Makar Sankranti/Shri Surya Puja

Mumbai (India)


Send Feedback
Share

Makar Sankranti/Shri Surya Puja

É uma oportunidade única, Eu acho, para Mim, encontrá-los novamente em Mumbai, quando todos vocês estão deixando este país e ter este tipo de Puja especial que nós estamos tendo hoje.

Este é o Puja feito ao sol e é chamado de Makar Sankrant. “Makar” é o Trópico de Capricórnio, Capricórnio é Makar. Então agora, o sol está se movendo do Trópico de Capricórnio em direção ao Trópico de Câncer. E é sempre uma data fixa, porque em alguma coisa a ver com o sol. Esta é a única data que é fixa no calendário indiano, porque eles têm que lidar com o sol. Mas desta vez, Eu não sei por que, o que aconteceu que eles colocaram esta data no décimo quinto dia deste mês. É sempre no décimo quarto. Agora hoje, eles estão mudando, Eu diria, que as estações serão mudadas. Nós temos tido seis meses em que isto se move, o sol se move em direção ao hemisfério sul e fica quente. E ele chega ao hemisfério norte a partir de amanhã.

Então, hoje é o último dia o qual nós dizemos que é o dia mais frio, de acordo com o entendimento dos Indianos. Depois disso, o calor começará a aumentar e todo o… Nós podemos fazer qualquer coisa que seja auspiciosa. Qualquer coisa auspiciosa pode ser feita depois que este Puja terminar, durante o verão. Embora seja muito quente no verão, ainda assim as pessoas querem que o sol nos governe e nos dê calor, porque somente por causa dele, todos os campos e todos os vegetais, todas as frutas, tudo cresce. E é por isso que nos seis meses em que o sol não está aqui, nós chamamos isso de “Sankrant”, significando uma “calamidade”, de certo modo. Isto é, quando, é claro, nos países europeus ou, digamos, na Inglaterra ou nos Estados Unidos, é uma calamidade na época em que o sol não está lá. Mas mesmo aqui, é considerado como uma época assim. Hoje é o dia em que o fim do Sankrant, significa o fim da calamidade. E eles dão alguma coisa doce para comer, que também é misturado com sementes de gergelim, porque a semente de gergelim esquenta. Assim, hoje sendo o dia mais frio, eles querem dar sementes de gergelim, também querem que vocês retenham o calor e adaptem-se ao calor que está chegando.

Tudo isso é concebido de uma certa maneira, em um nível muito grosseiro, em um nível muito grosseiro, de modo que nós devemos manter as pessoas aquecidas o suficiente. Também é dito que o calor do amor deve ser expressado nesta época pelas pessoas, porque é o dia mais frio. Então eles dizem: “Nós lhe damos essa coisa especial para que você” “diga algo doce, amável”, isto é, “goad goad bola”, significa: “Diga algo doce, amável para nós.” E as pessoas que vivem nos países quentes são pessoas mais doces do que as que vivem em lugares mais frios, porque a natureza é muito impiedosa com eles. Eu não os culpo pelo temperamento deles, porque a natureza é tão impiedosa. Na Índia, você pode viver em qualquer lugar. Você pode morar debaixo de uma árvore, você pode viver numa floresta, em qualquer lugar, você pode viver muito feliz, contanto que haja água para beber e tomar banho. E não há um problema assim, como o que nós temos que enfrentar em outras partes do mundo, onde se você tem que sair de casa, você leva cerca de quinze, vinte minutos para se vestir. Aqui, vocês simplesmente podem sair de casa. Vocês podem manter suas casas abertas durante o verão e não há nenhum problema, de qualquer tipo, no que se refere à natureza.

A natureza se torna muito gentil durante o verão aqui, porque as árvores ficam viçosas e muito verdes. As pessoas sentem-se muito felizes durante essa época e toda a atividade torna-se maior com a energia do sol. Mas no Ocidente, como vocês têm visto, tem muito menos sol. Por causa disso, as pessoas ficam mais em suas casas, com aquecimento artificial ou outros aquecimentos. E as portas ficam fechadas, os corações ficam fechados, e é difícil para elas comunicarem-se com outras pessoas. À medida que vocês descem para o sul, em seus países também, vocês perceberão que as pessoas são mais calorosas, mais simples, muito hospitaleiras. Com o sol, você adquire o coração que é um coração muito aberto, e um tipo de coração receptivo. Agora, se vocês virem o estilo da Sahaja Yoga, a linha do sol é o canal direito e a lua, a lua é o canal esquerdo. Na linha da lua, uma pessoa pode desejar, mas não pode agir. Além disso, se você for muito longe na linha da lua, ela pode ser destrutiva.

Porque se você sentar em casa sem fazer nada – e também nestes dias, há desemprego, digamos por exemplo, não há trabalho – então você começa a pensar demais, e esse pensamento é apenas a energia do desejo funcionando, nenhuma ação. E sem a ação, essa energia pode tornar-se muito destrutiva. É por isso que nós encontramos pessoas que dizem: “A mente desocupada,” “mente desocupada é a oficina do diabo.” Onde as pessoas não agem, quando a ação não acontece, então isso pode ser bastante destrutivo. Assim, a situação toda é diferente entre um país que é quente e um país que não é quente. Mas, em um país onde é muito quente, como os da África, há complicações devido ao excesso de calor. Como nós temos o trópico de… Quero dizer, o Equador passando através deles isso aquece tanto aquela região que ela fica cheia de florestas, com árvores muito altas. E todo o lugar fica coberto com tanta folhagem que não há possibilidade de nenhum raio de sol penetrar, e fica bem escuro, cheio de escuridão. Assim, esse extremo também se encaixa na mesma categoria do extremo da estação fria. Agora, essas pessoas vivem lá e, naturalmente porque há menos sol, elas não crescem muito.

E elas podem ser pessoas primitivas e podem ser bastante agressivas. Como por exemplo, elas aprendem coisas com os animais e elas podem ser bastante agressivas. Então, o equilíbrio tem que ser encontrado e o equilíbrio é este: nós devemos desejar e agir. Mas, o problema é que no ambiente humano, há uma divisão de trabalho, Eu acho, em que uma parte do país fica pensando e a outra parte do país fica agindo. Sob essas circunstâncias, nada dá certo. Então um equilíbrio tem que ser encontrado, onde você tem o Sushumna funcionando. Agora, o Sushumna Nadi é aquele que podemos dizer que é o Equador. Não é, não é o Equador, mas é o eixo da Mãe Terra. O eixo da Mãe Terra é o Sushumna e este tem que agir. E quando se trata desse eixo, nós devemos entender que temos que estar em nosso eixo.

Assim, nós estamos no eixo, ele é aquele que equilibra. Na verdade, não há, não há, não há nada como um grande pólo dentro da Mãe Terra, o qual nós podemos chamar de eixo. Não há nada que seja material dentro da Mãe Terra que nós possamos chamar de eixo, mas é a energia, a força que atua de tal maneira, que a Terra se move com essa enorme velocidade quando o Cosmos está todo tão disperso. Ela não somente se move, mas também cria o dia e a noite para nós, de modo que durante o dia, nós podemos trabalhar e, à noite, nós podemos dormir, para nos dar um equilíbrio. Ela também se move de tal maneira ao redor do sol, que metade dos países recebem o sol durante o verão e metade deles o recebem durante o inverno. Esse é o eixo que atua e realiza tudo. Além disso, esse eixo mantém todas as distâncias necessárias de outros planetas e de outros corpos que se movem no Cosmos. Esse eixo é a inteligência da Mãe Terra. Não é somente a inteligência, mas também é a fragrância e, além disso, é o Sushumna Nadi, vocês podem dizer, da Mãe Terra. Agora, somente através desse eixo, todos esses swayambhus e todos esses grandes acontecimentos de terremotos e tudo mais acontece.

Esse eixo é aquele que move. É uma energia, nós podemos chamar esse eixo de energia, que move a lava em diferentes direções e penetra através das diferentes áreas para criar terremotos, e também ter vulcões, vulcões. Todas essas coisas acontecem porque o eixo tem consciência do que deve ser feito. Esse eixo é aquele que nos ama. Por causa desse eixo, nós temos as estações. As estações são criadas belamente para nos dar diferentes, diferentes variedades de alimentos e variedades de coisas. Se o calor da Mãe Terra for perdido, então nós não teremos nada sobre esta Terra. Ela ficará toda congelada e haverá somente neve, e nós não teremos nenhum alimento, nada, e viver aqui, será como na lua. Agora, Ela foi especialmente criada: primeiro a Mãe Terra. Uma vez que Ela foi criada por meio do calor do sol, então nós podemos dizer que o sol é o pai da Mãe Terra.

Então, Ela foi levada para muito perto da lua, de modo que Ela esfriou, Ela esfriou completamente, era tudo neve. Depois, Ela foi levada para mais perto do sol e movida até um ponto onde a vida pôde começar. E foi desse modo que tudo foi organizado belamente para fazer a vida crescer neste local. Agora, quando a vida começou a crescer gradualmente, nós sabemos como o carbono foi formado. Agora, o carbono é formado pelo mesmo eixo, porque há calor no eixo. A energia do calor que converte as plantas em carbono. Agora esse carbono, mais tarde, forma a base para, nós podemos dizer, para a produção de carboidratos, vocês podem dizer, ou toda a matéria orgânica. Mas para criar vida, nós tivemos que ter um outro auxílio, que é o nitrogênio. E esse nitrogênio foi também, vocês ficarão surpresos ao saber, criado pelo mesmo eixo, por seu movimento. E quando ele criou esse nitrogênio, o nitrogênio nos forneceu os aminoácidos.

E quando os aminoácidos foram criados dentro de nós, então nós começamos nossas vidas a partir da ameba e tudo mais. É claro, isso foi feito no oceano, porque no oceano, com o movimento, o nitrogênio foi criado e a vida foi criada. E então, por meio do oceano, ele é liberado e é desse modo que nós temos os aminoácidos. Com os aminoácidos… A formação dos aminoácidos nos deu as combinações e permutações, as diferentes vidas. Assim, em todo processo evolutivo, a Mãe Terra tem desempenhado um papel muito importante por meio de Seu eixo. Do mesmo modo, nos seres humanos, o eixo é a coisa mais importante. Este é o principal princípio da vida que nós obtivemos, o nosso eixo. Nós temos que nos basear em nosso eixo. Aqueles que não se baseiam em seus eixos, permanecem mais em direção ao canal esquerdo ou ao direito, e são capazes de completa destruição, porque ou eles serão destruídos por excesso de canal direito ou por excesso de canal esquerdo. Portanto, nós temos que lidar apropriadamente com o nosso eixo.

Agora, aquelas pessoas que não tem um eixo apropriado podem ter problemas em diferentes chakras, de diferentes tipos de características em uma pessoa. Uma pessoa que estica muito seu eixo, que coloca a sua cabeça para trás assim, é uma pessoa que é muito canal direito e cria problemas com o seu ego. E aquele que se curva para baixo totalmente como um escravo, também é uma pessoa que vai em direção à sua destruição. Agora, há um grande problema entre esses dois tipos de pessoas, uma tenta dominar a outra. E quando elas começam a dominar outra pessoa, elas, na verdade, se destroem, assim como elas destroem aquelas que elas estão dominando. Por exemplo agora, nós temos visto que nós tivemos os Britânicos que vieram aqui e nos governaram. Nós vimos que os Franceses governaram algumas outras pessoas, então há os Portugueses que governaram algumas outras pessoas. Mas tudo que eles fizeram para dominar e tudo mais tem reações em dobro. Antes de mais nada, pela dominação deles, os Indianos se tornaram muito submissos. O Indianos se tornaram – mesmo hoje, eles são extremamente submissos e eles não tem esse eixo independente que deveriam ter.

Eles são pessoas extremamente submissas. Quero dizer, especialmente, Eu tenho visto isso no Ocidente. Eu fico surpresa que quando os Indianos saem daqui, Eu noto que eles são muito submissos. Eles tentam ter todos os tipos de atitudes submissas para agradar os brancos. Os brancos se tornaram uma coisa do tipo muito adorada na Índia. Isso somado ao ego dos brancos, somado ao ego dos brancos, hoje vocês vêem o que está acontecendo, todo esse ego que os está destruindo. Eles estão à beira da destruição por causa do ego deles. Assim, isso é tão contrário à natureza e tão superficial. Temos que entender que o que é melhor dentro do ser humano é o seu eixo. E todo mundo tem um eixo e uma pessoa tem que respeitar o eixo de cada pessoa.

Na Sahaja Yoga, Eu não os conheço tanto pelos seus rostos. Eu os conheço pelos seus chakras, pelo seu Sushumna, que tipo de Sushumna vocês têm. Se você tem um Sushumna profundo, Eu o conheço como uma pessoa profunda. Se você tem um Sushumna superficial, Eu o conheço como uma pessoa como um tipo muito superficial de Sushumna. E mesmo que você dissimule alguma coisa, sendo muito gentil ou bom, ou falando sobre a Sahaja Yoga ou sabendo muito sobre a Sahaja Yoga, e dizendo coisas que normalmente deixará alguém perplexo como se vocês fossem mestres da Sahaja Yoga, Eu sei o quão profundos vocês são. Portanto, a profundidade do eixo é mais importante do que qualquer outra coisa. O seu eixo tem que ser muito profundo. Agora, vocês dirão: “Mãe,” “o eixo é o mesmo, de qualquer forma, como ele pode ser profundo?” Então o eixo, como ele é criado nos seres humanos, é como algo semelhante a um papel enrolado em três voltas e meia, e o interior dele é o Brahma Nadi. O Brahma Nadi é muito, muito pequeno, nós podemos chamá-lo de algo semelhante a um fio de cabelo, onde somente uma Kundalini semelhante a um fio de cabelo pode atravessar.

Mas, quando a pessoa é profunda, esse Brahma Nadi é maior e todo o resto deles que estão enrolados uns nos outros são menores. Enquanto que as pessoas que não são profundas, o seu exterior, o que vocês chamam de dobras, são maiores do que a pequena parte interior. Agora, essas pessoas podem ser aparentemente muito dinâmicas, podem parecer muito inteligentes, podem parecer muito espertas, podem parecer ter muito boa aparência ou que quer que seja externamente, mas internamente, elas não são profundas. Se eles são profundos internamente, toda a atitude deles é bela. Eles são pessoas que proporcionam muita alegria, eles proporcionam muita alegria. E se você encontrar uma pessoa do outro tipo, ela pode parecer alegre, ela pode tentar lhes proporcionar alegria, mas a alegria não será realmente profunda assim, será como um “matador de alegria.” Assim, é importante para nós tornarmos o nosso eixo mais profundo e é nesse ponto que falta em nós a perseverança apropriada, o esforço apropriado que nós temos que investir. Agora, algumas pessoas têm automaticamente um eixo muito profundo e algumas pessoas têm um eixo muito, muito, o que vocês podem dizer, um tipo de eixo muito contraído. Esse eixo tem que ser desenvolvido. Agora, quando vocês vêm ao Meu Puja, Eu, de fato, o expando, Eu concordo, mas é algo temporário.

Para mantê-lo nesse ponto, temos que trabalhar em casa e no coletivo também. Temos que trabalhar muito em casa com a meditação. Mas isso deve ser feito com seriedade. Não deve ser apenas uma brincadeira, não deve ser frívolo, estúpido, essa não é a maneira. Isso deve ser feito com muita seriedade, no sentido de que vocês assumiram uma tarefa devocional, é algo meditativo, é uma oração a Deus, nós podemos chamá-la, é um Puja a Deus. Deve ser feito com essa reverência, porque a reverência é a chave para o êxito. Se vocês não tiverem nenhuma reverência em relação a si mesmos e nenhuma reverência aos outros, então isso não pode ser feito. Mas primeiro, vocês têm que ter reverência pela sua própria vida. “O que eu estou fazendo com minha vida?” “Onde eu a estou desperdiçando?”

“Por que eu deveria desperdiçá-la?” “Por que eu não devo ser profundo?” “Afinal, deve haver algum propósito para minha vida.” “Eu estou servindo ao meu propósito? Eu estou fazendo isso?” Todas essas coisas, se elas vierem de repente em sua cabeça, então você compreenderá que é muito fácil combater seu ego, porque normalmente as pessoas brigam por pequenas coisas. Eu tenho visto que na Sahaja Yoga também as pessoas brigam por coisas assim, quero dizer, que são tão inúteis, totalmente inúteis. Para Mim, isto parece estúpido, até mesmo para mencionar, o modo como as pessoas brigam por causa de pequenas coisas e discutem. Mas uma pessoa profunda, mesmo que ela não fale muito, mesmo que ela não se exiba muito, mesmo que ela não se sente na frente, ela se expressa através de sua profundidade, porque Eu posso atuar melhor através dessa pessoa. Assim, para desenvolver isso, nós devemos meditar.

Uma coisa importante é meditar todo dia, todo dia, todo dia. Você pode não comer sua comida por um dia, você pode não dormir por um dia, você pode não ir ao seu escritório um dia, você pode não fazer nada que você faz diariamente, mas você deve meditar todo dia. Este é um ponto importante, ampliar a parte central contraída, em uma área maior. Agora, quando acontece de você começar a desenvolver isso, a primeira coisa que você notará a respeito de si mesmo é que você não liga para nenhum conforto, você não se preocupa com nenhuma, nenhuma coisa material. Seja o que for, você está acima disso. Você simplesmente não se preocupa, deixa estar. Você simplesmente não quer se meter em algo que não faz parte de você. Você simplesmente se livra disso e pensa: “Oh! Deus, isso é demais para mim, eu não me importo com isso.” Assim, toda sua atenção agora move-se para dentro.

Quando a atenção começa a se mover para dentro, então isto expande mais, a parte interna que é chamada de Brahma Nadi. E começa a expandir-se e a expandir-se. Agora em pequena coisas também, digamos por exemplo, e Eu não mencionei alguém e mencionei uma outra pessoa, então eles sentem: “Oh! Por que a Mãe não mencionou meu nome?” É uma coisa muito pequena que não tem importância. Desde que você tenha um eixo profundo, você está Comigo, Eu estou com você, absolutamente um com outro. Mas estas coisa externas são: “Oh! Ela deu um belo sari a uma outra pessoa.” “Ela nunca nos deu um sari. Ela não fez isso,” “não fez aquilo.”

Se todas essas coisas vêm à sua cabeça, isso significa que é absolutamente verdade que há algo faltando em você. Ou se você tentar queixar-se: “Oh! Eu fui lá, eu tive que ir de ônibus” “e tive que ficar em pé”, isso mostra que você não está confortável de forma alguma. Essa ampliação o conforta. Isso é o que conforta e faz realmente com que você se sinta muito confortável em qualquer circunstância, em qualquer posição, em qualquer estilo de vida, e você não quer ter nenhum outro conforto. E essa parte tem que ser desenvolvida por meio do esforço meditativo. Em segundo lugar, nós temos que saber que a Sahaja Yoga, como ela é hoje, é um acontecimento coletivo. Eu percebo especialmente entre os homens indianos que eles nunca fazem nenhum trabalho com sua mãos, o que é uma coisa errada. Devido ao fato de eles nunca usarem suas mãos de maneira alguma, a coletividade deles é pobre, muito pobre. Os Indianos têm a pior coletividade.

Se vocês tiverem um ashram, Eu não sei por que nós deveríamos construir o ashram, ninguém ficará lá. Eles querem ter suas próprias casas, suas próprias famílias, seus próprios filhos, eles são os piores de todos em relação à coletividade. A razão é que os homens indianos nunca fazem nenhum trabalho com suas mãos. Eles não podem pregar nem um prego. Há muitos assim, ficam sozinhos sem consertar nada. Eles ficarão com suas mãos em seus quadris e simplesmente dirão às outras pessoas para trabalharem, vejam. Há um dito em Marathi, muito interessante, que é: “Sentar-se num camelo e conduzir as cabras.” Assim isso é bem típico dos homens indianos. Eles não podem consertar nada, eles não podem fazer nada. Agora, supondo que alguém esteja distribuindo algo, eles ficarão em pé assim, observando, eles nunca colocarão suas mãos nisso.

Assim, para todo Sahaja Yogi, é importante o que nós chamamos de shramadaan. Eles têm que fazer um shramadaan. Shramadaan significa doar algum trabalho e isso é o que falta em nós. E se até mesmo chegar a isso, é melhor vocês limparem sua casa, é melhor limparem a parte externa de sua casa, tentem formar um jardim em volta de sua casa, tentem pintar sua casa, façam algum tipo de trabalho com sua mão, mesmo que você não tenha nada, você pode pentear seu cabelo ou algo assim. Seja o que for que você pense que é o mais fácil, você pode começar com isso, porque não acho que essas pessoas sequer fazem isso. Eles nem mesmo se barbeiam, eles arranjam uma pessoa para barbeá-los. Quero dizer, totalmente tolos preguiçosos, como eles são. Agora, pelo contrário, nós vemos que os Ocidentais usam suas mãos. Por causa disso, vejam, porque eles podem usar suas mãos, eles são muito coletivos. Então eles marcam um ponto no que diz respeito a serem coletivos, enquanto os Indianos marcam um ponto porque eles são Indianos e eles têm uma herança e eles sabem o que é a Kundalini, eles sabem sobre Ganesha.

Eles sabem tudo. Assim, eles marcam um ponto nesse aspecto. Então, o canal esquerdo é o desejo, o canal direito é a ação. Novamente, nós voltamos a mesma posição na qual nos temos um desequilíbrio, de modo que a ação acontece no Ocidente e aqui é só pensamento: “Tudo bem, nós faremos isso”, planejando. Tudo é uma questão de planejamento. Nada funciona. Vocês seguem planejando, planejando, planejando. Agora, nós estamos construindo um único ashram em Delhi, Eu acho, tem dez anos. É como o Taj Mahal, Eu lhes digo! E é tão difícil, vejam, entender por que eles têm levado tanto tempo quando não é um lugar muito grande, nem nada.

Mas, não é somente os Sahaja Yogis, mas outros fatores também, porque todo mundo é assim, tudo é adiado, tudo é para ser feito amanhã. “Isto, nós faremos amanhã.” Então uma pessoa virá, uma outra pessoa não virá. Como costumávamos ter na escola, nós tínhamos um cálculo assim ou algo para resolver, vejam, havia: uma casa foi construída, três pessoas vieram para trabalhar e uma fugiu. Depois, duas pessoas vieram trabalhar e uma ficou e duas fugiram. E depois cinco pessoas vieram trabalhar e duas fugiram. Assim, como, quando a casa será terminada? Nunca! Com esses fujões, ela nunca será terminada. É desse jeito.

Então, isso é onde nós faltamos em coletividade. Eu estava dizendo que todos os Indianos devem descobrir algum lugar onde eles possam ir e plantar algo. Mantenham algum tipo de lugar onde eles possam ir e plantar algumas belas figueiras, aguá-las juntos, trabalharem juntos. Agora, as mulheres indianas são dessa maneira melhores. Elas trabalham muito no que se refere a cozinhar e tudo mais, mas a outra parte está faltando. A outra parte é a inteligência, a outra parte é pensar. Agora, se o tempo todo o que elas estão pensando é: “Oh! Meu marido é assim, eu preciso cozinhar isso para ele.” E agora, se o marido tiver que comer, digamos, um limão com sua comida, não há limão na casa, essa mulher irá correr para cima e para baixo, por todo lugar, para conseguir o limão para o marido, senão ele não comerá a comida. Não importa.

Se de vez em quando ele não comer, está tudo bem. Mas as mulheres tentarão, porque elas precisam manter os seus maridos. Elas entendem uma coisa: você deve manter o paladar deles bem. Então, elas são bem sensatas na Índia, porque aqui, eles são verdadeiros tigres. Todos os maridos são como tigres, então vocês têm que mantê-los alimentados, senão, vejam, só Deus sabe quando o tigre irá pular em você. Ao contrário, na Inglaterra ou nos Estados Unidos, Eu tenho visto, os maridos são como bodes e as mulheres como tigres! E as mulheres indianas ocidentalizadas também são assim. E quando elas vão para o Ocidente, mesmos as mulheres simples, Eu tenho visto que elas se tornam como tigresas. É algo surpreendente o modo como elas mudam imediatamente de posição. Mesmo que elas não usem jeans e todas essas coisas, mas elas se tornam assim.

Assim, esse desequilíbrio começa em um ser humano quando ele não compreende que você tem que ser um eixo da Mãe Terra, e não o Trópico de Capricórnio, nem o de Câncer. Esse equilíbrio vem através da nossa profundidade e essa profundidade tem que ser aprimorada. Não através somente de falar sobre isso, falar sobre a Sahaja Yoga, mas, de fato, fazendo a meditação seriamente. De fato, fazendo a meditação seriamente. Em segundo lugar, nós devemos fazer algum trabalho coletivo. Agora, nós temos na Índia, digamos, arquitetos. Ele nunca tocaram nada com suas próprias mãos. Eles ficam sentados desenhando, vejam, isso é tudo, acabou-se. Agora depois do esboço, faça o que você quiser. E agora, eles têm problemas, problemas práticos, eles não conseguem pregar um prego.

Todos eles são o que vocês chamam de burocratas de escritório. Totalmente imprestáveis para qualquer trabalho manual. Eles não conseguem fazer nenhuma trabalho manual, seja qual for. Mesmo que eles tenham que se levantar, digamos, de uma dessas cadeiras e espreguiçar-se, eles não podem fazer isso, normalmente. Assim, sob essas circunstâncias, temos que entender que nós viemos de uma sociedade que é totalmente nociva no que se refere à coletividade. Então, vamos ser coletivos. Vamos tentar fazer algo coletivo. Mas a coletividade é tão pobre na Índia, tão pobre, que eles nem sequer tratam suas mulheres gentilmente. Eles não falarão com suas esposas gentilmente, com seus filhos gentilmente. Para eles, é totalmente adhármico ser gentil com suas esposas.

Agora, o outro lado é que os Ocidentais se importam tanto com a coletividade que, seja ela qual for, eles tentam assumir compromisso e tentam manter a vida familiar bem. Assim, nós temos dois extremos. Apesar disso, de algum modo, graças à sabedoria das mulheres indianas, a vida familiar está ficando forte. Mas se vocês virem esses homens na Inglaterra, Eu posso lhes dizer que ninguém suportaria a insensatez que os homens indianos fazem às suas mulheres aqui. Sem dúvida, não pode ser perdoado o modo como eles se comportam. Assim, o equilíbrio entre as mulheres e os homens é o lar, que é o eixo. O lar é o eixo. No lar, que tipos de conversas você tem? Sobre o que você pensa? Qual é o seu problema?

Onde está a sua atenção? O que você discute? Isso é importante observar. Nisso, você descobrirá o que está acontecendo na família. Digamos que vocês estejam falando mal uns dos outros. Se você estiver falando com seu filho algo contra o seu marido, o marido está falando contra a esposa, falando sobre isso com os filhos, contra o marido, desse jeito. Se isso continua assim, então o que acontece é que não pode haver um eixo que esteja bem. O eixo é o amor, o eixo é o amor, mas nem exploração nem mimo – é amor. Num país como o nosso, qual é o eixo que nós temos? O eixo de nosso país é adhyatma.

Nós temos agora que superar essa ânsia pelo dinheiro, pelo desenvolvimento, isso, aquilo. Primeiro, adotem o adhyatma. Se as pessoas tiverem a Realização antes que elas sejam desenvolvidas, não haverá o problema de criar outra América aqui. Nós não temos que nos tornar comunistas, nós não temos que fazer nada disso, porque os comunistas são exatamente iguais aos americanos. Não há diferença alguma no temperamento deles. Se for permitido um americano ficar na Rússia, ele se comportará do mesmo modo que um russo se comporta. E se um russo for enviado para a América, ele se comportará do mesmo modo que os americanos se comportam. Não há nenhuma mudança, de forma alguma. Agora, se o eixo de adhyatma em qualquer país onde uma pessoa alcança sua ascensão espiritual, tornar-se a coisa mais importante e for alcançado, então qualquer parcela de desenvolvimento, qualquer quantidade dessas coisas, não poderá destruir esse país, não poderá criar guerras. Haverá paz em todo lugar, haverá alegria em todo lugar.

Assim, neste dia do Makar Sankrant, vamos dizer agora que o Sankrant acabou e nos temos que aguardar a nova era de uma nova lua nos abençoando. E o grande sol vindo para nos dar toda a energia que precisamos para celebrar o advento da era de ouro da Sahaja Yoga. Que Deus abençoe todos vocês. Agora, em relação ao Puja, o Makar Sankrant Puja é muito pequeno. É o Puja do Surya Devata, Eu não sei… Dos países estrangeiros, quem ficará depois de… depois do dia 11, isto é, no dia 12? No dia 12, depois do dia 12. Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez… dezessete, dezoito, dezenove, vinte. Tudo bem, vamos estimar isto, quem ficará em Mumbai depois do dia 11? Quando estas pessoas irão? Aquelas que ficarão em Mumbai depois do dia 11, quando elas irão?

Quando elas irão? Vocês irão para o Pratishthan. Tudo bem. E quanto a você, John? Você quer ficar aqui em Mumbai ou quer ficar no Pratishthan. Quero dizer, não há acomodações aqui, então todos aqueles que não estão indo no dia 11 ou 12, num futuro próximo, quantos ficarão mais tempo? Por volta de trinta e quatro. Quantos homens e quantas mulheres? Então, nós decidimos que os homens podem ficar em Pratishthan e o resto das mulheres podem ir para Alibagh. A razão é que Pratishthan ainda é extremamente espartano.

Não se destina às mulheres de forma alguma. E Eu tenho somente um quarto onde Eu moro. Então, a melhor coisa seria enviar todas as mulheres… Deixem-nas ir para Alibagh e deixem que elas paguem pela sua estadia em Alibagh às pessoas que cuidarão delas. Aqueles que estão indo para Pratishthan, O resto dos homens, cerca de 50. Cinqüenta, tudo bem. Então, quando vocês voltarão com todas as coisas? Vejam, porque é uma tamanha responsabilidade esse trabalho. Vocês podem vir para Pratishthan se vocês quiserem tirar algumas fotografias ou coisas assim, mas é uma responsabilidade para nós porque a menos que vocês voltem, isso será uma responsabilidade sobre nossa cabeça o tempo todo. Então, a melhor coisa é vocês irem para Pratishthan, tirem algumas fotografias ou o que quer que vocês queiram fazer. E depois será melhor vocês fazerem reservas, porque têm que sair do nosso país, senão eles sempre ficarão em nossas cabeças e eles nos seguirão.

Assim, Eu sinto muito, mas vocês terão que ir com essas coisas que vocês estão carregando. Então, nós temos que fazer isso num período de três, quatro dias. Vocês podem terminar as fotografias lá e resolvam a sua ida. Então, todas as mulheres que irão ficar, podem ir a Washi ou ir para Alibagh. Alibagh é melhor… Elas podem ir a Alibagh e ficar lá em Alibagh, cerca de treze a quatorze mulheres… Tudo bem, então está resolvido. Agora, vamos… Atharva, Ganesha… Vinte e uma pessoas dos Estados Unidos têm que ir, então nós tentaremos terminar o Puja o mais cedo possível, e eles poderão partir.