Shri Vishnumaya Puja

Ashram Everbeek, Everbeek (Belgium)

1992-07-04 Vishnumaya Puja Talk, Belgium, DP, 66' Download subtitles: CS,EN,ES,FR,IT,NL,PL,PT,TRView subtitles: Add subtitles:
Download video (standard quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Transcribe/Translate oTranscribe


Shri Vishnumaya Puja Bélgica, 04.07.1992

É uma oportunidade única hoje fazermos o Vishnumaya Puja, porque Ela entrou nesta casa, nós temos de venerá-La.Primeiro nós devemos saber quem é Vishnumaya. É muito importante saber porque no Devi Mahatmyam, Ela só é descrita como a Encarnação da Deusa, Vishnumaye di shabdita. Ela é chamada de Vishnumaya. Mas vamos ver quem é Ela, afinal, quem é esta Vishnumaya? Vishnumaya é a Kali, nós podemos dizer, e é a Filha de Mahakali. Ela veio a esta Terra… e matou muitos, muitos demônios e muitos rakshasas… para salvar os santos da agressão deles… e Ela sempre age dessa maneira… para matar toda a negatividade do mundo. Ela é muito rápida nisso, Eu devo dizer, e Ela sabe… onde está a negatividade e Ela tenta queimar essa negatividade… o mais rápido possível. Agora, a origem é deste jeito: esta Vishumaya… foi a Filha de Mahakali que foi criada pela própria Mahakali… para lutar contra esses demônios, mas também foi dada a Ela armas especiais para fazer esse trabalho. Mas na época de Shri Krishna, Ela nasceu… como a Irmã de Shri Krishna e ao invés de Shri Krishna ser morto… pelo tio Dela, como vocês conhecem a história, Ela foi trocada, Ela era na realidade a Filha de Yeshoda, trocada por Shri Krishna. E essa menina, pequena menina… foi morta pelo tio de Shri Krishna, Ela se tornou o raio no céu e anunciou: “Shri Krishna já está encarnado e seu destino…” “está nas mãos Dele e Ele vai matá-lo”, Ela disse a Kamsa.

Então essa é a Vishnumaya. Depois novamente Ela nasceu… na época de Shri Krishna quando Ele era, Ele era o Rei de Dwarika, e Ela se casou, Eu devo dizer, com esses cinco Pandavas, porque Ela era Draupadi. Há um significado nisso, é Aquela que reúne os cinco elementos. E esses cinco Pandavas representavam os cinco elementos… e então Ela se juntou a eles como uma única esposa, porque Ela é Aquela que une todos os cinco elementos… que criaram este univeso material. Deste modo, nós temos… um relacionamento estabelecido com Shri Krishna, e Shri Krishna, como vocês sabem, tratou-A como uma irmã. Agora, uma vez quando eles tentaram insultar Draupadi… arrancando Seus saris, foi Shri Krishna quem A ajudou, porque Ela era a Irmã Dele e uma muher tão poderosa. Ela também é responsável pelo Mahabharata. Ela é Aquela que originou isso, Ela é Aquela que disse: “Vocês têm de lutar, os Pandavas.” Ela de forma absoluta disse a eles muito claramente: “Vocês têm de lutar contra os Kauravas,” “e de tal forma que eles devem não somente ser derrotados,” “mas eles devem ser destruídos.” Porque a castidade da mulher é muito importante… e na Índia, qualquer um que tente molestar a castidade da mulher… deve ser amaldiçoado, deve ser destruído.

E esta foi a mensagem muito importante do Mahabharata: somente porque Ela foi muito insultada, toda a guerra aconteceu e todos eles foram destruídos. Assim, essa é a história de Vishnumaya, mas como todas as Divindades estão agora residindo na Adi Shakti, Ela está refletida no Vishuddhi Esquerdo de vocês. E o Vishuddhi Esquerdo é muito importante, porque nós temos problemas do nosso ego. E você realmente precisa de alguém para nos lembrar: “Nós não devemos ter esse ego para oprimir os outros.” Assim, esse lembrete vem a nós talvez de nossa consciência… ou onde quer que isso venha, vocês podem dizer, de nossa criação… e se estabelece em nosso Vishuddhi Esquerdo como nuvens de culpa. Também, como vocês sabem, a Igreja Católica e todas essas pessoas, cada religião começou a dizer: “Você é um pecador”, e tudo isso se estabelece no lado esquerdo de seu Vishuddhi Chakra. Assim, a culpa está lá. Agora, a culpa está lá, então isto está lá, Ela está sentada. Essa culpa quando esfrega umas contra as outras… como as nuvens no céu, Vishnumaya lhes da uma sensação de queimação, Ela queima os bhoots lá, Ela queima nossa culpa e também Ela remove… nossas dúvidas sobre nós mesmos com Sua luz. Mas no começo da Sahaja Yoga, como vocês tem visto, quando a Kundalini se eleva, você sempre sente… o canal esquerdo, muito claramente, a dor ou às vezes a queimação.

E às vezes, as pessoas dizem: “Mãe, por que eu estou sentindo…” “tamanha queimação aqui quando a Kundalini está se elevando?” Porque é Vishnumaya, Ela está tentando queimar as negatividades. Esta é uma das capacidades Dela: queimar. Algumas delas, por exemplo, nós podemos dizer que o elemento água pode dissolver, então o gelo pode acalmá-lo, mas Vishnumaya… é um elemento como a eletricidade, que realmente coloca vocês… na forma adequada queimando suas negatividades. É muito surpreendente que esse poder de Vishnumaya… seja do canal esquerdo e apesar disso, ele tem esse fogo em si mesmo que pode queimar as, Eu devo dizer, as negatividades, os bhoots no canal esquerdo. Agora, vamos ver como desenvolvemos esses bhoots no canal esquerdo, é muito interessante, porque como estamos lidando com Vishnumaya, devemos cooperar com Ela e nunca mais devemos ter dores em nós. Isso acontece conosco especialmente no ocidente. Na Índia, Eu não acho que alguém se sinta culpado por qualquer coisa. É algo surpreendente, Eu nunca vi nenhum indiano sentindo-se culpado. A razão é que se eles cometeram um erro, na Índia, na realidade, a cultura é tal que… “isso é falta de educação, aquilo é falta de educação”, desse jeito.

Agora, se alguém por engano faz algo, então ele pode tolerar um resmungo da pessoa, mas ele nunca se sentirá culpado: “Eu magoei essa pessoa”, ou “eu disse algo errado” ou “eu não deveria ter dito isso”, porque na cultura toda não há nada como “desculpe” e “obrigado”. É uma cultura estranha a indiana. Não há nada como ficar dizendo “desculpe”… e tanto “obrigado”, eles também não dizem. E o tempo todo dizendo “obrigado” e “bom dia”, “boa noite”, o tempo todo, isso é meio que uma coisa artificial para nós. Mesmo no Maharashtra, as mulheres nunca nem mesmo dizem “namastê”, exceto para a Deusa ou para Deus ou para Encarnações, ou nos templos. Elas nunca dirão para algum homem “namaskar”, deste jeito, exatamente assim ou elas podem só sorrir, só isso. Assim, isso é porque nós só temos de nos curvar a Deus. Por que deveríamos dizer “bom dia”, “boa noite” a todo mundo? Deveríamos dizer “bom dia” somente a Deus, essa é a situação. É dessa forma que está sendo feito.

Agora, se você fez qualquer coisa errada, digamos no oriente, quero dizer, na Índia, na realidade, se você fez algo de certa maneira… que você não deveria ter feito, então há somente duas formas com as quais eles lidam com isso, ou eles confessarão e irão a essa pessoa: “Eu cometi esse erro, agora você pode cortar minha garganta,” “faça o que quiser.” “seja qual for a punição que você me der, eu me disponho a cumprir.” Essa é a primeira coisa, eles admitirão isto: “Se você acha que eu cometi um erro,” “você pode me dar um tapa imediatamente,” “eu posso levar o tapa.” Vamos supor que você diga algo rude para seu pai, isso não deve ser dito, é falta de educação porque ele é mais velho. Se qualquer pessoa mais velha foi insultada, então isso é errado, então você irá e tocará os pés dessa pessoa e dirá: “Sinto muito, eu disse isso e espero que você me perdoe.” Então a outra pessoa diz depois disso: “Eu te perdoo.” Eu darei um exemplo. Nós estávamos na Rússia… e um pequeno problema começou entre duas pessoas. Um era muito mais jovem e o outro era muito mais velho, Sahaja Yogis. Então Eu estou lhes contando como foi a reação.

Então o mais velho veio e reclamou às duas horas da madrugada… que aquele homem disse: “Você não sabe do que eu sou capaz.” Eu disse: “Verdade? Ele não deveria ter dito tal coisa para você.” Então eu chamei aquele sujeito, o acordei por volta das 2:30hs. Eu disse: “Por que você disse uma coisa dessas para ele?” “Você não deveria ter dito, ele é mais velho,” “voce não pode falar assim.” “Porque ele disse, Mãe, ele falou comigo…” “como se falasse com seu próprio servo.” “Ele não falou comigo de uma forma que deveria ter falado,” “então eu disse aquilo.” Mas Eu disse: “Apesar disso,” “você não pode dizer isso aos mais velhos, você não pode falar assim.” “Sim, é claro, eu sei que cometi um erro…” “e na verdade, eu não estava dormindo, não estava acordado,” “não estava dormindo, estava pensando que deveria amanhã de manhã ir…” “e lhe pedir perdão e acabar com isso.”

Eu disse: “Vá agora mesmo”. Imediatamente ele se levantou e segurou os pés dele e disse: “Agora me perdoe, fiz aquilo porque você também exagerou.” O mais velho disse: “Concordo, esse foi o meu erro,” “então me perdoe também.” Acabou-se. E no ocidente, antigamente, isso não era tão ruim também. O que faziam: supondo que houvesse uma briga entre dois homens, eles lutavam boxe, esmurravam um ao outro… e todo mundo esmurrava uns aos outros, acabou-se! Hoje em dia, você não pode esmurrar ninguém, você não pode pedir perdão e existe muita reputação, isso, aquilo, todas essas coisas artificiais fizeram com que… você se sentisse culpado, porque espera-se que você faça isso. Se alguém – isso é natural – se alguém dissesse qualquer coisa para você, você simplesmente ia… e o esmurraria e diria: “Por que você disse tal coisa para mim?” E o outro sujeito o esmurraria de volta e acabou-se. Era um estilo muito comum, em todos esses filmes americanos antigos, você vê tudo isso, Eu via isso o tempo todo.

Mas esse negócio de se sentir culpado surgiu… por causa da sofisticação. Eu pensava: “Por que eles se sentem culpados por tudo?” Primeiro é a sofisticação, é a primeira causa. Porque você não pode ir e dizer a alguém: “Oh, sinto muito por ter dito isso e por favor me perdoe”, e a outra pessoa pode até mesmo não perdoar. Isso é devido à sofisticação e a nenhuma comunicação. Não há nenhuma comunicação. Em um país como a Índia, as pessoas brigarão e a próxima coisa que você verá… é eles se abraçando. A briga não dura muito. Mas se há qualquer, um tipo de problema muito grande entre as famílias ou alguém, algo como uma pessoa idosa, então manterão isso em nível alto. Eles não falarão com essa pessoa, manterão distância, eles manterão isso o tempo todo.

Mas aqui não é assim. Superficialmente eles se encontrarão com todo mundo. Superficialmente eles falarão com todo mundo, mas interiormente eles têm essa culpa. Então por causa dessa sofisticação superficial, o que aconteceu é que nós sofremos desse Vishuddhi Esquerdo… e então Vishnumaya fica zangada. É por isso que a maioria das pessoas no ocidente, Eu tenho visto, tem bloqueio no Vishuddhi Esquerdo e… Eu até mesmo contrai isso de todos vocês. É desse jeito. Assim, isso não é nada, é artificial, é mítico, não há nada para se sentir culpado. Afinal, mesmo se você tivesse feito algo errado, você estaria na cadeia. Você está sentado aqui, então como você pode ser culpado? Assim, esse coisa de culpa tem matado muito o nosso crescimento… na Sahaja Yoga, Eu sei disso.

Então, antes de tudo, como superar o seu ego é o problema. O ego está lá e quando você vê seu ego e não consegue dizer… que você é egoísta, você tem de colocar o resultado disso… como um Vishuddhi Esquerdo. Então a primeira coisa que você tem de fazer é ver que você tem ego. Tudo bem, então fique diante do espelho, Separe-se de seu reflexo… e comece a repreender seu próprio reflexo: “Agora, o que você quer dizer com ter ego em você?” “Você é um Sahaja Yogi, você não tem nenhum direito de ter qualquer ego.” Mas se você sente-se culpado, você nunca verá que você tem ego. Você somente sentirá a culpa, mas nunca verá que tem ego. E é desse modo que o ego permanece… e o Vishuddhi Esquerdo também permanece. Ambas as coisas podem ser facilmente vencidas… se você encarar a si mesmo, apenas observar a si mesmo: “Isto era meu ego? Sim.

Por que eu deveria ter ego?” Agora, há formas de remover todos esses desequilíbrios… dentro de nós mesmos através da Sahaja Yoga. Não é difícil. E tem sido removido. Você conhece o canal direito, o canal esquerdo, é tão simples. A Sahaja Yoga é apenas o movimento… de seus dedos e mãos, só isso. Não é fazer um diagnóstico, onde eles tiram o seu sangue, colocam sua língua para fora, examinam seus olhos e declaram que você está saudável, não é dessa maneira. É somente, você pode sentir… que você está bem, você está equilibrado. Uma vez que esse equilíbrio é estabelecido, não há nenhum problema com Vishnumaya. Assim, esta Vishnumaya é quem era a Irmã de Shri Krishna… e mais tarde veio como Draupadi e tudo isso também existe hoje… neste raio e em seu Vishuddhi Esquerdo.

Mas as pessoas não querem ver o que está errado com elas. Esse é o grande problema. Por exemplo, em Nova York, eles tinham uma igreja onde o bispo de Durham, sujeito inútil, declarou que Cristo era um homem comum… e que poderia ter sido um homossexual. Vocês podem imaginar? Dizer tal coisa, mesmo ouvir isso é demasiado. “E nós devemos fazer alguns experimentos,” “nós devemos averiguar através de algumas descobertas.” Vocês podem imaginar que uma coisa tão terrível ele deveria dizer na igreja? Então quando a coisa toda – ele disse isso na cerimônia, depois nosso arcebispo de Canterbury, que é um outro sujeito assim, estava tão encantado com a nova descoberta daquele sujeito… que o homenageou em uma igreja em York. E então quando a cerimônia toda… estava prestes a acabar ou algo assim, eles viram… raios ameaçadores em volta da igreja, em volta dela. Quando todas as pessoas estavam fora, esse raio caiu completamente em cima da igreja… e destruir a igreja toda, exceto a parte mais baixa.

Agora, ao invés de virem que o que eles fizeram era errado, o que eles disseram foi: “Vejam a graça de Deus,” “e a graça de nossa fé, a parte mais baixa da igreja não foi queimada.” Uma explicação dessas ser dada! Então depois vem a explicação. Eu tenho visto que é muito comum aqui, porque a mente é muito inteligente aqui. “Eu fiz isso porque eu pensei desse jeito, pensei daquele jeito.” Sempre há um explicação para tudo que você fez de errado. “Eu pensei desse jeito.” Mas por que você pensou desse jeito… é o ponto que ninguém quer ouvir. Se você pensa: “Por que eu pensei desse jeito?”. Então isso é uma fuga da afirmação de seu ego… de que ele feriu os outros e também feriu… alguns deuses.

É apenas uma explicação, e as pessoas se esquivam. Na verdade, há muitos que se esquivam, Eu tenho visto, como o Sr. Waldheim, eles simplesmente se esquivam de todas esses, de todos esses problemas que eles criaram, de todas as coisas ruins que eles fizeram, de um modo ou de outro eles sabem como se esquivar. Porque esse método que eles desenvolveram é apenas para… dizer algo que de algum modo… lhes dá uma pequena capacidade de escapar. Mas eles não querem encarar isso. Então agora, nós temos de entender… que nós devemos encarar isso e Eu sei de alguns Sahaja Yogis também, digamos que haja um certo – com quem vocês falem agora: “O quê? Por que isso aconteceu?” “Eu pensei…”. Mas por que você pensou? Você deveria ter visto as vibrações. Você não está no nível no pensamento, você está agora no nível da vibração.

Por que não usar a sua consciência vibratória? “Eu pensei.” Uma vez que este “eu pensei” venha em sua atenção, é sobre algo que é fictício. A realidade é que você cometeu um erro, tudo bem, admita que é um erro e deve ser corrigido. Agora pegue um carro como exemplo, há um carro. Se o carro enguiça… ou algo assim, o carro não pensa: “eu pensei”, pensa? E nós também não achamos que o carro pensou, nunca. O que fazemos é corrigir o carro, acabou-se. Se nós temos de dirigir o carro, nós o corrigimos. Da mesma maneira, essa mente que diz “eu pensei”… deveria, ao contrário disso, se corrigir.

Então esta frase “eu pensei”… deveria estar fora da linguagem dos Sahaja Yogis. Portanto nós não pensamos, estamos em consciência sem pensamentos. E então as coisas dão certo, apropriadamente. Quando você começa a pensar: “Eu acho que sou responsável”, acabou-se. Quando você começa a pensar: “Eu não sou responsável,” “tudo é feito por Deus, não sou responsável por nada”, se algum erro for feito, é erro de Deus, deixe-O ter esse Vishuddhi Esquerdo. Mas eu não fiz nada errado. Mas quando Eu digo: “Eu acho”, significa que Eu assumo a responsabilidade… e crio Meus próprios problemas. Portanto, para tomar uma decisão, você deveria estar… nesse estado de consciência sem pensamentos. Muitas vezes Eu vejo todas essas coisas acontecendo… como uma peça de teatro em Minha volta. Eu fico quieta, Eu digo: “Tudo bem, todo mundo está certo.”

Eu chego ao consenso. Mas seja o que for que tenha de ser feito é feito… de acordo com a vontade de Deus. Mas isso não impressiona as pessoas agora, impressionava antigamente, porque isso corrige as pessoas, é frutífero, alcança resultados. Finalmente agora, eles aceitaram… que seja o que for que a Mãe decida é o melhor. Mas Eu não decido, na verdade, para ser bem franca, Eu não faço nada. Mas Eu vejo tão claramente, tão evidentemente que isso é a coisa correta que se deve fazer, então por que fazer coisas erradas? É desse modo que você tem de se desenvolver… para superar esse problema de Vishuddhi. Mas Vishnumaya tem de ser venerada, tem de ser realmente lembrada todo dia, porque essa é uma falha comum no ocidente. Agora, se sua Vishnumaya está mal, zangada com você, então o que acontece? Você continua adicionando culpa após culpa, culpa após culpa, culpa após culpa.

Mas se o tempo todo você está alerta… e mantém sua Vishnumaya intacta, então o que acontece? Ela cuida de você, Ela não permite que nenhuma culpa entre. E então o regozijo de seu Espírito é máximo. Com a culpa, existe uma cavidade nisso. Veja, você diz: “Eu estou tão feliz, Mãe, feliz, muito feliz, estou regozijando”, mas de repente: “O que aconteceu?” “Oh, eu cometi este erro.” Eu tenho visto pessoas ficando perturbadas por pequenas coisas, é claro, Eu tenho uma outra vida também, um mundo muito sofisticado. Um senhor estava comendo, tudo bem, e de repente: “O que aconteceu?” “Eu devia ter telefonado…” “para esta pessoa e não telefonei.” “Mas agora, coma sua comida.

Por que você está preocupado com isso?” “Não, eu deveria ter ligado.” “Mas o que vai acontecer, de qualquer forma?” “Você não telefonou, então você não telefonou agora.” “Está tudo bem, agora é melhor você comer e telefonar.” Depois ele descobre que o homem não estava lá afinal… ele nunca conseguiria contatá-lo. Assim, todas essas coisas são, de certo modo criaram um tipo de norma em nossa vida… e são normas tão artificiais. Agora, Eu deveria estar lá, digamos neste momento. Eu não estou lá, e daí? Eu deveria estar lá, mas se você não está lá, de que adianta se sentir mal com isso?

“Eu deveria ter chegado naquele lugar.” Você ficará surpreso, os aviões esperarão, a pessoa esperará, tudo estará lá mesmo que você chegue oito horas depois. Tudo acontecerá dessa maneira. Mas primeiro você deve estar… em sintonia com este Poder Onipresente, com Vishnumaya. Se você está em sintonia com isso, em sintonia com Ela, então você nunca perceberá, está tudo em sua frente. Simplesmente está lá, porque lembre-se: agora você entrou… no Reino de Deus, apenas teste isso. Mas pelo contrário, você fica o tempo todo usando… sua ignorância humana e então você fica desapontado. Tentem saber que vocês são pessoas iluminadas, que vocês não são mais comuns. Mas a menos e até que vocês usem seus poderes, de que adianta? É como um mendigo, você o coloca no trono.

E quando as pessoas vêm a Mim, mendigam, seja o que for, tudo bem. Você foi transformado em rei, por que está mendigando? Portanto “não sentir-se culpado” é nossa religião. Não sentir-se culpado. Nós temos de enfrentar isso. Se cometemos qualquer erro, com o coração aberto, nós devemos aceitar que cometemos esse erro, ir e falar com a pessoa, fazer a coisa certa ou corrigir isso, ou dar atenção a isso, ao invés de fazer disso um pecado capital… e colocar em seu Vishuddhi. Esse é um problema muito grande no ocidente e fiquei surpresa ao ver… que isso está aumentando muito e eles ficam muito orgulhosos: “Oh, eu sou tão culpado!” É melhor ir para a prisão. Toda a sua calma, toda a sua alegria… ficam totalmente envenenadas por essa culpa… que não tem nenhum sentido. Ela não pode ajudá-lo… nem pode ajudar ninguém.

Eu estou lhes falando com toda sinceridade, porque Eu sei que isso é um – no começo, é claro, todos os Sahaja Yogis com quem Eu Me encontrei no ocidente… tinham essa culpa. Também o Catolicismo é uma outra coisa. Na Igreja Católica você deve confessar. Mas Eu tenho visto protestantes sentindo-se muito culpados. Os protestantes não são menos. Mas na Índia, você pega… qualquer católico ou protestante, ninguém se sente culpado lá. Como Eu lhes contei outro dia uma história. Minha neta Me perguntou: “Vovó, quais pecados a Senhora acha que estou cometendo?” Eu disse: “O quê?” “Eu não cometi nenhum pecado,” “mas a Senhora pode me dizer se eu estou cometendo algum pecado?”

Eu disse: “Eu não vejo nenhum pecado em você.” Ela disse: “Mas em nossa escola, eles me pediram…” “para confessar meus pecados, então o que eu deveria confessar?” Eu disse: “O que você dirá?” “Oh, a única coisa é que comi dois sorvetes.” Então Eu disse: “Vá e lhes diga isso.” É estúpido assim. Se você vir o ponto, isso é muito estúpido… e essa estupidez, vocês, os Sahaja Yogis, não deveriam engolir. Mantenham-se felizes. Não faz nenhuma diferença, seja qual for. E às vezes Eu cometo erros, por exemplo, de repente, Eu não sei por quê, Eu confundo Aristóteles com Tolstoy.

Eu não sei por quê, Tolstoy veio a Minha mente, embora Eu não ache que Tolstoy tenha algo a ver com Aristóteles… ou Aristóteles tenha algo a ver desse jeito. Mas Eu de fato cometi erro e fiquei pensando: “Por quê? Por que foi assim?” Ainda assim, isso é muito importante. Mesmo essas pessoas, quando elas são descritas, por exemplo, Aristóteles não tinha nenhuma influência em Tolstoy, de forma alguma, é um fato, ele não tinha nenhuma influência. Aristóteles era um homem da política… e tudo mais e ele deslocou toda a filosofia para um lado. Aqui temos Tolstoy que tentou mostrar… como uma pessoa pode ter a ressurreição, Eu não sei se vocês leram suas obras ou não, mas Eu acho que ele é um dos grandes escritores daquela época. E outro dia somente, Eu estava comparando os dois e Eu disse: “Olhe para este homem, ele é totalmente diferente de Aristóteles,” “totalmente, os extremos das ideias, podemos dizer,” “e como é que ele nunca leu Aristóteles?” “Ele era um homem tão instruído, ele nunca leu Aristóteles.” Então Eu simplesmente percebi que é uma mente russa, e a mente russa é extremamente introspectiva… e essa introspecção estava faltando no Sr. Aristóteles, estava tirando tudo de sua cabeça, a narrativa e colocando as pessoas… completamente na outra linha dessa política.

Platão estava em um caminho ainda pior do que o dele, mas esse é um outro. Então Sócrates foi liquidado… e Aristóteles se tornou tudo. Mas porque Eu estive julgando ambos em seus méritos, então como é com Tolstoy? Porque Tolstoy nasceu como uma alma realizada. Então ele viu a vida de forma bem diferente. Se você leu Anna Karenina, eles mostraram essa mulher, Anna Karenina, tendo um caso com outro homem, quando ela era uma mulher casada e seu marido muito tolerante, trabalhando duro e tudo mais, e não podia lhe dar tempo suficiente, então ela achou… que ela tinha o direito de ser romântica. E então no final, ele prova que ela nunca foi feliz. Mas seu marido era muito calmo, muito misericordioso, mas ela nunca estava feliz e por fim, ela cometeu suicídio. Esses eram os escritores antigos, escreviam desse jeito, especialmente aqueles que eram almas realizadas. Mas se você dá a mesma coisa para alguém que seja um escritor moderno, ele mostraria que o marido cometeu suicídio, não a esposa.

E isso é o que agora somos nos tempos modernos… e é desse modo que nós não nos sentimos culpados… por nenhum de nossos erros. Aqui é uma esposa tendo um caso com outro homem… e o marido acha: “Eu sou culpado porque não sou tão atraente,” “é por isso que ela está tendo um caso com outro homem”, e ele comete suicídio. Não é assim, é a esposa que está errada, não o marido. Então também há um transferência da culpa ou do erro… de um para o outro através de nosso pensamento pervertido. Eu tenho visto alguns homens que são exatamente como vegetais… diante de suas esposas, especialmente nos EUA. Somente vegetais. Eu disse: “Por que você é um vegetal assim?” Então eles dizem: “Mãe, foi nossa culpa,” “o modo como nós subjugamos as mulheres.” “Mas por que vocês permitem que suas esposas os subjuguem?” “Isso também é errado.”

Então eles permitem que suas esposas os subjuguem, porque eles acham que seus antepassados subjugaram as mulheres. Fazendo a mesma coisa, você está se desequilibrando. Porque você se sente culpado. Por causa de quem? Por causa de seus antepassados. Eles estão mortos, você são diferentes. Desse modo, nós tentamos nos tornar culpados, é uma moda, como vestir-se de uma forma estranha. O tempo todo tentar descobrir quais erros nós cometemos… é uma típica mente ocidental. E então vocês se tornam “Os Miseráveis”. Como vocês podem ser pessoas felizes?

O tempo todo você começa a se culpar, se depreciando. Todas essas teorias e todas essas coisas que chegaram a vocês… apenas os tornaram pessoas infelizes, sem irem para a prisão, vocês estão na prisão. Agora, Eu estava lhes falando sobre as roupas. Há minissaias que surgiram. Agora as moças se sentem culpadas se elas não usam minissaias. Na verdade, é errado vestir isso, mas elas se sentem culpadas por não estarem usando. Porque essas são normas estranhas que criamos de que… seja o que for que os empresários inventem, devemos ser escravos deles. Imediatamente nós devemos começar a jogar fora todas as nossas roupas, adotar um novo estilo, um outro estilo. Algo surge em Paris, todo mundo deve vestir. Ao contrário disso, se na Índia alguém começa tais truques, nós nunca aceitaremos: “Sumam!

Não queremos toda essa insensatez.” Então através disso, nós jogamos fora toda a tradição… que nos desenvolveu até este nível. Nós perdemos todas as nossas tradições, porque esses empresários estão nos influenciando, estamos fazendo o jogo deles e todas essas pessoas… estão colocando todas as suas histórias todo dia, todos os tipos de teorias surgindo de todo lugar, nós começamos a aceitar. Se não aceitamos, nos sentimos culpados. É surpreendente como as pessoas aceitam a insensatez. Houve uma experiência Minha muito dolorosa… quando Eu fui uma vez aos EUA e havia uma criança de oito anos… e a mãe disse: “Ele toma drogas.” Eu disse: “Verdade?” Eu fiquei tão chocada, Eu apenas trouxe a criança ao Meu coração e disse: “Por que você toma drogas?” Ele olhou para Mim, ele disse: “Minha mãe nunca me abraçou assim.” Eu perguntei a ela: “Por que você nunca abraçou seu filho assim?”

Ela disse: “Porque eu desenvolverei uma culpa.” Eu disse: “Como?” “De acordo com Freud, isso seria uma culpa.” Agora, Freud está ditando que é uma culpa você abraçar seu filho, então você desenvolve uma culpa. Então de onde está surgindo essa culpa em vocês? É desses livros que vocês estão lendo, essas pessoas inúteis… que estão guiando vocês, elas não têm nenhum caráter, não têm nenhum bom senso, não têm nenhuma ideia da realidade… e isso é o que vocês aceitam como uma Bíblia, então naturalmente você se sentirá culpado. Se um pouco de café é derramado em uma festa, “Oh meu Deus! “, então acham que você é pior do que um criminoso. Ou se o tapete de alguém é estragado, então é claro, você deveria ir para a prisão imediatamente. Essas normas são feitas mais sobre coisas superficiais, sobre comportamento muito superficiais, essas normas são feitas, e então você começa a se sentir culpado.

Você não se sente culpado… por você ser racista, você não se sente culpado… em relação a coisas que você tem de se sentir culpado. Vocês agridem as pessoas, nos EUA, milhares e milhares de pessoas, milhões de pessoas lá, ninguém se sente culpado em relação a isso. Ou vocês dominaram o mundo inteiro, ninguém se sente culpado em relação a isso. Vocês se sentem culpados por coisas que são extremamente superficiais. Mas em relação aos Sahaja Yogis, eles são tão profundos, tão profundos que se eles tiverem se sentir realmente mal… em relação a qualquer coisa – é… Eu tenho de descobrir agora sobre o que eles têm de se sentir mal. Eu achei uma solução simples. Se você se sente mal, por favor puxe suas orelhas, acabou-se. Ou se você se sente culpado, apenas puxe suas orelhas… e o Vishuddhi ficará bem. É um método muito simples, apenas puxe suas orelhas deste jeito, acabou-se. Mas às vezes Eu noto pessoas o tempo todo… andando diante de Mim deste jeito, então Eu penso: “O que Eu fiz para eles?”

Mesmo quando estão dançando, eles farão a mesma coisa. É um pouco demais para Mim, Eu ver esse sentimento das pessoas. Na Sahaja Yoga, não existe uma regra tão rígida e fixa em relação a nada. Vocês são pessoas totalmente livres… e vocês têm de usar toda a liberdade, totalmente. Vocês não devem ser de certa forma guiados… por alguma regra rígida e fíxa, em que o tempo todo… vocês mantêm suas orelhas puxadas assim. Apenas para superar essa insensatez da sua culpa, Eu disse: “Tudo bem, vocês podem puxar suas orelhas.” E toda hora Eu vejo pessoas simplesmente puxando suas orelhas. Ontem uma moça estava usando uns brincos grandes… e ela estava puxando seus brincos, Eu fiquei muito preocupada, isso poderia… A Sahaja Yoga é apenas uma peça, apenas alegria, não é esse tipo de regras rígidas e fixas e regulamentos… como vocês veem, porque você agora é religioso de forma inata, você tem seu Espírito para ver. Que erros você pode cometer? Mas onde você tem de ter cuidado, você não tem.

Por exemplo, Eu digo que antes de sair, por favor façam um bandhan. Ele é um kavach, nós o chamamos de kavach. Significa, kavach – em inglês, há uma palavra para isso? Isso é muito – proteção é abstrato, mas isso é uma proteção da Mãe, é uma coisa concreta, kavach. Então faça o kavach. Kavach é algo, você pode dizer, que as pessoas… usam essas armaduras, dentro, esse tipo de coisa é kavach. Portanto você deve fazê-lo antes de sair… ou de falar com alguém. Isso você não faz. Então Eu percebo que há – Eu disse: “De onde você está vindo?” “Oh Mãe,” “eu fui ver meu – eu fui a um cemitério.”

Eu disse: “Para quê?” “Alguém morreu, então eu fui lá.” “Então você fez seu kavach?” “Não.” E você pode ver todos os bhoots dançando aqui sobre a cabeça. Esta é a coisa, e então você puxa suas orelhas, de que adianta? É uma coisa simples, faça seu kavach quando você estiver saindo. É tão simples, na Sahaja Yoga, nós não temos de fazer rituais horríveis que as pessoas fazem, nada do tipo. Apenas faça seu bandhan de manhã… quando você estiver saindo e se alguém é muito contestador, apenas dê um bandhan. Para qualquer coisa, um pequeno bandhan… pode trabalhar muitas coisas, mas nós esquecemos… que entramos no Reino de Deus e todos os santos e todos os anjos… e ganas estão à sua disposição.

Agora, você tem de acreditar em si mesmo. Como Eu posso lhe falar: “Acredite em si mesmo agora”? Assim, essa insensatez humana de se sentir culpado… deve desaparecer de todo Sahaja Yogi. É por isso que hoje nós estamos tendo essa Vishnumaya. Agora, por exemplo, Vishnumaya entrou nesta casa, porque ela é uma casa renovada, dilapidada, antiga… e era uma cervejaria. Foi errado fazer um havan do lado de fora, eles deveriam tê-lo feito dentro. Não é para se sentir culpado com isso, mas novamente, Eu acho que eles se sentirão também. Mas isso foi errado. Então Vishnumaya viu que vocês tinham cometido um erro, Ele própria veio e limpou tudo. Ela não pensou que vocês deveriam se sentir culpados.

Ela pensou: “Eles são crianças, ainda não sabem nada sobre isso, não sabem…” “quantos bhoots há dentro. É melhor Eu ir e fazer o trabalho.” E Ela limpou a casa. Só isso, não há nada para se sentir culpado com isso. Ela sabe melhor do que vocês, naturalmente, então Ele fez o trabalho. Assim, um Sahaja Yogi não é como uma… pessoa que parece como se alguém tivesse morrido em sua família. Como alguém muito sério, ele não consegue sorrir, mesmo que você lhe faça cócegas, ele não rirá, muito acima de tudo, ele não é esse tipo de pessoa. Ele está sempre borbulhando de alegria e amor… e compreensão e amizade. Ele desfruta tudo, isso é que é um Sahaja Yogi. Se alguma vez você se sentir culpado, agora, é claro, é melhor puxar suas orelhas, isso Eu não cancelaria, porque depois isso pode ficar muito mais lá.

Mas sempre que se sentir culpado, diga: “Por que estou me sentindo culpado?” Apenas faça introspecção. E essa é a diferença entre Aristóteles e Tolstoy, e somente ontem Eu percebi… por que Eu pensei em Tolstoy ao invés de Aristóteles. Agora, nosso Princípio de Vishnumaya deve ser sempre mantido muito alerta, porque ele nos ajuda de muitas formas. Antes de tudo, ele nos ajuda a passar… as mensagens de seu coração para sua cabeça. Ele é aquele através do qual nós nos integramos. Nosso coração e cabeça… são integrados pelo Princípio de Vishnumaya… mais do que pelo Vishuddhi no lado direito. O Vishuddhi no lado direito pode criar coletividade, pode criar compreensão uns com os outros, mas no lado esquerdo, ele o ajuda a manter uma completa integração… entre seu coração e sua cabeça. Se há uma culpa, apenas pense nisso e analise. Significa que há uma luta entre seu coração e sua mente, não é?

Simples assim. Se isso estivesse integrado, você não se sentiria culpado. E é por isso que todas essas teorias artificiais… que surgiram, todas essas narrativas artificiais que você leu.. e tudo isso, esqueça. Você é um Sahaja Yogi… e você entrou no Reino de Deus, desfrute. Isso é tudo que você tem de fazer. Mas você tem de alcançar… esse estado de alegria e compreensão… de que você está acima de tudo. Você não pode nem mesmo dizer… que você não deveria ser como Buddha que fica sentado silenciosamente. Nada desse tipo. Buddha ficava sentado silenciosamente… somente quando Ele estava meditando. Pelo contrário, vocês viram o Buddha gordo com todas as crianças… e o Buddha sorridente.

Isso significa que o ego deve rir de si mesmo. É desse modo que a sujeira dessa culpa não ficará lá. Apenas ria de si mesmo. “Como eu fiz isso desse jeito.” Rindo de si mesmo é uma forma muito boa de se compreender. Tente descobrir: “Qual insensatez eu faço? Como eu me comporto?” Como por exemplo, há uma mulher, ela sempre se sente responsável por tudo. Eu a chamo de Ghivdhari, significa aquela… que segurou a montanha Govardhan em sua mão, deste jeito. Ela acha que ela é responsável por tudo.

E Eu tento ser mais esperta do que ela em todas as suas responsabilidades, apenas para fazê-la entender que ela não é responsável. E quando ela sente que é responsável, ela fica o tempo todo acumulando essa culpa nela. Porque primeiro ela não é responsável… e em segundo lugar, sendo responsável, ela vai… certamente cometer alguns tipos de erros… e então ela vai assumir a responsabilidade por esses erros… e se sentirá culpada. Então Vishnumaya fica zangada… e se Ela fica zangada, então você terá problema de canal esquerdo. E o canal esquerdo é tão importante que ele não mostra, ele não se expressa, mas é doloroso para você. O canal esquerdo é seu, ele é doloroso para você, é problemático para você. Se há ego, os outros são perturbados, mas se há canal esquerdo, você se sente mal. Portanto não se sinta mal por qualquer coisa, algumas pessoas se sentem mal porque elas estavam atrasadas para o Puja, não importa. Essa é a hora que você tinha de vir. Algumas pessoas sentem que elas não puderam trazer algo para o Puja, não importa.

Eu nunca digo: “Você não trouxe isso,” “você não fez isso.” Eu nunca disse nada sobre o Puja, nunca, nem sequer uma vez: “Você fez isso errado”… ou “Você não deveria ter feito isso errado, deveria ter conseguido isso.” Gradualmente todos vocês aprenderam. Qual era a necessidade de lhes falar? Senão haveria um outro grande poço… dessa culpa em suas cabeças. Então vocês têm de aprender, você nunca conheceram pujas antes, vocês não sabem… o que o puja significa, vocês não sabem nada desse tipo, como ele os ajuda. Então, seja o que for que tenha sido feito, vocês estão crescendo, afinal todas as crianças quando estão crescendo, elas cometerão erros. O Meu trabalho é somente protegê-los e isso Eu estou fazendo. Mas agora, não tente se destruir sentindo-se culpado. É por isso que nós hoje estamos fazendo o Puja de Vishnumaya.

Ela é Kali que é a Irmã de Shri Krishna… e que foi Draupadi, que é Aquela… que está o tempo todo para nossa proteção e para nos dizer… que nós não devemos nos sentir culpados de forma alguma, e desfrutar a vida. Que Deus os abençoe.