Shri Fatima Puja

Saint-George (Switzerland)


Feedback
Share

Shri Fatima Bi Puja, St.George, Suíça, 14.08.1988 

Hoje nós faremos o Puja a Fátima Bi, que foi o símbolo da Gruhalakshmi, e assim nós vamos ter o puja do Princípio da Gruha Lakshmi… dentro de nós. Assim como a dona-de-casa tem de terminar todo trabalho, todo o trabalho no lar e depois ela vai tomar um banho, do mesmo modo, esta manhã Eu tive de fazer muitas coisas… e depois Eu pude vir para o puja de vocês, porque hoje as tarefas da dona-de-casa eram muitas, então Eu tive de terminá-las como uma boa dona-de-casa. Agora, o Princípio de Gruhalakshmi… tem sido evoluído e desenvolvido pelo Divino. Ele não é uma criação humana. E, como vocês sabem, ele reside no Nabhi Esquerdo. A Gruhalakshmi é Aquela que está representada na vida de Fátima, que era a filha do Profeta Maomé. Agora, Ela sempre nasce num relacionamento com um guru, que é… um relacionamento de virgindade, de pureza. Então, Ela vem como uma irmã, ou Ela vem como uma filha. Agora, a beleza da vida de Fátima é que, após a morte do Profeta Maomé, como sempre, havia pessoas fanáticas que pensavam… que elas podiam tomar… a religião em suas mãos e podiam torná-la uma coisa muito fanática. E a atenção não era colocada tanto em direção à ascensão da pessoa. Até mesmo o Profeta Maomé descreveu isso ao Seu genro de muitas formas… e Ele é a única ou essa outra encarnação de Brahmadeva, que veio a esta Terra.

Ali veio a esta Terra e Ele era a encarnação de Brahmadeva, e uma outra encarnação Dele foi Sopandev, a qual,… você pode ir a Pune, você pode ver o templo de Sopandev lá. Assim, nós temos Ali e Sua esposa, Fátima, que se encarnou no Princípio do Nabhi Esquerdo. Ela ficou em Sua casa, em Seu lar… e Ela cumpriu o preceito de usar o que vocês chamam um tipo de… purdah ou nakaab, como eles o chamam, para cobrir o rosto Dela, é um símbolo de que uma mulher que é… uma dona-de-casa tem de… preservar sua castidade… cobrindo seu rosto, porque Ela era uma bela mulher… e eles nasceram… em um país que era muito, muito violento, e Ela teria sido certamente atacada… caso Ela não tivesse vivido naquele tipo de estilo. Como vocês sabem, na época de Cristo, embora Maria fosse uma encarnação de Mahalakshmi, teve de ser uma personalidade muito, muito latente, e Cristo não queria que ninguém soubesse o que Ela era. Mas embora Fátima ficasse em casa, Ela era Shakti, então Ela… permitiu que Seus filhos ou na verdade, ordenou-os… para combater aqueles fanáticos… que estavam tentando negar a autoridade do Seu marido. E vocês sabem, Hassan e Hussein foram mortos lá. É uma coisa muito bonita como… o Mahalakshmi Tattwa de Sita assumiu uma forma de Vishnumaya… somente para estabelecer… o belo princípio de… uma dona-de-casa. Agora, Ela era muito poderosa, sem dúvida, e Ela sabia que os Seus filhos seriam mortos, mas essas pessoas nunca são mortas, eles nunca morrem, nem realmente sofrem, é um drama que eles têm de representar… para mostrar às pessoas como elas são estúpidas. Mas, como um resultado disso, um outro sistema começou em que eles respeitavam os santos, como na Índia, o povo Shia respeita os aulias… ou podemos chamá-los de pessoas que são almas realizadas… como Nizaamuddin Sahib, depois nós chegamos em Chisti, nós chegamos em Ajmer Hazrat Chisti. Todos esses grandes santos eram respeitados pelos Shias, mas ainda assim… eles não conseguiam transcender os limites da religiosidade, então eles também se tornaram extremamente fanáticos.

Primeiro, eles não consideravam uma outra religião… em que havia santos, eles não respeitavam os santos que pertenciam à outra religião, e mesmo quando nós tivemos um grande santo… como Sai Naath de Shirdi, que era, antes de mais nada, um muçulmano, e é dito que a própria Fátima… O trouxe como uma criança em Seu colo e O entregou para uma mulher. Assim é dito. Nós não negamos, no que diz respeito aos hindus, a santidade Dele, mas os muçulmanos não O aceitaram. Há um outro chamado Haji Mullah, que está bem perto de Mumbai, que era uma alma realizada. Ele também percebeu o fanatismo dos Shias. A palavra “shia”vem de Shia em Uttar Pradesh, Sita é chamada de Sia. Sitaji é chamada de Sia. Eles também não compreenderam que há santos… que não são muçulmanos, mas eles são santos. Eles não conseguiam se livrar disso. Assim nós temos um outro que era chamado de Haji Mullah, que era venerado pelos hindus, alguns muçulmanos também vão lá, sem dúvida.

E este Haji Mullah estava bastante preocupado… com o fanatismo dos Shias, então ele designou alguns hindus para venerá-lo, apenas para contrabalançar. Eles fizeram todos os tipos de coisas. Há muitos santos assim. Eu fui a Bhopal. Há um outro grande santo que foi enterrado, mas todos os seus discípulos ficavam dependendo apenas… dos ganhos daquele lugar, que era muito ruim, mesmo as coisas de Hazrat Nizaamuddin… são do mesmo jeito que os hindus fazem. Todos eles ganham uma renda, quero dizer, é um tipo de comércio. Então, esse santo morreu e foi enterrado lá… e havia muitas pessoas que estavam dependendo disso quando Eu fui lá. Eu simplesmente perguntei-lhes de passagem: “Qual é a sua religião? “Então eles disseram: “Nós somos muçulmanos.” Eu disse: “Qual era a religião do santo que morreu?”

Eles disseram: “Santos não têm religiões.” Então Eu disse: “Então por que você quer seguir uma religião?” “Por que você não segue a religião dele?” “Ele tinha… Eles não têm religiões.” “Mesmo em Sânscrito é dito que os sanyasis não têm religiões.” “Eles são dharmatheet, eles vão além da religião.” Mas como isso tem acontecido com toda encarnação, isso aconteceu até mesmo com o povo Shia, com os sunis, com os hindus, com os muçulmanos e todos criaram um grupo fanático. Agora, o fanatismo em si mesmo é absolutamente contra a religião, contra a religião inata dentro de você mesmo, porque ele cria veneno, é uma coisa venenosa, ele faz com que você odeie os outros. Quando você começa a odiar os outros, então isso reage em você como um veneno horrível… que devora tudo que é belo dentro de você. Odiar alguém é a pior coisa que os seres humanos podem fazer, mas eles conseguem fazê-lo, conseguem fazer seja o que for que queiram.

Os animais não odeiam ninguém, vocês podem imaginar? Não sabem como odiar, eles mordem alguém porque é da natureza deles, eles cortam alguém porque é da natureza deles. Eles nunca odeiam ninguém, eles podem não gostar de alguém, mas esse ódio que é um veneno… é uma especialidade da concepção e assimilação humana. Somente os seres humanos conseguem odiar. E essa coisa horrível do ódio… foi estabelecida até mesmo entre os muçulmanos, o qual não foi feito para isso, este Karbala não foi criado para odiar, mas para amar. Tudo que foi feito para amar foi convertido em ódio, em toda religião. Agora, a pior parte de tudo é… que a parte que odeia acha que a outra parte é a pior de todas… e a outra parte acha que a primeira parte é a pior de todas. Sob essa regra, lei ou lógica, eles decidem isso, que é a própria perspectiva deles. Então eles se associam desse jeito. Enquanto esse Princípio de Gruhalakshmi… foi especialmente criado para superar esse ódio, para derrotar essa coisa fria, hostil chamada ódio, para remover o ódio das mentes das pessoas, essa Lakshmi, esse Princípio de Gruhalakshmi foi criado.

Como? Na família, quando você tem uma dona-de-casa, o Princípio de Gruhalakshmi tem de derrotar o ódio entre os filhos, entre o marido e os filhos, mas se ela própria gosta do ódio dela, então como ela pode derrotá-lo? Ela é a fonte dessa paz que derrota o ódio. Agora, na Índia, nós temos famílias unidas. Vocês também têm parentes como tios, tias, isso, aquilo. O trabalho da dona-de-casa é suavizar, aplainar todas as angularidades das pessoas que criam atrito. Agora, o homem tem de venerar a dona-de-casa. É dito: “Yatra Narya Pujyante, Tatra Namante Devata”. “Onde a dona-de-casa é respeitada, somente lá os Deuses residem”. Em nosso país, devo dizer, o crédito deve ir para as donas-de-casa, porque nós não somos boas em economia (ciência), não somos boas em política, em administração, não temos jeito para isso.

Os homens em geral são inúteis. Eles não sabem nenhum trabalho doméstico ou qualquer coisa assim, as mulheres têm mantido isso para si mesmas, mas a nossa sociedade é de primeira classe, ela é mantida pelas mulheres do lar. Assim, o homem tem de respeitar a dona-de-casa, isso é muito importante. Se ele não respeita sua dona-de-casa, não há nenhuma possibilidade de qualquer Gruhalakshmi Tattwa… ser mantido. É como a preservação desse… princípio da dona-de-casa. Mas alguns homens, quero dizer muitos deles, acham que é seu direito de nascença maltratar suas esposas, torturá-las, dizer todos os tipos de coisas, ficar zangados, se ela é uma boa mulher. Mas se ela é uma resmungona, se ela é um bhoot, então eles são subjugados, completamente subjugados. Se a esposa é um bhoot, então o marido sempre meio que… tenta agradá-la. Quero dizer, é extremamente gentil com ela, ele sabe que ela é um bhoot, afinal de contas, é melhor tomar cuidado. Ele não sabe em que momento o bhoot aparecerá como uma cobra… sobre você e se ela sabe como resmungar ou argumentar, então também eles ficam com medo, não há nenhum amor.

Eles não têm nenhum amor ou respeito por ela, mas eles têm um tipo de admiração e temor ou medo, e eles ficam com medo de uma mulher assim. Agora, algumas mulheres acham que se elas se tornarem… paqueradoras, então o marido é melhor controlado. Mas elas perdem o princípio básico delas, a Shakti básica que elas têm, elas perdem… e ficam em dificuldades. Assim, o princípio básico da Gruhalakshmi… é respeitar a sua castidade. Respeitar sua castidade externamente e internamente. Essa é a estabilidade disso. É claro, a maioria dos homens tiram vantagem disso. Se a esposa é dócil ou obediente, eles provam o seu ponto de vista de que eles simplesmente mandam… na esposa a torto e a direito. Certo? Mas essa mulher, a dona-de-casa, tem de saber que ela não é dócil.

Ela é obediente à sua própria retidão, às suas próprias virtudes, às suas próprias qualidades. Se o marido é estúpido, tudo bem, ele é estúpido como uma criança, acabou-se. Mas o marido tem de saber que ele deve respeitar, senão ele é um caso perdido, ele está acabado. Ele é inútil. A primeira coisa é que ele deve se certificar de que a mulher no lar… é respeitada como uma Gruhalakshmi. Então as bênçãos fluem, mas de maneira alguma, ele deve insultá-la ou ser grosseiro com ela… e levantar sua voz ou dizer coisas para ela, mas a esposa deve ser… aquela que deve ser respeitada. Eu tenho dito muitas vezes: “Sua mulher é dominadora, dê-lhe dois tapas no rosto”, é claro, sem dúvida. Ela não deve ser dominadora, ela tem de remover as forças dominadoras dos outros. Ela é a fonte de paz. Ela é a fonte de alegria e ela é a pacificadora.

Se ela é aquela que cria problemas, então você pode delicadamente dar um tapa nela, fazê-la se envergonhar disso, tudo bem. Portanto, o Gruhalakshmi Tattwa é mútuo. Ele não depende somente da esposa ou do marido, mas de ambos, assim se você está fazendo sua esposa sofrer, seu Nabhi Esquerdo nunca pode melhorar. Ou se você é uma má esposa, o seu Nabhi Esquerdo não pode melhorar. Agora, no Ocidente, o problema com as mulheres é este: elas não compreendem qual é o poder delas. Mulheres de 80 anos também gostariam de parecer com uma noiva. Elas não sentem a dignidade delas… e não desfrutam a sua dignidade dentro de si mesmas. Elas são a rainha da casa. Mas elas querem se comportar como garotas vulgares, infantis, jovens, frívolas. Elas não sentem a dignidade do seu ser.

Elas falam muito, elas se comportam de uma maneira… que não convém a uma dona-de-casa, por exemplo, elas tirarão suas mãos; elas falam deste jeito como as pescadoras falam quando elas vendem seus peixes para alguém e quando elas têm de brigar. Ou elas gritam às vezes. Elas gritam também, quero dizer, isso… Eu as tenho ouvido, elas gritam… e algumas vezes elas batem nos maridos delas, isso é o cúmulo. Elas sempre começam a se comparar com o marido, antes de mais nada. Por exemplo: “Eu sou filha de um homem rico,” “filha de um homem rico; eu sou de tal e tal família;” “meu marido é de uma família tão inferior, ele não tem dinheiro, nada,” “ele não é instruído”, então o trata mal, trata-o de uma maneira que não mostra nenhum respeito. Uma mulher assim perderá todos os seus poderes. Também, de sua própria maneira, ela se sentirá culpada, ela se sentirá culpada, porque, antes de mais nada, ninguém tem o direito de menosprezar ninguém, seja quem for, especialmente na Sahaja Yoga. Então, menosprezar o seu marido… é algo inacreditável. Ele pode não ser um Sahaja Yogi, tudo bem. Ele pode não estar à altura, mas pelo seu comportamento, por sua força, por tudo, você pode salvá-lo.

Mas por que você está se perdendo? Por dominar os outros, por sufocar os outros, por tornar seu marido igual a um… sapo no poço, dizendo-lhe: “Oh, nós dois vivemos, afinal de contas,” “nós devemos desfrutar, vamos ter nossa casa separadamente,” “ninguém deve entrar em casa”, nem mesmo um rato entrará nessa casa. Até mesmo dizer: “Oh, estes são meus filhos, meu marido, eu”… é a negativa da Sahaja Yoga, é a forma negativa de entendimento. Essas são coisas totalmente absurdas, eles não se parecem com nenhum Sahaja Yogi ou Sahaja Yogini. Todo esse tipo de egoísmo, todo esse tipo de reclusão… é contra a Sahaja Yoga. Mas o pensamento de uma dona-de-casa é: “Oh, agora, quanto eu devo preparar”, por exemplo, virão 50 pessoas. Então o marido diz: “Mas, somente dez estão vindo,” “por que você quer preparar para 50 pessoas?” “Mas talvez eles queiram comer mais.” “Mas então por que você quer ter 50 pratos?” “Talvez eles tragam os amigos deles.”

Portanto, ela pensa em sua generosidade, ela desfruta sua generosidade. Eu conheci muitas assim, aquelas outras, elas não são nem mesmo Sahaja Yoginis. Elas dirão então: “Você virá, cunhada, você virá para jantar?” “Oh, eu não irei, você cozinha muitas coisas. Eu não irei.” “Não, não, eu cozinharei poucas coisas, mas por favor, venha.” Então ela simplesmente começa a pensar imediatamente: “Quais vegetais estão disponíveis no mercado, o que eu devo comprar,” “qual é o melhor.” Quero dizer, Eu não sou Guru delas. Eu não sou a mãe delas, sou simplesmente um parente. Mas elas querem expressar seu amor através da comida, elas são as doadoras de comida – Annada.

Elas são as Annapurnas. E esta é uma das qualidades, a generosidade, que se a mulher não tem, ela não é uma Sahaja Yogini, de maneira alguma, acreditem em Mim. O marido pode ser um pouco avarento, não importa. Mas a esposa tem de ser muito generosa e às vezes, ela secretamente dá dinheiro, não para os seus próprios filhos, mas para os outros. Belas mulheres assim devem estar presentes na Sahaja Yoga. Mas Eu lamento tanto às vezes… que o ataque venha das mulheres dos Sahaja Yogis, não dos homens em Mim, Eu mesma sou uma mulher e Eu fico chocada ao ver que as mulheres Me atacam assim. Para quê? Na Sahaja Yoga, não há dominação de nenhum tipo, mas todas essas assim chamadas ideias de servidão e dominação… vêm das falsas ideias que vocês têm sobre a sua própria dignidade, sobre sua própria compreensão. Você não está consciente de si mesma. Você não sabe que você é a rainha, ninguém pode dominá-la.

Quem pode dominar a mulher que rege o lar? Se, vamos supor, o marido disser: “Eu não gosto desta cor”, tudo bem, deixe isso por algum tempo, então alguém virá e dirá: “Que cor bonita!” “Ah, que cor bonita. Oh, não a mude.” A mulher deve entender os homens, eles são, eles têm olhos grandes, eles não são microscópicos. Eles veem tudo grande, assim hoje eles dirão algo, amanhã esquecerão disso. E eles não tiveram microscópio, eles estão muito acima dessas coisas. Eles estão acima dessas coisas, vocês devem entender como eles são. Mas “se ele senta no cavalo, eu também devo sentar no cavalo e cair;” “se ele vai esquiar, eu também irei esquiar;” “se ele desenvolve seus músculos,” “eu também desenvolverei meus músculos.” Está chegando a esse ponto.

As mulheres começam a se parecer com coisa alguma nessa Terra, você não sabe que tipo de mulheres são essas… com grandes, grandes músculos, mas sem nenhum bigode. Assim, nós temos esses tipos de ideias estúpidas, mas não há nenhuma subordinação de nenhum tipo, você é subordinada à sua própria dignidade, à sua própria castidade, ao seu próprio senso de honra, e acima de tudo, à sua retidão, porque você está encarregada disso. O homem que está encarregado… tem de cuidar daquele lado. Quantas brigas você cria? Como você pode ser briguenta… quando espera-se que você se torne a pacificadora? Vamos supor que nós mandemos dois pacificadores… a um país para fazer paz e eles cortem a garganta um do outro, o que você dirá de tal coisa? Você é aquela que tem de acalmar tudo. Você é aquela que tem de trazer tamanha expressão de amor, coisas tão doces, amáveis, de modo que a própria família se apoie em você, se sinta segura em você, porque você é a mãe. A família deve se sentir segura dentro de você, e esse amor é o seu poder. Este é o seu poder: você pode dar amor, e dando amor, você perceberá que sempre irá se enriquecer, se aprimorar.

Quero dizer, imaginem que presentes Eu dou comparados… com os que Eu recebo, Eu não sei, Eu terei de construir uma outra casa. Eu fico lhes dizendo: “Não Me deem presentes individuais,” “Eu não receberei nenhum presente individual.” Agora ainda assim, apesar disso, Eu não sei, se Eu recebo algo, é apenas com amor, com cuidado. Esse amor, vocês sabem, ele se automanifesta e retorna a você como uma poesia. Você fica algumas vezes surpreso. Eu lhes darei um exemplo simples de Minha própria vida, que lhes dirá como o amor pode funcionar. Eu era uma dona-de-casa para começar e para terminar, Eu acho, e uma vez Eu estava em Delhi, Minha filha estava para nascer, então Eu estava fazendo um, Eu estava tricotando para ela, sentada fora de casa na relva, quando três pessoas entraram na casa – uma mulher e dois homens – e eles vieram e disseram: “Agora veja, nós somos donas-de-casa,” “eu sou uma dona-de-casa e estes dois são:” “um é meu marido e ele é o amigo do meu marido,” “e ele é um muçulmano e nós viemos à Senhora”… “em busca de abrigo, porque nós somos refugiados.” Eu olhei para eles, para Mim, eles pareciam muito bons, pareciam muito corretos. Eu disse: “Tudo bem, por favor, instalem-se em Minha casa.” Então Eu lhes dei um quarto externo… que tinha uma cozinha e um banheiro e essas coisas, e para o cavalheiro, Eu disse: “Há outro quarto de hóspedes,” “você pode ficar lá e o marido e a esposa podem ficar aqui.”

À noite, Meu irmão chegou. Ele começou a gritar em voz alta. Ele disse: “O que é isto? Você não conhece essas pessoas!” “Eles podem ser ladrões, podem ser isto, poderiam fazer isto…” Depois ele se juntou, Meu marido chegou e também se juntou a ele, porque, vejam, eles eram amigos. Então ele Me disse – todos os homens são exatamente iguais. Então ele disse: “Veja, Ela não entende,” “Ela deixou essas três pessoas ficarem aqui,” “só Deus sabe o que eles são, eles estão dizendo que são refugiados,” “essas coisas … Ela não sabe se ele é um muçulmano,” “se ele é um hindu, só Deus sabe, ela tem dois maridos,” “um marido desse jeito…” Vejam, todo tipo de coisas. Na manhã seguinte, eles esqueceram disso. Eu disse: “Tudo bem, deixem que eles fiquem lá por uma noite, está bem?” “Eu não posso expulsá-los hoje.

Uma noite.” Na manhã seguinte, eles esqueceram que eles estavam morando lá, isso é típico dos homens. Primeiro há uma explosão tão grande, uma explosão tão grande, Eu disse: “Tudo bem, uma noite.” “Agora, não gritem, eles ficarão magoados.” “Então deixem que eles fiquem uma noite”, eles se acalmaram. Na manhã seguinte, eles saíram para o trabalho, eles não tiveram tempo, somente de segunda a sexta-feira, eles ficam ativos em casa, caso contrário eles ficam inativos. Então eles saíram. Aconteceu que essas pessoas ficaram Comigo por um mês, depois essa senhora arrumou um emprego… e foi embora com o marido dela e esse muçulmano. Mas, enquanto isso, houve um grande tumulto em Delhi, um tumulto muito grande, porque muitos… hindus e sikhs foram mortos em Punjab. Isso teve uma repercussão em Delhi… e eles começaram a matar todos os muçulmanos lá, então, uns três ou quatro sikhs e um ou dois hindus vieram à Minha casa… e disseram: “Nós fomos informados que a Senhora tem…” “um muçulmano morando com Você.”

Eu disse: “Não, como Eu posso ter?” Eles disseram: “Há um muçulmano, nos temos de matá-lo.” Eu disse: “Vejam, Eu estou usando uma tikka (marca na testa dos hindus)” “vocês podem acreditar que Eu poderia ter um muçulmano em casa?” Eles pensaram que Eu devia ser uma verdadeira hindu fanática. Então eles acreditaram em Mim. Eu disse: “Agora vejam,” “se vocês tiverem de entrar em Minha casa, vocês terão de passar por cima…” “de Meu cadáver, porque Eu não permitirei que vocês entrem.” Então eles ficaram muito assustados, eles foram embora. Então esse sujeito ouviu o que Eu disse e ele veio e disse: “Eu estou surpreso, como a Senhora arriscou Sua vida?” Eu disse: “Não foi nada. Nada.”

A vida dele foi salva. Agora, esse senhor, esse senhor muçulmano, tornou-se um grande poeta chamado Sahir Ludhianvi e essa senhora tornou-se uma grande atriz. Aquela que costumava atuar como uma mãe – Sachdev…Achala Sachdev. Eu soube, um dia, que eles tinham se tornado aquilo, mas Eu não contei a ninguém sobre isso. Eu disse: “Agora, vamos supor que eles viessem a saber que Eu estou…” “em Mumbai, eles simplesmente ficarão loucos para Me ver”, e Eu disse: “Eu não tenho tempo para tudo isso.” Então nós começamos um centro de filmagem para os jovens, para lhes oferecer bons filmes, mas Me disseram que tudo se transformou em uma farsa mais tarde. Eles nunca Me ouviram, mas seja o que for. Então eles disseram: “Nós devemos trazer essa Achala Sachdev para atuar como uma mãe.” Eu disse: “Tudo bem, mas não contem para ela que Eu disse,” “que Eu tenho qualquer coisa a ver com isso.” Assim, passaram-se anos, depois de, Eu acho, cerca de doze anos aproximadamente.

Assim eles foram e lhe disseram, então ela ficou fazendo um alvoroço… como uma atriz: “Não, não, quanto vocês irão me pagar, eu não posso…” “atuar de graça, todo mundo pedirá de graça, então como eu posso…” “apresentar de graça, vocês terão de me dar um sari,” “vocês terão de me pagar muito dinheiro, isso …” Eles disseram: “Tudo bem, venha para o muharat pelo menos,” “venha para o muharat – para o começo do…” Grande muharat é aquele onde você começa. Então ela veio e Eu estava lá, ela olhou para Mim, e simplesmente, ela não podia acreditar que estava Me vendo depois de doze anos. As lágrimas começaram a fluir de seus olhos. Definitivamente, ela não conseguia dizer nada, simplesmente ela veio e… caiu em Meus braços. E ela disse: “Onde a Senhora estava? “Todos esses dias, eu estive tentando Te encontrar.” E depois ela começou a Me descrever e tudo mais. E Sahir Ludhianvi estava lá e ele disse: “Como esta Senhora está aqui?” Ele disse: “Isto é trabalho Dela.” “Oh Deus, por que não nos disseram, nós damos nossas vidas por Ela!”

E todos eles estavam impressionados ao ver como eles estavam mudados. Ela disse: “Nenhum dinheiro, nada, doarei dinheiro para este projeto.” “De maneira alguma.” Agora vejam, Eu era uma dona-de-casa, apenas uma dona-de-casa comum. Eu não tinha tantos direitos sobre a propriedade do Meu marido… ou qualquer coisa assim, e Meu irmão, outro sujeito dominador, ambos juntos simplesmente estavam prestes a Me matar… naquela noite com a fúria e a raiva deles. Eu os acalmei. E depois, quando Eu contei para o Meu marido e Meu irmão, eles ficaram impressionados. Eu disse: “Eles são aqueles que se tornaram daquele jeito.” “E vejam a mudança, o quanto eles têm.” E depois eles disseram: “Nós não iremos mais dizer não…” “para quaisquer instituições de caridade.”

“Este é o último erro que nós cometemos.” E toda, toda a ideia de salário e dinheiro, e isso e aquilo, simplesmente desabou e ela atuou em muitos filmes por caridade. E esse Ludhianvi também escreveu muitas coisas por caridade. Assim, uma mulher pode fazer com que um homem se torne… uma pessoa caridosa, porque ela própria é caridosa. Ela tem tantas coisas bonitas, ela é uma artista… e pode criar beleza ao redor dela, em sua casa, em sua família, em sua sociedade, em todo lugar, mas não, as mulheres querem lutar como os homens. Elas terão associações, elas terão – como vocês chamam aquilo? Sindicatos, sindicatos. Elas gostariam de ter sindicatos para lutar por seus direitos. Eu concordo que alguns homens têm sido extremamente cruéis, algumas leis são extremamente cruéis, isso, aquilo, e que eles têm de ser denunciados. Mas essa não é a maneira.

Há um outro modo de melhorar esses homens que tentam… destruir as mulheres, porque as mulheres têm uma grande qualidade: os Ganas estão com elas. E Shri Ganapati está com elas. Ele nunca ficará a favor dos homens se elas são castas… e não tentam exibir o corpo delas, nem exibir sua beleza… e nem querem fazer disso de certa forma um patrimônio. Mulheres assim são extremamente poderosas. Extremamente poderosas e elas mostram seu valor… quando se trata de qualquer coisa. Por exemplo, nós tivemos… Jhansi ki Raani, ela era uma dona-de-casa comum, ela lutou contra os britânicos. Os britânicos também ficaram surpresos com a coragem dela… e eles disseram: “Nós capturamos Jhansi, tudo bem,” “mas a glória vai para a Rainha de Jhansi.” Como ela, nós tivemos muitas, Noor Jahan, nós tivemos Ahilya Bai, nós tivemos muitas mulheres formidáveis na Índia… por causa da instituição. Nós tivemos Padmini. Chaand Bibi.

Há tantas mulheres que nós podemos mencionar… que foram mulheres formidáveis, que eram donas-de-casa. Assim, a qualidade da mulher é… como a energia potencial da Mãe Terra, ou a energia potencial de qualquer energia, como por exemplo, a eletricidade tem sua energia potencial em alguma outra parte. Vejam as lâmpadas aqui, não faz nenhuma diferença uma ou duas lâmpadas, mas a energia potencial é importante, então a pessoa tem de entender que nós temos a energia potencial… e para preservar a nossa energia potencial, nós devemos ter um senso de dignidade, honra e retidão dentro de nós mesmas. Agora, os homens devem respeitar suas mulheres que são assim, mas os homens são outra coisa estúpida… porque eles não respeitarão uma mulher que os ama, que é casta, que é boa, que quer que eles sejam coletivos, que quer que eles doem, sejam caridosos, que quer que a Sahaja Yoga seja promovida… e aquela que quer que o marido seja feliz e alegre… e que ele venha para a Sahaja Yoga também. Ao invés disso, eles correm atrás de algumas mulheres estúpidas e estranhas. O que há para ficar tão atraído por mulheres com bhoots? Deve ser alguns bhoots nelas, Eu não sei, pelo modo como eles ficam atraídos. Como resultado de todo esse mau comportamento dos homens, as mulheres tornam-se muito inseguras. E elas ficam inseguras, como resultado, os homens sofrem e as mulheres sofrem. Um homem que negligencia sua esposa e a trata assim, consequentemente terá câncer de sangue.

E a mulher que se comporta assim, dessa maneira, e se ela trata mal seu marido, ela terá asma ou um tipo muito sério de esclerose. Poderia ser dano cerebral, poderia ser paralisia. Poderia ser completa desidratação do corpo. Porque o Nabhi Esquerdo é muito importante. Se o Nabhi Esquerdo se torna agitado, como vocês sabem, por sua correria e ficar pulando de um lado para outro e por ser agitado, este Nabhi Esquerdo torna-se agitado e você contrai câncer de sangue. Eu sempre tenho visto que as mulheres que são magras, seus maridos são tensos. Por quê? Porque a esposa está o tempo todo fazendo-o correr… para cima e para baixo, “faça isso, faça aquilo,” “você não trouxe isso para mim, eu pedi para você trazer a coca-cola,” “você não trouxe, você não fez isso.” Como se ele fosse pecador o tempo todo. E o homem torna-se sobressaltado o tempo todo, sobressaltado.

Ele contrai algo por causa do sobressalto e ela contrai algo por causa de sua tortura. Não há nenhum amor, não há nenhuma alegria, não há nenhuma felicidade. Essa assim chamada loucura com a aparência, que agora está diminuindo, graças a Deus, está vindo da América, agora, está diminuindo, essa loucura com a aparência as torna estranhas. As mulheres têm de ser mulheres estabilizadas. Elas têm de ser “gruhastis”, isto é, aquela que se estabelece no lar. Ela tem de estar satisfeita com o lar. Se ela está o tempo todo correndo para lá e para cá, não quer ficar em casa, então ela não é uma dona-de-casa, ela é uma empregada doméstica. Há um relato de que havia uma mulher que era uma empregada doméstica… e depois ela se tornou uma dona-de-casa, mas ela não conseguia parar de correr para lá e para cá, porque ela era uma empregada doméstica. Ela não se estabelecia no lar. Agora, para quem é o lar?

Não é somente para ela mesma, não; não é para o marido dela, não; não é para os filhos dela, mas para receber com alegria os outros. Assim como esta Mãe Terra espalhou todas essas coisas belas… para vocês virem e se sentarem e desfrutarem. Há uma coisa muito comum também na Sahaja Yoga. Nós percebemos que as pessoas depois do casamento tornam-se… totalmente vidradas umas nas outras e perdem a Sahaja Yoga. Então os filhos delas sofrem, os filhos delas tornam-se irrequietos, estranhos e atormentadores desobedientes. Eles têm problemas físicos também. É uma punição. Não que Eu puna isso, mas é sua própria natureza punindo. Vamos supor que você coloque sua mão no fogo, ela se queimará. Quero dizer, quem o está punindo?

Você está se punindo. Os filhos tornam-se estranhos. Somente por sua família, somente por sua comida, somente por seu lar. O egoismo, se ele se infiltra sorrateiramente no homem, então Deus salve essa família. Se é uma mulher, tudo bem, pelo menos um pouco, mas se o homem é um caso perdido: “Eu devo ter uma casa, devo ter um trabalho,” “devo cuidar de meus filhos, é para minha família.” Quero dizer, nossa família não é de um único homem, de uma única mulher, mas universo inteiro é nossa família. Nós não estamos sozinhos. E se você se torna arbitrário e se torna recluso, Eu devo lhe dizer uma coisa… e avisá-lo hoje que essas pessoas que começam a se isolar, chegará o dia em que elas terão doenças horríveis, não culpem a Sahaja Yoga. A Sahaja Yoga tem seu próprio belo Reino de Deus, mas no Reino de Deus, você tem de ser coletivo. Mas uma má esposa pode criar problemas, porque ela (…) e ela criará um problema, ela formará um grupo de pessoas, um grupo de mulheres, ela continuará envolvendo todo mundo com seus bhoots.

Ou talvez ela seja muito consciente de sua educação, talvez consciente de sua posição social ou de seu dinheiro… e tudo mais, então também ela tentará manter o marido distante. Pessoas assim têm de pagar pelo que elas têm feito, não porque é uma punição de Deus. Portanto o Gruhalakshmi Tattwa na Sahaja Yoga é muito importante. Essas pessoas que tiveram problemas depois de virem para a Sahaja Yoga, a maioria delas tem negligenciado o seu Princípio de Gruhalakshmi, porque se a Gruhalakshmi vai embora, então o Coração Central se bloqueia. Essas mulheres que têm tentado esses truques… devem desistir imediatamente, porque isso é muito indigno, ninguém respeita uma mulher assim. Isso é bem verdadeiro com as mulheres dos líderes e os líderes. A esposa do líder ou uma liderança é um mínimo de um mínimo de… um mínimo de uma assim chamada posição social, a mais insignificante. O que vocês obtiveram é muito mais elevado do que isso. Se você pedir a um santo para se tornar um rei, ele dirá: “O quê?” “Você quer colocar o oceano em uma taça?”

É o mínimo do mínimo; é o inferior do inferior. Aqueles que pensam que a vida deles é trabalho… são outras pessoas estúpidas. A vida delas é alegria, não trabalho. Mas esse trabalho propriamente dito é alegria. Mas se você apenas cumpre um trabalho: “Ah, oh, eu estou me sacrificando, esta é minha tapasya”, acabou-se. Então você acaba como um tapasvi, como um caule de feijoeiro, você pode ser usado para uma cruz. Assim, na Sahaja Yoga, isso é alegria, mas a menos e até que… você tenha essa essência da alegria em tudo, isso não pode ser alegria. Se você extrai a essência da cana-de-açúcar… ou o que você chama de bambu da cana-de-açúcar, então o que resta? Do mesmo modo, todo o assim chamado trabalho e seva e tapasya… e tudo isso não tem doçura nele, está acabado. Assim, a essência de tudo isso é a doçura.

E ela é gerada pelas mulheres. Mas elas são muito rigorosas, “não estrague isso, deixe isso bonito, deixe aquilo bonito.” O marido chega em casa como um, como se fosse um criminoso. Ele tem de ser como um touro em uma loja de porcelana, ele tem de ser. É uma coisa boa, de certa maneira. É bom que ele não saiba fazer nada, é ainda melhor para vocês. Mas fazê-lo o tempo todo de escravo, “faça isso, você não fez isto para mim, faça aquilo para mim”, não é o trabalho de uma dona-de-casa. O trabalho dela é como a Mãe Terra, Ela reclama? Nada disso. Ela lhes dá tudo, é a sustentação Nela.

Tanta, tanta dignidade, tantos poderes Ela tem, que importância Ela dá por alguém Lhe dar qualquer coisa? Vocês ficarão surpresos, se Eu lhes disser que hoje, que até hoje, que até ontem, Eu nunca pedi a Meu marido para comprar nada para Mim. Pela primeira vez, Eu lhe pedi para Me comprar uma câmera… e vejam o resultado, à noite, o que ele disse: “O menos esperado.” Nunca na vida. Ele ficou dizendo: “Você deve me dizer o que Você quer.” Pela primeira vez, Eu disse algo e vejam o efeito, porque Eu nunca lhe disse. Portanto, uma mulher assim tem de ser satisfeita consigo mesma, satisfeita dentro de si mesma, porque ela tem de doar. A pessoa que tem de doar, como ela pode pedir? Ela tem de dar amor porque ela é amada, ela tem de oferecer todos os trabalhos, ela tem de dar todas as posses, ela tem de apaziguar. Que responsabilidade, Eu lhes digo, que responsabilidade, mais do que um Primeiro Ministro, mais do que qualquer rei ou qualquer um, é a responsabilidade de uma mulher e ela deve sentir orgulho disso, de que tamanha responsabilidade veio para ela.

Uma dona-de-casa tem uma responsabilidade muito maior… do que um líder da Sahaja Yoga. Mas as esposas dos líderes podem ser horríveis, porque elas pensam que se tornaram líderes, mas isso é o mínimo do mínimo. Quero dizer, é como um ditado: o oceano entrando em uma pequena taça. E o comportamento delas torna-se tão estranho e absurdo, Eu fico surpresa. Eu Me casei em uma família onde nós tínhamos uma centena… de pessoas morando juntas. E cada uma delas Me adora. Se Eu for em algum lugar em Lucknow, todos eles virão de toda parte para Me ver, mas se Meu marido vai, ninguém vem vê-lo, ele sempre reclama. Ele é o parente, Eu não sou parente e eles vêm Me ver, não ele. Se Eu não tivesse lhes dado amor, se Eu não tivesse lhes dado tudo o que eles queriam, eles não teriam vindo Me ver. Assim, elas são as preservadoras, preservadoras dos outros, elas não têm de preservar as coisas para si mesmas.

Agora, nós temos muitas mulheres estúpidas conosco, Eu lhes digo, muitas mulheres estúpidas. Nós as chamamos de budhu em Hindi, budhus, porque elas não sabem qual poder elas obtiveram. Elas não sabem qual responsabilidade elas têm. Eu sou um exemplo diante delas. E esse é um problema muito grande Comigo, pois praticamente, Eu acho que 60% dos líderes têm esposas horríveis, Eu devo dizer, horríveis. E a Sahaja Yoga vai parar desse jeito. Elas não conseguem viver num ashram, elas terão a comida delas, o marido deve se certificar de que elas tenham a comida delas, quero dizer, são elas que têm de alimentar todo mundo, todo mundo tem de ser cuidado, no final, elas devem comer. Todos devem ter uma cama, elas devem ver todo mundo dormindo. Agora, elas devem cobrir todas as crianças, tudo, depois elas devem dormir. Mas não, elas se sentam, elas tornam-se mini-Matajis… ou maiores do que Matajis: “Busque isso para mim, busque aquilo, isso, faça aquilo, faça isso.”

Elas não sabem cozinhar, a maioria delas. Toda esposa de um líder tem de cozinhar ou aprender a cozinhar, é compulsório agora. Elas têm de cozinhar, e com o coração. Elas devem ser capazes de cozinhar e oferecer com amor para os outros. Isso é o mínimo de Annapurna. E o marido não deve encontrar falhas nelas. No começo, elas podem cometer erros, então encorajem, encorajem as qualidades delas, encorajem a bondade delas, encorajem a gentileza delas. Também Eu tenho visto algumas mulheres muito boas que estão… levando uma vida muito ativa na Sahaja Yoga, depois do casamento, elas estão perdidas. Os maridos que também supõe-se que sejam… Sahaja Yogis, estão perdidos. Algumas vezes eles aparecem, algumas vezes, se Eu estou aqui, eles vêm, caso contrário, eles não vêm.

Hoje Eu estava perguntando ao Arneau, ele Me disse que muitos deles são assim aqui. Isso significa que há algo errado com os maridos, porque antes do casamento, elas estavam em melhor situação. Assim, o quanto é importante o Princípio de Gruhalakshmi… dentro de nós para estarmos juntos, para crescermos juntos, para sentirmos o companheirismo, o tempo todo sentir a unidade que está dentro de nós. Assim, como Eu lhes disse ontem, Eu irei lhes falar sobre as ragas que nós temos. Ra é energia, ga é, em Sânscrito, linguagem, ga gayeki, significa o que penetra, que entra em tudo. São as qualidades etéreas, etéreas, dentro das quais, nós colocamos qualquer coisa no éter, você pode receber isso em qualquer lugar. Portanto, a raga é a energia que penetra no éter… e toca seu Espírito. Isso é a raga. E essas ragas são, Eu diria, são algo como uma dona-de-casa. Vamos supor, se você ficar com uma banda militar, você ficará farto disso – esquerda, direita, esquerda, direita.

Mas uma bela melodia, que seja uma coisa melodiosa, uma melodia, e essa própria melodia sugere uma beleza. A maneira como uma dona-de-casa decora a casa, ela acalma todo mundo, faz com que eles se sintam felizes, então ela fica cuidando de todo mundo, todo mundo sabe que ela está lá. Imaginem, por exemplo, um estilo moderno seria você chamar… algumas pessoas para o bolo de aniversário de seu filho… e você corta o bolo primeiro, porque você é a dona-de-casa. Como isso irá parecer? É ridículo assim, Eu lhes digo. O modo como a dona-de-casa sempre se coloca à frente… de todos os outros, elas têm de estar atrás porque nós temos de cuidar. Cuidar de todos eles. E isso é o que é uma raga, ela atende todas as suas angularidades. Vamos supor que um indivíduo esteja muito aborrecido… e preocupado, ele chega do escritório, senta-se e coloca uma raga, ela o tranquiliza. Ela o faz se acalmar.

Por exemplo, as pessoas chegam em casa, por cinco dias vivem como – Eu não sei como chamar, nem ao menos em hotéis – mas vivem em uma coisa semelhante a uma tenda e no sexto dia, elas estão fora no mar ou elas vão e ficam num hotel. Ninguém quer ficar na casa… porque não há o Princípio de Gruhalakshmi entre os dois. Mas a raga precisa de baithak – é sentar-se, sossegar em um lugar. A menos e até que você sossegue em um lugar, você não consegue desfrutar a raga. Imagine alguém ouvindo uma raga quando está irrequieto. Assim a pessoa tem de sossegar. E propiciar esse sossego é que é o trabalho de uma mulher… que é uma dona-de-casa e o homem tem de agir, aquietar-se. Por exemplo, Eu tenho lhes dito muitas vezes, como o seu Nabhi Esquerdo se esgota muito mais nos tempos modernos… e muitas crianças também nascem de mulheres que são agitadas. É que, normalmente a esposa na Índia – antes o marido costumava levantar-se da cama, tomar seu banho, sua esposa não está o tempo todo com ele. Ela está cozinhando para ele, ela está tomando conta dos filhos.

Ficar grudada o tempo todo no marido também é um sinal de tédio. O marido fica entediado, a esposa fica entediada, então eles se divorciam. Ela deve ter outros interesses como cuidar dos filhos, da casa, a Sahaja Yoga, coisas assim. Então ela vê que o marido sai do banho, senta-se, senta-se no chão na Índia, agora nós estamos nos sentando em mesas, tudo bem! Pelo menos sentam-se nas mesas, não na mesa, mas na cadeira, lentamente. Então ela não lhe diz neste momento: “Por que você fez isso?” ou “esta mulher estava brigando”ou “eu encontrei uma outra mulher”, “ela estava me dizendo que você era isso e você era aquilo…” Não, ela diz: “Deixe-o comer.” É por isso que na Índia se o marido tem uma explosão de raiva, ele não come em casa ou ele próprio lavará sua roupa de baixo sozinho. É assim que mostram sua irritação. Então depois ela abana o marido lentamente… e diz coisas boas para ele, vejam: “Hoje, você sabe por quê, meu filho levantou-se e disse: “Eu amo muito o meu pai.”

Ele disse: “É mesmo? “”Sim, sim, ele disse – ele falou assim…”, e o marido sabe que ela está dizendo mentiras também. Mas, vejam, tudo são coisas boas, e “eu acho que está melhor, sua mãe está muito melhor agora,” “eu acho que vou cuidar da sua mãe”e “sua irmã está vindo,” “então estou pensando em comprar um sari para ela…”, todas essas coisas boas, amáveis, ela dirá para ele. Assim, ele comerá sua comida tranquilamente, depois ele irá e lavará suas mãos e irá num carro de boi, não em um carro onde há sempre um congestionamento. Tudo bem, agora o carro de boi acabou. O abano acabou, você tem de ser muito rápido assim como a vida é rápida agora. Nesta coisa rápida, como Eu tenho lhes dito, na periferia da roda, você tem a velocidade, mas no eixo não, portanto os Sahaja Yogis têm de estar no eixo… e assim o marido e a esposa, o lado esquerdo e o lado direito da carruagem, têm de estar no eixo. E o esquerdo é esquerdo e o direito é direito. Agora, as mulheres sempre levam mais tempo para se aprontarem, não Eu, Eu levo menos tempo do que o Meu marido, muito menos tempo do que o Meu marido, mas normalmente não é assim. Então esse é o hábito delas.

Esqueçam isso. As mulheres têm seus próprios hábitos, elas são mulheres, as mulheres continuarão mulheres, os homens continuarão homens. Os homens precisam olhar seus relógios dez vezes. As mulheres talvez olhem uma vez ou talvez seus relógios sumiram… ou estão estragados, se elas são mulheres de verdade, elas não são irrequietas como os homens, elas são diferentes. Mas elas são mulheres e vocês são homens… e Deus fez homens e mulheres. Se fosse para fazer um ser unissex, Ele teria feito um ser unissex. Ele não fez. Assim, a pessoa deve aceitar o sexo no qual nasceu com graça e beleza… e dignidade, ambos, e vocês devem saber que este é um grupo de mulheres. Na Índia, nós temos uma coisa assim, por exemplo, Eu Me casei numa família muito ortodoxa… onde eles costumavam até mesmo cobrir o rosto e tudo isso. Então, um dia, o fiscal, que é um amigo do Meu marido, falou com Meu cunhado mais velho: “Agora, por que a esposa do meu amigo não vem me ver?”

Ele disse: “É claro, é claro.” Assim, apenas para tornar isso mais fácil para Mim, ele saiu de férias do seu escritório e desapareceu em outra cidade, e ele disse à sua esposa: “Certifique-se de que Ela vá e veja o fiscal.” Vejam como isso foi lindo. Como isso foi lindo. E Eu nunca senti que ele estava Me dominando, porque afinal de contas esse era o sistema dessa família, tudo bem, tudo bem. Mas para isso o que você precisa é da pura inteligência. Se o marido for um estúpido, ele irá rebaixar a esposa dele. Se a esposa for uma estúpida, ela irá rebaixar o marido. Se uma mulher é muito esperta, fala bem e sabe como impressionar as pessoas, não significa que ela é muito inteligente. Eu chamo de a mais inteligente aquela pessoa que vê a benevolência, a ascensão e a meta suprema, essa pessoa é a mais sensível, é a mais inteligente.

Qualquer outra inteligência é Avidya, é inútil. Agora, sobre esse assunto, Eu acho que posso escrever um livro, então é melhor deixar isso para o livro e hoje vamos fazer o Puja. Que Deus os abençoe. Alguma pergunta? Isso significa que Eu gastarei algum dinheiro. Eu não sei, não há nenhuma chance, Eu não sei quando irei gastar. Eu adoro gastar, quero dizer, todo mundo deve adorar gastar. É para isso que o dinheiro existe. A pessoa deve dar para os outros. Vejam, por que a matéria existe?

A matéria é para dar aos outros, apenas desfrutar dar aos outros. É tão gratificante dar algo aos outros. Tudo bem.