Discernimento Divino, Hamsa Chakra Puja

YMCA – Camp Marston, San Diego (United States)

Feedback
Share

Hamsa Chakra Puja San Diego, EUA, 28.05.1990

É um grande prazer vir para os EUA encontrar todos vocês aqui. Este país, como Eu lhes disse, é um país muito importante no campo da espiritualidade. Não porque é um país muito grande ou porque é muito próspero, mas porque, como vocês sabem, ele é o Vishuddhi no plano do Virata. O Vishuddhi é um chakra muito importante, ele tem uma manifestação muito grande também. Por exemplo, ele tem um outro, vocês podem dizer, um chakra secundário, que nós chamamos de Hamsa Chakra. E a estrela que está aumentando este centro, ou podemos dizer, a estrela que reside, na qual esse centro está trabalhando. é Saturno, E como vocês sabem, com Saturno há um outro pequeno Saturno se movendo. Da mesma maneira com este Vishuddhi Chakra, há um outro que é um chakra muito importante, que chamamos de Hamsa Chakra. Nós tivemos um Puja do Hamsa Chakra na Alemanha uma vez. E ele atuou, Eu acho, porque os alemães perceberam que… seja o que for que eles fizeram até agora foi totalmente desumano. E Eu fiquei muito feliz ao ver que quando Eu fui à Rússia, as pessoas que vieram para dar a Realização a eles… eram na maioria alemães.

Isso realmente faz você se sentir tão terno em relação à coisa toda… que os alemães sentiram que isso é importante, quero dizer, eles foram os que foram atraídos para vir à Rússia… para dar a Realização aos russos; e vocês devem saber que o número de russos mortos… são o maior na guerra, nessa guerra, pelos alemães. Então o discernimento, o Discernimento Divino, que se manifesta através de seu Hamsa Chakra, primeiro começou na Alemanha. E agora você vê como a Alemanha Oriental… está entrando em território alemão, na Alemanha Ocidental, e como eles estão dando boas-vindas a eles, cuidando deles. E quem fez todas essas coisas? Foram poucos Sahaja Yogis que desencadearam isso. Então, nesses países onde houve… imensos problemas de guerra e eles tiveram czares… e tiveram de passar pelo inferno, mesmo os alemães… tiveram de sofrer muito por causa da má orientação de Hitler, eles conheceram as adversidades, eles conheceram os sacrifícios, eles conheceram todos os tipos de provações que tiveram de passar, mas de alguma forma, este país tem sido abençoado a tal ponto… que os americanos nunca perceberam o que é a adversidade. E as bênçãos realmente os estragaram. As adversidades têm existido em todos esses países… que chamamos de Bloco Oriental, e a Sahaja Yoga está se espalhando como fogo… em todos esses países do Bloco Oriental… onde eles têm estado completamente sob o domínio dos russos, podemos dizer, ou sob o domínio do terror. E o mesmo terror tem atuado na Rússia, em toda parte. Nesse terror, nesse medo, é surpreendente… como essa sabedoria cresceu… em todas essas pessoas muito mais do que em países… onde temos a maior riqueza, o maior conforto da vida.

A adversidade lhes ensinou, o medo lhes ensinou a serem sábios. E a melhor parte é o discernimento. Agora este é o país de Shri Krishna, porque Ele é Kubera, Ele é o Deus da riqueza. O país é rico, sem dúvida; mas a outra parte de Shri Krishna está completamente perdida, é o Discernimento Divino. Como o Discernimento Divino Dele é mostrado, mesmo no Mahabharata, é maravilhoso ver. Como Ele lidou com os Pandavas para ganhar a guerra… através do Seu Discernimento Divino, porque eles eram dhármicos, eles estavam sustentados no dharma. E modo como Ele apoiava os Pandavas porque eles eram dhármicos. Mas exatamente o oposto é a situação da América, a América sempre apoia pessoas erradas. E eles não têm princípio de retidão ou princípio de sua própria liberdade. Por exemplo, apoiar algo como a Argentina ou o Peru, onde há uma ditadura completa.

Eu estive lá. Eu sei como é na época em que estava sob o regime dessas pessoas. E foi isso que aconteceu com o povo deste país, eles não têm Discernimento Divino de forma alguma. E é por isso que Eu acho que todos os falsos gurus vieram… e se estabeleceram aqui, porque eles sabem que essas pessoas não têm… nenhum Discernimento Divino. O Hamsa Chakra é tão fraco aqui… que eles não podem ver o que é dharma e o que é adharma. Além disso, o princípio básico pelo qual este país… tornou-se democrático foi que este governo é para o povo, do povo, pelo povo. Então ele tem de ser orientado ao povo. Mas a democracia neste estágio sem a Realização não pode dar certo. É óbvio. Poucas pessoas que eram astutas, que podiam ganhar dinheiro… tornaram-se muito orientadas para o dinheiro, elas podiam anunciar melhor; elas podiam manipular melhor do que as outras pessoas… que eram trapaceiras também, ganhando dinheiro desse jeito, através das drogas, através de outras coisas, por outros meios.

Elas podiam atingir posição social, elas foram eleitas e elas estão no comando. Portanto, isso não é orientado ao povo, mas é apenas uma democracia orientada ao dinheiro. E talvez se continuar assim, você descobrirá… que talvez você tenha alguns trapaceiros horríveis como governantes neste país. Porque aquele que consegue ganhar dinheiro, aquele que tem muito dinheiro, ladrão ou trapaceiro, quem quer que seja, pode ganhar as eleições e pode se tornar nosso governante aqui. Então a democracia que foi iniciada ou foi explicitada… por Abraham Lincoln não está mais lá, é uma coisa orientada ao dinheiro. E isso gerou uma atmosfera tão ruim no mundo inteiro… que no mundo inteiro agora os conservadores, as pessoas que pensam que são conservadoras, que são pessoas orientadas ao dinheiro, que não se importam com as pessoas… de forma alguma estão se tornando os líderes, em todos os lugares. Então, para ser orientado ao povo, alguém tinha de, antes de tudo, entender que você tem de ter sua Realização, caso contrário, você não se torna um ser coletivo. Se você não se tornar o ser coletivo, você não pode desfrutar… a bela virtude da generosidade. E quando você não tem essa generosidade, então você se torna uma pessoa de uma mente muito pequena… e um coração pequeno. E a desonestidade atua em todos os lugares.

Externamente eles são muito doces para falar. Mas internamente não sabemos o que eles farão, como eles enganarão. Nós estamos nesse tipo de atmosfera. Enquanto na Rússia nós procedemos tão bem. Na Rússia, as pessoas estavam apenas esperando para uma Mãe vir, só isso. Eles são veneradores da Mãe, antes de tudo, e eles estavam querendo alguém apenas para amá-los, cada um deles, para lhes falar sobre o amor. Porque eles sentiram que nunca foram amados pela mãe deles. Aqui também, ninguém é amado. Mas o padrão do governo de lá… e o padrão das pessoas são dois tipos diferentes. As pessoas do governo são muito, você pode chamá-los de muito dominadores, do tipo extremamente rigorosos e exploradores.

Mas o povo são as pessoas exploradas. Mas aqui, o padrão do governo é dominado pelas pessoas. Assim como o governo está explorando as pessoas, as pessoas também estão… explorando umas às outras. Tanto quanto elas podem explorar: “Muito bom, afinal o dinheiro é o objetivo.” É por isso que Eu costumava pensar por que na América… a Sahaja Yoga está fracassando. Todos os tipos de bandidos vieram para cá, eles ganharam muito dinheiro, eles têm, quero dizer, todos eles são expulsos… e muitos tiveram que ser expulsos, tudo bem. Mas no que diz respeito à mensagem da Sahaja Yoga, as pessoas não conseguem absorvê-la. Então agora, para os Sahaja Yogis, é muito importante… se tornarem realmente Sahaja Yogis muito profundos, muito, muito profundos, para que possamos desencadear melhor. Mesmo que haja dois Sahaja Yogis que são muito profundos, pode-se desencadear muito. Por exemplo, vocês ficarão surpresos, na Hungria as pessoas estavam… dizendo no início: “Mãe, e quanto à Hungria?

Ela deve se tornar livre.” Eu disse: “Que haja um Sahaja Yogi para assumir.” Apenas um sujeito assumiu, totalmente doente, um sujeito muito magro e cansado. Eu tratei dele, Eu o curei. E com amor, ele ficou nutrido. E dentro de oito dias depois de sua Realização, ele voltou, e depois de uma semana, a Hungria conseguiu sua liberdade. Embora sejamos poucos aqui, todos nós temos de estar muito conscientes disto: nós somos a fundação e se falharmos, nós facassaremos nosso país. E nós temos de ser Sahaja Yogis muito profundos, sensatos. Então, quais problemas nós enfrentamos aqui? Primeiro, como Eu disse centenas de vezes, vocês têm de abrir seu coração.

Isto é uma coisa muito importante para todos Sahaja Yogis: abrirem seu coração. Olhem em seus corações. O que você quer? Não através da racionalidade, mas através das vibrações. O que você quer? Pergunte a si memso: “O que eu quero?” Depois diga algumas palavras: “Eu quero dinheiro”, as vibrações não fluirão. “Eu quero isto, aquilo”, as vibrações não fluirão. Então o que você quer? “Eu quero ser um Sahaja Yogi profundo, muito profundo,” “para que eu possa salvar meu país.”

Se os americanos forem para o inferno, vocês serão responsáveis por isso, mais ninguém. Você precisa de muito poucas pessoas para desencadear isso, Eu lhes digo. Mas nós ainda nos apegamos ao nosso passado. Os problemas e os problemas da América são tipos muito diferentes o tempo todo. Primeiro é agressividade. O que há na agressividade? Amar alguém, ser gentil com alguém deveria ser tão natural, porque é isso que seu Espírito é. Ele ama. Ele desfruta o amor dando amor. Então, para permitir que seu Espírito se manifeste, você tem de entender a natureza Dele. O Espírito nunca pode ser agressivo, nunca pode dominar.

Ele respeita a liberdade de outra pessoa, porque Ele é um Ser livre. Então essa agressividade que temos dentro de nós, nós temos de realmente confrontá-la… e perguntar: “Por que nós somos agressivos?” Mas o entendimento sobre si mesmo tem de ser muito honesto também. Porque se você quiser justificar… e se você quiser fechar os olhos para a realidade, então você não pode melhorar a si mesmo. E quando a profundidade cresce interiormente, então isso é fabuloso, Eu lhes digo, porque esse Poder que está nos cercando, que vocês conhecem, que vocês sentiram, tem de fluir através de um meio que seja totalmente limpo, sem ego, sem condicionamento. Mas nós somos tão condicionados… e neste assim chamado “país livre”, essa liberdade tem nos condicionado. É como um indivíduo que é deixado solto, não sabe para onde ir. Ele bate a cabeça deste lado, bate a cabeça daquele lado, bate a cabeça daquele lado. E os problemas são tão estranhos, problemas que não existem em lugar nenhum existem neste país. Você os conhece muito bem.

É um estado tão chocante que quando nós pensamos nisso, O que irá acontecer? Onde vamos estar? Portanto nós estamos realmente em guerra na América, Eu devo lhes dizer, para Sahaja Yogis, realmente em guerra. A menos e até vocês assumam a Sahaja Yoga como… sua única preocupação, isso não irá dar certo. Nós temos problemas como alguém que não tem emprego, então alguém tem algo, ele perdeu algo aqui, então os problemas de marido e mulher e todas essas coisas insensatas. As pessoas ainda estão lutando com isso. Quantas vezes você foi casado em vidas anteriores? Então a esposa de alguém está dominando, o marido de alguém está dominando. Coisas tão absurdas. Não convém a santos.

Assim, a qualidade dos Sahaja Yogis na América, a menos e até que seja elevada, não se pode desencadear nada aqui. E a primeira coisa que os Sahaja Yogis devem ter é coletividade na América, porque a América representa o Vishuddhi Chakra, que está manifestando a coletividade dentro de nós. E se as pessoas não podem ser coletivas, então como vocês podem ter a Sahaja Yoga se manifestando aqui? Impossível. Porque essa é a maior qualidade que vocês têm. Esse é o poder básico que vocês têm neste país: é a coletividade dentro de vocês. Portanto você tem dois poderes básicos. Primeiro é a coletividade… e o segundo que você tem é o Discernimento Divino. Basicamente são lhes dados esses poderes, e se nos formos exatamente o oposto… Eu ouvi falar de muitos Sahaja Yogis…. que evitam a companhia de crianças, que fogem de outras pessoas. Se eles virem três, quatro pessoas sentadas lá, então eles não podem dividir o quarto com elas.

É muito comum. Por exemplo, agora, supondo que haja um quarto muito pequeno… e muitos têm de dormir em um quarto pequeno, É bom, de certa forma. É uma experiência. Então, onde você dorme? Você dorme ali, você dorme ali. Como você dá um jeito? Você não pode ir ao banheiro. E é um evento. A vida que é sem dificuldades é chata. Deve haver alguns eventos na vida, assim.

Mas os americanos sempre evitam qualquer, qualquer coisa assim que requeira um momento agitado. Caso contrário, se você anda direto para frente, você chega a algum lugar, abre a porta e tudo está pronto, você entra em uma sala, tudo está eletrificado… e você só pega sua cadeira, você se senta na cadeira. Se você tem de se levantar, a cadeira te coloca para fora. Ou, Eu fui à casa de alguém e eles disseram: “Nós temos uma cama aqui.” Eu disse: “O que é tão especial?” Ele disse: “Se você apertar este botão, suas pernas subirão.” “Se você apertar este botão, sua cabeça subirá.” “Você vai virar.” Eu disse: “Eu posso fazer tudo isso sozinha.” “Eu não sou tão velha ou tão fraca de modo que Eu não possa fazer isso.”

Mas vejam, eles, do jeito que as pessoas são, sempre procurando conforto, sempre procurando conforto, e gostam de ter uma vida suave. E a suavidade os tornou tão entediantes. Quero dizer, a vida deles é realmente entediante. E uma pessoa que tem uma vida entediante… não pode ter uma visão, não pode. Tudo está feito agora. Você vai lá, tudo é de primeira classe. Não há nada para se preocupar. Há um… você vai para um hotel, tudo é pago, bem mantido. É um hotel muito bom. Mas quando você está hospedado em um hotel… e de repente as pessoas lhe dizem: “Oh, vai haver um terremoto!”

Você sai correndo de pijama… e você se percebe com pessoas estranhas. E é disso que você se lembra. Você pode ir a vários lugares e viver com vários confortos… e coisas assim, você não se lembra disso. Então as pessoas agora querem fazer algo estranho. Por exemplo, elas querem fazer trilhas escalando, elas estão fazendo isso, e todo esse tipo de coisa estranha. Porque a vida não é agitada, eles estão tentando algo que é perigoso, que os está destruindo. Mas supondo, se você tivesse aceitado eventos na vida como importantes, o que isso importa? Vamos ver o que acontece. Por exemplo, se Eu disser: “Agora, algumas pessoas têm de ir daqui…” “para Phoenix e se estabelecer lá.” Imediatamente: “Como eles irão?”

E, “Onde será a casa?” “Onde eles vão ficar?” “Quem vai pagar por isso?” E em cada pergunta, eles têm uma pergunta tão grande. “Sim, nós iremos. Que mal há nisso? Nós ficaremos em qualquer lugar,” “debaixo de uma árvore, não importa. O que é isso?” “Afinal, os macacos podem viver lá, por que nós não podemos?” “Eles eram nossos antepassados.”

Mas esse tipo de temperamento de “amante do conforto” é muito perigoso. E eles sentem que estão muito cansados, o tempo todo. Você vê nos filmes americanos hoje em dia, o que Eu vejo é… qualquer um, mesmo uma heroína ou um herói, vem e diz: “Ahhh.” Talvez eles pensem demais que estão trabalhando duro… ou eles estão fazendo isso. O tempo todo eles pensam. Há uma Sahaja Yogini em Londres, ela é uma moça indiana, trabalha muito duro, faz toda costura, ela faz tudo. Ela é muito feliz. Há um outro que é inglês, ele está sempre cansado. Então Eu disse a ela: “Por que ele está cansado? Ele parece tão saudável.

Por que ele está tão cansado?” Ela disse: “Mãe, ele acha que está trabalhando.” “Eu não acho, eu acho que é a Mãe que está trabalhando,” “porque eu deixo tudo em Seus Pés de Lótus.” “Eu não estou trabalhando, Ela está trabalhando.” “Eu estou deixando tudo em Seus Pés de Lótus, só isso.” E então você não sente isso. Agora a briga entre marido e mulher aqui é principalmente: “Quantos pratos você lavou, quantos pratos eu lavei.” “Quanto trabalho físico você fez, quanto trabalho físico eu fiz.” É uma tipo de competição acontecendo como se o tempo todo pesassem: “O que você fez, o que eu fiz.” Mas supondo que se você quiser fazer algo dessa forma: “Deixe-me ver, eu vou surpreender meu marido fazendo tudo muito bem.”

“Vamos terminar isso rápido.” Você fará isso muito bem e nunca estará cansada. E quando você vir seu marido chegando em casa… e vir as coisas tão bem feitas, tão bem, tão feliz, essa alegria de fazer algo para fazer alguém feliz… neutralizará completamente todo o seu desconforto ou a fadiga que você tem. O contrário, também. O marido também deve sentir: “O que eu poderia fazer por ela?” Uma pequena coisa pode fazê-la feliz. E os divórcios aqui acontecem o tempo todo por causa deste tipo de ideia insensata: “O quanto ele fez, o que eu fiz, o que ele fez.” O tempo todo pesando isso… e tornando a si mesmo infeliz. Eu viajo muito, como vocês sabem. Eu nunca sinto que estou viajando, porque Eu estou lá Comigo mesma, quer Eu sente aqui ou viaje é a mesma coisa.

Mas se você pensa: “Eu estou viajando”, então você sente: “Oh Deus, eu estou viajando!” Mas se você pensa: “Eu estou sentado aqui na cadeira;” “eu estou sentado lá na cadeira”, você não se sente cansado. Se você está fazendo algum trabalho, você se sente cansado… quando você começa a pensar: “Eu estou fazendo esse trabalho, fiz aquele trabalho.” Especialmente na Sahaja Yoga, se você pensa: “Eu estou fazendo algum trabalho”, é melhor não fazê-lo. Mas se você pensa: “Eu não estou fazendo nada”, que alegria, que alegria é isso. Você vai se tornar tão disposto, porque uma vez que você entregue, então o Poder Divino começa a fluir através de Mim. É por isso que Profeta Maomé disse: “Islã”, significa “entregar”. Ele disse isso sobre Mim também: “Eu lhes enviarei”, Ele me chamou de “O Enviado”. Tudo que Ele falou, de haver vibrações e tudo mais, em Seu próprio estilo, mas Ele disse que a mensagem seria da entrega. E essa parte da entrega tem de estar presente, porque Shri Krishna no Gita disse claramente: “Esqueça todo dharma, apenas entregue-se a Mim.”

E essa entrega, se os Sahaja Yogis a desenvolverem na América, o resto Eu cuidarei. Mas vocês deixam para Eu fazer isso. E então ideias e tudo começará a fluir, porque este é o lugar de Virata. É por isso que vocês têm grandes cientistas aqui, grandes escolas para todos os tipos de trabalho intelectual… e tudo isso está aqui, enquanto as pessoas não são sábias. Elas não são sábias de forma alguma. Eu conheci pessoas que – havia uma – Eu Me encontrei com um presidente… da “Union Society”, ele tinha 80 anos de idade, e ele deveria ser o Presidente do mundo inteiro. E ele disse: “Preciso vê-La em particular.” Eu disse: “Tudo bem”. Ele veio até Mim e seu problema era tão estúpido… que Eu comecei a olhar para ele. Um homem de 80 anos, esse sujeito estúpido.

Ele não é nem mesmo como um garoto de 10 anos. Nenhuma maturidade de qualquer tipo, tão imaturo. E quando Eu o vi, Eu simplesmente tive o vislumbre da coisa toda: “Olhe para este homem, 80 anos de idade,” “ele é o presidente da Union Society,” “em todo o mundo, as pessoas pensam que ele é o presidente daquilo.” A cadeira talvez fosse melhor do que ele. Um sujeito tão estúpido, de certa forma. Um sujeito tão estúpido que você não pode imaginar. Então eles podem ser inteligentes, eles podem ser versados, eles podem ser capazes de descobrir algo a partir da matéria, mas eles não têm sabedoria. E a sabedoria somente pode vir através da introspecção honesta. Mas não deveria ser também: “Eu estou bloqueado neste chakra,” “eu estou bloqueado naquele chakra.” Não é isso.

Mas sim: “Por que eu não estou vendo o ponto?” “Qual é o problema comigo?” “Por que não consigo entender o que é a Sahaja Yoga?” Mesmo quando vocês se tornaram Sahaja Yogis agora, por vários anos, ainda assim essas coisas antigas insensatas grudam em vocês, essas ideias grudam em você. Por quê? “Por que nós não temos essa pureza do Discernimento Divino…” “que vê tudo tão claramente?” Portanto Eu acho que nós precisamos da coletividade antes de tudo, e em segundo lugar, honestidade meditativa. Só meditar, sentar diante da fotografia, fazer a meditação, não! A meditação deve atuar, deve funcionar. Se não funcionar, há algo errado com você.

Sem dúvida, há algo errado. Se você sente que tudo está funcionando bem, tudo está milagrosamente mostrando a presença Dele, a presença do Paramachaitanya, então você está bem. Mas se não for assim, se houver problemas, então você não é, você não é um Sahaja Yogi. O Sahaja Yogi é aquele que está completamente conectado… com este Paramachaitanya. E para isso, a idade não é nenhum impedimento. Já vi moças com apenas 16, 17, 18 anos tão sábias. Mesmo crianças pequenas que estavam com Guido, Eu falei com elas. Eu fiquei surpresa com a sabedoria delas. Tão sábias, tão belas. Elas entendiam tão bem a natureza humana.

As crianças pequenas, elas tinham no máximo dez anos de idade. E é bom conversar com elas. Portanto essa sabedoria, se elas podem ter nessa idade, agora nós também temos, todos nós somos Sahaja Yogis com cerca de dez anos de idade, no mínimo, nada mais. Mas nós ainda estamos lutando contra prioridades ambiciosas e erradas. Não há nenhuma necessidade de ter ambição. A ambição é uma coisa imaginária. Mas a Sahaja Yoga é a realidade. Tudo dá certo, tudo se organiza, tudo se planeja. Mas sentir que se isso é assim, como Eu disse, em uma sala pequena há doze pessoas, é algo para o bem. Por que não?

Nós temos de estar presentes. Se Eu perdi o caminho, supondo, então Eu diria que Eu tenho de ir por este caminho. Dessa vez, nós adquirimos uma passagem que estava um pouco errada… de acordo com todos, porque nós tivemos de passar por Phoenix. Mas foi bom porque senti as vibrações de Phoenix, Eu tinha de ir por aquele caminho. Eu tinha de ver aquilo. Então, sempre encontrar algo tranquilo, do jeito que queremos que seja tranquilo, não é a maneira da Sahaja Yoga. O que quer que consigamos, nós vemos a mão do Divino por trás disso. Qual é o nosso propósito de vida? O nosso propósito de vida é salvar as pessoas, salvar os americanos, o mínimo de mínimo. Não o mundo, mas pelo menos começar com os americanos.

Esse é o nosso propósito de vida, essa é a nossa identidade. Enquanto fazemos isso, há o Paramachaitanya que cuidará de você completamente. Mas primeiro coloque-se diante de todo o resto, “Eu devo ter isso, eu devo ter aquilo, eu devo ter isso” não dará certo. Depois: “Eu tenho esse problema, eu fali,” “eu tive esse problema, eu simplesmente não conseguia lidar.” Porque você colocou outras coisas diante do seu Si. “Si” significa o Espírito. De acordo com as pessoas, “si” significa egoísmo, mas de acordo com a Sahaja Yoga, “Si” significa o seu Espírito. Assim, a palestra de hoje não deveria ser que… ouvimos de um ouvido e passa pelo mesmo ouvido, mas devemos ponderar um pouco sobre isso e ouvi-la muitas vezes. Eu tenho grandes esperanças em vocês. Eu trabalhei muito duro na América, muito.

Mas nunca esteve nesse estado onde Eu poderia dizer: “Agora Eu posso desencadear algo.” Mesmo que haja poucos Sahaja Yogis que são muito profundos e bons, eles são puxados para baixo pelos outros, por ciúmes, por isso, por aquilo. Não é a quantidade que vocês são, mas sim a qualidade que vocês são, antes de tudo. Mas na Rússia, Eu achei tão fácil, tão fácil. Foi maravilhoso, inacreditável. Eu estive lá apenas três vezes, vocês podem imaginar? E agora a Sahaja Yoga é uma religião por toda parte. Todos Me conhecem na Rússia. Mas aqui as pessoas só conhecem Rajneesh ou esse Muktananda, todas as pessoas horríveis. Agora, você também pode dizer: “Mãe, é uma questão de publicidade.”

Que aqui as pessoas, a maneira como eles anunciam e manipulam e tudo mais. Mas isso só funciona em lugares onde as pessoas não estão buscando a realidade. Por que eles não podem ver que isso é tudo publicidade? Eles não têm discernimento? Supondo que amanhã eles digam: “Este é o estilo de cabelo.” Então todos os americanos usarão o mesmo estilo de cabelo. Você não consegue distinguir quem é quem. Ou eles dizem: “É assim que a roupa tem de ser.” Todos os americanos estarão vestidos dessa maneira. Isso é uma escravidão.

Os empresários de hoje e através de toda essa propaganda, qualquer tipo de propaganda, se isso encanta tanto as pessoas, isso significa que somos tolos, somos estúpidos, somos idiotas que não podemos pensar por nós mesmos. Qualquer um pode nos enganar. Qualquer um pode colocar qualquer coisa no mercado. Qualquer coisa que eles falarem, nós vamos pular nisso… como se não tivéssemos cérebros para entender, para adotar isso. É como se não tivéssemos nenhuma raiz. Nós somos como algumas ervas daninhas que são jogadas dessa ponta para outra. Mas na Sahaja Yoga, suas raízes devem crescer muito, muito mais rápido… do que mais ninguém, porque esta é a terra de Shri Krishna. Quantas coisas Ele fez em Sua vida, nós temos de observar. Quando criança, Ele matou muitos demônios, enquanto todos os demônios são convidados para cá. Quando criança, Ele elevou a Kundalini de todos os Gopis e de todos.

Ele pregou todos os tipos de peças belas para divertir as pessoas quando criança. E mais tarde, Ele matou Seu próprio tio. O que mostra uma coisa: um tio em famílias indianas… é a pessoa mais próxima. No casamento, é o tio que leva a filha, é o tio que realiza a maioria dos rituais e tudo mais. O tio é a pessoa mais próxima. E Ele matou Seu próprio tio. Mostra que Ele acabou com todos esses relacionamentos artificiais. E então nós encontramos na América, há pessoas que fizeram esse tipo de coisa que é não ter nada a ver com a mãe, não tem nada a ver com o pai, não tem nada a ver com… a irmã ou a esposa, o marido, os filhos, com ninguém. Mas para quê? Para que eles abandonaram?

Eles abandonaram por egoísmo, por dinheiro, não por algo mais elevado. Exatamente o oposto do que Shri Krishna fez é matar Seu próprio tio… pelo motivo de livrar Seus pais da prisão e também matar um demônio. Ele era um demônio. Então, em nossa própria compreensão, se entendermos uma coisa, que nós estamos vivendo no solo, ou no solo desse país que é abençoado por Shri Krishna, que é chamado de Yogeshwara. Então a primeira parte foi que quando Ele destruiu todas essas coisas, ele era um Yogeshwara. Ele era a Energia Divina para Yoga, para a união com o Poder Divino. Ele era o Ishwara. Ele é a Divindade. Se Ele era uma Divindade e Ele é Aquele que é o governante desta região, então o que nós devemos ser? Na yoga, nós devemos ser mestres.

Não mentalmente, mas nesse estado do estado mais elevado. Se isso puder ser alcançado, então vocês devem se tornar os mais elevados dos mais elevados yogis, porque vocês têm esse poder existente neste lugar, está lá. Muitos me disseram: “Mãe, não se preocupe,” “não se preocupe com a América. Apenas esqueça-a.” “Por que perder tempo na América?” “Isso não vai dar certo, é inútil.” Mas Eu sei que existe muito poder neste país de Yogeshwara, e se vocês puderem usar esse poder de Yogeshwara, vocês podem fazer muito bem para toda a humanidade… nesta conjuntura quando a história está tomando uma outra queda. Agora aqueles que se elevam na espiritualidade – todo mundo está hoje falando de espiritualidade, até mesmo o príncipe de Gales outro dia estava falando: “Nós devemos adotar a espiritualidade, não para tanto materialismo…” “que nos causou problemas ecológicos e coisas assim.” Todo mundo está falando de espiritualidade… e vocês são aqueles que têm isso com vocês. Vocês são aqueles que têm poderes com vocês.

Vocês são aqueles que podem expandir isso. E uma vez que vocês comecem a expandir isso, vocês ficarão surpresos ao ver… como vocês alcançarão alturas imensas em todas as esferas, em toda classe social. Portanto sua identidade é que vocês são Sahaja Yogis… e vocês têm de usar o poder de Yogeshwara, que é a Divindade presidindo neste país. Eu abençoo todos vocês, de modo que vocês tenham essa sabedoria, essa profundidade, que toquem sua profundidade. De alguma forma, tentem fazer isso dar certo, parem todas as lutas insensatas e coisas assim. Tornem-se coletivo, tentem compreender uns aos outros. Tentem abrir seus corações. Vocês têm tamanha profundidade. Vocês nasceram neste país, porque Yogeshwara queria que vocês… estivessem aqui e Ele os abençoou com todas as recompensas de Seu amor. Agora, é para vocês usarem esse imenso poder, mas sem amor, vocês não podem, porque Ele era a personificação de madhurya, da doçura, da doçura.

Essa madhurya, vocês têm de absorver… e essa madhurya, vocês têm de espalhar. Isso é muito importante. Então, esse relacionamento de doçura uns com os outros, a relação de desfrutarem uns aos outros, a relação de conhecerem uns aos outros, têm de estar cheia de doçura, exatamente como mel. Está logo ali, mas nós temos de ser a abelha para alcançar lá. E Eu tenho certeza que dará certo. Deve dar certo para todos vocês. Então, aqueles que fogem da coletividade devem ter muito cuidado. Eles não são Sahaja Yogis e se eles continuarem assim, eles simplesmente serão expulsos. Eles não estarão em lugar nenhum na Sahaja Yoga, Eu lhes digo. Portanto vocês têm de, antes de tudo, entender que estar na Sahaja Yoga… só é possível se estivermos tendo essa profundidade, porque um novo salto é necessário na Sahaja Yoga, que dará certo, que está dando certo e muitos serão expulsos.

Vocês têm de saltar e para esse salto, você realmente precisa de pessoas… que são honestas e profundas e sérias. Não se percam em coisas frívolas e coisas mundanas. Apenas busquem sua profundidade. Está tudo aí, tão belo. Que Deus os abençoe.