. É por isso que não cresce.

Agora, uma coisa Eu devo dizer, nos EUA, se você tem Meu programa, o salão ficará cheio, Eu não conseguirei entrar, e quando saio, serei empurrada para fora como uma pistão de carro. Eu tenho visto isso. São tantas pessoas que Eu não sei como entrar… e como sair. É terrível! E quando Eu vou embora, elas simplesmente desaparecem. Porque está faltando algo, é claro, concordo, entre os Sahaja Yogis… que temos de ver. Afinal, não há nada especial em relação a Mim, quero dizer, eles apenas veem Minha foto e vêm para os programas… e se sentam lá. Mesmo se Eu tiver três dias de programa, isso vai aumentando. Enquanto há Sahaja Yogis que não são capazes de ter nem mesmo… uma única pessoa no salão. Qual é a razão?

Eles não Me reconhecem. Tudo bem? Assim, há algo faltando em nós, também, quando os novatos chegam, o modo como os tratamos, como falamos com eles, como apelamos para eles. De vez em quando, é claro, haverá alguém que será rude. Não importa. Mas tentem ser gentis com eles. Em geral, Eu acho que os novatos – Eu não falarei essas coisas com um novato, se ele vier. Se um novato vem, Eu digo: “Oh, muito bom, como você está?” Isso, aquilo. Entendem?

Estabilize-o. Quaisquer outras diferenças básicas que você encontrar, você pode Me perguntar. Básicas. Você disse um pouco – venha aqui. Eu só estou um pouco curioso sobre o futuro. A Senhora vai se manifestar… de uma forma diferente, como Shri Kalki? Ou a Senhora vai, meio que, deixar a mudança acontecer gradualmente um pouco mais? Perguntas diretas. Diga-Me, o que Eu devo fazer? Diga-Me, o que Eu devo fazer?

Nenhuma outra forma seria adequada. Tente qualquer outra forma. Pegue a forma de Shri Krishna. Você tem de pegar o Sudarshana… e simplesmente matar todos aqueles que não acreditam na Sahaja Yoga. Isso está certo? Pegue a forma de Jesus Cristo. Enforque-se e acabe com tudo mundo. Depois pense em Kalki. Acabar com tudo. Depois de fazer todo esse trabalho, criando belamente todo este mundo, de forma tão bela, você não acha que alguém deveria dar um jeito nisso, tentar dar um jeito nisso na medida do possível?

Esse é o Meu estilo. Qual você prefere? – O que ele disse? – Ele gosta do Seu estilo, Mãe. Ah! É isto. É isto, nada mais. É claro, vocês devem saber que Kalki está agindo, todos estão agindo, todos estão agindo, mas de uma forma contida, como eles dizem. A pessoa tem de tomar muito cuidado, é um trabalho muito delicado. Muitos estão perdidos.

Esses gurus dominaram muitos. É um trabalho muito delicado, tudo bem? Mas se necessário, Eu posso fazer algo. Agora, alguma outra pergunta? Que horas é o jantar de vocês? Alguma outra pergunta? Mãe, parece que muitos de nós aqui realmente não sabem… sobre o Hamsa Chakra. – Sobre o quê? – Hamsa Chakra. Perdão.

Em termos de compreender como ele se relaciona com o Vishuddhi… e o que nós podemos fazer para fortalecer nosso Vishuddhi. O Hamsa Chakra fica entre o Vishuddhi e o Agnya, como você pode ver claramente, posicionado assim. Mas a partir do Vishuddhi, há muitos nervos… que passam através do Hamsa e terminam aqui. Eles não vão todos para o cérebro. Ou podemos dizer que neste momento, neste ponto, todas as nossas reações, que são o que vocês chamam de reações reflexas, terminam. Assim, vamos supor que agora Eu sinta um mau cheiro, Eu tamparei Meu nariz assim ou se Eu não tolerar ouvir algo, Eu simplesmente tamparei Meus ouvidos assim; ou se Eu vir algo sujo ou se Eu vir algo chocante, Meus olhos se fecharão automaticamente. Se alguém tentar colocar um alfinete em Mim, imediatamente Eu tirarei o braço, espontaneamente, está tudo formado dentro do Meu sistema e do sistema de vocês também, de modo que vocês reagem com ação reflexa. A mesma coisa talvez não aconteça com os animais. Os animais são diferentes. Alguns animais têm certas ações reflexas, alguns têm algumas ações reflexas; mas nós somos diferentes e em nossas ações reflexas, todos nós somos praticamente iguais.

Não há muita individualidade. Não há muita diferença em nossas ações reflexas. No máximo, com condicionamento, alguém pode dizer: “Yaah! “, alguém pode dizer “Ooh! “, alguém pode dizer algo, isso é diferente. Mas as ações reflexas são exatamente iguais. Assim, até as ações reflexas, nós não temos de usar o discernimento. Depois começa a parte relativa ao nosso discernimento. O discernimento começa quando estamos usando… estes dois nadis, que se encontram aqui, sem chegar ao Agnya. Então quando estes dois nadis se encontram aqui, o que acontece é que começamos a ver através das nossas experiências.

A primeira seria uma ação reflexa, uma ação reflexa automática. A segunda acontece quando, vamos supor uma criança, se você falar com ela: “Isto é quente, não coloque sua mão aí”, ela não dará ouvidos. Coloque para a criança. Com a experiência, ela desenvolverá ações reflexas, os condicionamentos disso. Assim, esses reflexos são formados dentro de nós. Também eles são formados dentro de nós com, devemos dizer, com outros condicionamentos como por exemplo, em um país, vamos supor que há racismo, ou em um pais como nosso, há um sistema de castas. Então as pessoas reagem de acordo com o que… elas aprenderam desde a infância. Todos esses condicionamentos poderiam ser atuais, de quando você nasceu. Você mesmo poderia ter nascido… na última encarnação, digamos, na África. Hoje você nasceu com a pele branca, então você começou a chamar os outros de africanos, você se tornou assim.

Todos esses condicionamentos podem ser formados dentro do seu Hamsa Chakra, que surgiram da forma como sua mente é treinada, você pode dizer, das experiências da mente, das experiências da sociedade, do seu conhecimento, da sua educação, o modo como você está condicionado pode estar bem enraizado aqui, no Hamsa Chakra. E ele reage a coisas que não tem nenhum sentido. Se você ficava: “Eu odeio alguém!” “Por quê?” Porque essa pessoa usa jeans ou algo assim, ou você pode dizer, uma blusa verde. Agora, isso está formado em sua mente. Ou algumas vezes, esse negócio de se apaixonar também… surge do mesmo tipo de condicionamento. Vamos supor que você conheceu alguém que tinha, digamos, olhos azuis e que foi gentil com você. Então você tem uma fascinação por uma pessoa que tem olhos azuis. Não há nenhuma noção pura de beleza; não há nenhuma noção pura de felicidade; não há nenhuma noção pura de estética.

Tudo é condicionamento. Para algumas pessoas, isto é bonito; para alguém, isto não é bonito. Assim, este é o lugar onde esses intercâmbios acontecem… entre ambos os nadis, e aqui, no Hamsa se encontra externamente o caminho da Kundalini. Eles meio que saem aqui, fora do caminho da Kundalini. É muito surpreendente. Quando a Kundalini se move, Ela vai do Vishuddhi direto para o Agnya. Agora, como nós melhoramos nosso Hamsa então? É um grande problema, porque se nosso Hamsa está doente, está muito condicionado, a Kundalini não consegue trabalhar nele, Ela simplesmente desiste. Agora, para o Hamsa, nós usamos todas essas coisas físicas. Como Eu disse, coloque ghee no nariz, para mantê-lo de uma forma que ele fique nutrido apropriadamente.

Porque a Kundalini, se Ela tentar atuar muito no Hamsa, haverá problemas. Problemas porque, na realidade, a maior parte de nosso tempo, nós gastamos… de tal maneira que as coisas do seu Hamsa ficam – o que vocês chamam de células epiteliais, a mucosa fica seca. Quando a Kundalini se eleva, Ela talvez… tente criar um problema, mais por causa dessa secura. Talvez. Então isto é mantido fora, mas tem um efeito no sentido de que… mesmo se houver uma luz externa, ela pode incidir dentro. Assim, não é a Kundalini diretamente que afeta seu Hamsa. É como, por exemplo, quando a Kundalini desperta, você mesmo vê agora que uma pessoa é, quer ela seja de compleição clara ou de compleição escura, ela é um ser humano. Você chega a conclusão e o Hamsa se ilumina. Então você vê a si mesmo: “Oh, eu sou muito egoísta.” Você começa a ver a si mesmo através de seu Agnya, começa a ver: “Eu sou tão condicionado.”

Então você chega a essa conclusão, e é desse modo que você corrige seus condicionamentos. Isso é o que o Hamsa Chakra é. O Hamsa Chakra não pode ser trabalhado somente se você for uma alma realizada, mas é um efeito, é o sintoma do despertar da sua Kundalini. Algumas pessoas acham que você desenvolve o discernimento… assim que a Kundalini se eleva. É uma ideia errada. Não. Tem de ser deliberadamente visto que… você construa esse discernimento dentro de você. Mas uma vez que esteja construído – por exemplo, Meu discernimento é absoluto, Eu simplesmente sei o que é. Meu condicionamento aqui é absoluto, é unificado com a Kundalini, unificado com a realidade. Mas para os seres humanos, isso tem de estar refletido pela compreensão. Como uma criança que toca algo quente, então está quente. Agora, isto está quente, porque foi aquecido.

Agora, observe uma pessoa que está bloqueada no coração direito. Tudo bem, ela estar bloqueada no Coração Direito significa… ela tem um problema no Coração Direito e está sofrendo de tal e tal coisa. Você tem de ver isso por si mesmo. Agora, se você falar para a pessoa: “Você está sofrendo, digamos, de asma?” Ela diz: “Sim, como você sabe?” “Eu sei disso porque percebi através de meu dedo…” “que estava queimando, é por isso que eu sei que é asma.” Mas vamos supor que alguém tem asma… e neste ponto, a sua Kundalini desempenha um papel, você contrairá asma imediatamente. Vocês entendem o ponto? O condicionamento não pode surgir em nós a menos e até… que ele passe através ou seja filtrado através… de nosso raciocínio e compreensão. Estão entendendo esse ponto?

Ele não pode atuar. A razão é que… ele filtra sua consciência coletiva. Senão se você chegar próximo a uma pessoa que tem AIDS… e ficar coletivamente consciente de que ela tem AIDS, e se você absorver tudo isso dentro de você como um condicionamento, você contrairá isso. Mas você está separado. Como uma pessoa que lê um – Há uma história muito boa sobre isso, Jerome escreveu. Por exemplo, um homem, ele foi e leu “Matéria Médica”. Ele foi e disse ao médico: “Doutor, eu tenho todas as doenças, exceto uma,” “que é bursite no joelho.” (N.T. : tradução literal é “joelho de dona de casa”) Ele disse: “Como é que você não teve isso?” “Porque eu não sou uma dona de casa.”

Assim, ele ficou condicionado com todas as doenças. É desse modo que muitas pessoas contraem doenças, mas graças a Deus há um filtro. Se alguém tem uma doença, você não a contrai, porque você pode filtrá-la. Mas o Hamsa Chakra pode ser afetado por baddhas. Esse é um problema se algum baddha passa através do nariz, você pode ter problema. Se alguns vírus passam através do nariz, você pode ter problema. “Afetado” significa “pode ficar doente”. Mas temos de compreender o discernimento entre os dois. Digamos que haja uma infecção por vírus externamente. Ela pode passar através de seu Hamsa Chakra… e pode lhe causar sinusite, isso, aquilo, problema físico.

Mas você não se tornará como a pessoa… que lhe transmitiu a infecção por vírus. Então há um filtro. Mas vamos supor que haja uma pessoa que é muito inquieta. E você entra em contato com essa pessoa, ela é muito inquieta, então seu Swadisthana pode assimilar isso. Você pode ficar inquieto com essa pessoa. Ficando com essa pessoa, você pode ser torna inquieto. Mas no que se refere ao Hamsa, com qualquer um que você viva, o seu Hamsa não carrega o impacto completo disso… porque há um filtro. Assim, agora, se você tem de desenvolver o discernimento, você tem de aprender, você tem de compreender. Ele não surge automaticamente. Mas com as crianças que nascem realizadas, o Hamsa delas é tão desenvolvido que elas sabem… o que é certo, o que é errado.

Porque o Hamsa delas está muito treinado dessa maneira, elas não têm de usar muito a compreensão. Mas aqueles que estão crescendo agora, que se tornaram agora Sahaja Yogis, têm de conhecer… o Hamsa deles através de suas próprias experiências. É um filtro também. Mas para uma criança, ela sabe o que é certo, o que é errado, porque seu Hamsa está desenvolvido. Na Índia, quando uma criança nasce, ela é bem massageada. Passar óleo é a melhor forma de se ter uma bom Hamsa, Passar óleo no cabelo dela, no corpo dela, colocar… [Marathi] colocar algumas gotas no nariz, tudo. Eles experimentam no ouvido, no nariz, e é desse modo que eles são criados. Assim, o que Eu tenho de dizer é que… fisicamente você deve ter um Hamsa Chakra puro… usando ghee e tudo mais, e mentalmente você deve usá-lo para aprender coisas, pela experiência, o que fazer, como fazer, como fazer dar certo, como estabelecer. É desse modo que o Hamsa Chakra se desenvolve e torna-o com discernimento. É por isso que a tradição é muito importante.

A tradição lhe proporciona o desenvolvimento do Hamsa Chakra… e então você fica descartando… tudo que é errada a partir dessa tradição. Então novamente, você mantém tudo que for bom. Dê isso aos seus filhos, aos seus filhos, aos seus filhos. Assim, o discernimento surge melhor em uma pessoa… que é tradicionalmente formada… do que em uma pessoa que não tem nenhuma tradição. Agora, por exemplo, nesta manhã Eu estava discutindo sobre… as pessoas que enchem uma bacia e lavam seu rosto, no ocidente. Na Índia, nós não conseguimos conceber isso, não podemos nem mesmo pensar nisso. As pessoas não sabem que isso pode ser feito. Porque de uma forma tradicional, revelou-se que… se você está lavando seu rosto e novamente a àgua volta para bacia, então toda a sujeira fica nela, e novamente você fica usando a mesma água. Assim você não consegue ter limpeza completa. Então sempre use água corrente.

Tradicionamente nós aprendemos isso. Assim, isso está muito dentro de nossa cabeça, em nosso discernimento, de modo que não conseguimos nem mesmo pensar em tal coisa. Uma coisa simples é que o Muladhara deve ser limpo e lavado, Pegue qualquer indiano, ele sabe disso, porque eles devem ter tido alguns problemas antes. Quer ele seja do norte, quer ele seja do sul, do leste ou do oeste, pergunte a ele. A auspiciosidade é uma outra coisa. Ela está tão absorvida na tradição. Mas se você tem uma tradição, digamos, de fazer coisas que são absurdas, você também pode ter tradições assim. Por exemplo, os povos muito primitivos têm todos os tipos de tradições… que são muito absurdas. Contaram-Me que… se você for a Ladakh, o que eles fazem é que se alguém morre, eles guardam a mão da pessoa morta dentro da casa… o tempo todo assim. Eles acham que isso ajuda.

Por meio de descartar a tradição que é errada, eles compreenderão que é errado. Assim, quanto mais tradicional você for, mais antigo você for, você aprenderá muitas coisas. Por exemplo, Eu tenho visto que o inglês, de certa forma, é muito tradicional. Vamos supor que uma mulher esteja descendo… e você está vindo com ela, então o homem ficará na frente, automaticamente, ele simplesmente se moverá. Mas se ela estiver subindo, então o homem a seguirá. Simplemente acontece automaticamente, porque tradicionalmente… eles aprenderam que se você está descendo, a mulher pode cair ou algo assim, então você deve estar na frente. Assim, o que vocês chamam de hábitos tradicionais da pessoa… lhes dá este Hamsa. E esse hábitos são construídos cada vez melhor… com métodos de tentativa e erro. E é desse modo que você o desenvolve. Agora, para as pessoas que são Sahaja Yogis, é muito mais fácil assimilá-los, porque se você vê algo, “Sim, isso é errado, não devo fazer isso, acabou-se.”

Mas você deve ser muito claro em relação a isso, a medida que você determine. Isso dá certo. Seu Hamsa ficará bem. Mas você fala com eles dez vezes, eles ainda fazem a mesma coisa. Isso significa que o Hamsa deles não está disposto a aceitar. Mas você deve nutri-lo, você deve cuidar dele, você deve – como Eu disse também, kajal é também muito bom para o Hamsa Chakra. O kajal e passar óleo no nariz, nos ouvidos, é muito bom. Tudo atua para isso. Mesmo, digamos, falar com outra pessoa, falar com discernimento… é dizer algo… que não perca o poder de afetar essa pessoa. Por exemplo, se você diz algo muito rude, então você deve saber como neutralizar isso, de modo que a pessoa retenha isso dentro dela.

Todos esses discernimentos somente surgem também pela tradição. Quando você percebe algo que é fútil… de uma forma coletiva, na tradição desaparece. Assim, as bênçãos das tradições são grandes, mais as maiores são as bênçãos do seu Espírito. E as bênçãos do Espírito são tais que… através de suas vibrações, imediatamente você sabe o que é errado. Mas você tem de ser honesto em relação a isso e simplesmente abandonar. Você quer ascender, você quer melhorar suas vibrações, então para isso, tudo que for necessário, você fará. Eles estão servindo o jantar para os Sahaja Yogis agora. – Oh, Eu sei. – Na lanchonete. E eles podem ir agora para a cozinha.

É claro, Eu fiquei perguntando sobre o que eles terão para o jantar. Então deixe-os ir, tudo bem? Boa ideia. Mas e quanto a Mim? Eu vou para o quarto? Tudo bem. Eu devo pensar – é por isso que lhe perguntei se o jantar estava pronto. Na hora certa, Eu disse. Tudo bem, no momento certo, Eu disse: “Vá em frente, senão a cozinha vai fechar.” Tudo bem.

Então vão, e Eu estou indo para lá, e depois nós nos encontraremos novamente, teremos música. Tivemos o suficiente dessa conversa maçante.