Sahasrara Puja

Cabella Ligure, Nirmal Temple (Itália)


Send Feedback
Share

Sahasrara Puja, Cabella Ligure, Itália, 07.05.1995

Hoje é um grande dia para nós, para todos os Sahaja Yogis, pois neste dia, Eu diria que nós estamos atrasados um ou dois dias, do dia que o Sahasrara foi aberto. Foi simplesmente um milagre, Eu devo dizer, porque Eu não achei que… Eu estivesse em um ponto onde isso poderia ser feito. Então, Eu quis esperar, mas algumas coisas aconteceram que Me fizeram… pensar que ele tinha de ser aberto. Isso foi… em uma situação tal… que Eu senti que se Eu demorasse um pouco mais, isso talvez ajudasse esses falsos gurus… a espalhar a insensatez deles por toda parte. Essa é simplesmente, Eu diria, a maneira Sahaja de fazer as coisas. Agora 25 anos se passaram. Todos vocês se reuniram durante esse período, e nós temos muitos outros que não estão aqui, que alcançaram muitas coisas. Mas talvez, nós não estejamos conscientes quanto ao que alcançamos no sentido real da palavra. Vocês obtiveram suas vibrações. Vocês podem sentir este Poder Onipresente. Vocês estão, como eles dizem, nadando no oceano de alegria.

Todos vocês estão desfrutando a coletividade, e vocês transcenderam muitas de suas limitações. Tudo isso lhes aconteceu porque é seu direito ter isso. Eu não levo nenhum crédito por isso. A única coisa, o tempo todo Eu tenho lhes apontado uma única coisa: agora vocês entraram no Reino de Deus e deleitem-se. Nós temos de ver à nossa volta. Toda a natureza se deleita, não se incomoda, não se incomoda com nada. Elas não receberam a Realização. Elas não sentiram o Paramachaitanya. Mas como é que elas sabem que temos de desfrutar? As flores desabrocham por um tempo curto e murcham, mas enquanto elas vivem, elas estão muito felizes.

Elas não pensam em seu passado ou em seu futuro, mas elas desfrutam o presente. E no presente, elas desfrutam o que são, elas são perfumadas e emitem perfume aos outros. Elas são belas e estão acalmando os outros. A natureza inteira é assim. Se vocês olharem para os pássaros… ou para qualquer coisa que chamamos de natural, tudo está numa espécie de estado meditativo. Todas essas colinas e enormes montanhas. Elas parecem como se fossem testemunhas… de tudo que está acontecendo. Agora, nós temos de realmente primeiro refletir sobre… o que alcançamos. Isto é importante, porque se você está escalando uma montanha, se você olhar para trás, você tomará um susto e talvez caia. Então, normalmente as pessoas dizem: nunca olhe para trás.

Mas uma pessoa que ganhou um tesouro, ela repetidas vezes vai e conta o tesouro e descobre… o quanto ela conseguiu, e toda vez que ela vê aquilo, ela desfruta. Então saber relativamente o que conseguimos… e como alcançamos algo… definitivamente lhes dará uma maior força da mente e riqueza de vida. A primeira coisa que lhes aconteceu, Eu diria, que é muito importante, é que vocês sentiram este Poder Onipresente. Isso mostra que vocês devem ter sido… grandes buscadores da verdade, honestos, sinceros, sensatos, de modo que… apenas vindo ao Meu programa, vocês sentiram as vibrações, e depois disso, vocês começaram a se estabilizar dentro disso. Muitos de vocês sentiram isso subitamente, e ficaram impressionados e ficaram chocados e surpresos, e quiseram testar se era verdade ou não. Mas depois, vocês ficaram confiantes, vocês perceberam que alcançaram… definitivamente uma nova dimensão em suas vidas, e que estão sentindo este Poder Onipresente do Amor Divino. Eu gasto uma palestra, é o suficiente para descrever este Poder Onipresente. Mas o que vocês obtiveram disso é a essência, a pessoa tem de saber. É uma completa liberdade, vocês alcançaram sua completa liberdade. Primeiramente, a liberdade surgiu em vocês, primeiramente, o mais importante, é libertar-se de seu ego.

Vocês atravessaram esta parede do ego. Vocês saíram da escravidão deste ego, que era realmente tão cheio de problemas para vocês. Tantas coisas que este ego faz, das quais vocês não estão conscientes. Primeiramente, um sujeito que é egoísta não se importa em ferir alguém. Ele fere, mas se ele é ferido, ele não gosta disso. Imediatamente começa a chorar. Especialmente, Eu tenho visto que… as pessoas que têm muito ego ficam facilmente magoadas, mas elas não entendem quantas pessoas elas já magoaram, e quantas estão realmente com medo de uma pessoa assim. Portanto, livrem-se do seu ego. É pecaminoso ferir qualquer outro ser humano por qualquer coisa, por qualquer que seja a razão… que você sinta que deveria ferir uma outra pessoa. O primeiro é a vingança, a ideia de vingança está presente: “Eu devo me vingar da pessoa que me feriu…” “ou que fez algo errado para mim”… ou alguma coisa desse tipo.

Essa ideia de vingança surge quando vocês reagem. Alguns reagem muito violentamente. Eu tenho visto pessoas matando umas às outras em nome da vingança, matando seus próprios parentes e amigos, matando seus companheiros, seus compatriotas, pelo mundo inteiro existe algum tipo de ideia estúpida de vingança. Mas se você for para o lado sutil da vingança, o que ela é? Que vingança você tem? Vamos supor que alguém o perturbou. Você fica com raiva dessa pessoa e mata essa pessoa, então você na verdade a salvou. Ela não terá de sofrer com sentimento de culpa, não terá de fazer nada, está simplesmente acabado. O que é a vingança? A vingança deve ser apenas algo através do qual uma pessoa… se livra da ideia dela de matar os outros.

Como uma espada que nunca luta contra uma espada, ela luta contra o escudo. Da mesma forma, a vingança que achamos… que podemos fazer contra uma outra pessoa não é uma vingança, porque qualquer ação que você faça em nome da vingança… volta para você e o fere muito mais. Muitas coisas podem acontecer se uma pessoa começa a agir… em nome da vingança. Agora, por exemplo, atualmente vocês sabem que no mundo inteiro… há muita vingança acontecendo, até mesmo em nome de Deus, vingando-se porque certas pessoas estão seguindo alguma religião, ou estão fazendo alguma outra coisa diferente do que vocês estão fazendo. Realizando esse tipo de vingança, o que tem acontecido é que vocês estão apenas matando pessoas, destruindo-as, aquelas que nem mesmo entendem… que tipo de vingança vocês estão fazendo. As pessoas estão colocando bombas e colocando todos os tipos de coisas, e através disso estão matando milhares de pessoas inocentes. Assim, que tipo de vingança vocês tiveram? Eles não merecem nenhuma vingança. Então, essa vingança, quando ela explode, pode destruir muitas pessoas inocentes e isso definitivamente recairá sobre vocês. Vocês não podem escapar impunes disso.

É um processo muito longo dessa vingança. Eu lhes falei sobre o Triângulo das Bermudas. O que eles dizem é que muitos negros foram escravizados e foram afogados nessa área, então seus espíritos, eles dizem, estão assombrando as pessoas que estão passando, principalmente os brancos e eles simplesmente se afogam. Então é um processo muito longo, e tudo isso Eu não preciso falar nesta ocasião auspiciosa, mas Eu tenho de dizer que quando nós nos vingamos, toda ação tem uma reação. Assim, de algum modo, vocês se livraram dessa ideia de vingança, simplesmente se livraram dessa ideia. Há uma outra coisa, se vocês não se vingam e deixam isso para Deus, Ele age. Ele age, não somente isso, mas o Poder Divino traz para Seu próprio controle… como realmente dar uma boa lição a essa pessoa ou a essa comunidade… ou a esse tipo de organização que está se vingando de vocês. Vocês não têm de se preocupar. Eu tenho de lhes dizer que nestes 25 anos, Eu tenho visto pessoas que têm sido extremamente rudes Comigo. Muitas organizações, muitas assim chamadas religiões, e todos os tipos de coisas têm nos perseguido.

A mídia tem nos perseguido. Peguem o exemplo da mídia francesa. Eles tentaram nos perturbar tanto… e tentaram trazer má reputação para nós, não importa. As pessoas da mídia agora, três delas que foram à Índia, estão agora sob ordem de prisão e se elas forem à Índia, serão presas. Eu não fiz nada. Nós não fizemos nada. Em segundo lugar, a mesma mídia, quero dizer, os mesmos jornais estão todos falidos. Vocês não fizeram nada em relação a isso. Vocês não foram e disseram que eles deveriam falir. Vocês não se vingaram.

Por que deveríamos? Por que deveríamos nos vingar? Porque nós não estamos preocupados com o que acontece; nós não estamos preocupados com o que essas pessoas nos fizeram. Mas legalmente, eles estão agora envolvidos de tal forma… que eles estão sob ordem de prisão e se forem à Índia, eles serão presos. E todo o governo francês está com eles, todos eles estão tentando muito, mas essa punição está sobre a cabeça deles. Em suas vidas, eles não tiveram de morrer ou qualquer coisa assim, em suas vidas, eles tiveram isso. Assim, vocês receberam este poder especial: vocês não têm de se vingar ou só têm de perdoar. Apenas perdoem e o perdão cuidará de todas as providências…. para trazer a outra pessoa ao seu caminho apropriado. Assim, uma vez que você acabe com essa ideia de vingança, você realmente se sente muito tranquilo, extremamente tranquilo, porque esta paz que você tem dentro de você mesmo não é artificial, não é mental, mas simplesmente acontece com você. “Tudo bem, e daí se eles disseram, se eles nos fizeram algum mal?”

“Por que deveríamos nos incomodar?” Existem tantas coisas que posso lhes dizer… que têm trabalhado automaticamente. Agora, na Turquia, eles Me disseram que há um rapaz da Inglaterra, e ele foi e disse à mídia algo contra a Sahaja Yoga, e foi tudo publicado. Mas no tribunal, ele confessou: “Qualquer coisa que eu tenha dito estava errado”. Ninguém foi e falou com ele, ninguém o ameaçou, nada aconteceu. Então, a partir do seu ponto de vista, você deve entender… que não irá entrar em nenhuma confusão… de se vingar de qualquer tipo. porque você pertence ao Governo de Deus. E este Governo é extremamente alerta, muito autêntico e também extremamente eficiente. E no que se refere a você, você é um cidadão desse Grande Reino. Assim, o que vocês alcançaram é a cidadania desse grande Reino de Deus, onde vocês devem se sentir totalmente seguros.

O homem que é seguro nunca fica com medo, nunca fica com medo. Então você também se livrou do seu medo. O homem está no – Eu não sei por que ele está com medo disso e daquilo, e se preocupa com isso e com aquilo. É algo surpreendente o modo como eles se preocupam com a saúde deles, se preocupam com a família deles, com seus filhos, com sua casa, quero dizer, com todos os tipos de coisas. Mas os Sahaja Yogis não, eles não se preocupam. Nós não temos nenhuma preocupação. Tudo funciona. Por que deveríamos nos preocupar? Aquele instrumento de preocupação está acabado, está acabado, Eu acho, está quebrado. E você está agora em um estado onde… você simplesmente não tem tempo para se preocupar, porque você está se deleitando.

Esse medo que Eu tenho visto nas pessoas atua tanto… que elas contraem muitas doenças provenientes do medo, muitas doenças, especialmente a maioria dessas doenças de Canal Esquerdo, as pessoas contraem por causa do medo. O que há para se ter medo? Isso é como você bater na Mãe Terra dizendo que há uma cobra. Não há nenhuma cobra, mas você pode se sentir assim e pode continuar com esse medo. Ninguém, nenhum tipo de ideia sobre fantasmas ou alguém… ou algum tipo de grande demônio em pé em algum lugar, é tudo insensatez. Para você, isso não existe. Por exemplo, você está andando na escuridão, então você vê formas e coisas assim e algumas pessoas dizem: “Eu vi alguém numa árvore”, um tipo de forma, isso não existe na verdade, não existe. Mas esse medo no homem faz com que ele pense assim. Ele tem medo disso e daquilo, e então como resultado, ele perde sua liberdade, ele se torna escravo, escravo de muitas pessoas das quais ele tem medo: “Tal e tal homem irá me ferir, tal e tal homem irá me perturbar”, e todo o conceito de medo tem arruinado as nossas vidas familiares. Por exemplo, uma esposa está dominando, o marido está dominando, não há nada para se ter medo, nada para se ter medo.

Através do medo, você só faz o jogo deles. Assim, vamos supor que a esposa esteja dominando, apenas faça piada disso. Se você não consegue fazer piada disso na presença, digamos, de sua esposa ou de seu marido, é melhor fazê-lo fora. Use isto: “Oh, olhe aquilo”. É sua qualidade especial agora que você realmente pode se livrar… do seu medo completamente. O que há para ficar com medo da esposa ou do marido? O que ele pode fazer com você? No máximo, ele matará você, e daí? Você vai morrer de qualquer jeito. Assim, o medo da morte é uma outra insensatez que as pessoas têm.

Quando pela primeira vez Eu comecei o Meu trabalho, em todos os lugares, eles Me perguntaram: “E quanto à morte?” Eu disse: “Mas exatamente agora vocês estão vivendo,” “por que estão perguntando sobre à morte?” Muitas pessoas Me perguntam: “E quanto à nossa morte?” “Por que vocês querem saber sobre isso?” “Eu lhes direi sobre o hoje, o momento presente.” Assim, esta é uma outra ideia louca: nós devemos saber sobre a nossa morte, o que irá acontecer. E seja o que for que aconteça, uma vez que você esteja morto, vocês está acabado, você não tem de fazer nada depois disso. Então, de que adianta saber quando, quando você morrerá, saber o que lhe acontecerá? Seja o que for que tiver de acontecer, acontecerá. Nós nunca perguntamos: “Quando eu dormir, o que irá me acontecer?”

Perguntamos? E esse é um sono permanente e nos preocupamos muito sobre isto, que nós devemos saber o que acontecerá após a morte. A pessoa tem de morrer no momento que tiver de morrer, porque tudo que nasce tem de morrer. Mas vocês de fato sabem que obtiveram a vida eterna. Vocês nunca podem morrer. A morte não é este corpo desaparecendo, a morte é quando… você está totalmente sem nenhum controle de sua alma viva. Uma vez que você é uma alma Realizada, você tem todo o controle, todos os poderes para levar sua alma aonde queira; nascer se você quiser; se você não quiser, você não nascerá; nascer com as pessoas nas famílias, nas comunidades, onde quer que você queira. Existem muitas grandes almas, Eu sei, que nasceram corajosamente em sociedades que são muito, Eu diria, deterioradas e que estão em perigo de serem destruídas… por causa da estupidez que as pessoas fazem. Assim, essa circunstância em que temos medo da morte… é totalmente absurda para os Sahaja Yogis. O que há para se pensar até mesmo sobre sua morte?

Não há nada como a morte para vocês… porque vocês obtiveram a vida eterna. Não é que vocês continuem com o mesmo corpo. Vocês podem continuar trocando sua roupa, mas vocês estão vivendo, vocês estão conscientes, e vocês sabem que mesmo que este corpo não exista, vocês existirão, o tempo todo, disponíveis para a Sahaja Yoga, para qualquer coisa que deva ser feita em nome da realidade. Assim, você deve saber sua posição como ser eterno; qual é o seu trabalho; qual é o seu ideal; o que você tem de fazer. Portanto a pessoa tem de se livrar dessa ideia de morte, porque a morte não existe para vocês. Está acabado. Além disso, todas essas pessoas que têm medo de sua morte… continuam tendo seguros de vida, isto, aquilo, todas as dores de cabeça, e por fim, o que acontece? Você deixa aqui todas essas coisas mundanas e parte. Eu não acredito que exista alguém que poderia carregar nem mesmo… um pequeno grão de poeira com essa alma que está partindo. Mas no caso de vocês, quando vocês não estão mais nesta Terra, a assim chamada, então vocês não carregam todas essas coisas materiais, porque vocês já abandonaram, vocês não têm nenhum interesse nelas, vocês não são materialistas.

Então o Espírito de vocês é livre, e quando vocês morrem, o que lhes acontece é uma coisa muito simples: vocês se sentem muito livres, liberados, totalmente. E então vocês sentem a sua liberdade completamente, e vocês podem decidir o que querem fazer. Está tudo sob a sua própria orientação, seu próprio desejo, tudo funciona. Vocês não sentem que saíram do seu corpo, e isto é o que Eu devo lhes dizer: não deve haver nenhum medo da morte, mas ao contrário, ela deve ser bem-vinda. Porque vocês se sentirão muito mais liberados, muito mais tranquilos. Vocês não têm outros problemas que vocês têm de carregar… de qualquer forma neste mundo por causa deste corpo. Agora, vejam, “eu tenho de tomar alguns remédios,” “eu tenho de tomar vitaminas”, não têm de tomar nada, não precisam disso. Este corpo estar morto é uma ideia muito boa. Eles são tão problemáticos, vejam. O tempo todo, apesar do fato de talvez vocês dizerem: “Oh, eu não ligo para este corpo”, e tudo mais, mas este corpo não os abandonará.

Esta é a coisa mais grudenta que nós temos: o nosso corpo. Portanto esquecer da morte deveria ser a coisa mais fácil para vocês. Nós quebramos muitas barreiras. Como vocês sabem muito bem, os condicionamentos que tínhamos, nós acabamos com isso. É surpreendente. Eu tenho visto pessoas que quando obtêm a Realização delas, imediatamente depois, elas começam a observar ao redor delas. Elas lhe dirão imediatamente o que está errado com a religião delas, depois elas lhe dirão o que está errado com o país delas; o que está errado com a cultura delas. Foi através delas que Eu passei a saber tanto. Eu não sabia que isto era assim, mas elas mesmas nos disseram agora. Por exemplo, há um francês, tomem como exemplo, se um francês recebe a Realização, quero dizer, vocês sabem tudo sobre a França.

As coisas que vocês jamais poderiam imaginar, que tipo de pessoas… eles são, eles lhes dirão tudo. O mesmo com os ingleses, Eu tenho visto. Os ingleses podem rir de si mesmos, tudo bem, mas na verdade, quando eles se tornam almas realizadas, eles lhes dão um retrato completo do povo inglês: que tipo de pessoas estão lá, o que há de errado com eles, como eles são egoístas, isso, aquilo. Eu fiquei impressionada. Eu nunca soube tantas coisas que Eu passei a saber… através dos Sahaja Yogis que obtiveram a Realização. Porque eles têm visto todas essas coisas muito minuciosamente… e de muito perto e eles sabiam o que era aquilo. Agora, quando você se torna tão limpo, completamente limpo, com a mente completamente limpa de todos os tipos de condicionamentos, você se torna como um espelho, um belo espelho. E nesse espelho, a pessoa pode ver… um retrato completo da sociedade na qual vive, o retrato completo do governo que o governa, ver tudo, tão claro. E isso é absoluto, não é tendencioso. Por exemplo, você pergunta para alguém, então ele dirá: “Qual é a Sua política?”

Se Eu disser: “Minha política é Eu não ter nenhuma política”, eles dizem: “Como Você não tem nenhum interesse partidário?” “Como podemos viver sem política?” “Eu não tenho nenhum interesse partidário.” Então, eles continuarão lhe perguntando coisas… que são muito estranhas. Mas para uma alma Realizada, é exatamente o oposto. Ele não apenas vê, mas também mostra e expressa, muito claramente. Eu tenho ficado impressionada pelo modo como as pessoas têm sido… realmente tão reflexivas sobre a sociedade em que vivem… e sobre o país que representam. Assim, a identificação é perdida, a completa identificação é perdida. Você não se sente muito identificado. Você apenas vê o que há de errado com este mundo.

Então, um outro ponto também… é que você começa a ver como você pode ajudar, o que você deve fazer, como você pode trabalhar isso. E a importância disso se torna… seu ponto principal na vida. Todos que Eu vejo; ontem, a forma como vocês trouxeram todas essas bandeiras e tudo aquilo, atrás daquela bandeira, Eu pude ver, todos vocês queriam que a paz prevalecesse naqueles países, que eles deveriam receber toda a alegria e a beleza da Sahaja Yoga. Isso é que é um sentimento. Não é como vocês mesmos se tornando Sahaja Yogis… e se sentando no canto, não. Eles querem fazer isso para aquele país com o qual eles não estão identificados, mas sem identificação, eles têm esse profundo sentimento de que… eles têm de trabalhar, de corrigi-lo. É um tipo muito diferente de personalidade que vocês desenvolvem. Normalmente, se você disser uma palavra contra alguém: “Em seu país, eles fazem assim” “Oh, o que você está dizendo, e quanto a seu país?” Imediatamente. Eles nunca aceitarão.

Se você tentar dizer mesmo uma única palavra contra eles, contra o país deles ou o governo deles, que pode ser o governo mais corrupto, mas não, mesmo assim dirão: “O quê? Nós estamos bem.” Esse tipo de identificação estúpida, que o mantém completamente grudado àquela sociedade, como por exemplo, algumas pessoas dirão: “Não, não, eu tenho de ir ao bar”. Eu digo: “Por quê? Por que vocês têm de ir ao bar?” “Esta é nossa sociedade, esta é nossa cultura, nós temos de ir.” “Nós temos de ir ao bar, ficar bêbados e cair, todos nós juntos.” Esse é o tipo de pessoa que nós somos, não conseguimos evitar isso. Isso é o que acontece. Você diz a qualquer um: “Por que você faz isto assim?

Qual é a necessidade de fazer?” “Porque eu tenho de viver nesta sociedade,” “afinal de contas eu pertenço a esta sociedade…” “e eu simplesmente não posso fazer o que eu gosto.” Mas quando você têm a sua Realização, você pode fazer o que gosta. Você pode fazer o que gosta, porque você só gosta do que é correto, do que é bom, do que é construtivo, do que é benéfico. Então, você pode fazer o que quer que você queira; após a Realização, não há nenhuma restrição para você. Toda essa restrição de “não, não, não, não”, isto claramente o escraviza, Eu acho que isso o escraviza muito. Mas, depois da Realização, você é um pássaro tão livre… que nada pode escravizá-lo. Por exemplo, há muitos pastores que pregam: “Vocês não devem beber,” “vocês não devem fumar, isto, não devem tomar drogas,” “vocês devem fazer isto, devem fazer aquilo”, mas essas coisas não param. Isso não ajuda. As pessoas se esforçam, tentam tudo, por fim elas cometem suicídio, mas elas não conseguem se livrar desses hábitos, enquanto agora, vocês são tão poderosos que nada pode ficar grudado em vocês.

Essa é a pureza de seu caráter que brotou, ela não permite que nenhuma coisa insensata fique presa em você. Eu tenho ouvido tantos Sahaja Yogis Me contando… como os olhos deles se estabilizaram, como eles se tornaram tão corretos, como eles se tornaram tão puros e eles não conseguem entender. Eles disseram: “Mãe, é o Seu poder? A Sua pureza que a Senhora nos deu?” “Ou é a nossa pureza que a Senhora despertou?” É claro que é a de vocês, sem dúvida. Vocês têm todas essas coisas, e vocês se tornam conscientes disso, e dessa forma vocês se desidentificam totalmente, Eu devo dizer, de todas essas coisas insensatas, e vocês não gostam delas. Vocês simplesmente não gostam delas. E vocês continuam criticando. Eu também estive em todos esses países antes, e Eu encontrei pessoas que são muito identificadas, e diplomaticamente, Eu não deveria dizer nada, qualquer coisa que… as fizesse sentir que estão fazendo alguma coisa errada.

Mas depois da Sahaja Yoga, as mesmas pessoas… estão nos dizendo e zombando de toda a situação. Por exemplo, Eu tenho ouvido alguns Sahaja Yogis conversando… uns com os outros. Ele diz: “Vejam o meu país,” “esta é uma coisa tão estúpida que está acontecendo”. Outro diz: “Ninguém pode vencer o meu, ele é muito pior”. É uma competição muito comum entre Sahaja Yogis. Então, nós temos de ver o quanto nós nos tornamos puros, e nessa pureza, nada que seja sujo, desonesto, qualquer coisa que possa estragar essa pureza, nós não gostamos. Nós não gostamos. Nós estamos limpos, puros, a partir de dentro, e não vamos aceitar nada assim dentro de nós nunca mais. Então, Eu também tenho visto… a maneira como as pessoas se tornaram tão compassivas. É surpreendente como elas se tornaram compassivas umas com as outras.

Por exemplo, havia dois Sahaja Yogis, eles não estavam muito contentes um com outro, inconciliáveis, seja o que for que vocês digam que seja isso. E Eu não sabia como fazê-los perceber: “Vejam, o outro Sahaja Yogi está bem,” “não importa, afinal de contas, o que é isso?”. “Não, eu não gosto disso nele”. E o outro dizia: “Eu não gosto disso nele”. Então, isto continuou: “Eu não gosto”, ele disse: “Eu não gosto”. Quero dizer, eles estavam vendo os defeitos um do outro… ou seja o que for que vocês os chamem. Então Eu disse: “Tudo bem, agora vocês meditarão por algum tempo?” Novamente: “Meditem, meditem”. E Eu disse: “Agora, vocês Me amam?” Ela disse, um disse: “Eu amo a Senhora mais do que ele.”

Eu disse: “É uma situação difícil”. Como fazê-los entender agora que vocês não podem medir o seu amor, vocês não podem fazer um gráfico dele. É algo dentro de vocês, e se vocês amam alguém, então vocês desfrutam isso. Vocês não podem qualificar isso, vocês não podem quantificar isso. Mas isso estava acontecendo com esses dois senhores juntos, e Eu pensei: “O que fazer agora?” “Eles são muito importantes, e ainda não há…” “nenhum entendimento entre os dois.” Então, o Poder Divino assumiu o controle, Eu acho. Um deles ficou muito doente repentinamente, muito doente. E Eu também tinha avisado: “Você ficará doente, tome cuidado”. Mas isso foi, quero dizer, eles acharam que o outro companheiro… podia estar tentando fazer graça ou algo assim.

Aquilo não foi compreendido, ele ficou muito doente. Quando ele adoeceu, então aquele outro, o outro sentiu um enorme amor por ele. É algo que ninguém pode explicar, ele foi e ficou com aquele paciente por 24 horas. E disse: “Se você precisar de algum dinheiro, eu consigo”. Ele pagou por tudo que ele pôde pagar. Então, esse senhor também era uma pessoa muito sensata, razoável, independente, ele percebeu esse amor, essa afeição, naquele “capataz” rude, o outro – e tanta compreensão cresceu dentro deles. Isto é, Eu acho, o jogo Divino que… os uniu, tão próximos e tanta compaixão. Assim, a força da compaixão dentro de vocês é tão grande, é muito sutil, vocês não veem. Porque no nível mental, Eu estava falando com eles, argumentado, tentando acalmá-lo, acalmá-lo, estava acontecendo assim – isso não funcionava. Mas quando essa força da compaixão começou a atuar de repente… em um deles, o outro viu a compaixão, a pura compaixão, e eles simplesmente se tornaram grandes amigos.

Assim, a pessoa tem de sentir a compaixão dentro de si mesmo. Eu tenho visto muitas vezes que há muitos Sahaja Yogis… e às vezes Eu tenho de corrigi-los, ou dizer algo. Imediatamente um outro dirá: “Mãe, a Senhora pode perdoá-lo?” “A Senhora não pode perdoar?” Eu disse: “Eu perdoei, não estou fazendo nada.” “Por favor perdoe, por favor.” Eu Me sinto tão feliz de ouvir isso, que em um ponto, em uma condição, quando se trata de um Sahaja Yogi, vocês o apoiam, mesmo contra Mim, Eu fico feliz. Mostra que vocês não são apenas generosos, mas vocês estão cheios de sua compaixão. Assim, essa fonte de compaixão que está dentro de seu ser, em seu coração, você tem apenas de abrir seu coração. Se você abrir este coração, é como abrir o Sahasrara.

Vocês ficarão impressionados pelo modo como vocês podem perdoar… as pessoas e como vocês podem viver com elas. Eu tenho notícias que Me perturbam muitas vezes, que as pessoas estão formando diferentes grupos, e tendo diferentes ashrams e não vêm para o coletivo e tudo mais. Eu fico muito preocupada. Agora, o que está faltando é – é claro, há também algumas pessoas que acham que elas devem ter… algo separado, sua própria organização, e por que elas deveriam estar no coletivo, e tudo mais. De modo que isto é claro: uma pessoa assim não atingiu ainda esse estado de compaixão. No estado de compaixão, você gosta que alguém lhe diga: “Não diga nada a tal e tal pessoa, não quero que você diga isto”. Isso Me dá muita, muita alegria. Por exemplo, nós tivemos um casal, eles ficavam brigando por tudo. Eles costumavam Me enviar cartas e mais cartas. Eu fiquei farta, telefonemas e mais telefonemas, ambos brigando.

Brigando tanto que Eu não sabia o que fazer com eles. Então Eu pensei que seria melhor que eles se divorciassem… e acabassem com aquilo. E Eu lhes disse, separadamente: “É melhor vocês se divorciarem…” “e se livrarem disso, mas as queixas que vocês têm são tantas…” “que elas não podem ser resolvidas”. Ela disse: “Como?” Eu disse: “Você fica falando:” “meu marido não tem mais tempo para mim, ele está sempre fora,” “e ele não passa mais nenhum momento agradável comigo,” “nós não saímos”, e existem todas essas queixas. E o marido diz: “Ela sempre me perturba que eu tenho de levá-la…” “para sair, que eu devo fazer isso, e devo fazer aquilo.” “Eu quero fazer isso, mas eu não posso.” Então Eu disse: “Mas quando vocês se divorciarem,” “vocês nunca poderão reclamar de nada.” “Permanentemente, o marido sumiu e você sumiu.” “Então por que vocês querem fazer uma coisa dessas?”

Imediatamente essa compaixão começou a atuar, e então Eu falei: “Vamos supor que um de vocês fique doente amanhã,” “então quem cuidará um do outro?” Isso simplesmente os desconcertou. Vocês sabem, são momentos tão pequenos na vida… que chegam na vida dos Sahaja Yogis, Eu tenho visto que de repente este coração se abre, e com isso, eles combatem todas essas ideias insignificantes, insensatas, que os mantêm fora, afastados uns dos outros e fora da coletividade. O que Me dá a maior alegria é ver como vocês amam uns aos outros, cuidam uns dos outros, brincam uns com os outros… e dançam uns com os outros. Esta é a coisa mais grandiosa que Eu gosto. Eu não quero Me livrar dessa Minha ideia. Apesar do fato de que muitas vezes, Eu acho que é difícil de acreditar… como os Sahaja Yogis podiam se comportar assim… e tentar criar conflitos, e distâncias entre as pessoas que são almas realizadas. Porque as almas realizadas, em qualquer lugar do mundo, se vocês as observarem, elas respeitam umas às outras. Não somente respeitam, mas cuidam e nunca falam mal… de uma outra alma realizada. Nunca.

Eu não sei se vocês souberam sobre a vida pessoal desses santos. Mas na Índia, como nós tivemos muitos deles, quando vocês os veem, como eles se têm se comportado uns com os outros, a maneira como eles têm cuidado uns dos outros, é tão bonito, é tão nobre. Como se eles cuidassem mais do outro Sahaja Yogi, ou Yogi, ou alma realizada, do que de si mesmos. E a coisa toda os faz se sentir em um novo mundo, de novas pessoas, que se importam com os sentimentos dos outros, e não o que eles querem dizer, ou o que eles querem ter, ou que eles são alguém especial. Também na Sahaja Yoga, vocês vieram, vocês perderam suas particularidades. Alguns deles acham que são muito especiais. Vamos supor que Eu chame alguma senhora para, digamos, colocar “alta” em Meus Pés, ela começa a pensar que ela é muito especial, mas Eu só a chamei porque Eu sei que ela tem um Agnya horrível… e Eu tenho de limpá-lo. E quando alguém Me disse: “Mãe, ela acha que é muito especial.” Eu disse: “É mesmo? O que a faz pensar assim?”

“Porque a Senhora a chamou para colocar “alta” em Seus Pés.” Eu disse: “Eu só a chamei porque ela tem um Agnya tão horrível e feio,” “que ela perturbará todo mundo, portanto Eu quero limpá-lo.” Então em vez disso, Eu deveria ter lhe dito: “Você é muito egoísta, horrível”, e todas as palavras possíveis, senão ela não entenderá. É surpreendente. Havia uma senhora que era realmente muito desagradável… com seus parentes e com todos na Índia, e ela veio Me ver. Eu a chamei. Eu realmente a repreendi. Eu disse: “Que direito você tem de se comportar dessa maneira aqui?” “Seu pai, que era tão racista, você nunca disse uma palavra contra ele,” “e por que você está falando tanto contra essas pessoas?” Eu a repreendi.

Ela saiu e disse: “Oh, vejam, a Mãe me chamou, não é permitido ninguém vê-La.” Eu disse: “O que é isto?” É uma situação muito estranha com as pessoas. Eu às vezes percebo a maneira como eles pensam que são especiais, e que eles deveriam se tornar especiais. Isso está ficando realmente difícil. Agora, apenas para mostrar o Meu amor, para apreciar algo que as pessoas fizeram, e se você der algum presente para aquela pessoa, ou se você mostrar preocupação com aquela pessoa, porque ela fez um bom trabalho ou algo assim, ela começa a pensar que é especial. Quero dizer, é uma situação impraticável, porque Eu tenho a expectativa… de que se Eu fiz algo bom para essa pessoa, ou de alguma forma mostrei Minha preocupação por uma pessoa, essa pessoa tem de se tornar um Sahaja Yogi muito bom, no sentido de ser a pessoa mais humilde, honesta e amável. Senão, não tem nenhum sentido. É inútil ser bom com alguém se isso significa que a pessoa… vai pular para dentro do inferno. Então, esta é também uma outra ideia de exclusividade.

Eles perderam seu senso de exclusividade. Quando uma gota se torna o oceano, ela se tornou o oceano, não é mais a gota. Se alguém pensa: “Eu sou uma pessoa especial”, então saiba que você não é mais um oceano, você ainda é a gota. Porque a menos e até que você seja a gota, como você pode achar: “Eu sou alguém especial”? Então, vocês perderam sua exclusividade. Vocês perderam isso porque todas essas ideias de exclusividade vêm do seu passado. Uma vez Eu encontrei uma senhora, há muito tempo atrás, ela era uma mulher muito grosseira, orgulhosa e arrogante. Isto foi em Delhi, onde as pessoas são muito ligadas aos trabalhos… de seus maridos e isso e aquilo. Eu nem mesmo sabia a destinação ou mesmo o cargo do Meu marido. Então, ela foi muito grosseira Comigo.

Eu disse: “Qual é o problema com você? Por que você é tão grosseira?” “Qual é o problema?” Ela disse: “Você não sabe? Eu sou a esposa de fulano de tal”. “Você é a esposa ou o marido?” “Eu sou a esposa de fulano de tal”. Então ela Me perguntou: “O que Você está fazendo aqui?” Eu disse: “Eu sou uma dona de casa”. Então, Meu marido chegou.

Ela disse: “Você o conhece?” Eu disse: “Sim, Eu o conheço, por quê?” Eu achei que deveria haver algo errado nisso também. Então, ela disse: “Não, eu só quero saber. Como Você o conhece?” Como se Eu fosse alguma criminosa ou não sei o quê. Eu disse: “Ele é Meu marido”. “Oh meu Deus, ele é Seu marido?” “O que aconteceu?” Como se dez serpentes a tivessem mordido.

Talvez, talvez o marido dela estivesse em uma posição… bem inferior que Meu marido, talvez algo que Eu não saiba. Mas isto é o que acontece: “Eu sou alguém especial”. Essa ideia estúpida de ser especial… tem de ser completamente negada na Sahaja Yoga. Não mentalmente, não mentalmente. Mentalmente se você ficar novamente dizendo: “Eu não sou especial, eu não sou especial”, como um mantra, você se tornarão muito mais. Porque vocês dirão: “Eu recitei esse mantra 23.000 vezes.” “Quem consegue recitar como eu?” Assim, esta ideia: “eu sou alguém especial, eu sou maravilhoso,” “eu sou algo inesperado, superior aos outros”, simplesmente desaparece. Como Eu disse, vocês são uma gota no oceano. Vocês se tornaram o oceano, vocês não são mais uma gota para ter algum sistema relativo de valores.

Não há nenhum sistema relativo de valores. Não há nenhum sistema através do qual vocês podem dizer: “eu sou superior e ele é inferior”, tudo isso tem criado todos os problemas do mundo. Vejam nosso sistema de castas na Índia, os sistemas sociais do ocidente, o racismo no ocidente, também a consciência egoísta de que… “minha religião é melhor, a sua é pior, nós somos os melhores”, todas essas coisas têm criado problemas. Isso não fez nenhum bem. Isso falhou e falhou e falhou. Então, pelo menos na Sahaja Yoga, não tragam mais esta doença… de que “eu sou melhor, nós, nosso país é melhor…” Esta exclusividade, vocês devem abandonar, e a verdadeira beleza da sua personalidade se mostrará. Para isso vocês não precisam de uma escala especial, vocês não precisam de um corpo especial, vocês não precisam de uma, o que vocês chamam, uma aparência glamourosa, especial. O que vocês precisam é de um belo coração. E Eu lhes digo, é o belo coração que atrai, nada mais. É o belo coração que vocês querem ter.

Eu conheci pessoas, não muitas assim. Havia um senhor que se divorciou de sua primeira esposa. Ela talvez não fosse tão bonita, talvez fosse feia, ou o que quer que fosse. Então, ele se casou com uma outra mulher, bonita, e ele fugiu de casa. Então Eu lhe perguntei: “Por quê?” “Você não gostava daquela mulher porque ela era feia ou seja o que for,” “então por que você agora está fugindo dessa outra?” “Ela não tem coração.” “Ela não tem coração”. E isto é o que vocês têm: um coração maravilhoso, generoso, belo, dhármico. Vocês o receberam como um presente do Divino, e o qual vocês devem respeitar.

Vocês devem ser orgulhosos disso e desfrutá-lo, assim como vocês devem desfrutar sua generosidade, vocês devem desfrutar a forma como toda esta natureza está se deleitando. Ser muito meticuloso sobre as coisas, ficar o tempo todo corrigindo os outros, é uma dor de cabeça. É uma dor de cabeça. A melhor coisa é se corrigir e rir de si mesmo, essa é a melhor maneira, vocês podem fazer isso. Todo mundo tem algumas coisas engraçadas sobre si mesmo. Eu também tenho, Eu devo confessar. E Eu as desfruto porque Eu acho que tento e tento, mas sempre esqueço. Por exemplo, os óculos, Eu sempre os esqueço. Antes de vir, Eu devo esquecê-los sempre. Eu digo a Mim mesma que Eu preciso deles, que Eu devo levá-los, devo Me lembrar, mas invariavelmente Eu os esqueço, e Eu não sei por quê.

Eu não posso ficar sem eles, mas mesmo assim Eu esqueço. Há tantas coisas. Por exemplo, Eu não sei contar dinheiro. Se você Me der 100 rupias, Eu contarei 200 rupias. Eu lhes digo, Eu sou boa em matemática, mas não consigo contar. Não sei como preencher um cheque, vocês conseguem acreditar? Eu não consigo preencher. Vocês têm de preencher o cheque para Mim, senão, Eu não consigo. E se alguém Me pedir, digamos, 100 rupias, Eu lhe darei uma nota de 500 e esquecerei isso. E aquela pessoa diz: “Mãe, a Senhora me deu 500”.

“Não, não, Eu lhe dei apenas 100.” “Não, a Senhora me deu 500”. Eu fui para casa e constatei. Tudo bem. Afinal de contas, se ele é desonesto, ele é desonesto. Se ele é honesto, ele é honesto. Então por que se preocupar com quanto dinheiro vocês deram, e essa coisa, aquela coisa, meticulosamente, verificando tudo desse jeito? E Eu tenho visto com todas essas pessoas meticulosas, elas sempre falham. Porque este cérebro prega algumas peças nelas. Por exemplo, havia um sujeito que Me disse: “O tamanho do seu carro é tal e tal”.

Tudo bem então. “Então, o tamanho da garagem será tal e tal”. Eu disse: “Tudo bem”. Então, quando nós construímos a garagem, o carro não entrava. Eu disse: “Um arquiteto tão meticuloso, e uma pessoa tão conhecida…” “que ganhou tantos prêmios, isto e aquilo,” “como ele pôde cometer um erro desses?” Mas Eu ainda não entendi aquilo. Agora, ele disse: “Agora é melhor vocês comprarem um carro menor”. Eu disse: “Pelo menos agora meça essa garagem de uma forma apropriada,” “senão, novamente, se Eu comprar alguma coisa, não entrará.” Assim, o que Eu estou dizendo é que nós somos tão detalhistas, tão meticulosos. Agora, vejam estas pequeninas flores, Eu as vejo aqui, elas não são meticulosas.

Elas estão crescendo por conta própria livremente, todas recebem os raios do sol e elas são muito felizes. Mas a forma como somos meticulosos, essas pessoas são muito meticulosas, são dores de cabeça para elas mesmas. E depois, por fim elas descobrem que não é assim. Vocês perderam isso, vocês perderam esta meticulosidade. Eu sei de uma Sahaja Yogini, ela estava gerenciando uma loja e disse: “Mãe eu conhecia tudo e eu sabia o preço de tudo,” “e eu sabia de tudo nesta loja, mas desde que eu tive a Realização,” “eu me esqueci de tudo.” “Então, você está feliz ou triste?” “Eu estou muito feliz.” “Por quê?” “Porque agora eu estou tendo um grande lucro.” “O lucro é a coisa principal.”

“Por que se deveria tentar lembrar de tudo?” Então isso é ser muito meticuloso, ser muito sistemático. O mundo é, se vocês observarem em volta, nenhuma árvore é sistemática. Ela é não sistematicamente sistemática. Algumas folhas estão deste lado, algumas estão daquele lado, alguns galhos estão deste lado. Não há nenhum sistema, porque depois vocês se tornam um militar, se vocês formarem um sistema. Então, na Sahaja Yoga não há nenhum sistema. Nós estamos além do tempo. Nós estamos além de todos os tipos de sistemas, nós não temos nenhum sistema. Todo o nosso sistema é: “O que é a harmonia dentro de nós mesmos?”

Como estas duas mãos, elas não têm nenhum sistema embutido, nada, mas elas se movem. Especialmente na Itália, se vocês quiserem, as duas mãos se movem deste jeito o tempo todo na Itália. E Eu não sei o que isso quer dizer, mas todos eles fazem a mesma coisa. Não há nenhum sistema embutido. Ninguém disse a eles para fazerem estes gestos e tudo mais. Mas eles o fazem, e o fazem naturalmente, todos eles juntos, sem nenhum sistema. Assim, construir sistemas mentais é errado e contra a Sahaja Yoga. Algumas pessoas Me escreveram: “Mãe, nós queremos traduzir Seus textos, fazer isto, fazer aquilo”, e planos. Eu disse: “Esqueçam isso, esqueçam.” Porque se vocês começarem a planejar, vocês certamente, certamente cairão na armadilha dos sistemas.

Vocês terão de seguir sistemas, este sistema é bom, aquele sistema é bom. Por que não fazer dessa maneira? E porque Eu não – Eu não digo que… está errado, porque vocês estão acostumados com os sistemas. Especialmente no Ocidente, as pessoas são excessivamente sistemáticas, excessivamente sistemáticas em tudo. Como por exemplo, elas terão cursos formados: depois as colheres, depois os garfos, depois como se mover, e o que comer, e como comer. Quero dizer, isso é demais. Se vocês têm de comer, isso é sem rodeios, vocês podem comer com suas mãos. Nenhum sistema é necessário, pois todos esses sistemas e normas são demasiados no Ocidente, e vocês devem realmente tentar contê-los. Como resultado, eles tiveram a contracultura e toda aquela insensatez, um outro tipo de estupidez onde eles estavam construindo… um outro tipo de sistema. Então eles disseram: “Nós somos hippies agora”.

Tudo bem. Então, eles nunca devem lavar os cabelos, nunca tê-los limpos, com piolhos na cabeça deles, e devem ser todos como, vocês podem dizer, o estilo shankara. Então, todos eles têm de fazer assim. Novamente o sistema. Não há variedade, um hippie quer dizer um igual ao outro. Você não consegue distingui-los uns dos outros. Se alguém coloca, digamos, um anel aqui, todos colocarão. Se ele colocar um anel aqui, todos colocarão, sem nenhum cérebro, sem nenhuma compreensão. E eles falam de individualidade, de personalidade, onde está a individualidade? Não há nenhuma individualidade, porque vocês adotam qualquer coisa que sua gangue adota, vocês podem dizer, ou vocês podem dizer que as multidões adotam isso, está muito na moda.

Na Índia, se você disser que está muito na moda, isto quer dizer que é muito caro, e muito bonito e é, quero dizer é uma palavra muito, muito elitista. Mas quando Eu disse: “Isto está muito na moda”, significa que todos gostam disso. Poderia ser uma coisa punk ou qualquer coisa assim, está na moda. Acabou-se. É a moda. Significa que vocês não têm sua própria ideia, sua própria personalidade, sua própria individualidade. Na Sahaja Yoga, você também não está ligado a nenhuma moda, não há nenhuma moda. Se quiser, vista isso, vista aquilo, seja o que for que você goste. Se lhe convir, faça o que você quiser, você pode vestir seja o que for que você queira, mas você, como Eu disse novamente, você governará a si mesmo, você será o seu próprio guru, você será o seu próprio mestre, e você fará tudo que for bom, tudo que for decente, tudo que as Divindades irão gostar, você simplesmente fará dessa maneira porque agora você é um Sahaja Yogi. Então, a vida se torna muito mais fácil, muito mais fácil.

Você não se preocupa com coisas que não existem, e você também não fica preocupado com as coisas que existem. Porque você pensa agora, você vê algo: “Tudo bem, eu tenho essas facas agora,” “eu devo guardar esta para alguém, eu devo dá-la a alguém.” Então, Eu ganhei um anel que era muito grande. Eu estava pensando a quem Eu deveria dá-lo, quem tinha dedos grossos. Então Eu comecei a olhar os dedos de todos, a seja quem for que tivesse um dedo grosso, Eu lhe darei este anel. Quero dizer, o pensamento era exatamente o contrário. Vamos supor que você não seja um Sahaja Yogi, então você dirá: “Oh Ma, um dedo tão grosso,” “por que não tirar um pouco do ouro e usá-lo, vendê-lo?” Ou então: “Você pode tirar a pedra daqui”. Quero dizer, você pensará todos os tipos de coisas insensatas, mas não pensará que é melhor dá-lo a alguém, porque você não poderá usá-lo, é muito grande para você. Por que não dá-lo a alguém?

O que há de errado? Afinal de contas, ele não está servindo em você, então dê para outra pessoa. Mas isso só é possível na Sahaja Yoga. Eu tenho visto pessoas muito gentis, pessoas muito, muito gentis, que têm sido tão doces umas com as outras… e exatamente o que a outra pessoa quer, elas comprarão e darão para essa pessoa. Ou podem dizer: “Oh não, eu tenho um, eu lhe darei.” Elas fazem isso dessa maneira. Ficam o tempo todo pensando nos outros. “O que eu devo dar? O que eu devo fazer?” É a expressão dessa alegria, da compaixão dentro de você.

Você usa a matéria para isso, o tempo todo, o tempo todo. Por exemplo, a casa de alguém foi arrombada no Canadá. Ela escreveu para Mim: “Graças a Deus minha casa está limpa agora,” “eu não sabia o que fazer com ela, com a sucata”. Assim, esse tipo de atitude surge. Se você tiver de fazer isto, tiver de dar a alguém, então dê a alguém que seja um Sahaja Yogi… para expressar o seu amor. Mas normalmente o que as pessoas farão é qualquer que seja a sucata… na casa, tudo que esteja estragado, acabado, isso elas darão como presente. Mas quando você é um Sahaja Yogi, você quer dar algo realmente muito especial, porque todo o ser se tornou tão bonito, exatamente como uma flor, Eu devo dizer, que quer dar a fragrância aos outros, o tempo todo a fragrância… de sua compaixão e amor, afeição e segurança. É uma nova era, isso é o que eles dizem, mas Eu diria que são novos seres humanos que estão diante de Mim. E toda essa novidade tem tantas belas facetas… que eles realmente brilham como diamantes, não há dúvidas sobre isso. Minhas únicas bênçãos para vocês é que vocês cresçam nisso, e cresçam nisso e se tornem pessoas cada vez mais grandiosas, nunca pensando que vocês são melhores do que os outros, nunca pensando que vocês são especiais em comparação aos outros.

Isso certamente os acalmará completamente. Alguém pode ter ofendido vocês em algum lugar, não importa. Alguém deve ter repreendido vocês, não importa. A sua capacidade é de amar uma outra pessoa, e ser afetuoso e gentil. Eu estou realmente impressionada como estes 25 anos passaram… com todos os tipos de problemas estúpidos e coisas boas… e tamanha mistura. E todas essas coisas nunca Me incomodaram. Eu nunca fiquei incomodada. Eu costumava agir às vezes como se estivesse zangada, ou às vezes… Eu costumava dizer coisas que Eu normalmente não deveria ter dito, porque foi necessário dizer. Mas, de modo geral, foi como estar sentada em um grande navio, vocês podem dizer, nós todos fomos elevados ao reino do Amor Divino. E isso é o que a pessoa tem de desfrutar.

Se uma pessoa tiver esse amor e compaixão, e esse puro amor, então essa pessoa pode emitir isso aos outros, e o registro dessa compaixão é extremamente belo, o qual não pode ser descrito em palavras. Como ontem, Eu não conseguia falar. Com quais palavras Eu conseguiria expressar Meus sentimentos? Eu pensei que não há palavras ainda criadas nesta Terra… para expressar Meu sentimento profundo… de como vocês assimilaram a Sahaja Yoga tão bem e a compreenderam. Que Deus abençoe todos vocês.