Paramchaitanya Puja

(Germany)

1989-07-19 Paramchaitanya Puja Talk, Taufkirchen, Germany, DP, 31' Download subtitles: CS,DE,EN,ES,FI,IT,JA,LT,PL,PT,RO,TR,ZH-HANS,ZH-HANTView subtitles:
Download video (standard quality): Download video (full quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Listen on Soundcloud: Transcribe/Translate oTranscribe


1989-07-19 Arrival, Taufkirchen, Germany, DP, 2'
Download video (standard quality): Download video (full quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Listen on Soundcloud: Transcribe/Translate oTranscribe


Paramchaitanya Puja. Taufkirchen (Germany), 19 July 1989.

Perguntaram-Me: “Qual Puja iremos fazer hoje?”

E Eu mantive isso em segredo. Hoje nós devemos venerar Paramachaitanya, o Poder Onipresente do Amor de Deus. Nós estamos cientes… que Paramachaitanya… faz todas as coisas. Pelo menos mentalmente, nós sabemos que tudo é realizado… pela graça de Paramachaitanya, que é o poder da Adi Shakti. Mas ainda assim… isso não está muito em nosso coração, muito em nossa atenção. Podemos considerar Paramachaitanya como um oceano, como um oceano que contém tudo nele mesmo. Tudo, todo o trabalho, tudo está dentro de seus próprios limites. Então, Ele não pode ser comparado com nada. Você não pode compará-Lo. Agora, se você observar o sol, os raios têm de vir do sol, para trabalhar isso.

Se você vê alguém, digamos, uma pessoa… que tem uma autoridade, ela tem de expressar esse poder, exteriormente. Então dentro dela própria, ela não realiza isso. Digamos, por exemplo, se há uma semente, e somente de dentro dela a árvore brota, e os frutos saem, depois eles são vendidos, e as pessoas os comem, e tudo está dentro dessa semente. Então, isso é Paramachaitanya. Assim, todos nós estamos envolvidos dentro Dele. E é somente as ondas que nós vemos, e estamos nas ondas, então nós vemos isso como deslocados, separados. Por exemplo, nós pensamos: “Isto é a Alemanha”… ou “isto é a Inglaterra, isto é a Índia.” Esses países são apenas pregas do sari de Paramachaitanya, que parecem estar separadas, mas não estão separadas. Elas são contínuas. Assim, a conexão é totalmente completa.

Se Eu puxar um fio daqui, o fio será inteiramente puxado. Do mesmo modo, este Paramachaitanya… está atuando dentro Dele mesmo. E não há nada de fora. Assim, quando vocês são Sahaja Yogis, Ele presta uma atenção especial em vocês. Ou, Eu diria, Ele se torna totalmente unificado com vocês. Seja o que for que vocês desejem, seja o que for que vocês queiram, também estará vindo do mesmo Paramachaitanya, se vocês forem unos com Ele. Como em um, digamos, oceano turbulento, algumas gotas de água podem voar… e começar a pensar: “Nós estamos acima,” “nós estamos fora do mundo, fora do oceano.” Mas, elas têm de cair novamente no oceano. Assim, essa energia sem forma… tem toda a inteligência, toda a coordenação, todas as organizações, todos os computadores, todas as televisões, tudo que você possa imaginar de comunicação… e de governo, de administração, e acima de tudo, Ele é o Amor, Ele é o Amor de Deus… e o Amor de sua Mãe. Então, para tornar-se uno com este Paramachaitanya, vocês têm de saber que vocês têm de se tornar a realidade.

Por exemplo, se você tirar uma fotografia Minha sentada aqui, talvez ela lhes transmita vibrações vivas, tudo bem, embora seja uma fotografia. Mas se você tirar uma fotografia de alguma outra pessoa, ela não fará a Sahaja Yoga funcionar. A razão é que essa outra pessoa não se tornou a Realidade. É como se você visse qualquer outra pintura. Vamos supor que você veja um quadro… de um lugar que está chovendo, essa chuva não nutre as flores, ela não… molha a roupa das pessoas que estão lá. Ela é estática. Assim, na ignorância, na ignorância, nós temos apenas… o quadro que é estático em relação à realidade. E esta é a razão pela qual… nós achamos que nós mesmos podemos realizar tudo. Agora, se alguém diz: “Eu vejo este quadro,” “tudo bem. E eu vou tornar a chuva uma coisa real.”

Você não pode. Tente qualquer coisa, coloque a cor que você quiser. Pode parecer chuva; com esforço, pode parecer. Mas isso não terá a capacidade… nem a natureza da realidade. Assim, os seres humanos sempre lidam… com coisas irreais, achando que estão fazendo algo grandioso. Nós podemos ter flores que são reais, é claro. Nós podemos senti-las. Nós podemos criar flores de plástico. Nós podemos criar quadros retratando-as exatamente como são. Mas não podemos produzir uma única flor por nossa conta.

Nós teremos de ir para a realidade que é: a Mãe Terra a produzirá, ou o sol irá ajudar a Mãe Terra. Assim, todos vocês, Sahaja Yogis, têm de saber… que na realidade, vocês não fazem nada… e tudo é feito pelo Paramachaitanya. Esta é a diferença entre um não Sahaja Yogi e um Sahaja Yogi. Um não Sahaja Yogi não sabe. E mesmo que ele saiba, isso não é a verdade em seu coração, não é parte integrante de seu Ser. Mas um Sahaja Yogi sabe que a realidade é Paramachaitanya… e que Ele é realidade que realiza tudo. E também que essa realidade é o Amor Divino. Nós sempre separamos o amor da ação. Para nós, o amor significa… algum tipo de comportamento louco em relação a uma pessoa. Não há nenhuma conhecimento técnico de como amar.

Ele funciona sem nenhuma compreensão. Quando nós amamos alguém, nós não sabemos, o que faremos? Nós achamos: “Nós amamos você”, amanhã começamos a dizer: “Odeio você.” Assim, como isso pode ser amor? Nós amamos nossos próprios filhos, amamos nossa própria família, amamos nossos próprios amigos, que é tão irreal. Se isso fosse real, nunca teria falhado. Você não pode definitivamente dizer isto: tudo bem, hoje você trabalhará para seu filho… e será muito egoísta em relação a ele. Mas você não pode dizer amanhã como ele o tratará e como você o tratará. Mas Paramachaitanya sabe. Ele sabe como expressar o amor Dele.

Não somente isso, mas é um sentimento eterno de amor… que pode mudar de tom, de cor, mas… o zelo desse amor será o mesmo. A essência do amor é o zelo. Mesmo que – vamos supor que alguém faça algo errado, a preocupação do Divino será corrigir essa pessoa. O zelo. Ou podemos dizer Hita, que é a benevolência. Portanto, a preocupação pela benevolência… estará o tempo todo presente, quer isso possa parecer ser algumas vezes cruel, possa parecer ser afetuoso, possa parecer ser super condescendente. Seja qual for a forma que isso possa assumir, por exemplo uma onda. Não importa qual forma possa parecer, mas na verdade, isso é para sua benevolência. Ele trabalha para a sua benevolência. Não somente para a sua benevolência, mas para a benevolência coletiva.

E Ele sabe muito bem o que deve ser feito, como deve ser realizado. Ele não tem de ir e aprender de alguma lugar, porque o completo conhecimento de todo esse know-how… também está dentro Dele mesmo. É um tamanho armazenamento de sabedoria, conhecimento e amor. Assim, Ele não se desvia. Uma vez que você se torne um Sahaja Yogi, a preocupação… pela sua benevolência está o tempo todo presente. Quer você seja punido ou não é uma outra questão. Algumas pessoas podem ter um emprego. Algumas pessoas não terão um emprego. Com algumas pessoas vai funcionar dessa maneira, com algumas pessoas não vai funcionar daquela maneira. Então alguém pode dizer: “Como é que Paramachaitanya…” “está agindo desse jeito?”

É tudo para sua correção. É uma grande chacoalhada. Tudo que acontece é para sua correção… e para sua benevolência. Se você entender esse ponto, então você nunca ficará desapontado em sua vida. E Ele não tem nenhuma preocupação por sua própria benevolência, porque Ele próprio é a completa benevolência. Ele nunca pensa como Ele será benevolente… ou útil, porque Ele não tem preocupação com isso. Um homem, digamos, que tem tudo, que tem coisas mundanas, ainda pode estar preocupado em ter mais, poderia haver ganância. Mas como Ele é o completo, Purna, Ele não tem nenhuma ganância. Ele é completamente satisfeito Consigo mesmo. E porque Ele é tão poderoso, tão sábio, Ele não tem nenhuma dúvida, nenhuma dúvida de nenhum tipo.

E porque… não há ninguém que possa feri-Lo, Ele não tem nenhum medo. E todos vocês agora sentiram… que o Paramachaitanya… deve lhes dar uma vida completamente sem medo, uma vida pacífica, e uma vida alegre. Como um filho que encontra sua mãe, então ele pára de chorar, não chora mais, porque agora ele encontrou sua mãe. Da mesma forma, vocês encontraram Paramachaitanya… e a conexão com Ele. Então, vocês não têm de se preocupar com nada, não têm de pensar em nada, vocês não têm de planejar nada, a única coisa é que vocês têm de pular dentro Dele, apenas pular dentro Dele… e saber que vocês se tornaram parte integrante da realidade. Se vocês entenderam isso, Eu acho que fizemos um grande trabalho. Agora, nós estamos na Alemanha e vocês sabem que na Alemanha… houve pessoas que tentaram despedaçar as esperanças dos seres humanos. Mas, mesmo com esse acontecimento que ocorreu, todas essas coisas horríveis aconteceram em que muitas pessoas morreram, é claro, elas nasceram novamente, sem problemas, e estes problemas surgiram… em que elas pensaram que o mundo todo acabaria. Elas estavam tão preocupadas, elas pensaram que o mundo inteiro acabaria. Mas não aconteceu.

Mas essa guerra nos ensinou uma lição. Ela nos tornou mais coletivos. Ela nos fez compreender uns aos outros. Caso contrário, como sairíamos da ignorância… de que “somos deste país”, “somos daquele país”, do racismo, depois desse assim chamado nacionalismo, do assim chamado patriotismo, de todas essas forças separadoras, das coisas que dividem? Vimos claramente que nós todos somos seres humanos… e devemos ser tratados como seres humanos. Se vocês observarem a história, depois de cada guerra… houve um movimento veloz rumo ao conhecimento, ao conhecimento da unidade do mundo. É algo… como ter uma nave espacial, onde compartimentos são construídos… um dentro do outro, e toda a nave… vai numa velocidade, e depois o compartimento inferior rompe… ou explode. Quando ele explode, ele dá uma velocidade maior… ao resto da nave. E então acontece a aceleração da velocidade. E é desse modo que uma pessoa pode ir ao espaço.

Da mesma maneira, todas essas coisas horríveis que aconteceram… são explosões… que os levam… rumo ao conhecimento… de que há algo errado conosco, que estamos vivendo com alguma coisa irreal. Agora, os problemas, os problemas de hoje são… como os problemas ecológicos, a AIDS, as drogas, todos esses problemas modernos e a pobreza, se vocês observarem isso como testemunhas, vocês verão que eles são muito chocantes. Essas são coisas muito chocantes. E todas essas coisas chocantes deveriam chocar nossa mente, deveriam realmente chocar nossa mente. Por que temos esses problemas? E em relação a esses problemas, alguns líderes estúpidos acham… que podemos resolvê-los ganhando mais dinheiro. Nós podemos nos proteger dos problemas de ecologia… se tivermos mais dinheiro. E nós podemos poluir a atmosfera, porque nós teremos mais dinheiro. E depois poderemos nos proteger… de modo que todo mundo terá de ter uma máscara, movendo-se de um lado para o outro por todo lugar. “Mas nós devemos ganhar mais dinheiro para nos protegermos.”

“Não importa se há um problema ecológico, não importa.” Então, você se move de um lado para o outro… como uma pessoa que está entrando… num local que está cheio de fumaça. Todas essas ideias estúpidas surgem, porque eles não veem… o que é a dignidade humana, que os seres humanos estão acima de tudo mais, acima das máquinas, acima de todas as coisas materiais do mundo. Eles não falarão de equilibrarmos o maquinário, não. O que eles falarão é: “Tornaremos o homem…” “o maior escravo das máquinas,” “porque ele precisa ter dinheiro;” “nós precisamos ter mais dinheiro e com esse dinheiro a mais,” “poderemos nos proteger contra esse problema ecológico.” Isso é um absurdo. Mas, se você entender a dignidade humana, então você tem de entender que como seres humanos, nós temos de dar um passo muito positivo e sábio… para parar toda a insensatez que temos feito. Como agora, a maior parte do litoral francês, as praias estão poluídas. É claro, porque eles começaram uma coisa estranha… chamada “holiday making na praia”. Então, esse é o resultado.

Agora, fazem o que querem. Vocês não podem fazer tudo isso. Isso parou. Assim, ao invés de – agora, o cérebro humano é tal que… ao invés de compreenderem que fizemos algo errado, eles dirão: “Iniciaremos um novo método para limpar isso”. Eles nunca condenarão o que deu errado neles, que eles se tornaram tão viciados neste tipo de… vida estranha que eles têm nas praias. Agora, a AIDS. Vocês ficarão surpresos ao saber que na América… eles até mesmo disseram que… havia em Los Angeles… setecentas mil pessoas… se glorificando como mártires da AIDS, porque estão alcançando um objetivo grandioso… de levar uma vida sem sentido, como se fosse uma grande revolução. E achando que eles são grandes revolucionários, pessoas grandiosas, pois eles estão apoiando a doença da AIDS… e a enobrecendo. Vocês podem acreditar… que esse tipo de afirmação… será aceita? As pessoas rirão de você.

Mas tudo é tão orientado ao dinheiro. Eles gostam de divulgar isso. Eles querem falar de ajuda financeira. Eles querem dizer que isso está acontecendo, porque… se eles tivessem mais dinheiro, eles não teriam tomado mais drogas. Porque eles não têm nenhum dinheiro, é por isso que eles estão roubando. Então, nós devemos lhes dar dinheiro… de forma que eles possam tomar drogas, ou possam levar esse tipo de vida. De modo geral, se você observar, as pessoas têm vivido com alguma coisa que é tão irreal, por toda a vida delas, absolutamente irreal. E quando se trata de encarar isto: que cometemos erros, que não deveríamos ter cometido esse erro, então eles recuam… e assumem uma outra imagem gloriosa, artificial e irreal, dizendo: “Oh, nós somos grandiosos, somos mártires”. E isso é o que acontece, é o que chamamos de Kali Yuga, onde tudo que é ignóbil, tudo que tem de ser detestado, tudo do qual nós deveríamos nos proteger, se tornará… o objetivo a ser alcançado pelas pessoas. Eu espero que vocês tenham compreendido… que o Poder Onipresente em torno de nós… é Aquele que está fazendo a Sahaja Yoga; é Aquele que os trouxe para a Sahaja Yoga… e é Aquele que lhes tem dado as bênçãos, é o Paramachaitanya.

Através do qual isso se realizou. Assim, a prece de hoje deve ser que sejamos cada vez mais… conscientes de que somos parte integrante deste Paramachaitanya… e que possamos sentir isso, que possamos usar este Poder, que possamos realizar isso. Se isso for sentido hoje desse jeito, Eu acho que muito trabalho já foi feito… e que Deus os abençoe por isso. Agora, quando vocês estiverem fazendo este Puja, por favor lembrem-se… que estão Me venerando como Paramachaitanya… e então vocês devem apenas pensar… que estão lidando com a própria realidade. Com essa compreensão, vocês têm de fazer este Puja. Que Deus os abençoe.