10o Dia do Navaratri, Profundidade e Conteúdo

Butlins Grand Hotel, Margate (England)


Send Feedback
Share

Navaratri Puja, Margate, Inglaterra, 08.10.1989 

Foi decidido muito espontaneamente… que nós deveríamos ter o Puja a Devi na Inglaterra. E este é o lugar onde realmente o Puja a Devi deve acontecer, porque é o lugar de Sadashiva… e onde a Adi Shakti deve ser venerada. Nós temos de entender hoje: por que nós fazemos o Puja a Devi? Qual é a razão para ter este Puja a Devi? O que nós alcançamos a partir dele? O que devemos alcançar em nossos conteúdos dentro de nós mesmos? A primeira coisa é que a Kundalini é a Devi. Ela é o reflexo da Adi Shakti. Assim, quando você venera a Devi, você também venera primeiro a sua própria Kundalini, dando-Lhe o reconhecimento por Ela ter lhe dado a Realização. É uma compreensão muito mais profunda… do que as pessoas normalmente têm a respeito do Puja a Devi, porque elas não são almas realizadas. A Kundalini delas não está despertada.

Então normalmente quando elas fazem o Puja a Devi, é para o propósito de obter a Realização, de modo que a Devi seja agradada, prasanna, e lhes dê a Realização, ou para lhes dar a chance de ter acesso a alguém… que lhes dará a Realização. Mas vocês estão em um nível diferente agora. Então é mais um agradecimento à sua própria Kundalini e à Adi Shakti, glorificando, de modo que seja o que for que tenha acontecido tão milagrosamente… é por causa da Kundalini que estava dentro de vocês, que foi refletida pela Adi Shakti. Mas a pessoa tem de saber que… só sermos… almas realizadas não é o ponto, só conseguirmos sentir as vibrações não é o ponto, nós podermos dar a Realização aos outros também não é ponto. Então o que é isso? É muito importante. É o conteúdo dentro de nós. O que nós temos dentro de nós é o ponto. Tudo isso são as expressões do que temos interiormente. Vamos supor que alguém seja generoso, então saiba que ele é um homem rico, senão ele não pode ser.

Assim, nós temos de ver o conteúdo dentro de nós. Eu quando começamos a ver o conteúdo, onde nós descobrimos na natureza que existe o verdadeiro conteúdo? Por exemplo o mar, o mar está lá cheio de água. Tanta água que ele suga de todo lugar, e depois… ele se permite ser fervido pelo sol e fornece chuva. Mas o mar está no nível mais baixo, mantém-se no nível mais baixo e suga toda a água de todo lugar. Da mesma maneira, um Sahaja Yogi… deve saber que está realmente alcançando mais conteúdo, nós devemos estar não em um nível mais elevado externamente. É dito na Bíblia: “Você tem de ser humilde, manso”, mas Eu acho que isso não foi explicado às pessoas. Somente as pessoas fortes podem ser mansas, as pessoas seguras podem ser mansas, somente o rico na essência pode ser manso, não as pessoas que são inseguras. Por elas serem inseguras, como elas podem ser mansas? E não as pessoas que achamos que são ricas, as assim chamadas, porque se elas são ricas, elas não são generosas, não são satisfeitas, não são filantrópicas, então elas não são ricas, elas ainda são mendigos gananciosos.

Portanto, o conteúdo dentro de nós deve ser observado. Qual é o nosso conteúdo? Vocês Me amam, Eu amo vocês, isso é muito bom. Mas quando vocês Me amam, vocês têm de saber que… há certas qualidades que são dignas de serem amadas… em um Sahaja Yogi. Na verdade, as pessoas podem se perder mesmo depois da Sahaja Yoga. Elas acham que podem passar por cima de tudo, que estão perfeitamente bem, e elas são lançadas ao mar. Então quando dizemos que nós temos de ser mansos, isso é um conteúdo, a humildade é um conteúdo. Então tente fazer isso, tente ser humilde com alguém. Você gostará de si mesmo. Você desfrutará esta qualidade interior: “Veja, eu sou mais humilde que uma outra pessoa.”

E uma outra coisa que nós descobrimos que tem conteúdo… são as grandes montanhas, porque elas são altas, e elas são as únicas que conseguem capturar as nuvens. Assim, há uma grande afinidade entre a humildade do oceano… e a altitude da montanha. É desse modo que um Sahaja Yogi deve ser. Ele é muito elevado, porque há muito… conteúdo nesse oceano, então ele se tornou belo como as nuvens e tocou sua altura, o seu Kailasha onde reside Shiva. Assim, isso é tão doador de alegria. É claro, como vocês Me pintaram ali, é verdade que essa era Minha situação outrora. Hoje também é a Minha situação, sem dúvida, de uma maneira muito sutil, porque há muita negatividade e Eu tenho de trabalhar isso… em todos os tipos de níveis. Não há nenhuma desculpa para um ser humano… ser um demônio, nenhuma desculpa, e para um Sahaja Yogi não há nenhuma desculpa de forma alguma. Mas ainda assim, uma vez que chamei você de Meu filho, de Minha criança, há uma pequena bênção que vai, Eu diria, por um longo cordão. Mas a pessoa não deve se importar com esse cordão longo.

Você tem de se importar com sua própria qualidade, com sua própria capacidade interior de absorver. Agora, observe o oceano, como ele é. Tudo que está em volta cai dentro do oceano, tudo. E depois o sol – nós podemos dizer que é o Espírito – evapora, isso só é possível no oceano. Ele não evapora os rios tanto quanto ele pode, porque o oceano é algo tão amplo, algo tão profundo, inesgotável. E depois um material totalmente puro brota disso, e pode ir e tocar o coração. Porque como um Sahaja Yogi, esses corações estão em um nível… muito elevado onde existe Shiva residindo. Ninguém pode chegar lá, exceto pela pureza. E a menos e até que você tenha essa amplidão, essa profundidade, essa humildade, e as maryadas. Você sabe que o oceano nunca sai de suas próprias maryadas, e se você pressioná-lo em um lado, ele se expressará em um outro lado, ele nunca sai. Se o Oceano Pacífico fosse trinta metros mais profundo, teria havido um problema.

Assim, mesmo na profundidade, na sua altura, na sua expansão, ele tem suas próprias maryadas. Mas nessa maryada, ele tem o sentimento de que ele é unificado com a Natureza, unificado com a Mãe. Ele não fica perturbando a Mãe Terra, fica belamente colocado no corpo da Mãe Terra. A Natureza é limitada pelo Divino. O Divino cuida da Natureza. Então tudo trabalha belamente e você tem a liberdade. E depois da Sahaja Yoga, você tem uma liberdade maior, a liberdade absoluta, porque você não pode ficar amarrado… por nenhuma coisa insensata, por nenhuma coisa pecaminosa, por nenhuma coisa vulgar. Você está acima disso como uma montanha. E então onde quer que exista… uma combinação de uma montanha e um oceano, os navios podem vir. As pessoas profundas podem vir somente a essas praias… onde existe profundidade.

É desse modo que você alcança a sua profundidade, entre o seu coração e seu Bhavasagara, essa bela área onde as pessoas podem vir a você… e elas simplesmente sabem que é algo grandioso. Todo mundo sabe disso. Vocês perceberam que Eu sou como qualquer outra mulher na aparência. Eu não sei, talvez vocês achem que Eu sou diferente, mas normalmente… Mas quantas pessoas vêm ao Meu programa? Como elas vêm ao Meu programa? Vocês devem pensar, na Colômbia, quando ninguém tinha nem mesmo ouvido falar de Meu nome, milhares vieram, quero dizer, foi surpreendente. E as pessoas não tinham nenhum lugar para se sentar. Na Rússia onde – quero dizer, está fora de questão eles conhecerem Meu nome, não há nenhum livro publicado, nada. Então vocês podem dizer: “Mãe, a Senhora manipula isso através do inconsciente coletivo.” Eu não manipulo, mas ele atua, Eu acho.

Portanto quando os Sahaja Yogis têm esse conteúdo dentro deles mesmos, o inconsciente coletivo, o Divino atuará, definitivamente atuará. Como um sujeito que está fazendo propaganda, isso, aquilo, sim as pessoas vêm porque ele recebe dinheiro, elas acham que elas podem comprar aquele homem. Mas onde não há nenhum dinheiro envolvido, nenhum negócio envolvido, nada, vocês são apenas pessoas simples, exatamente como elas, então… Mas é tudo feito pelo Divino, não é? Então o Divino realiza isso. Mas se os Sahaja Yogis em um lugar são inúteis, então mesmo se Eu estiver lá, isso não dá certo. Se elas são pessoas indiferentes, isso não funciona. Isso não é de forma alguma para desencorajá-lo, mas é para lhe dizer… que você tem de desenvolver o seu conteúdo dentro de você mesmo, uma completa fé em si mesmo. Esse é o maior bem de um Sahaja Yogi. E o que é esse oceano? É amor, é amor, e amor.

Ele não fala, ele não faz muito, não é para ser feito nada. Ele simplesmente atua espontaneamente. Quanto menos você fizer, melhor. Quanto mais você tenta fazer – “eu farei isso, manipularei lá”- não, simplesmente desenvolva o seu conteúdo dentro de você mesmo. E imaginem, vocês também são afortunados, vocês têm tantos recursos que ninguém tinha. Eles tinham de ir para as florestas, eles tinham de… aceitar toda a ira dos gurus deles e não havia ninguém para protegê-los. E eles nunca tiveram a Adi Shakti para venerar. Assim, vocês têm a Adi Shakti com vocês, cujo Poder é todo este Divino. Portanto, vocês estão em uma posição tão vantajosa. Mas primeiro vocês devem se dar conta disso.

Assim, quando dizemos que nós devemos ter conteúdo, então o vaso tem de ser forte. Senão tudo se quebrará. E essa força é aquela em que você deve saber… que você está completamente protegido. Ninguém pode feri-lo. Eles tentarão. Isso tem de acontecer, senão como você testará se você está totalmente protegido ou não? Então, alguém tem de tentar alguns truques apenas para verificar, e é para você observar o quanto você é bem-sucedido. Sem fazer nada, você ficará surpreso, tudo será colocado em ordem. E você não saberá como as coisas foram colocadas em ordem, como as coisas deram certo. Então a força surge.

Novamente a questão é: como a força surge dentro de um Sahaja Yogi? Nesse ponto Eu diria que é a shraddha. Shraddha não é fé cega. Depois da Sahaja Yoga, depois da Realização, você sabe tudo. Vocês viram Minhas fotografias, vocês têm visto como a Sahaja Yoga trabalha, vocês têm visto como vocês podem elevar a Kundalini das pessoas, vocês podem sentir as vibrações, vocês podem sentir os outros, podem curar os outros. Todo esse poder está dentro de você. Mas somente perceber esse poder sem ego é que é a sua força. E quando você é poderoso, você não tem ego, porque qual é a necessidade? O ego está presente somente quando você não tem poder, porque você quer ter mais, mais, mais. Mas quando você está plenamente presente, não há nenhum ego.

Portanto, primeiro esse poder deve ser avaliado, para descobrir se você é poderoso ou não, descobrir primeiro. E então por exemplo, se Eu tiver de sentar na cadeira, Eu observarei: Está tudo bem ou ela está balançando? “Oh, está tudo bem, Eu posso sentar nela.” Alguns Sahaja Yogis ainda se mantêm na periferia. Às vezes existe uma grande lacuna… entre alguns que alcançaram grandes alturas e alguns que estão de fora. Tudo isso são forças negativas que foram mortas há muito tempo atrás. Somente uma Shakti foi suficiente para destruí-las, da Kali Shakti, Durga Shakti, mas vocês têm muitas Delas. Vocês têm Mahalakshmi Shakti, vocês obtiveram as Saraswati Shaktis, vocês têm todas as doze Divindades que estão lá trabalhando para vocês. Portanto, “dar-se conta disso” é o significado de que… você deve ter completa fé em você mesmo. Se você ainda duvida de si mesmo, essa também é uma característica humana.

Um cachorro sabe que ele é um cachorro. Ele não duvida que ele é um cachorro ou um gato, ele duvida? Ou um tigre sabe que ele é um tigre, e ele conhece as habilidades que ele tem. Só os seres humanos adquiriram, além de outras características estúpidas, esta característica de que eles conseguem duvidar de si mesmos. E essa característica de duvidar tornou-os covardes. Na Sahaja Yoga, você não deve ter nenhuma dúvida sobre si mesmo. “Porque eu estou fazendo, ainda estou fazendo isto, Mãe,” “eu ainda estou agindo desse jeito. Então como agir?” Então livre-se disso. Como Eu posso resolver seu problema se você quer carregar… o macaco em suas costas?

“E eu ainda fico carregando o macaco nas costas”, livre-se do macaco, acabou-se. É tão simples. Para Minha lógica simples, essa é que é a resposta. Por que você quer carregar o macaco e depois vir e Me dizer: “Mãe, eu estou carregando o macaco”? Eu posso vê-lo. Tire-o de sua cabeça, tire-o de suas costas. É muito simples, você é um Sahaja Yogi. E isso é o que Eu percebi em relação aos russos. Eles realmente não têm nenhum macaco, é surpreendente. Eu acho que não há nenhum macaco de forma alguma lá.

Nenhum deles. Nenhum problema particular, nenhum problema público, nenhum outro problema, nada, nada, eles não discutiam nada. Isso é o – eles podiam ter dito: “Nosso governo é assim, ele é…”, nada, nada, nada disso. Assim, eles tiveram o suficiente de tudo, eles devem ter. Pessoas muito eruditas, muito bem-educadas, em profissões muito importantes, muito humildes, muito sinceras, elas só queriam a Realização, só isso. Eles disseram: “A Senhora veio aqui para a nossa libertação.” Eles nem mesmo tocavam Meu sari deste jeito. O lugar que Eu ando, eles não tocavam, imaginem só. Quem lhes falou sobre as vibrações? Eu nunca disse que Eu sou a Adi Shakti.

Como eles Me reconheceram? Eles desenvolveram essa força dentro deles mesmos, essa shraddha. E eles nunca falavam sobre Deus naquele país. Eles têm algumas pessoas estúpidas que têm igrejas e coisas assim, e instituições islâmicas, mas a maioria das pessoas são tão fortes… e o conteúdo está se mostrando. Imaginem, toda vez eles têm um programa, mesmo agora no programa de continuação, pelo menos mil pessoas estão lá. Na Inglaterra, nós não conseguimos nem mil pessoas para o Puja a Devi. E eles percorrem o caminho todo, por milhares de quilômetros, da Sibéria, desse, daquele lugar, e eles mesmos reservaram o lugar, porque lá você tem de pagar pelos auditórios. Assim, embora os Sahaja Yogis não recebam dinheiro, mas eles pagam pelos auditórios. Mas a mediocridade: ficar na periferia, não trabalhar, deixar o barco correr, não é o caminho para a Sahaja Yoga. Nós não temos de matar demônios.

Não há nenhuma necessidade de aderir a qualquer guerra… ou lutar como soldados, como eles lutaram com a Devi, nada disso. Você só tem de remover a negatividade dentro de você mesmo, remover a letargia de você, mas façam isso dar certo. Nós recitamos mantras, nós sabemos quais são os poderes dos mantras, mas você tem de mantê-Los despertados. Para isso, Eu lhes disse uma centena de vezes: vocês devem meditar. Não esta forma de meditar: “tudo bem, isso é como jogar golfe, está fora”, não é dessa maneira, é uma coisa séria, você está venerando a Adi Shakti. Com essa compreensão plena e dedicação, você tem de fazer isso, não uma coisa mecânica, isso não é um jogo. É algo muito sutil e especial. Nós não podemos descrever isso em nenhuma ação, mas é simplesmente um sentimento muito profundo. Nenhum outro sentimento chega a essa profundidade; com esse sentimento, você tem de meditar. E depois veja os resultados.

Muitas pessoa dizem: “Eu fiz isso, Mãe, eu fiz aquilo, eu ainda tenho isso”, porque… você não é profundo o suficiente. Não é o quanto você ora, não é quantas palavras você usa para a oração, mas é o quão profundamente você tocou os Pés do Divino, isso é importante. Assim, hoje nós temos de observar que a Devi está usando Sua espada… para perfurar nosso coração, de modo que toda a negatividade fuja, e através disso, Ela quer plantar o lótus para que Shiva se estabeleça. Ela quer tirar toda essa feiura do interior. É como uma operação, mas é tão delicada e tão belamente feita, vocês nunca nem mesmo a sentiram. Outro dia, alguém Me deu um livro de (…)… e as vibrações são chamadas de “spanda”, significa “pulsação”, está correto, sem dúvida. E isso é chamado de “anahata” em Sânscrito, significa “sem percussões”. Mas Eu estava lendo aquele livro, Eu disse: “Isso é como…” “dar voltas e voltas, para cima e para baixo,” “entrar nesse e naquele significado”. Como alguém pode entender esse livro? É terrível.

Enquanto Eu disse todas aquelas coisas e muito mais do que aquilo, e eles conhecem isso tão facilmente. Se você ler aquele livro, em duas páginas, você ficará com dor de cabeça, Eu lhes digo. Mas o modo como todo o conhecimento da Sahaja Yoga… tem chegado a vocês tão belamente, é notável, Eu lhes digo. Se você ler os mantras, eles lhe darão explicações… que às vezes não tem nada a ver com a realidade, Eu acho. Mas mesmo se tiver, é tão tortuoso, tão complicado. Eu diria que Adi Shankaracharya percebeu isso… e foi por isso que ele abandonou a ideia de escrever qualquer tratado, e “vamos tornar isso simples, o louvor à Mãe, acabou-se.” “Se você louvar a Mãe, tudo está certo.” Mas aquilo não é assim, Eu noto que não é assim. Isso é fácil. Os seres humanos são grandes peritos, eles podem ser exatamente como rádios, orando, orando, nada vai para dentro do coração.

Mas você tem de desenvolver essa profundidade. Na Sahaja Yoga, nós trabalhamos através de nosso coração, não através de nossos cérebros. Você tem de desenvolver esse coração… e receber… dentro dele a grandeza de outras pessoas. Agora, as pessoas podem ver… o que está errado com os outros muito facilmente. Elas não querem ver o que está errado com elas. Qualquer homem inteligente pode ver isso, não há nenhuma necessidade dele ter a Realização. Mas um indivíduo sábio vê o que está errado com ele, e ele confia, ele confia nele mesmo também, porque ele é sábio. Ele não duvida, ele sabe que ele é sábio. Ele sabe o que está errado com ele e o que deve ser feito. Assim, o trabalho da Deusa é bem diferente hoje, como vocês podem vê-lo claramente.

É claro, simbolicamente ele é o mesmo. Mas ele se tornou muito sutil, muito sutil. O primeiro trabalho é destruir a negatividade que está acontecendo, como você sabem. Quanto mais luz entrar, a ignorância desaparecerá, essa luz se espalhará, toda a escuridão desaparecerá. Mas vocês são as luzes. Vocês têm de ligar as luzes e vocês têm de cuidar de sua luz, e vocês têm de tornar essa luz eterna. Esse é um trabalho que vocês estão fazendo. É um belo trabalho da Deusa que vocês estão fazendo: espalhar a luz, iluminar as pessoas. A negatividade que está em volta de vocês não é tão perigosa… quanto qualquer negatividade que esteja dentro de vocês. Hoje ela se tornou mais sutil.

A negatividade se tornou mais sutil. Ela entrou em seu ser, e tome cuidado, ela pode a qualquer momento derrubar você. Mesmo um único passo, se você não o fizer direito quando você está escalando, você pode cair. Assim, a pessoa tem de estar alerta, sem tensão. Você tem de estar alerta sem tensão. E a vigilância se desenvolve. Quando a luz vai para dentro, você começa a ver isso, imediatamente você vê: “Oh, é isto. Então eu, o fulano de tal – é isso mesmo.” E você sabe como corrigir isso e sabe como por em ordem. E imediatamente você se dedica a isso.

Como um bom sari no qual algo caiu agora, imediatamente você o limpa. Da mesma maneira, nós temos de ser muito, muito alertas; “daksha” é a palavra para isso. Agora, esse era o trabalho da Deusa antes. A Deusa costumava dar a iluminação, e a Deusa costumava ficar alerta por vocês. Ela se sentava como uma tigresa por Seus filhos. Eles estão rezando, estão fazendo puja, estão fazendo algum tipo de homa, havan, então a Deusa se sentava, os protegia de toda a negatividade que vinha, de todos os rakshasas que vinham, os matava, isso, fazia aquilo. Mas esse estágio acabou agora. Agora Ela entrou dentro de você. Então você tem de matar sua negatividade, você se tornou tão poderoso quanto sua Mãe. Nenhuma negatividade pode tocá-lo.

Então você pode dar a Realização, você obteve esse poder muito bem, e você pode observar seus defeitos mais do que os dos outros. E você pode expulsá-los, porque eles não são bons, eles não são para sua benevolência, eles não são para sua ascensão. Através deles, ninguém irá levar vantagem. No nível coletivo, isso simplesmente funciona automaticamente. Você não tem de se preocupar. Isso chega ao auge e uma pessoa sai, como se alguém corresse como um cego… em um penhasco e pulasse, pulasse para baixo. Você não tem de se preocupar muito com isso. Simplesmente funciona. Você tem visto que tem funcionado dessa maneira. Agora, uma outra qualidade que você tem é: acreditar que a Deusa está trabalhando através de você.

Ela reside em você, você obteve os poderes, isso penetrou em você, você pode consolar as pessoas, você pode curá-las, você pode lhes dar paz, você pode lhes dar felicidade. Mas depois, o que a Deusa fez dentro de você é que Ela lhe deu a felicidade, você se tornou a felicidade. Por exemplo, digamos que exista um ar condicionado, você recebe o frio dele. Da mesma maneira, se você está emitindo alegria, você dá alegria aos outros. Mas se não há nenhuma alegria dentro de você, qual alegria você pode dar aos outros? Portanto um Sahaja Yogi tem de ser alegre como a Deusa. Ela tem personalidades extremas, como vocês tomaram conhecimento que Ela é extremante cruel, Ela pode ser muito cruel, e Ela pode ser extremamente gentil, como as duas ragas de ontem. Ela pode ser… extremamente… dura, extremamente dura, além de todas as expectativas humanas, e Ela pode ser extremamente suave. Assim, essa parte cruel… você não precisa ter. Essa parte simplesmente atua.

Essa parte é mantida somente pelo Divino. Apenas use o outro lado. Deixe essa parte cruel ser cuidada pelo Divino. Afinal de contas, o Divino também deve fazer algum trabalho. Se vocês fizerem todo o trabalho, então o que o Divino fará? Assim, o Divino cuidará dessa parte. Portanto, você deve alegrar-se assim como a Deusa se alegra, Ela desfruta a alegria Dela, Ela desfruta a paz Dela, Ela desfrita tudo Dela: Sua criação, Seus filhos, o amor deles, Ela desfruta tudo. Da mesma maneira, você tem de desfrutar. Você tem de saber tudo, você tem de ser absolutamente um profundo conhecedor. E nada mais é necessário, exceto apenas dizer: “Oh Divino, por favor nos proteja.”

No máximo, mesmo se você não disser isso, tudo bem, você é cuidado. O Divino está trabalhando em volta do palco, você não vê isso, está tudo lá, invisível. E você está no palco, assim eles estão alertas: em que focalizar a luz, aonde colocar, que luz colocar, o que deve ser feito, o que deve ser mudado em volta, eles estão organizando tudo. Você está agradavelmente aqui. Então você não precisa fazer todo esse trabalho. Faça o seu trabalho de atuar e recitar diálogos, esse é o seu trabalho. Deixe-os fazerem o trabalho deles, eles o estão fazendo muito bem. Eles estão excelentemente… localizados e eles são especialistas. Assim, deixar certas coisas nas mãos do Divino é o que nós chamamos de “entrega”. E se esse tanto for feito, então a maioria de suas coisas se realizarão de forma tão milagrosa.

Você ficará surpreso: “Como, Mãe, como isso se realizou?” “Nós nunca esperamos,” “como conseguimos que as coisas fossem feitas?” Há uma força muito, muito grande trabalhando: a Força, a Energia que é a Fonte de todas as energias, que criou este grande universo, que criou esta Mãe Terra, que criou este sol, que criou vocês muito delicadamente. Esta Força está trabalhando. E esta Força está cuidando de você, está tão orgulhosa de você, por você ter chegado a esse estágio agora. Assim, na realidade, nós estamos hoje orando para a Deusa: “Ajuda-nos a combater a negatividade dentro de nós.” “Dá-nos o Seu tigre de modo que possamos lutar, dá-nos o Seu leão,” “para que lutemos.” Vamos combater todos esses animais horríveis… que estão dentro de nós, essas assombrações horríveis que estão dentro de nós, esses condicionamentos horríveis que temos. Vocês têm de se livrar disso. Ainda assim, ainda assim se você se observar, muitos condicionamentos existem, muitas coisas.

Se você observar, eles estão cobertos com cortinas muito finas e você não vê isso, mas eles estão lá. Mas deixe o tigre entrar em todas esses covis e descobrir. E desfrute isso, montando o cavalo, montando o leão e montando o tigre, como uma Deusa, por que não? Afinal de contas, os filhos recebem toda a herança da mãe, não recebem? Assim, vocês têm toda a herança disponível para vocês. Mas vocês têm de ser merecedores, no sentido de que vocês têm de saber que vocês são merecedores, só isso. Vocês só têm de saber que vocês são merecedores… e que podem fazer isso. Assim novamente, hoje nós estamos aqui para fazer este Puja, que teria sido em Perth, mas de um modo ou de outro, não foi assim, e é uma sorte para vocês terem este Puja. E ele é algo de uma natureza muito mais profunda, uma natureza muito mais sutil. Ele é como o sangue de vocês, porque nestes sete dias, eles dizem que a Deusa teve de se vestir de vermelho o tempo todo, porque é a cor do sangue.

E a primeira cor que vocês veem no útero de sua mãe é o vermelho, ele é a segurança. Um lado é o tecido vermelho, o outro lado é a segurança. Então para vocês, é a segurança em volta de vocês. Em todo lugar que vocês vão, ela está lá, apenas a sintam. Vocês entraram, Eu devo dizer, entraram no Reino de Deus, não há dúvidas sobre isso. Todos vocês entraram. Tão belamente vocês estão estabelecidos tranquilamente. Que Deus os abençoe.