Nothing to discuss in Sahaja Yoga

Alibag (India)


Send Feedback
Share

Puja em Alibag, Índia, 17.12.1989

Assim, agora, todos nós chegamos aqui… e nós iremos começar essa peregrinação de viajarmos juntos. A jornada é de uma natureza muito sutil… e se vocês se derem conta de por que nós estamos aqui, nós compreenderemos que toda esta Criação está observando todos vocês, e está tentando ajudá-los de maneira que vocês ascendam… e vocês sintam a profundidade de vocês… e dessa forma desfrutem o seu Si. A viagem talvez não seja muito confortável. As estradas estão muito cheias de… quebra-molas e todos os tipos de obstruções. É uma jornada como a nossa ascensão, Eu senti, pois nossa velocidade deve ser reduzida. No ocidente, nós nos tornamos muito acelerados, sem dúvida, e para reduzir essa velocidade, nós temos de usar… o processo meditativo, de modo que sintamos nossa paz dentro de nós mesmos. Também os pensamentos estão bombardeando nossas mentes… e reagimos muito rápido… aos outros e a esses pensamentos. Portanto temos de estar conscientes, você tem de estar sabendo o que está acontecendo dentro de você mesmo, que os pensamentos estão bombardeando você, você está tentando ascender… e você acha muito difícil se livrar dos pensamentos. O processo do pensamento pode começar… através de seu condicionamento ou de seu ego, somente dois problemas. E você é aquele que está sob o desafio. Assim, você tem essas pessoas simples na vila… que começam a observar tudo, mas elas não reagem.

Se você não reagir, então seus pensamentos pararão. Portanto, a primeira coisa deve ser se observar, de maneira que você não fique reagindo, mas você está experienciando e desfrutando o silêncio, as sutilezas, a beleza, a glória de seu ser assim como de tudo que está em sua volta. Você não tem de se forçar para quebrar esse hábito, mas só ficar alerta. Não é necessário falar demais sobre isso também, nem é necessário… pensar em nada, porque supondo que você veja uma árvore, então ela é somente um árvore. O que você vai pensar sobre ela? E seja o que for que você for pensar sobre ela, ela vai ser a árvore. Assim, não há nenhum mal em parecer um pouco estúpido, não importa. Mas esta é a coisa básica: quando nós começamos a analisar, nós estamos arruinando nossos próprios nervos… e envenenando nossa própria mente e cérebro. Assim, olhar algo sem análise, sem pensar sobre isso, é a realidade. Se você puder alcançar esse ponto onde você observa tudo… sem reagir, você está na realidade.

E somente então a penetração… dentro das sutilezas de seu ambiente, de seus relacionamentos, de suas amizades, o universo inteiro desponta sobre você. É por isso que Eu disse que nesta peregrinação, a primeira coisa que temos de lembrar… é que temos de estar conscientes de nós mesmos. Mas quando você só está pensando nos outros, como os outros têm de se comportar, “eles deveriam fazer assim”, deixe isso para os seus líderes quebrarem a cabeça deles, esse não é o seu trabalho. É uma dor de cabeça para eles, Eu sei, mas eles têm de fazê-lo, está tudo bem. Mas por que vocês querem quebrar suas cabeças por nada? Portanto, julgar os outros, pensar nos outros, o que eles estão fazendo, o que há de errado neles, sobre qualquer coisa, seja o que for que vocês possam pensar que é errado, não vai ser corrigido. Por exemplo, Eu conheço algumas pessoas… que são especialmente burocratas, eles estão viajando, vamos supor, de carro, então eles dirão: “Eu acho que esta estrada deveria ir para este caminho”, ou “Eu acho que teria sido bom…” “se esta casa ficasse de frente para outro caminho”, mas não é, entendem? Ela não vai ficar de frente dessa forma. Ela vai ficar da forma que ela é. Então de que adianta gastar seu cérebro, sua mente, seu pensamento sugerindo algo que não vai acontecer… e nunca vai acontecer também? Então quando começamos: “Eu acho…” “que estas árvores deveriam ser um pouco mais altas”, mas elas não são.

“Eu acho…” “que os corvos deveriam parar de fazer barulho”, eles não vão parar. Então simplesmente aceite isso. Aceitação é o meio pelo qual vamos desfrutar. Mas aceitação não significa tolerância, porque tolerância significa você ter de trabalhar muito duramente… para aceitar que essas árvores são da mesma altura. elas não podem crescer, isso é demais para você. Quando você diz: “Eu tenho de tolerar isso,” “porque minha mente não aceita”. Então aceitação, do jeito que é, seja o que for que você veja, aceitação. E é desse modo que as pessoas crescem, Eu tenho visto, aqueles que começam a aceitar, esse é o sinal. Esse é o sinal da força e da profundidade deles. Por exemplo a propensão desta Mãe Terra, Ela é o que Ela é. E Ela suporta tudo que está lá.

Se você colocar uma coisa pesada Nela, Ela colocará uma força igual e oposta e suportará isso. Ela não diz: “Eu estou tolerando isso, estou exercendo alguma pressão.” Mas Ela apenas fica aceitando. Então o estado de testemunha e a consciência se desenvolve… quando você apenas começa a aceitar as coisas como elas são. “Eu acho” não dá certo. “Eu acho que teria sido melhor deste jeito” não dá certo. O segundo problema é “eu gosto”. Agora, “eu gosto de comer um bolo”, mas não há nenhum bolo, o que fazer? Agora, seja o que for que estiver lá, desfrute isso como um bolo. Mas se você continua pensando assim: “Eu gosto de tudo que não estiver aqui”, você nunca pode ser feliz, é simples assim.

Você tem de dizer: “Eu gosto…” “de tudo que está lá, eu desfruto tudo que está lá”, então essa é a realidade. Seja o que for que não exista, se você gostar, o que alguém pode fazer em relação a isso? Isso funciona de tantas maneiras, em tantas facetas na vida, que as pessoas tiram vantagem, porque nos tornamos tão vulneráveis… aos nossos gostos e desgostos que os empresários assumem o controle… e eles criam gostos e desgostos em nossas cabeças… e colocam ideias todo dia. Eu tenho visto agora o modo como eles fazem isso… através da televisão, através dos jornais, através disso, daquilo. Então depois você diz: “Agora eu gosto disso”. Mas de onde esse gosto surgiu? É o condicionamento que está colocado em sua cabeça. Então você é um escravo desse condicionamento. “Eu só gosto de rosas…” “e eu não gosto de nenhuma outra flor.” Por quê?

Por que você não gosta de nenhuma outra flor? E por causa dessas coisas, seja o que for que tenhamos, nós perdemos a alegria. Portanto a segunda parte deveria ser gostar de tudo. “Por que eu estou aqui?” “Não é um lugar muito confortável de forma alguma,” “então por que estou aqui?” Para desfrutar uns aos outros; Para desfrutar o seu próprio ser. Quanto mais divergência você tiver externamente, apelando para seu ego e condicionamento, quanto mais sua mente fica ocupada com isso, então você não pode desfrutar nada. Então tratando-se de outro condicionamento que é muito sutil: “eu sou inglês” ou “eu sou americano”… ou talvez até mesmo “eu sou de Derbyshire”… e depois “eu sou de um outro bairro,” “e então é melhor formar um grupo”, o agrupamento começa. Em uma forma sutil, isso é um tipo de insegurança. Então começamos a formar clubes.

Os animais fazem isso frequentemente, eles têm de fazê-lo, porque o senso de segurança deles é muito grande. E então os seres humanos também fazem isso, mas não os santos, não os anjos. Eles não formam grupos, porque eles não têm nenhuma nacionalidade. Nacionalidade é também um condicionamento. Eles não pertencem a nenhum lugar, a nenhum país. Assim, agora, aqueles que vieram de avião, tinham de vir, porque em cada país há um avião através do qual eles vêm, devem saber uma coisa: agora nós pousamos e todos somos Sahaja Yogis aqui… e esqueçam seus países. Esqueçam-nos… e se misturem com outras pessoas. Por favor não formem grupos. Não há nenhuma necessidade de forma alguma de formar grupos. Então Eu lhes pediria isso nos ônibus, porque começa do aeroporto, vocês começam a formar grupos… e isso continua até o final quando vocês voltam.

Eu acho que seria uma boa ideia quebrar isso… e deixar as pessoas se sentarem juntas, pessoas de diferentes países e nacionalidade, e falarem umas com as outras, tentar conhecer umas às outras… e tentar descobrir sobre uns aos outros. Não só o que você tem conhecimento dos jornais, mas sim os diferentes problemas da Sahaja Yoga, quais são os problemas da Sahaja Yoga em um determinado país. O que acontece em um determinado país. O pior de todos é o condicionamento da leitura. A leitura sem luz é inútil. E algumas pessoas ainda têm o hábito… de se lembrar de algo que elas leram… e um tipo de exibicionismo quando elas falam. É melhor ouvir os outros. Deixe os outros falarem. Na Sahaja Yoga, sobre qual assunto você discutirá? Eu não sei, como você pode discutir sobre alguma coisa?

Agora, você vê que isto aqui tem uma coisa verde. Agora, o que você pode discutir sobre isto? Você dirá: “Tudo bem, isto é verde, mas há…” Então uma outra pessoa diz: “Não, isto é verde, mas…” A pessoa pode continuar desse jeito, loucamente. Não há nenhuma necessidade de discutir na Sahaja Yoga. Eu simplesmente não sei sobre o que vamos discutir. Vocês sabem tudo, vocês sabem como a Kundalini se eleva, vocês sabem como os chakras são limpos, vocês sabem como vocês obtêm a Realização. Todos vocês sabem quem é, quem bloqueia o quê, e vocês sabem como isso afeta. Agora, se isso é o fato, se isso é a verdade, se isso é o que é, o que vamos discutir sobre isso? As discussões acabaram agora. Vocês são gnósticos, vocês são pessoas com muito conhecimento.

Vocês têm o conhecimento, mas o conhecimento que vocês têm é compartilhado por cada um de vocês. No máximo, você pode falar sobre suas experiências, você pode falar sobre seus relacionamentos, como você tem desfrutado. Mas não há nada para discutir na Sahaja Yoga. Eu ouvi falar de pessoas que ficam discutindo. Eu simplesmente não sei como pode haver uma discussão sobre a Sahaja Yoga. Eu ficaria muito feliz de saber, se vocês puderem Me dizer… como podemos discutir sobre a Sahaja Yoga. Portanto nós temos de nos lembrar que seja o que for que falemos, devemos falar sobre nossas experiências, sobre nossas alegrias, nossa felicidade, tudo, e não discutir e analisar, porque isso matará a alegria completamente. Não há nenhuma alegria nisso, discutir é somente ficar tentando mostrar que… vocês sabem melhor do que os outros ou vocês podem dar uma outra opinião. Na Sahaja Yoga, não há nenhuma outra opinião. Se alguém tem um Nabhi, ele tem um Nabhi, que outra opinião você pode ter?

Então nós acabamos com diferentes tipos… de argumentos e discussões e coisas assim. Talvez alguém saia dos trilhos, talvez, mas todos vocês sabem que ele está saindo dos trilhos, então de que adianta discutir isso? Todos vocês sabem que o que ele está falando é fora dos trilhos, então tudo bem. Você chega à conclusão: “Sim, nós sabemos, nós sabemos, nós sabemos.” Mas não há nenhuma necessidade de discutir isso. Uma vez que você saiba e isso está em sua consciência, o Paramchaitanya cuidará disso… e você não terá de se preocupar, de forma alguma, em como corrigir, como consertar isso, o que fazer, esse não é o seu trabalho, apenas deixe isso para o Paramachaitanya… e Ele trabalhará isso. Assim, nós viemos para cá porque este país… tem sido muito abençoado por muitos santos e yogis… e você pode ver isso nas pessoas, como elas são. E é por isso que, apesar de toda a pobreza, apesar de todos os tipos de desconfortos… e apesar do fato deles não conhecerem… nenhuma coisa grandiosa ocidental, eles não se incomodam. Eu fui à Rússia, é claro, na Rússia foi formidável… e muitos tiveram a Realização. E Eu realmente fiquei surpresa ao ver como aquelas pessoas… vieram à Sahaja Yoga… e a aceitaram.

Mas uma parte foi muito estranha, que foi, Eu diria, como os aldeões deste país. Aqueles que ainda não são tão maduros… não viriam para a Sahaja Yoga, mas a diferença do caráter deles era realmente notável, porque você está indo de taxi, então o motorista diz: “Você tem cigarro Malboro?” Eu disse: “O que é isto? Eu nunca ouvi falar disso.” “Não, se a Senhora tiver um, então eu A levarei de graça…” “ou eu Lhe cobrarei bem pouco.” Mas um indiano nunca dirá tal coisa, ele não sabe todas essas coisas, ele não se importa. Mas se um motorista de taxi indiano estiver indo, ele dirá: “Você tem uma fotografia de Mataji?” Essa é uma grande diferença. Em cada aspecto, Eu tenho visto que há um outro… como há aldeões aqui, as pessoas que não são Sahaja Yogis, mas eles respeitam, eles respeitam um santo. Para eles, um santo é mais importante do que qualquer outra coisa.

Ninguém lhe pedirá nada, nunca. Mesmo se você quiser lhes dar, eles não aceitarão. Eles talvez enganem você, algumas pessoas que estão vendendo coisas, mas eles nunca lhe pedirão: “Dá-me isto, dá-me aquilo”, isso não é feito. Então basicamente, Eu acho que há uma diferença… que nós devemos entender: o materialismo atua mais rápido no ocidente… do que na Índia, muito mais rápido. E vocês têm de tomar cuidado nesse ponto. Eu estou trazendo vocês a este ponto agora: “Estamos nos perdendo no materialismo?” É claro, vocês sabem, Eu sou uma grande compradora. Eu tenho de continuar comprando, comprando, comprando, e Eu compro para todos vocês e Eu tenho comprado, sem dúvida. Mas a diferença entre… Minhas compras e as compras de muitos é esta: se Eu estou comprando, estou indo lá… porque Eu sei que conseguirei coisas muitos mais baratas, muito melhores. Todas as coisas boas estarão lá disponíveis porque Eu estou lá, Eu tenho certeza disso.

E todas as coisas de melhor qualidade… estarão disponíveis muito facilmente… e Eu serei capaz de conseguir coisas para as pessoas, porque Eu Me lembrarei de todos eles, para quem Eu tenho de comprar. Isso sempre acontece desse jeito. Quando Eu saio para fazer compras, mesmo se Eu tiver de enfrentar 400 pessoas, Eu consigo as coisas lá. É por isso que Eu tenho de ir. Tudo bem, se vocês têm de ir, então vocês têm de pensar: “O que iremos comprar?” Eu tenho visto que invariavelmente os Sahaja Yogis comprarão coisas… para não Sahaja Yogis, sempre, na maioria das vezes. “Estou comprando para minha mãe, minha irmã que é contra a Sahaja Yoga.” Por que você deveria comprar para alguém que é contra a Sahaja Yoga? Mesmo se eles forem seus parentes mais próximos, você acha que eles merecem isso? Assim, nós temos de saber que somos um único corpo… e assim como que esta mão deve cuidar da outra mão, quando saimos para fazer compras ou fazer qualquer coisa assim, nós devemos sempre pensar o que iremos comprar… para outros Sahaja Yogis.

É claro, Eu lhes falei que a menos e até que alguém seja … sua irmã rakhi ou algo assim, você não precisa dar presentes. Mas as mulheres podem comprar para as mulheres, os homens podem comprar para os homens. Apenas entendam uma pequena coisa: a matéria é para a expressão… de nosso amor, só isso, ela não tem nenhum outro significado. Eu não acho nenhum outro significado nela. Assim, ao invés de comprar para – quando as pessoas viajam daqui, elas vão como comerciantes, Eu tenho visto. É claro, vocês vêm como comerciantes também, mas isso é algo dhármico. Mas quando vocês vão daqui, vocês vão como comerciantes, e para quem vocês estão comprando? Seus relacionamentos não são mais com ninguém, , exceto com Sahaja Yogis e somente Sahaja Yogis. Quer eles sejam indianos, ingleses, chineses, suiços, franceses, espanhóis, alemães, qualquer coisa. Eles talvez achem que são.

Eles são Sahaja Yogis e eles nasceram na terra… que chamamos de Reino de Deus. Então por favor, tomem cuidado nesse ponto. Hoje sendo o primeiro dia, Eu quis lhes explicar tudo… de tal maneira que vocês se lembrem que nós estamos numa peregrinação… e todos nós devemos ser capazes de crescer nossa consciência. Se vocês não podem crescer sua consciência, isso é inútil. Uma vez que vocês comecem a pensar assim, vocês ficarão surpresos… ao ver o quanto vocês ganharão e o quanto alcançarão. Não há nenhum “faça” e “não faça” na Sahaja Yoga, realmente, e Eu não acho que temos muita disciplina também, de nenhum tipo. Mas é a Sahaja Yoga que de uma forma ou de outra os disciplina, Eu não tenho de lhes dizer nada. É como o fogo, se colocar sua mão no fogo, ele queimará você, quer você goste disso ou não. Da mesma maneira, se você faz qualquer coisa asahaja, você terá de pagar por isso. Então você sabe definitivamente que você não quer perder suas vibrações, você não quer se tornar infeliz.

Mas nesse momento, com uma compreensão mais profunda… e reverência ao seu Si e à sua ascensão, você tem de assumir uma atitude muito alegre e séria. Eu tenho certeza que desta vez, todos vocês só vão estar desfrutando o seu Si. Que Deus os abençoe.