Adi Shakti Puja

Cabella Ligure, Nirmal Temple (Itália)


Send Feedback
Share

Shri Adi Shakti Kundalini Puja Cabella, Itália, 06.06.1993

Hoje, todos nós iremos Me venerar, pela primeira vez. O puja sempre tem sido de um aspecto Meu ou de uma parte Minha. Agora, a pessoa tem de saber muito claramente o que é a Adi Shakti. Como nós dizemos, é o Puro Desejo de Deus Todo-Poderoso, de Sadashiva. Mas qual é o puro desejo de Deus Todo-Poderoso? Se vocês observarem, seus próprios desejos surgem do quê? Não do Amor Divino, mas do amor carnal, do amor material, do amor pelo poder. Atrás de todos esses desejos, há amor. Se você não ama alguma coisa, você não a desejará. Assim, esses tipos mundanos de amor que você tem, pelos quais nós gastamos muito de nosso tempo inutilmente, na verdade, eles não lhe dão satisfação, porque esse não é o amor verdadeiro que você tem. É só paixão cega passageira, e depois você simplesmente fica farto disso, e daqui você pula para uma outra coisa, para outra coisa, para outra coisa.

Assim, a Adi Shakti é a corporificação do Amor Divino de Deus. É o Puro Amor de Deus. E em Seu amor, o que Ele desejou? Ele desejou que deveriam ser criados os seres humanos, que seriam muito obedientes, seriam sublimes, seriam como anjos. E esta foi a ideia Dele: criar Adão e Eva. Então os anjos não têm liberdade, os anjos são criados assim. Eles são fixos, eles não sabem por que fazem isso. Os animais também não sabem por que eles fazem certas coisas, eles simplesmente fazem isso porque eles são obrigados pela natureza, eles são obrigados por Deus Todo-Poderoso. Eles dizem que Shiva é Pashupati, significa que Ele controla todos os animais, Ele é Pashupati. Ele controla todos os animais.

Então todos os desejos dos animais entram em ação, mas eles não se arrependem, eles não têm ego, eles não pensam: “Isto é errado” ou “aquilo é bom”. Eles não têm nenhum problema de karma, porque eles não têm nenhum ego, porque eles não têm nenhuma liberdade. Nesse ponto, a Adi Shakti, que era o Puro amor – assim imaginem um Pai que colocou todo o Seu amor em uma única pessoa, então o que restou para Ele? Nada. Ele fica apenas observando. Então o que Ele pensa? Ele fica apenas assistindo a peça de Seu desejo, de Seu amor. Ele está observando isso, como está funcionando. E quando Ele está observando isso, então Ele é muito cuidadoso, porque Ele sabe: “Essa personalidade que Eu criei…” “não é nada além de amor e compaixão”. E a compaixão em si é de uma variedade tão nobre… que Ele não pode suportar ninguém desafiando essa compaixão, perturbando essa compaixão, ou também, de algum modo, depreciando-a, rebaixando-a, insultando-a.

Ele é muito alerta nesse ponto e Ele é muito atento. Assim uma divisão se estabeleceu, nós devemos dizer, Dele, de Seu próprio desejo de amar. Agora, também foi dada a esse desejo de amar uma personalidade, quer dizer um ego, e esse ego tem de agir por conta própria. Ele se tornou meio que uma personalidade muito independente, que era livre para fazer o que quisesse. Quero dizer, nós não conseguimos imaginar em nossa vida mundana… que um marido e uma esposa sejam completamente livres para fazer… o que quiserem, porque não há nenhuma coesão, não há nenhum entendimento, não há essa unidade, essa afinidade. Mas é como a lua e o luar, o sol e a luz do sol. É uma tamanha coesão que seja o que for que um faça, o outro desfruta. E nessa bela divisão, a Adi Shakti decidiu mudar os planos Dele. Ela é conhecida por Sua Sankalpa Vikalpa Karoth: qualquer coisa que você tente decidir demais, Ela porá um fim nisso, como por exemplo o Puja de hoje às 11:00hs. Então quando esse assunto de Adão e Eva começou, Ela pensou: “Eles serão exatamente como os outros animais ou anjos, de que adianta?”

“Eles devem saber o que eles estão fazendo,” “eles devem saber por que eles estão fazendo isso,” “eles devem ter a liberdade para entender o que é o conhecimento.” “E semelhante a uma vida fixa como máquina que os animais têm,” “por que eles deveriam ter essa vida?” Assim, em Seu poder de arbítrio pessoal, que foi considerado – é claro, Ela é Aquela que veio como uma serpente e lhes disse: “Provem o fruto do conhecimento”. Agora, para as pessoas que não são Sahaja Yogis, vocês não podem dizer isso, elas ficarão chocadas. Mas essa serpente veio para testá-los… e depois dizer a eles: “É melhor vocês provarem este fruto”. Essa serpente disse para a mulher, não para o homem, porque presume-se que a mulher aceite as coisas facilmente. Ela pode até aceitar bhoots, ela pode até aceitar insensatez, mas ela é aquela que aceita. Enquanto o homem não aceita facilmente, ele contesta, ele discute. É por isso que Ele veio e disse à mulher – Ela veio e disse à mulher, Eu devo dizer. Este Espírito Santo na verdade é feminino, e portanto mais próximo da mulher.

Esta força feminina veio como uma serpente e disse: “É melhor vocês provarem o fruto do conhecimento.” Agora, era o trabalho da mulher, Eva, convencer o marido dela, porque as mulheres sabem como fazer isso. Algumas vezes elas podem convencê-los de uma forma errada, dizer-lhes algo que é muito errado, muito sinistro, como vocês sabem o que aconteceu em Macbeth. Em tantos lugares nós estamos vendo que as mulheres têm… desencaminhado seus maridos. Mas os homens podem ser desencaminhados… ou podem ser guiados ou podem ser emancipados, se eles tiverem uma esposa adequada. Então ele tinha total fé em sua esposa, acreditou naquilo e eles provaram o fruto do conhecimento, sob a orientação deste Espírito Santo, que era uma personalidade feminina de Deus. Isso não pode ser concebido pelas pessoas que estão apenas tendo… um vislumbre de Cristo ou um vislumbre do Profeta Maomé… ou um vislumbre de Guru Nanak, elas não conseguem entender. Nós temos apenas um vislumbre Deles. Se Eles tivessem falado, as pessoas teriam dito: “O que é isto?” Elas nunca teriam dado ouvidos a isso.

Então naquela época, pela forma como era a atenção, forma como era a receptividade, Eles falaram sobre dharma, sobre ascensão. Mas na Índia, as pessoas falaram sobre a Kundalini há muito tempo atrás, e que Ela é a Adi Shakti refletida dentro de nós. Agora, ela (a Sahaja Yogini) já leu para vocês… que Eu estarei em cada um Deles. Agora entendam que esta Adi Shakti é o Poder do Amor, do Puro Amor, da compaixão. Ela não tem nada mais, somente o puro amor dentro do coração Dela. Mas este puro amor é tão poderoso, é tão poderoso. Esse é o amor que Ela deu a esta Mãe Terra. Por causa disso, esta Mãe Terra – a quantidade de pecados que cometemos, nós podemos fazer qualquer coisa – Ela está derramando sobre nós o Seu amor através dessas belas coisas. Agora, nós temos também… essa beleza expressa em todas as formas de Seu amor, através das galáxias que vocês veem, das estrelas que vocês veem. Agora, se você quiser ver isso de uma forma cientifica, então ciência significa que não há nenhum amor nisso, está fora de questão o amor.

As pessoas até falam de Yoga, mas elas não falam de amor e compaixão. Quando não há nenhum amor e compaixão, então não pode haver nenhuma centelha divina nessa pessoa. Tudo está completamente submerso neste Amor Divino. Tudo que é criado nesta Terra, tudo que é criado neste universo, e universos e universos, tudo existe por causa do Amor da Mãe Divina. Assim, este Amor da Adi Shakti é algo tão, tão sutil, é tão sutil. Você não consegue entender algumas vezes. Eu sei que todos vocês Me amam muito. É um imenso amor por Mim, e quando Eu recebo as vibrações de vocês, é como as ondas que chegam às praias e novamente retornam, e há muitas pequeninas gotas cintilantes, na praia também. Do mesmo modo, em Meu coração, Eu sinto o amor de vocês ecoando a beleza da centelha deste Amor Divino, cuja experiência Eu não consigo explicar-lhes, o que ele cria. A primeira coisa que ele cria é que as lágrimas vêm em Meus olhos, porque ele é a compaixão, que é Sandra Karuna, é Adra, não é seca.

Como a compaixão de um pai poderia ser muito seca: “Tudo bem, faça isto, senão eu lhe darei um tiro, eu farei isto.” A Mãe dirá, mas Ela não dirá algo que fira tanto assim. Ela terá de dizer, algumas vezes, para corrigir você, mas a fala Dela é muito diferente da fala do pai, porque Ela tem Sandra Karuna, Adra, Adra é aquilo que não é rude, seco. E esse tipo de coração, Ela desenvolveu por causa deste Amor Divino que Ela estava carregando. Assim, cada parte do corpo Dela, tudo é criado a partir do Amor Divino. Cada parte dele emite somente o Amor Divino, as vibrações são nada além do Amor Divino. Agora, como Eu lhes disse antes também, esta Encarnação tinha de vir. O momento tinha chegado, estava tudo… sendo considerado que o momento chegou. Mas há uma diferença entre o tempo fixo e o tempo que é sahaja. O tempo fixo é tal que você pode dizer: “Este trem parte nesta hora, ele partirá nesta hora”.

Você pode dizer que um maquinário está produzindo alguma coisa; de tanto em tanto tempo, ele produzirá muitas coisas. Mas em relação às coisas vivas, que são espontâneas, que são sahaja, você não pode dizer isso. Da mesma maneira, esse processo de liberdade. Vocês têm a liberdade máxima. Assim, a pessoa não poderia dizer em que época isto acontecerá, que as pessoas estarão disponíveis… para receber este conhecimento sutil do Amor Divino. O conhecimento também poderia ser muito seco. Nós tivemos pessoas terríveis na Índia, que estavam ocupadas com a leitura e com a recitação de mantras, isso, aquilo. E eles se tornaram tão secos, tão secos, eles eram apenas esqueletos, eles eram, só restou ossos, e tão irascíveis que se eles olhassem para alguém, essa pessoa se transformaria em cinzas. Quero dizer, é desse jeito? Você veio para esta Terra para fazer todas as tapasyas, tudo, apenas para transformar alguém em cinzas?

Mas é desse modo que eles pensavam, que eles eram muito grandiosos, porque eles olhavam para alguém, essa pessoa se transformava, desaparecia ou se transformava em cinzas, eles chamam isso de “bhasmisar”. Mas não havia nenhuma noção de benevolência no coração deles. Assim, a primeira coisa que é alcançada através deste Amor Divino… é a sua benevolência. Agora, “benevolência” em si mesma… é também um tipo de palavra muito enganadora. “Benevolência” significa tudo que é bom para o seu Espírito. Agora, como vocês sabem, o Espírito é o reflexo de Deus Todo-Poderoso. Assim, quando o Espírito em você começa… a refletir ele próprio em sua completa beleza, então você se torna o doador, você não é mais uma pessoa que tem de receber nada, você simplesmente se torna o doador, você é tão satisfeito. Agora, este advento veio na época… em que foi decidida qual época deveria vir. Como Eu disse, vocês tinham liberdade, as pessoas estavam enlouquecendo, fazendo todos os tipos de coisas. Se você observar, exatamente antes disso, nós tivemos… um grande problema de pessoas colocando em prática seus poderes.

Como por exemplo, as pessoas iam para a Índia, para ocupar o território da Índia, ou para a China, ou decidiram que iriam até a África, e a todos esses lugares. Até os americanos foram para – os assim chamados americanos – foram para a América e a ocuparam. Então, essa foi a época em que eles estavam usando a liberdade deles somente para o poder. Essa não era a época para a Adi Shakti nascer. Eles eram pessoas orientadas para o poder. Não que não tenhamos isso hoje, nós temos, mas aquelas pessoas estavam somente buscando poder… e também aqueles territórios, o que não é importante. Então não poderia ser naquela época. Naquela época, a pessoa tinha de lutar por sua liberdade, para se livrar das garras daqueles imperialistas… e das pessoas que estavam tentando dominar. Agora, gradualmente isso mudou. Isso mudou e mudou de uma forma tão suave.

É surpreendente, Eu mesma vi a mudança chegando, ela aconteceu. Como vocês sabem, Eu Mesma tomei parte do… movimento de libertação da Índia, isso é importante. A Índia começou, isto começou na Índia, primeiro libertar-se do imperialismo e depois gradualmente… essa libertação do imperialismo começou a se espalhar em cada país, as pessoas começaram a pensar nisso, elas começaram a compreender que: “Não adianta ter colônias e tudo mais,” “é melhor voltarmos para o nosso próprio local.” Então, quando isso aconteceu – quero dizer, isso aconteceu em Minha vida, Eu devo dizer. Primeiro, as pessoas que tentaram ter a independência em nosso país… morreram, muitos foram mortos, nós tivemos pessoas como Bhagat Singh. Em todos os países, todos os revolucionários foram expulsos, maltratados e mortos. Não é um problema só da Índia. Mas a pessoa tinha de passar por isso. Assim, a liberdade deles foi testada. Agora, eles pensaram: “Essa foi uma coisa insensata que fizemos, isso não era liberdade.”

Porque, afinal de contas, ao fazer tudo aquilo, depois eles começaram a se arrepender e a desenvolver um tipo de medo, e um medo dos outros, e um tipo de, o que vocês podem chamar, um Vishuddhi Esquerdo muito perturbado começou. Eles se sentiram muito culpados, pois eles agiram muito mal, eles não deveriam ter feito aquilo. Nessa conjuntura, também havia outros problemas, por exemplo, nós tínhamos sistemas de castas… e outros problemas de escravidão… e todos os tipos de coisas, desigualdades, e algumas pessoas foram tratadas como pessoas inferiores, algumas como pessoas superiores, algumas como raças superiores, algumas como raças inferiores, existiam todas essas coisas estúpidas. Através da liberdade deles, eles criaram isso, através da liberdade deles. Não é assim, não é, não é a realidade, não é a verdade. Mas eles criaram uma coisa assim. Agora, vamos supor que Eu queira criar algo aqui, apenas dizer: “Tudo bem, isto não é um tapete”, continuar dizendo isto: “Isto não é um tapete, isto não é um tapete.” Ocorre uma lavagem cerebral, todos vocês pensam: Isto não é um tapete, deve ser alguma outra coisa. É como uma hipnose, Eu acho, o modo como as pessoas aceitam essa insensatez do racismo, de todos os tipos de desigualdades, da escravidão, do sistema de castas e especialmente os maus-tratos às mulheres. Tudo isso surgiu da escolha que foi dada a eles, escolher o que é bom, o que é ruim.

Então para eles, aquilo era muito bom, aquilo era uma coisa boa a fazer. Sob essas circunstâncias, a compaixão teria sido desperdiçada naquelas pessoas. O Amor Divino teria sido um desperdício nelas. Porque mentalmente, as pessoas não estavam preparadas… para compreender, você não poderia lhes falar: “Isso é sem dúvida proveniente da sua cegueira, ignorância.” “Vocês estão fazendo isso, isso não é a coisa correta para vocês,” “isso não os tornará nobres, isso é desprezível,” “vocês estão fazendo coisas desprezíveis.” É claro, muitos santos vieram, eles falaram de nobreza, do perdão, da união, da unidade, eles falaram de tudo. Grandes profetas nasceram, eles também chegaram nesse ponto de falar sobre isso. Mas as pessoas ainda não estavam muito preparadas. Gradualmente Eu acho que os ensinamentos deles e tudo mais… começaram a atuar nas pessoas. Mas o problema maior surgiu com essas assim chamadas religiões… que eles fundaram.

Todas as religiões realmente saíram dos trilhos. E eles formaram de certo modo poças, muçulmanos aqui, cristãos aqui, hindus lá, isso é isso, isso é isso. Então você realmente precisava dessa Doadora de Vida para preencher… todas essas poças e torná-los um. É completa ignorância, é absoluta estupidez… achar que um ser humano é mais elevado do que o outro. Você só pode dizer uma única coisa, que você está em um estado diferente. Alguns estão em um estado diferente, alguns estão em um estado mais elevado, mas em geral, você não pode condenar ninguém: “ele não é bom,” “essa sociedade não é boa, essa sociedade é…”, em geral. Individualmente você pode dizer, no geral você não pode dizer. Mas essa ignorância era tão sombria, porque ela tornou-se coletiva, é uma ignorância coletiva. Ignorância coletiva. Todos eles se uniram coletivamente para dizer: “Esta é a melhor religião, nós somos os únicos que estão salvos.”

Um outro disse: “Não, não, não,” “essas são pessoas completamente condenadas, nós somos os melhores.” E sob o nome da religião, sob o nome de Deus Todo-Poderoso, eles começaram essa insensatez. Então agora, a Adi Shakti tinha de se afirmar, aplicar a força plena. Assim, a primeira coisa, Ela percebeu… que a pessoa deveria saber o que é uma família. A criança cresce na família, se os filhos não têm a atenção adequada do pai ou da mãe, nós podemos dizer, se eles também são mimados; ou se não são mimados, os pais são muito condescendentes com eles, ou eles são negligenciados, então a criança não sabe o que é o amor. Se uma criança não sabe o que é o amor – amor não significa que você mime a criança… ou lhe dê muitos brinquedos para brincar e se livre dela, o amor significa que o tempo todo sua atenção está em seu filho. E essa atenção não é condescendente, mas é uma atenção para a benevolência da criança. Então o tempo todo você está se certificando de que há benevolência. E portanto, Eu achei que a vida familiar tem de de ser, antes de tudo, fortalecida, é muito importante, porque atualmente também sob o nome da religião, eles fundaram conventos e há padres e sanyasis… e todos os tipos de babas. Eles são tão secos.

E eles desencaminham tanto as pessoas, que as pessoas começaram a adotar esse tipo de sanyasa, saindo de suas casas, fugindo de suas esposas, de seus filhos. Então o primeiro ponto que Eu percebi… é que os seres humanos não conseguem ter amor, aqueles que não souberam o que é o amor. E esse amor é mais efetivo se for coletivo. Vocês devem ter visto que na Índia as pessoas realmente amam… umas às outras em uma família. São tantos parentes que não sabemos que parentesco temos com eles, nós simplesmente os chamamos de irmão, de irmã, disso, daquilo. Nós não sabemos qual é o parentesco, era o pai de quem, irmã de quem, nada disso. Mas nós apenas sentimos que este é nosso irmão, e se você perguntar como é seu irmão, você não saberia como é seu irmão. A razão é que nós tínhamos o sistema de família unida, o sistema de família unida exatamente como um sistema coletivo. Então ninguém sabia quem era irmão verdadeiro, quem era seu irmão adotivo, quem era seu primo, nada disso. Todos eles viviam juntos simplesmente como parentes.

Mas depois isso também se rompeu, essa família unida também se rompeu por causa de razões econômicas… e coisas assim, seja o que for. Então agora, nesse momento quando – vejam esses – foi uma época crucial, quando as pessoas tinham de saber amar… e a família tinha começado a se romper em cada país. Especialmente, digamos, nos países ocidentais, pois os homens e as mulheres nunca compreenderam… a importância da vida familiar. Eles nunca tiveram fé na família deles. Então a família se tornou tão negligente para as pobres crianças, elas estavam em solos instáveis e não podiam crescer apropriadamente. Então eles criaram uma geração… de crianças horrivelmente possuídas e violentas. Essa geração depois dedicou-se a fomentar guerras. Elas não sabem, elas sentem vontade de brigar. Eu tenho visto crianças brigando com uma árvore. Eu disse: “Por que você está brigando?”

“Brigar é bom.” Mas por que estão brigando, elas não sabem. A razão é que não há nenhum amor. Então tudo que você vê, você detesta: “eu não gosto disso, não gosto disso”, detesta tudo. Você tenta, a partir de sua frustração, destruir qualquer coisa que você veja. Assim uma nova tendência começou. Independentemente da guerra, quando ela acabou, é claro, o sistema de valores desapareceu. As pessoas pensaram: “De que adianta?” “Nós tínhamos todos estes valores, então o que ganhamos?” “Guerra e mais guerra, para que a guerra?”

“A guerra simplesmente destruiu nossas sociedades,” “eles mataram nossas crianças, todo mundo,” “e o que há de grandioso em relação a estas guerras também?” Então a mente das pessoas em geral era assim: de um modo ou de outro, você deve lutar. Por exemplo, o homem mais em forma é o melhor, então aquele que consegue dominar, aquele que consegue aparecer é o melhor. Assim, a dominação desse estilo imperialista de governo acabou, mas individualmente isso se tornou um processo de dominação. E com esse processo de dominação, o ego começou a se desenvolver. Mesmo para as crianças, eles costumavam dar… uma educação de tal forma que as crianças se tornaram muito arrogantes. Muito artificiais, extremamente arrogantes e artificiais. Era impossível entender por que essas crianças… não eram de forma alguma controladas, porque não era falado: “Isto está errado.” Porque os pais também assumiam uma atitude muito, muito defensiva. Eles não encaravam os filhos deles e lhes diziam o que é errado.

Eles estavam tão apegados a esta ideia: “Essas crianças nos deixarão”, que eles diziam: “Tudo bem, faça o que você quiser, mas fique conosco.” Sob essas circunstâncias, até mesmo os seres humanos estavam decaindo… de uma boa vida familiar para divórcios e uma sociedade estranha, que acredita em compartilhar mulheres ou compartilhar homens… e todos os tipos de coisas. Assim, que situação terrível existia para a Adi Shakti se afirmar. Depois também havia um problema muito grande em relação… a essas religiões se afirmando, impondo suas próprias ideias, seus próprios condicionamentos nas pessoas e cegando-as totalmente. Então era um tumulto, era um tumulto e nesse estado de tumulto somente, a Adi Shakti tinha de vir para estabelecer o Dharma. Ela teve de trabalhar isso para estabelecer o Dharma. Era um lugar muito instável, havia muitas “areias movediças”. Mas quando Eu nasci, Eu fiquei chocada ao ver o modo como as pessoas eram. Naquela época, Eu não acho que Eu encontrei muitos buscadores. É claro, Eu encontrei uma ou duas almas realizadas, mas na maioria dos casos, eles estavam preocupados com o seguro deles, com o dinheiro deles, isso, aquilo.

Se você falasse com eles, você não sabia… se você entrou em uma selvageria ou seja o que for. Você não sabia o que falar com eles. Como você poderia começar a lhes falar sobre o Amor Divino… quando eles não eram nem mesmo buscadores? Então, gradualmente, Eu Me senti confiante. Primeiro Eu pensei que Eu tinha vindo um pouco cedo; Eu deveria ter esperado um pouco mais, teria sido melhor, porque aqui as pessoas odeiam todo mundo, e cada indivíduo é contra o outro, e eles estão enganando uns aos outros, e eles também têm muita inveja uns dos outros, e também querem ter posições mais elevadas, e isso e aquilo. Ou outros querem zombar de todo mundo. Então talvez aquela não fosse ainda a época para a Sahaja Yoga começar. Mas então Eu vi todos aqueles falsos gurus horríveis lançan… seus próprios feitiços nas pessoas e tentando controlá-las. Isso realmente, realmente Me fez pensar: “Agora, é melhor Eu parar…” “de preocupar com relação a como o ambiente está,” “preocupar com que tipo de pessoas estão lá, vamos começar.” E foi desse modo que o primeiro Brahmarandra Chhedan aconteceu…. na Índia, era 5 de maio.

E – 5 de maio de 1970, de manhã, é claro teve também alguns eventos… que fizeram Eu Me apressar para fazer aquilo. Eu estava completamente pronta, Eu sabia qual era o problema… dos seres humanos, mas Eu pensei que… talvez eles nunca aceitem que eles podem ter a Realização do Si. Agora, esta Encarnação é realmente de um tipo bem único. Muitas Encarnações vieram. Elas vieram, lhes falaram tudo, em sermões, e disseram “isto é bom, isto é bom, isto é bom”. Algumas pessoas que ficaram fascinadas por eles os seguiram. Mas não ficou nada no coração delas, seja o que for que elas ouviram: “Tudo bem, isso é um sermão, é um discurso, é um Gita, só isso.” E a vida de uma pessoa assim… não tinha essa centelha do Amor Divino dentro dela. Nós tivemos muitas pessoas boas durante esse curto espaço de tempo, se vocês observarem. Se vocês observarem, teve Mahatma Gandhi, teve Martin Luther.

Você vê todos os tipos de pessoas por toda parte. Teve Abraham Lincoln, teve George Washington. Nós tivemos William Blake, nós tivemos Shakespeare. Tudo isso, neste espaço de tempo, na literatura, de todas as formas, Lao Tsé, depois nós tivemos Sócrates. Mas começando de Sócrates até hoje, nós tivemos muitos filósofos, muitas pessoas que falavam sobre a vida mais elevada. Apesar disso, as pessoas ficavam pensando: “Estas são algumas pessoas absurdas,” “não há nada nisso, é muito para se entender.” Ninguém leria nada sobre, digamos, o Guru Gita, eles não leriam. Eles pensavam: “O que é essa insensatez? De que adianta?” “É tudo uma baboseira”, desse jeito.

Pessoas com essa atitude, você encontra por toda parte, quando Eu vi, Eu disse: “Oh, como Eu vou falar com eles o que vocês são,” “o que eles são e o que eles têm de encontrar?” E foi realmente Meu desejo… de que deveria haver alguma perspicácia, interesse nas pessoas, apenas um pouco, se eles Me dessem uma pequena chance, esse Amor Divino é tão sutil, ele simplesmente penetrará em seus corações. Mas eles não davam, eles eram exatamente como pedras. Você não podia falar com eles, você não podia falar-lhes sobre nada. E eles achavam que não havia limites para eles mesmos, essa é a pior parte disso. Sob essas circunstâncias, a Sahaja Yoga começou. E nesse ponto, Eu percebi que os poderes da Adi Shakti… são muito maiores do que os problemas. Eu mesma vi isso muito claramente, porque esses poderes estão despertando a Kundalini. Eu sabia que Eu podia elevar a Kundalini, sem dúvida, Eu sabia disso. E também sabia que Eu podia fazer isso em massa, a Realização do Si.

Mas Eu nunca pude pensar que as pessoas que Eu despertei… voltariam novamente, porque elas eram pessoas ignorantes. Eu nunca pensei que elas voltariam, que elas praticariam a Sahaja Yoga ou que elas chegariam a este nível. Nunca, nunca, nunca, nunca pensei. Se alguém tivesse Me falado, Eu teria rido dessa pessoa. O que aconteceu exatamente foi que quando Eu dei a primeira palestra, em qualquer lugar, o auditório estava pronto, tudo estava pronto, e não tinha nada a ver com aquele auditório, Eu fiquei esperando em algum outro lugar, ele foi – o auditório foi alugado, e no encontro de continuação, é claro, houve muito poucos. Então Eu pensei: “Isso não entra na cabeça deles,” “simplesmente passa por cima da cabeça deles, Eu acho.” “Eles não querem entender nada.” Eles não entenderam nada. Sob grande pressão… e problemas familiares, isso, aquilo. Isso não foi tão importante.

A coisa mais importante era: como penetrar na mente humana. Então a única solução foi elevar a Kundalini deles; criar essa pequena luz neles. Porque se Eu continuasse sentada… com a ideia de que eles mudarão de ideia e Me pedirão o despertar da Kundalini e então Eu os despertarei era uma ideia errada. Eu pude perceber isso. Então a Realização em massa começou. E isso realmente surpreendeu as pessoas. Não era nenhuma mágica, não era invenção de história, mas era a verdade. Eles puderam sentir isso nas pontas dos dedos, eles puderam sentir isso na área óssea da fontanela. Foi a concretização da Sahaja Yoga que fez milagres. Senão teria sido impossível.

Todos esses milagres que vocês veem hoje… são por causa da reação de vocês, por causa da forma como reagiram, a forma como vocês receberam isso. Senão, a Adi Shakti é o quê? Inútil. Se vocês não aceitarem, Eu não sou nada. Na verdade, novamente Eu digo, foi a sabedoria de vocês, o seu bom senso, a sua busca que os trouxeram para a Sahaja Yoga. Eu nunca escrevo cartas para ninguém, Eu nunca chamo ninguém, vocês sabem que todos os gurus fazem isso, logo que eles chegam em alguma cidade, eles anotam os nomes de todas as pessoas importantes… e depois lhes enviam cartas, e conseguem por volta de pelo menos duas ou três para esses programas. Mas sem fazer tudo isso, como nós temos conseguido fazer esse despertar em massa da Kundalini, através do qual as pessoas começaram a compreender a Sahaja Yoga. Isso começou a penetrar nelas. Agora, para isso, Eu tenho de elevar Minha própria Kundalini deste jeito. Toda vez em um programa público, Eu elevo Minha Kundalini também.

E em Minha Kundalini, Eu capto todos os problemas de vocês. É doloroso, é por isso que depois do Puja, Eu fico muito, meio que… como uma pedra, Eu diria, por um tempo. O motivo é que Eu fico absorvendo tudo que está dentro de vocês. Eu coloquei todos vocês em Meu corpo. Vocês são partes integrantes de Meu corpo. Cada célula que Eu tenho é para vocês, para a morada de vocês. E vocês têm de ser sutis assim para compreender que… “se nós possuímos alguma coisa, ou se temos alguma coisa…” “para ser feita pela Sahaja Yoga ou qualquer coisa assim,” “se nós queremos começar um ashram, ou qualquer coisa”, imediatamente Eu sei. Como Eu sei? Porque vocês estão dentro de Mim. A maioria das coisas Eu sei muito claramente.

Mas algumas dessas coisas, Eu não sei tão claramente assim… por causa de uma coisa: o relacionamento entre Mim e vocês é certamente muito próximo, pois vocês devem estar em Meu corpo, mas se vocês não estão meditando, é uma coisa muito mundana, Eu devo lhes dizer, dhyanagamya, se você não está meditando, então Eu não tenho nenhum relacionamento com você. Você não é Meu parente. Você não tem nenhum direito sobre Mim. Você não tem nenhum direito de questionar: “Por que isto está acontecendo? Por que aquilo está acontecendo?” Portanto, se você não meditar – Eu sempre digo: “medite, medite” – Eu não tenho nada a ver com você. Você não existe mais para Mim. Não há nenhuma conexão Comigo. Então você é como todas as outras pessoas. Vocês podem ser Sahaja Yogis, você pode ter conseguido seu “título de graduação” na Sahaja Yoga… concedido por seus líderes, talvez, Eu não sei, e talvez você seja considerado alguém muito importante.

Mas, se você não faz sua meditação todo dia, à noite, de manhã ou à noite, você realmente não estará nunca mais no reino de Shri Mataji. Porque a conexão é somente através de gyana, através da meditação. Eu conheci pessoas que não meditam. Então elas sofrem, os filhos delas sofrem, depois alguma coisa acontece, depois elas começam a vir e a Me contar. Mas Eu vejo claramente que a pessoa não está meditando, Eu não tenho nenhum relacionamento com ela, ela não tem nenhum direito de Me pedir nada. No começo, é claro, a meditação leva algum tempo. Mas uma vez que você saiba o que é a meditação, sabe o quanto você desfruta Minha companhia, como você está unido Comigo, como podemos ter uma harmonia entre nós. Não há nenhuma necessidade de ter mais nada no meio, como escrever cartas ou talvez algum tipo de conexão especial, nada desse tipo. A única coisa que é necessária é a meditação. Na meditação, você cresce.

Nessa espiritualidade, você se torna mais elevado. E quando isso acontece, você começa – de certo modo, Eu diria que quando você alcança o estado de – Eu devo dizer, dessa maturidade na Sahaja Yoga, então você não quer abrir mão de sua meditação. Porque nesse momento, você está totalmente unificado Comigo. Isso não quer dizer que você deve meditar por três horas, quatro horas, mas o quão intensamente você está Comigo é que é importante. Agora, não é quanto tempo você está Comigo. Então Eu sou responsável por você, por seus filhos, por todo mundo. Eu sou responsável por sua ascensão, por sua proteção, por salvá-lo de toda a sua negatividade. Assim, isso não é como um pai que punirá você diretamente, não é assim, mas é somente: “Tudo bem,” “você não é Meu parente, estou fora.” Essa é a única coisa que pode acontecer. Se você não está meditando, tudo bem, Eu não posso forçá-lo, Eu não tenho nada a ver com você.

Você pode ter outro relacionamento externo, externamente. Mas esse relacionamento interno, através do qual você tem a sua benevolência, você não pode ter sem meditação. Eu tenho falado para todos vocês: “Por favor meditem, por favor meditem todo dia.” Mas Eu acho que as pessoas também não estão entendendo… a importância do que Eu estou dizendo, porque elas Me falam: “Mãe, nós não meditamos” “Por quê?” “Agora nós somos almas realizadas, então por que deveríamos meditar?” Agora, este instrumento está totalmente pronto, mas se ele não estiver o tempo todo conectado à fonte de energia, de que adianta tê-lo? Nessa meditação, você sentirá o Amor, o Amor Divino, a beleza deste Amor Divino. Um panorama completo muda. Uma pessoa meditativa tem uma atitude muito diferente, um temperamento muito diferente, uma vida muito diferente… e ela vive sempre em completa satisfação consigo mesma. Então hoje, sendo o primeiro dia, como vocês dizem, do Advento, nós podemos dizer que é o primeiro dia em que o Advento aconteceu, como estamos venerando hoje – é claro, não foi hoje, mas ainda assim nós podemos dizer que isso é assim.

Se isso aconteceu e tem sido benéfico para você, tem sido uma grande bênção para você, então você deve saber como preservá-lo, deve saber como aprimorá-lo, deve saber como desfrutá-lo. Você não deve ficar satisfeito somente com um, ou podemos dizer, uma última peça de teatro, ou essa coisa, aquela coisa. Mas você deve ter uma união completa com o Divino, união completa, e isso só é possível se você realmente meditar, que é uma coisa muito fácil de fazer: meditar. Algumas pessoas dizem: “Mãe, nós não conseguimos superar o tempo…” “em que não podemos pensar,” “ficamos o tempo todo pensando em algo,” “ou naquele momento nós queremos olhar o relógio.” No começo, talvez tenhamos um pequeno problema, Eu não estou dizendo que talvez você não tenha, talvez você tenha, mas isso é somente no começo. Mas gradualmente você ficará bem. Gradualmente você terá maestria sobre isso. Gradualmente você conhecerá isso tão bem… que você não gostará de ter qualquer outra coisa que seja vulgar, você não ligará para uma coisa assim. Assim, para alcançar sua beleza, alcançar sua glória, alcançar sua própria grande personalidade que agora está exposta, a única coisa que você tem realmente de fazer religiosamente é meditar. Não é assim: “Hoje à noite cheguei muito tarde,” “então não preciso meditar.”

“Amanhã eu tenho de ir para o trabalho, então não posso meditar.” Ninguém quer saber de desculpas. Isso é entre você e você mesmo. O benefício é seu, não é de mais ninguém. É para o seu benefício que tudo está acontecendo. Agora, a pessoa tem de saber… que nós alcançamos um certo nível de evolução. E a partir desse nível, você pode chegar até aqui, até aqui, até aqui. Eu não estou dizendo que não é possível fazer isso. Mas a coisa mais importante é que seja o que for que você possa ser, você pode se considerar um Sahaja Yogi de classe muito elevada, você tem de ser humilde em relação à meditação. Essa qualidade meditativa, mesmo quando estou falando com vocês, Eu simplesmente entro em meditação, porque ela dá tanta alegria.

Você simplesmente pula dentro do oceano de alegria. Primeiro, isso será difícil, mas depois de algum tempo, você saberá que essa conexão que você tem com Shri Mataji… é a única conexão que você estava procurando. E também há um outro ponto em que as pessoas se perdem, o qual Eu visto que é muito comum com algumas pessoas que se perdem. Elas meditam individualmente, muito, isso está muito correto. Individualmente elas meditarão. E elas se sentarão, meditarão, “nós fazemos puja, fazemos isso”, mas coletivamente, elas não meditarão. Assim, este é um outro ponto que a pessoa tem de lembrar: você tem de estar meditando coletivamente. Porque Eu sou o Ser Coletivo de todos vocês. E quando você medita coletivamente, você realmente está muito próximo de Mim. Então mesmo que você tenha um programa público ou algo assim, deve praticar uma meditação nesse programa.

Sempre tenha a meditação como a prioridade em qualquer programa. Cante canções, acabou de cantar, tudo terminou, depois medite. Se Eu estou insistindo em alguma coisa, você deve saber que deve ser verdade o que Eu estou lhe falando, é sem dúvida a base disso, embora isso pareça um tanto repetitivo, mas é muito importante. Agora, para nós, venerar a Adi Shakti, Eu não sei, porque não houve nenhuma oração ou algo assim… sobre a Adi Shakti, eles foram até Bhagawati, mas eles não foram além de Bhagawati. Então Eu não sei que tipo de puja vocês farão, mas vamos tentar alguma coisa, talvez. Eu acho que a meditação é o melhor meio… pelo qual podemos realmente alcançar alguma coisa, então nós podemos entrar em meditação por cerca de cinco minutos. Vocês podem aumentar o volume? Por favor, fechem seus olhos. Os onze Rudras estão despertados… e eles destruirão tudo que é negativo. Então, podemos fazer o puja?

Que Deus abençoe todos vocês.