Shri Virata Puja, Appreciation Should Be Practiced + informal talk

(Australia)



Feedback
Share

Shri Virata Puja 10 de abril de 1991, Melbourne, Austrália

Por causa das distâncias e… também, nós não tínhamos nenhum ashram em Melbourne, até então, Eu percebi que a coletividade não está ainda… adequadamente entrelaçada aqui.

Então, Eu pensei que a melhor coisa é que hoje, nós devemos venerar o Virata. O Virata é o Pai Primordial, vocês podem dizer, ou Aquele que está em nosso cérebro, atua em prol de nossa coletividade. Quando a Kundalini se eleva, por fim, Ela acaba… atravessando a área óssea da fontanela. Antes de entrar nessa área, Ela entra no Sahasrara. O Sahasrara é a área que está cercada por mil nervos… e, em termos médicos, é chamada de área límbica. Agora, os mil nervos estão todos conectados… a 16 importantes nervos do Vishuddhi. É por isso que eles dizem que Shri Krishna tinha… 16 mil esposas, isto é, Ele tinha todos os Seus poderes como Suas esposas… e Eu tenho todos os Meus poderes como Meus filhos. Assim, quando estamos crescendo em nossa ascensão, em nosso dhyana, nós temos de ir para o nosso Sahasrara. Se o Sahasrara não estivesse aberto, nós não poderíamos ter feito essa Realização em massa. Como isso está conectado, a coletividade está tão conectada… com a Sahaja Yoga atual.

Antes disso, Ela estava apenas até a altura do Agnya Chakra, mas quando a Kundalini chega no Sahasrara, Ela ilumina todos os nervos, e todos os nervos ficam parecidos… com chamas que são muito silenciosas, belamente coloridas com todas as cores do arco-íris. A aparência delas é tão tranquilizadora e tão bela… que não há, Eu acho, visão melhor no mundo inteiro… que os seres humanos possam ver. Assim, quando este Sahasrara foi aberto, para o qual agora, nós estamos tendo um puja, como vocês sabem, em Roma, antes disso, tive que ir ao coletivo, isto é, Eu tive que prestar atenção no coletivo. Eu tive que observar as pessoas, os diferentes problemas delas, as permutações e combinações pelas quais todas elas estão sofrendo. Todas elas podem ser trazidas… para os sete maiores itens, podemos dizer, mas elas também estão divididas em vinte e uma: um grupo na esquerda, outro na direita e outro no centro. Assim, nós temos ao todo de fato 21 problemas básicos, problemas fundamentais dentro de nós que temos de resolver. Nós temos. No começo da Sahaja Yoga, Eu tentei somente curar os problemas físicos das pessoas, os problemas mentais, os problemas familiares delas, os problemas financeiros, todos os tipos de problemas têm sido resolvidos na Sahaja Yoga, e nós temos tido grandes contratempos no meio. Como vocês sabem, quando eles se elevaram até o Agnya, eles começaram a dominar todo o ambiente… por meio de algum tipo de autoridade… que não era a autoridade de Deus. Como resultado disso, muitas pessoas chegaram até o Agnya, mas aqueles que têm chegado ao Sahasrara devem compreender… que a coletividade é a base e sua ascensão.

Se vocês não são coletivos, se vocês não vão ao Centro da Sahaja Yoga, se vocês não se encontram uns com os outros, então vocês são como uma unha cortada do dedo… e o Divino não tem nenhuma relação com vocês, vocês estão fora da árvore. Por exemplo, as flores que caíram da árvore… podem existir por algum tempo, sem dúvida, mas após algum tempo, elas estão mortas e acabadas. Portanto, é importante todos vocês compreenderem essa coletividade, se ela não for estabelecida na Sahaja Yoga, a Sahaja Yoga se extinguirá. Eu estou indo agora para a América, onde a coletividade… têm de ser realmente de máxima qualidade, mas não é assim. Há muitos problemas na coletividade na América, mas ainda assim, Eu diria que eles compreendem uma coisa, que eles têm de ser muito coletivos. Os problemas são – por exemplo, há muito poucas pessoas… que são Sahaja Yogis lá, mas entre eles mesmos, eles entendem a responsabilidade. Todos eles estão trabalhando muito arduamente. Eles estão difundindo a Sahaja Yoga. Agora vejam, eles lançaram essa revista Cool Breeze lá. Há muitas atividades que eles estão fazendo na América, com um grupo tão pequeno, é impressionante… o modo como eles estão lidando com essas coisas, e eles fazem isso de forma muito bela, porque eles se sentem unidos, eles estão tão distantes, de Honolulu a Nova York é uma distância tão grande.

Mas há tanta compreensão, tanto amor e senso de responsabilidade. Porque eles são um grupo pequeno, eles se sentem… extremamente responsáveis: “Nós temos de ser totalmente coletivos”, não há problema de ter grupos. Mesmo se alguém comete erros ou algo assim, eles nunca falam sobre isso para ninguém mais, exceto para Mim. Eles nunca discutem uns com os outros, eles nunca falam mal uns dos outros, eles nunca formam grupos. As crianças lá fora que estão… elas podem simplesmente vir para cá. Há lugar. Vocês poderiam se mover um pouco para lá? Apenas criem um espaço para elas entre vocês. Venham. As crianças podem sentar-se na frente.

Elas não ocupam muito espaço. As crianças podem até mesmo sentar-se no colo de vocês. Vocês podem mover-se? Vocês podem criar um espaço no meio. Agora, isso é uma questão de coletividade. Tragam as crianças até aqui. Todas as crianças podem vir. Elas podem Me ajudar no puja. Elas são muito boas em ajudar. Sim, sim, venham.

Pobres crianças, ficaram lá fora. Vocês podem imaginar? Sentem-se, sentem-se, sentem-se. Sentem-se aqui, sentem-se. Agora… Venham, venham, venham aqui, venham aqui. Lugares podem ser criados espontaneamente, apenas precisamos ter um coração grande. Agora, quem está lá fora? … Elas são crianças pequenas? Venham, venham, Eu acho que se você simplesmente pudesse se sentar um pouco, não com um asana grande assim, com um asana menor, as pessoas podem vir. Levante uma e Eu acho que abrir uma janela é importante.

Sim, há alguns lugares. Se têm três câmeras, então como pode haver lugar? Eu acho que poderíamos ter uma câmera lá… e eles podem sentar-se dentro. Tudo bem. Todos vocês devem se sentar… com um joelho para cima deste jeito, de modo que haja mais espaço. Exatamente como Baba Mama está sentado. Sentem-se com um joelho para cima. Deste jeito, tudo ficará bem. Coloque isso no colo de Chaya. Não se espalhem.

Puxem um pouco a perna de vocês para cima assim. Sim, uma reta, outra deste jeito. É até mais fácil sentar-se deste jeito. É mais fácil sentar-se. Agora, este é o senso de coletividade, num salão pequeno, não importa, nós estamos todos juntos, e como conseguiremos que todos eles fiquem dentro? Porque vocês não conseguem desfrutar isso… a menos e até que todos vocês fiquem juntos. Agora, todo mundo têm de ficar quieto, tudo bem, crianças? Todas vocês. Senão eles pedirão novamente para vocês saírem. Então agora, vamos ver como nós nos perdemos na coletividade.

Há uma compreensão muito prática, realista. Primeiro, devemos saber que sem a coletividade, não podemos existir. Assim como o corpo têm de estar em conexão com o cérebro, da mesma maneira, sem a coletividade, a Sahaja Yoga não pode existir. Uma vez que você entenda isso, então você têm de trabalhar isso de modo que a coletividade… seja totalmente estabelecida, internamente e externamente. É mais internamente que você têm de estabelecer… do que externamente. Seja o que for que você tenha internamente… é manifestado externamente. Agora, como iremos estabelecer isso dentro de nós mesmos? Antes de mais nada, nós temos de compreender… que agora nós somos parentes uns dos outros. Gyaneshwari disse: “Techi Soyarik hoti.” “Eles serão seus parentes.”

Quem está chorando? Tudo bem, leve-a. Deixe-a ir. Ela está se lembrando da mãe dela. Assim, a primeira coisa é que nós temos de… observar dentro de nós mesmos, introspecção, com introspecção: “O que estamos fazendo contra a coletividade em nossa mente?” “Como nossa mente está funcionando?” Eu não sei que coisa vem primeiro na mente humana… sobre uma outra pessoa, mas a primeira coisa é que… estes são os seus verdadeiros parentes… e ninguém mais é seu parente. Estas crianças são seus filhos… e estes homens são seus irmãos, e estas mulheres são suas irmãs, e nós somos uma grande família junta. Nós somos partes integrantes de um único corpo, e esta mão não pode bater na outra mão. Graças a Deus, ela não pensa, senão como os seres humanos, elas talvez começassem a pensar contra a outra mão, mas elas não pensam… porque elas estão conectadas a uma única atividade cerebral.

Então a primeira coisa que a pessoa têm de entender é: não tente ver os defeitos de uma outra pessoa, mas sim as boas qualidades de uma outra pessoa. Isso realmente irá ajudá-los muito. Como na Índia, vejam, Eu não sei, talvez aqui seja o mesmo. Se você, se, se eles conhecem você, vamos supor, imediatamente, eles pensarão: “Agora, qual trabalho podemos extrair dessa pessoa?” Se alguém é irmão de um ministro, imediatamente, eles se aproximarão do irmão do ministro. Tudo bem, “Você fará este trabalho para mim?” Depois alguém diz: “Eu sou fulano de tal…” Imediatamente, as pessoas pensarão: “Oh, então, que trabalho podemos extrair dessa pessoa?” Da mesma maneira, você pode ir um pouco mais longe… na linguagem da Sahaja Yoga. Assim que você conhecer alguém, você não deve pensar: “Que negócio eu posso fazer com ele.” Eu tenho visto que, imediatamente, se alguém tem dinheiro, as pessoas pularão em cima dele: “Tudo bem, vamos fazer o negócio juntos”, até mesmo na Sahaja Yoga.

Ou se houver alguma coisa assim, imediatamente, eles empregam essa pessoa para os propósitos deles. Ao contrário, o que você têm de fazer é, logo que conhecer alguém, então você têm de pensar que qualidades ele tem. “Como posso assimilar essas qualidades dentro de mim mesmo?” Porque nós estamos aqui para nos enriquecer espiritualmente, então você deve pensar antes de mais nada: “O que eu posso fazer para ter…” “as qualidades dessa pessoa dentro de mim mesmo?” Então você ficará atento às qualidades daquela pessoa… ao invés de ficar atento nos defeitos, porque os defeitos não irão nutri-lo de forma alguma. Também, se alguém tem defeitos, é inútil pensar consigo mesmo, porque se você começar a pensar sobre isso, eles não irão melhorar, é o problema de uma outra pessoa. A melhor coisa é olhar para uma outra pessoa… com reverência e compreensão, com amor, “ele é um de nós e em que eu posso servir?” Agora, se Eu tenho a mão, Eu não tenho que pensar nisso, porque nós estamos programados dessa maneira. Se Eu tenho que segurar isto, automaticamente, Eu uso Minha mão, não Meus pés, Eu sei que Minhas mãos irão fazer isso. Mas quando Eu tenho que andar, Eu não ando com Minhas mãos, porque Eu sei que Meus pés têm de andar.

Da mesma maneira, você têm de saber qual Sahaja Yogi… irá ajudá-lo a nutrir-se. Imediatamente, a sua mente se tornará muito clara. Por exemplo agora, Eu vi um rapaz em Nova Zelândia… que estava realmente prestes a morrer, e quando ele voltou, Eu percebi que… as atitudes em relação a ele não foram gentis, como deveriam ter sido, mas essa é a melhor chance quando você deve ver… como pode praticar sua compaixão. Nós falamos de compaixão, compaixão. Agora, vamos ver como podemos praticar nossa compaixão… quando esse rapaz está tão doente. Pelo contrário, todo mundo foi rude com ele, eles estavam fazendo comentários sobre ele, fazendo coisas desse tipo. Porque nós temos de ter compaixão. Agora, a Mãe disse que temos de ter compaixão, bem, agora, onde nós temos nossa compaixão? Com as paredes? Onde nós usamos nossa compaixão?

Onde nós usamos nossa compaixão? Portanto, a Sahaja Yoga deve ser praticada, isso não significa que você fica sentado… com Minha fotografia o tempo todo, não significa isso. Significa: pratique a compaixão, pratique isso. Então, você têm de praticar o amor. Agora, como você pratica o amor pelos outros? Se você ama alguém, o que você faz? Você tenta agradar aquela pessoa. Pequenas coisas podem fazer as pessoas ficarem muito felizes. Eu sei, todos vocês tentam Me agradar muito, vocês Me darão presentes, vocês descobrirão coisas que são boas para Mim, vocês farão o máximo para comprar flores perfumadas para Mim, vocês fazem belas coisas para Me agradar. Eu estou mais do que satisfeita, Eu devo lhes dizer.

Mas Eu fico mais satisfeita, muito mais satisfeita, se vocês compreenderem a coletividade… e tentarem agradar uns aos outros. Uma pessoa assim Me agrada muito mais, de modo que a atenção esteja mais em agradar uns aos outros. Assim que vocês decidam que vocês têm de agradar os outros, sua língua ficará diferente. Ela se tornará muito mais doce. A língua que era como um par de tesouras… torna-se algo tão belo como mel. Então você fala pouco, mas você realmente derrama mel em outra pessoa, e a outra pessoa realmente gosta disso. Então agora, a prática do amor, onde você o pratica? Faça uma pergunta para você: “Onde eu pratico o amor?” “O que eu amo?” “Nós vivemos, amamos nossa casa, amamos nossas fotografias,” “nossas decorações, tudo, mas eu pratico esse amor com minha esposa?”

“Ou com meu marido?” “Ou com outros Sahaja Yogis?” Em nossa cultura Sahaja, nós temos de praticar a compaixão e o amor, e em terceiro lugar, nós temos de praticar a paciência. Eu sei que algumas crianças talvez sejam… um pouco mais travessas, algumas sejam menos travessas. Talvez algumas pessoas sejam muito tagarelas, algumas vezes, elas realmente também Me dão dor de cabeça. Elas continuam falando, falando, falando, falando, tanto! Às vezes, Eu acho que é bom porque isso é um descanso para Minha boca, é uma maneira de ver isso. A outra maneira de ver isso é apenas “desligar” sua mente, deixe-o falar, tire a mente disso, não importa o que ele queira fazer. Quando ele terminar com isso e ficar exausto, então ele não o incomodará tanto… e também ele ficará satisfeito por alguém ter escutado suas tagarelices. Assim, a paciência é necessária e a paciência é necessária… de tal maneira que os outros devem ver sua paciência.

Ontem por exemplo, Eu fiquei sentada por cerca de, Eu acho, três horas, apertando as mãos de todos os tipos de pessoas… e todos os tipos de problemas, e a pessoa que veio por último disse: “Vendo Sua paciência,” “eu desenvolvi a minha própria paciência.” E o amor lhes dá paciência. Esse amor nutre vocês. Eu estou lhes dizendo, é um método absolutamente prático. Aqui, Eu não mencionei que vocês confiem em Deus, Eu estou apenas dizendo para vocês confiarem em si mesmos, é absolutamente prático, porque nós estamos falando sobre o seu cérebro. Agora, nós temos dito que nós devemos perdoar a todos, mas nós não praticamos isso. De pequenas, pequenas coisas, como pessoas loucas, nós lembramos. Quero dizer, Eu só ouvi falar que uma cobra tem essa capacidade… de lembrar se alguém a feriu, mas aqui, Eu acho que os seres humanos têm capacidade não menor que essa. Seja o que for que aconteceu há 13 anos atrás, há 15 anos atrás, todos eles se lembram, de cada coisa, seja o que for que os feriu, mas como eles feriram os outros, eles não se lembram; como eles têm sido maldosos com os outros; eles não se lembram, porque essa é uma mente humana que adquiriu o ego, ele pode continuar ferindo os outros, ele não sente nada. E o superego é que segue recebendo todas as injúrias… e sempre fica se queixando disso.

Assim, é para vocês compreenderem… que vocês são os que estão dividindo a coletividade. Primeiro, nós tivemos líderes horríveis aqui, desse modo nossa coletividade era muito pobre, mas agora, nós estamos conseguindo pessoas mais lúcidas, pessoas melhores. Também para Melbourne, Eu estou pensando em arrumar… alguém mais velho para vocês, para ser o líder, porque Eu acho que Greg está cheio de responsabilidades. Então Eu pensei em Henshaw (líder em Melbourne até 2000) e Eu lhe pedi e ele concordou. Assim, agora em Melbourne, nós teremos alguém… ficando no ashram, que é um aposentado, que cuidará de vocês, ele fará tudo que for possível para cuidar da coletividade de Melbourne. Mas vocês têm de saber que Eu tenho uma conexão com vocês… através de seu líder. Isso não significa que vocês não possam conectar. Como por exemplo, vamos supor q ue há um alfinete… e você coloque o alfinete em Mim, imediatamente Minha mão sairá, significa que há uma ação reflexa também, mas na maioria das vezes, tudo é informado para o cérebro. Da mesma maneira, tudo deve ser informado para o cérebro, mas, bem no início, se você desenvolve… um tipo de atitude crítica em relação ao seu líder, então isso torna-se muito difícil para o líder assim como para você. Primeiro, você não deve criticar.

Não use o seu cérebro para criticar, o criticismo já tem sido exagerado no ocidente. Quero dizer, agora eles arrumaram uma técnica de criticar. Toda a arte está liquidada, por causa dos críticos. Os artistas têm medo de mostrar suas pinturas, os artistas têm medo de mostrar suas criações, porque eles serão criticados. Agora, a única coisa que resta são críticos, críticos, críticos, e os críticos estão criticando os críticos, só isso. Não há nenhuma criatividade, nada. Então, tentem apreciar tudo. As crianças estão fazendo pinturas, pinturas de todo o jeito. Elas fazem algumas vezes Meu rosto, é muito engraçado, quando elas desenham, não somente as crianças, até mesmo os adultos. Não importa, Eu aprecio isso: “está muito bom, maravilhoso, muito bonito”, para encorajar aquela pessoa.

Portanto, o criticismo deve sair de nossa mente, mas a apreciação deve ser praticada. A apreciação dos filhos dos outros, a apreciação de outras pessoas é muito importante, mas isso não significa que você aprecia todos os outros… e tortura sua esposa ou tortura seu marido, isso também é um desequilíbrio. A primeira responsabilidade é sua família, mas você deve apreciar os outros, e isso surge quando você não tem nenhuma inveja de ninguém. Essa inveja, Eu não sei de onde ela vem, então Eu não conheço essa característica de inveja, por que existe inveja. Assim, também, se você tem inveja, você deve usá-la… para o propósito correto, e o que é o propósito correto, é que você deve ter inveja de uma pessoa… que é mais elevada espiritualmente do que você, e você pratica isso de modo que você se torne melhor. Se a inveja é para a competição, então faça competição com a pessoa que é mais compassiva, mais amorosa, que se sacrifica mais, mais paciente. Então essa competição torna-se uma competição muito saudável… e a coletividade fica muito nutrida. Agora, tentem sentir que vocês todos são… partes integrantes de uma única personalidade. Tentem compreender isso e pratiquem isso. Isso os ajudará muito.

Pequenas coisas como comprar um pequeno presente para alguém. Você vê alguma coisa: “Oh, isso será muito bom para essa pessoa.” Nós decidimos oficialmente… que os homens não devem dar presentes para as mulheres… e as mulheres não devem dar presentes para os homens, mas se ela é sua irmã, irmã rakhi, você pode dar… e a irmã rakhi pode dar um presente para o irmão, mas do contrário, a pessoa não deve fazer isso. Nós temos feito isso porque Eu vi que isso cria problemas, mas isso não significa que você odeie as mulheres ou odeie os homens. Mas uma distância têm de ser mantida de pureza. Até que vocês se tornem completamente inocentes, é melhor manter essa distância. Essa pureza deve ser praticada… e esta prática da pureza é: tentem desenvolver seus sentimentos inocentes em relação aos outros. Na inocência, tudo vem, tudo vem pela inocência. Se você é inocente, você imediatamente se tornará… um Sahaja Yogi muito bom, mas isso tem muitas facetas. Como por exemplo, outro dia, havia uma menina… que estava brigando para ter um tipo de doce, e eles estavam distribuindo os prasads.

Então, Eu lhe dei um dos pratos pequenos, Eu disse: “Distribua.” Imediatamente, ela esqueceu o que ela queria, ela começou a distribuir muito docemente com… as pequeninas mãos o prasad para todo mundo, de forma muito doce. Assim, isso têm de ser praticado desde a infância, com seus filhos, vocês têm de dizer-lhes: “Tudo bem, vamos fazer estas coisas,” “distribua isto para as pessoas, vá e coloque kumkum na cabeça delas”. Elas talvez não façam isso bem, mas não importa. Elas aprenderão como receber os outros, como falar com eles, como estar com os outros. Agora, o pior inimigo da coletividade é a agressividade. Algumas pessoas são basicamente agressivas, o estilo delas de falar é extremamente agressivo, o modo como elas dizem as coisas é agressivo. Pode ser por causa de qualquer coisa; talvez elas sejam mais instruídas; talvez elas venham de uma família muito agressiva; talvez elas tenham um tipo de complexo de superioridade… ou um complexo de inferioridade ou um sentimento de insegurança, ou talvez elas estejam possuídas. Elas tentam dominar e mostrar os seus sentimentos muito fortes… em relação às pessoas, de superioridade. Elas podem ser inferiores, não é necessário, mas elas fazem.

E isso é algo que deve ser contido. Então, o que vocês têm de praticar aqui é a humildade. Tentem ser humildes. Havia uma piada assim. Um cavalheiro estava subindo as escadas… e um outro estava vindo de cima. Então, esse cavalheiro que estava subindo… disse para o outro homem: “Por favor, deixe-me passar.” Então ele disse: “Eu não dou p assagem para os tolos.” A pessoa que estava subindo disse: “Mas eu dou”, e saiu. É desse modo que a humildade atua. Vocês têm de ser humildes na sua abordagem com os outros.

Quero dizer, a língua inglesa é externamente muito humilde, por exemplo, você deve dizer “por favor”, você deve dizer “obrigado” dez vezes, “por favor, por favor, por favor, obrigado, obrigado, obrigado”, mas não de coração. Como por exemplo, vamos supor que alguém não diga “obrigado”, a outra pessoa pode até mesmo bater em você. “Por que você não disse “obrigado” para mim?” Isso não é humildade. Humildade é você de forma alguma tentar agredir os outros, e se os outros são agressivos, você aceita isso como uma coisa infantil, como uma coisa estúpida, como uma coisa tola. Isso não tem nenhum sentido, por vocês serem tão poderosos, vocês podem tolerar isso. Essa é a humildade que vocês têm de praticar… e se vocês tiverem todas essas qualidades, vocês realmente ficarão surpresos… ao ver que perderão o seu egoismo. O seu egoismo começará a desaparecer, porque você começa… muito rapidamente a se dar conta do quanto o egoismo é feio, quando você se torna generoso. Então, pratiquem a sua generosidade. Vocês todos ficam querendo gastar muito dinheiro Comigo, Eu sei.

Vocês querem Me dar presentes, Eu parei com isso agora, individualmente, vocês não podem Me dar nenhum presente ou qualquer coisa, mas a generosidade é uma expressão universal: generosidade da gentileza, generosidade da compaixão, generosidade da paciência, e generosidade da coisa material. Se Eu vejo alguma coisa, imediatamente Eu penso: “Oh, Eu devo adquirir isso porque Eu sei que posso dá-lo…” “para essa senhora ou para esse senhor”, essas coisas, ou “Eu posso dar isso para esse propósito…” “ou para essa organização…” “ou para esse tipo de trabalho que estamos fazendo.” Imediatamente, isso vem a Mim. Vocês ficarão surpresos, se Eu estou no mercado… e estou com sede, Eu nem sequer penso que Eu deveria comprar… um refrigerante para Mim, isso não vem em Minha cabeça. Eu nunca abri Minha geladeira durante Minha vida, vocês ficarão surpresos. Mas para os outros, Eu correrei de lá para cá, Eu cozinharei para eles. Mas vamos supor… que Eu esteja em casa e não há nenhum cozinheiro, Eu não cozinharei para Mim, tudo bem. Se não houver ninguém em casa e Meu marido não estiver lá, talvez Eu não coma por dois ou três dias… e depois os empregados, a empregada se queixará com Meu marido, então Eu Me lembro que realmente Eu não comi nada, Eu não sabia. Se Eu estou comendo, estou comendo somente porque ele está lá, então Eu tenho que comer com ele. Eu não costumava tomar chá, mas porque ele gosta muito de chá, Eu comecei a tomar.

Então, Eu mantenho a prática… para que Eu não desista dela. Mais tarde, isso será difícil. É somente ajustar-se aos outros, não é difícil. Poucas coisas aqui e ali que agradam, vocês devem fazer. Não há nenhum mal em tentar agradar. Mas não é somente para esposa fazer isso, mesmo o marido têm de fazer alguma coisa… para agradar a esposa, não é somente entre marido e esposa, deverá ser entre os filhos e vocês, entre toda a família da Sahaja Yoga. Deve ser de tal forma que nós devemos nos adaptar. Então, pratiquem suas adaptações… assim como vocês têm de ajustar suas câmeras. Se você não ajustar a câmera, você não terá a imagem certa. Da mesma maneira, a menos e até que vocês se ajustem… a todo o ambiente, a uma pessoa, vocês não podem ter a imagem real, e então vocês começam a lutar com isso.

Na verdade, a luta têm de ser d entro de você mesmo. É uma história muito, muito longa, quero dizer, até onde Eu conheço os seres humanos… e os problemas da coletividade. E certos problemas estão sendo resolvidos agora. Eu estou muito feliz em relação a isso, as pessoas não estão se apaixonando, quero dizer, elas não estão caindo e arrumando um galo na cabeça delas. Mas está melhor agora, eles estão indo com calma, pensando melhor e estão se casando com uma pessoa… pelo bem do casamento e não por se apaixonarem. Há algo muito importante acontecendo, porque isso lhes dará a purificação da mente… e uma mente que não fica pairando sobre coisas insensatas. Assim, como Eu disse, pratiquem todas essas coisas… e sua coletividade será bela, e o melhor é praticar a sua meditação juntos. Em Delhi, nós fundamos um ashram. Toda manhã, Eu noto as pessoas vindo, sentando-se juntas para meditar. É como um templo, é como uma igreja.

Eles vão lá e muitos deles ficam sentados meditando juntos. Meditar junto é a melhor maneira de sentir a coletividade. Você pode meditar em casa, é claro, você também purifica para seu aprofundamento, mas vocês também devem meditar juntos e quando vocês meditam juntos, então a força que você tem fortalece os outros, e a força de toda a coletividade melhora muito. Estamos meditando juntos, isso é uma coisa muito importante. Todo mundo têm de entender que sempre que vocês tiverem tempo, verifiquem na parte da manhã, por exemplo, que nós iremos ao ashram e meditaremos. Digamos, domingo de manhã, nós apenas vamos e meditamos no ashram. Vocês têm de vir apenas para a meditação. Meditem e vão embora, porque Eu moro neste ashram, Eu estou aqui, então saiam de suas casas, venham aqui e meditem. A meditação os ajudará muito. Onde quer que vocês estejam juntos, Eu estou com vocês, mas quando vocês ficam longe um dos outros, Eu não estou com vocês.

Somente nas dificuldades, quando vocês são empurrados para alguns lugares onde Eu não estou lá, onde vocês pensam que Eu não estou lá, Eu estou lá. Mas se você deliberadamente está se mantendo fora da coletividade, Eu não estou com você, portanto tente crescer em sua coletividade, senão você não posso ir fundo em seus aprofundamentos, você não pode se tornar um grande Sahaja Yogi, você realmente não pode ser chamado de Sahaja Yogi. Somente aqueles que têm um senso de coletividade podem tornar-se isso. Assim, nós temos diante de nós em Melbourne, muitas pessoas… e quando a quantidade aumenta, a qualidade não deve cair, e a qualidade da… coletividade têm de ser muito forte tendo vínculos muito fortes. Eu gosto quando vocês agradam alguém. Normalmente, Eu tenho visto não importa quando, em qualquer lugar que Eu esteja, as pessoas somente falam sobre pessoas que são negativas, ninguém fala sobre pessoas p ositivas, então Eu não sei a respeito das pessoas positivas, na maioria dos casos, Eu sei quem são negativos. Então, Eu adoraria saber sobre as pessoas que são muito positivas, que são grandiosas, que estão fazendo coisas boas… e esquecer as negativas, elas se afastarão de qualquer maneira. Assim, a melhor coisa é falar sobre as pessoas… que são positivas, que estão fazendo um bom trabalho, que são verdadeiros Sahaja Yogis. Eu abençoe todos vocês em Melbourne, de modo que vocês tenham uma bela coletividade… e divirtam-se, e cada, cada encontro… deve ser uma festa para vocês e uma diversão. Que Deus os abençoe.

Assim, portanto hoje, nós temos de venerar o Virata. Ele não é nada mais do que Akbar, que é o próprio Shri Krishna tornando-se o Virata. E portanto, nós podemos ter uma música, uma música de Ganesha, antes de mais nada, para lavar Meus Pés… e algumas músicas sobre Krishna. Vocês têm as músicas? Nós temos todas as músicas de Vithala, em Maharashtra, você consegue todas as músicas de Vithala. Primeiro cantem o Ganesha Stuthi e depois lavem os Pés… e depois vocês podem cantar. Accha, agora as crianças têm de lavar Meus Pés. Tudo bem?