Shri Krishna Puja: A Cultura Sahaja

Cabella Ligure, Campus (Itália)

Feedback
Share

Shri Krishna Puja Cabella Ligure, Itália, 01.09.1996

Hoje, nós iremos venerar Shri Krishna. Vejam como estava frio por volta das três horas. Agora, a razão é esta: Shri Krishna fez uma pequena travessura com Indra. Indra, que é um Deus, ou vocês podem chamar de semi-Deus, que cuida da chuva. Então, Indra ficou muito zangado. Todos esses semi-Deuses são pessoas muito sensíveis, com a menor coisa, Eles ficam com raiva… e irritados e Eles começam a usar Seus poderes… para expressar a raiva Deles. Então Ele começou a fazer chover torrencialmente sobre todos os gopas… e Shri Krishna, que estava cuidando das vacas. E a chuva estava tão forte… que eles pensaram que toda a terra ficaria completamente submersa. Então Indra ficou muito feliz por estragar o jogo de Shri Krishna. E Ele achou que foi muito bem-sucedido. Então, Shri Krishna ergueu uma montanha com Seu dedo… e todas aquelas pessoas que estavam se afogando, foram para debaixo daquela montanha.

Este é o estilo de Shri Krishna. Meu estilo é diferente. Eu disse a Indra: “Você não pode se comportar mal Comigo, não pode.” “Até agora Eu não Lhe fiz mal de forma alguma e não O irritei.” “É claro, vai ser o Puja de Shri Krishna,” “mas isso não significa que…” “Você tente exibir Seus poderes diante de Mim.” Às vezes Eu Me pergunto, esses Devas, os semi-Deuses, se Eles são almas realizadas ou não, porque por qual motivo Eles ficam zangados assim por pequenas coisas? Seja o que for, Ele poderia se reconciliar… e agora ficou quente, Eu devo dizer. Com a Sahaja Yoga, vocês podem fazer muitas coisas, mas vocês devem saber o que podem fazer. Para isso, Krishna é um exemplo muito bom. Ele iniciou a cultura Sahaja.

Cultura, estou dizendo, Ele não deu a Realização a ninguém, mas Ele deu a ideia da cultura Sahaja. Como? Antes Dele veio Shri Rama, que era Maryada Purushotama, que era um Homem muito meticuloso em relação a tudo. Quero dizer, por exemplo, Ele expulsou Sua Esposa porque Ele era um rei… e um rei não pode ter um escândalo, especialmente de Sua Esposa. Então Ele A expulsou, não era a Kali Yuga, é por isso. E Seu pai ordenou que Ele fosse, não somente Seu pai, mas também Sua madrasta, fosse para um exílio em uma floresta. Então Ele concordou, afinal Ele era Maryada Purushotama. Portanto, seja o que for que Seu pai dissesse, Ele concordava, seja o que for que Sua mãe dissesse, Ele concordava, e foi para a floresta, permaneceu lá 14 anos. Essa é a obediência ao pai. Não havia necessidade, Seu pai não era Deus.

Ele era Deus, mas naquela época era importante fazer as pessoas… respeitarem não somente os pais, mas também obedecê-los, aquela era a época. Em Sua época, havia muitos munis e muitos santos… e muitos hatha yogis também. E estes, mesmo antes Dele, faziam as pessoas praticarem um tipo de disciplina muito rígida… e se eles não praticassem a disciplina, eles tinham de fazer muitas penitências. E muitas pessoas que tentaram também nunca alcançaram o objetivo, por causa do rigor e da disciplina completa… em relação a seguir o caminho da espiritualidade. Recentemente, Eu estava lendo um livro chamado “Guerreiro Pacífico”. Lá, eles descreveram um americano buscando a verdade, e o guru daquele sujeito realmente, realmente o leva… a uma tarefa tão horrível e severa que Minha neta disse: “Eu estou muito zangada com esse guru”, ela não conseguiu aguentar aquilo. Então, no final, ele descobre que ele é a existência. Então essa foi a prática seguida depois de Shri Rama. As pessoas deixavam suas esposas, filhos, iam para os Himalaias… e sentavam-se lá e praticavam a meditação. Isso foi seguido muito rigorosamente, você deveria dizer, era uma sociedade muito moral, muito moral.

Mas foi por medo, toda a moralidade veio através do medo, o que também é repetido em outras religiões. Agora, Eu diria que o Islã atualmente adotou essa forma, que é o medo. Eles não estão fazendo isso por liberdade. Os cristãos também, as mesmas coisas, e hindus, Eu não sei, metade desse lado e metade daquele lado. Mesmo entre os sikhs, há uma disciplina terrível. Tanto que como punição, vocês têm de limpar os sapatos… de todas as pessoas. Eu não sei se é para fazer “shoebeating” de si mesmo ou outra coisa. Mas há muita punição. Então veio Shri Krishna e Ele viu a situação, a forma como as pessoas estão realmente jejuando agora. Se vocês realmente praticarem os rituais da religião Hindu, em uma semana, vocês ficarão em jejum por pelo menos seis dias.

Um dia vocês podem comer algum tipo de comida, depois vocês terão de visitar todos os tipos de lugares. Agora, recentemente eles tiveram de ir, como vocês sabem, para Amarnath, e muitos morreram lá. Então agora eles disseram: “Nós alcançamos o Nirvana,” “nós morremos enquanto fazíamos isso, então alcançamos o Nirvana”. Existia este tipo de ideia muito estranha: “Nós temos o Nirvana agora, nós alcançamos…” “tudo que queríamos e agora estamos mortos”, muitos estão mortos, então aqueles que não estavam mortos… ficavam se arrependendo de por que eles não estavam mortos, teria sido muito melhor, eles teriam alcançado seu Nirvana. Então, mesmo nesta Kali Yuga, essas ideias são predominantes. Mesmo na Índia, as pessoas têm tipos muito severos, especialmente no sul, Eu tenho visto, elas fazem todos os tipos de absurdos… para expiação (penitência para purificação) ou talvez por algo que eles estão pedindo. Todo esse absurdo era demais para Shri Krishna. Ele não conseguia entender que eles irão destruir suas vidas… com esse tipo de ritualismo exaustivo, então o que restará deles para a Sahaja Yoga? Assim, Ele é Aquele que iniciou a cultura Sahaja. Ele disse: “Vamos desfrutar,” “nós devemos ter alegria, Nirmala Anand, alegria pura.”

Como podemos ter alegria pura? Ele tinha esse rakhi bandhan através do qual, exceto sua esposa, todo mundo é sua irmã ou mãe. Eu devo dizer que é bem verdadeiro em relação aos indianos. Não tanto no norte por causa da influência islâmica, mas no sul é assim. Em Maharastra é assim. E então Ele começou também este Holi, no qual vocês devem brincar com as cores, talvez para nos livrarmos das barreiras de cor que nós temos, talvez. Na América, é uma ideia muito boa brincar com as cores… e colocar um pouco de preto no branco e um pouco de branco no preto, e eles podem ver por si mesmos o quanto é estúpido brigar em nome da cor. Ele brincava com as crianças que estavam cuidando das vacas, exatamente como uma pessoa muito comum. Ele nunca tentou exibir Seus poderes. Ele nunca tentou se destacar, nunca se vestia de uma maneira muito especial, nunca.

Exatamente como um vaqueiro comum. E Seu relacionamento com Sua Mãe, Yeshoda – Ela não era Sua Mãe – também era extremamente belo. Há muitos belos poemas escritos sobre Sua infância. Ele é Aquele que está no comando de todo o Universo. Como um garotinho, Ele colocava Seu dedo em Sua boca se perguntando. Como pode um Virata Divino fazer isso? Qual é o Seu pensamento como uma criança? Todas as Suas ações de crianças. A música de ontem, como vocês a ouviram, é isto. Todas essas pequenas, pequenas ações estão descritas muito bem.

Especialmente por um outro grande poeta, Surdas, que era cego. Sua infância é descrita de uma maneira muito bela, e a descrição de Seu relacionamento com Sua Mãe… é muito natural e muito doce. Não era deste jeito nos tempos modernos: um tapete é estragado, “Oh, você estragou o tapete, eu baterei forte em você,” “você estragou este tapete”. Eles têm mais interesse em suas coisas do que em seus próprios filhos. Mas de acordo com nossa cultura, se a criança quebra alguma coisa, vocês têm de dizer isto: “Muito bom, você quebrou, algum badha foi embora”. Nunca repreender uma criança por fazer qualquer coisa… que vocês achem que é destrutiva, porque depois ela definitivamente se tornará destrutiva. Então, para entender uma criança, Eu acho que vocês devem ler esses poemas, belos poemas que foram escritos sobre Shri Krishna. Eu não sei como a imaginação deles alcançou esse belo nível de pura alegria. Assim, em relação às nossas crianças também, nós temos de ser extremamente doces, bons e misericordiosos. Mas algumas crianças, é claro, que Eu encontro são difíceis, mas elas também podem ser corrigidas, se vocês realmente aplicarem os métodos de Shri Krishna nelas.

Agora, quando Ele foi para a faculdade, ou podemos dizer para a escola de um… Sandipanimuni, o guru, a esposa do guru foi muito gentil. Mas o guru era rígido. E sua esposa cuidava Dele… e ela Lhe dava algo para comer, quando eles iam e traziam alguma lenha da floresta. Isso é muito sutil, a coisa toda é. Ele foi lá e Seu amigo estava carregando a comida. Seu amigo estava carregando a comida… e Shri Krishna estava ocupado cortando a lenha, imaginem. Shri Krishna estava cortando a lenha para a mãe. Quero dizer, para a mãe, Ele poderia fazer qualquer coisa, Ele era Deus. Portanto nenhum trabalho para a mãe era servil ou inferior. Mas o outro sujeito, o amigo Dele, estava com muita fome, então ele comeu toda a comida e não sobrou nada. Então, quando ele se deu conta, ele ficou muito preocupado.

Ele foi e disse ao seu guru: “Eu comi toda a comida…” “e não a compartilhei com Shri Krishna”. O guru ficou muito zangado, muito zangado e disse: “Agora, você será amaldiçoado com a pobreza permanente”. Mas a mãe disse: “Não, não permanente,” “até que você se encontre com Shri Krishna novamente”. Foi desse modo que ela tentou dar o que chamamos de Upashad, em que você dá uma outra maldição que pode neutralizar parcialmente. O mesmo amigo era Sudama, e ele era muito, muito pobre. Agora vejam os meios Sahaja de Shri Krishna, Ele sempre se lembrava de Sudama e Ele disse à Sua Esposa: “Eu realmente não sei, ele está amaldiçoado,” “Eu não sei qual deve ser sua condição, onde ele deve estar.” Agora, a amizade, Ele era um rei, tamanha intimidade de sentimento com um amigo. Ele disse: “Eu ia com ele, Eu juntava a lenha.” Quero dizer, imaginem todas essas pequenas, pequenas coisas… tinham uma importância tão grande para Ele. Então, Ele não estava apenas preocupado com o mundo inteiro, como Ele deveria ter estado, mas também com Sudama: “Quando Eu o encontrarei?”

“Quando Eu o verei novamente? Onde deve ser sua casa?” “Como ele deve estar vivendo?” Todos esses sentimentos muito delicados Ele tinha por Seu amigo. Exatamente como um Sahaja Yogi. No estilo Sahaja, nós nos preocupamos com o mundo inteiro… e também individualmente estamos preocupados. Nós ficamos sabendo de uma pessoa que adoeceu, que tem um problema, algo é sério, todos os Sahaja Yogis pensam nele e ficam preocupados com ele, eles podem ter tudo, mas ainda assim eles ficam preocupados: “O que está acontecendo com tal e tal pessoa?” Quantos de nós sabemos os nomes uns dos outros – quero dizer, Ele sabe o nome de todo mundo, praticamente. E como cuidamos deles, como os respeitamos, como os amamos… e como temos relacionamentos puros. Hoje é também o dia do Raksha Bandhan, que é uma coisa muito importante na qual devemos ter relacionamentos puros.

Eu tenho visto, digamos, em Maharashtra, os homens não falarão muito com as mulheres… e as mulheres não irão e falarão com os homens. E uma vez, alguém comentou: “Então o que vocês mulheres estão fazendo falando só com mulheres?”. Então, Eu disse: “O que nós devemos falar com você? Você fica falando…” “sobre seu escritório, nós estamos falando sobre nossas casas e lares.” “O que há para falar com você?” A cultura ocidental é diferente, eles o forçarão. Eles farão um homem sentar aqui e ao lado dele, deve estar uma mulher, a esposa de algum outro, depois outro homem e depois a esposa de algum outro. Como você pode ter intimidade? Esse tipo de ideia, que é asahaja, degenerou na imoralidade. Não há necessidade de homens e mulheres se sentarem assim.

Qual é a necessidade? Eu simplesmente não entendo. Obrigatoriamente, você tem de se sentar. Eu tive um momento ruim, Eu lhes digo, com o trabalho do Meu marido, Eu nunca gostei disso. Afinal, o que há para falar com esses homens? Eu não sei nada sobre bancos, Eu não sei sobre ações, Eu não sei sobre a bolsa de valores, o que é isso. Ou Eu não sei sobre lucros, e isso e aquilo, essa parte é zero. Então, Eu não sei sobre coisas de escritório, Eu não sei muitas outras coisas que os homens conversam, então o que há para falar com eles? É tão difícil. E sempre que Eu dizia algo, Eu realmente cometia uma gafe.

Uma vez em uma festa, eles estavam oferecendo bebidas para todos, então Eu disse: “Eu vou tomar um refrigerante”. Então o garçom veio e Me deu um refrigerante. O garçom estava usando uma gravata-borboleta e uma camisa branca, só isso, métodos totalmente asahaja. Gravata-borboleta preta, camisa branca, terno preto, calça preta, todos exatamente iguais, quer fosse um embaixador ou um garçom. Você não conseguia distinguir quem era quem. Então Eu bebi e quando acabou, Eu a dei a um embaixador, um embaixador muito conhecido. Para Mim não havia nenhuma diferença, de forma alguma, quando eles estão somente falando, caminhando da mesma maneira, conversando da mesma maneira. A coisa toda é tão asahaja. Eles dizem que eles têm muitas embaixadas, para quê, Eu não sei, e lá o que eles têm… é sempre bebidas, festas, apertos de mãos, apertos de mãos. As mãos de vocês se quebrarão, Eu lhes digo.

O método mais asahaja é apertar as mãos. Por que não dizer Namastê? É melhor. E vocês Me conhecem, às vezes Eu recebia tanto calor. Como ontem, vocês mostraram que o gelo derreteu. A mesma coisa acontecia Comigo. Na maioria das vezes, eles eram pessoas muito quentes e Eu não sabia o que fazer, Eu ficava em um canto apenas Me sentindo constrangida. Mas esse método de apertar a mão é totalmente asahaja. E pior do que isso é o método francês, que é beijar, quer goste ou não, você é beijado. Ou abraçar alguém.

A primeira vez que Eu dei a Realização a um senhor inglês, ele simplesmente Me levantou assim. Eu disse: “Tudo bem,” “foi só por alegria que ele fez isso, tudo bem”. Mas não há abertura, não há abertura do coração. Você vai a uma festa, você tem de estar vestido a rigor assim somente, se você não está vestido a rigor assim, então você é inútil. Se você for a um funeral também. Alguém morreu, um grande amigo, um bom homem. Então Me disseram que Eu tinha de usar um sari preto. Blusa preta, tudo preto. Eu disse: “Eu não tenho sari preto sem borda”. Então eles disseram: “Não vá”.

Eu disse: “Muito boa ideia”. Porque Eu não conheço esses métodos asahaja. Você não deve chorar ou derramar lágrimas lá, não, você tem de ficar quieto. Então, quando você vai lá, o corpo está deitado lá, e depois que uma oração é dita, você deve beber champanhe. Quero dizer, imaginem, como vocês podem, nenhum sentimento… por aquele corpo que está morto lá. E todos muito felizes, e se alguém parecia infeliz, eles perguntavam: “O que há de errado? Você está bem?”. Nenhuma consciência de que perdemos um amigo aqui. Este é o estilo asahaja quando se trata de luto. Quando se trata de alegria; é asahaja, quando se trata de luto, é asahaja.

Nós temos de ser Sahaja, no sentido… de que tudo que fazemos, nós o fazemos espontaneamente. Não com deliberações. Nós temos algumas pessoas muito anglicistas na Índia também. E a dona da casa morreu. E Eu fui ver, e na Índia o corpo é colocado no chão. Então, eles estavam discutindo o que fazer, a que horas começar o funeral e tudo mais. Então, uma senhora, que é uma pessoa muito conhecida na Índia, ela disse: “Vocês não devem fazer isso antes do meio-dia”. Eu disse: “Por quê?” Ela disse: “Porque eu terei de usar branco”. “Isso é verdade”.

“E eu terei de ir ao banco para pegar meus diamantes…” “para combinar com o sari branco “. Eu disse: “O que é isso?” Tamanha imundície de materialismo. Isso está indo longe demais, estamos nos afastando de nossos sentimentos, de nossas emoções, que são genuínas, que estão lá o tempo todo, vocês não têm de pensar sobre eles, eles existem o tempo todo. Mas vocês pensam: “Agora, eu devo chorar ou não?” “Eu devo rir ou não?” Isso é tão espontâneo. Se você tem alegria, você é espontâneo. Você expressa sua alegria espontaneamente. É claro, não de uma forma incivilizada, mas sim de uma forma muito civilizada.

Agora, qual é o significado da cultura Sahaja? Essa cultura… é algo no qual você é preparado, você é educado… de uma maneira muito natural, de modo que você desenvolve uma cultura. É como uma criança pequena, um comportamento simples e inocente. É a introdução de Shri Krishna da ideia de alegria pura, Nirmala Anand, que veio como um grande alívio para o povo indiano, porque eles estavam seguindo Shri Ramachandra. Mas depois a depravação começou. O problema é que se você os torna austeros, eles se tornam como… roupas engomadas, Eu acho, de modo que você não consegue usá-las. Ou se você os permitir: “Não, não, você deve desfrutar,” “você deve desfrutar.” Tudo bem, você os permite: “Façam o que quiserem.” Se você permitir que eles façam o que quiserem, então eles começam a fazer todos os tipos de coisas. Na Índia, nós tivemos muitas coisas horríveis, que nem Me atrevo a lhes dizer, em nome da diversão.

Mas o próprio Shri Krishna tem sido retratado muito erroneamente… por pessoas estúpidas como Vidyapati. Ele foi um poeta importante e usou Krishna e Radha como Romeu e Julieta. Esse é o maior insulto à pureza do relacionamento Deles. Vocês devem ter visto muitas imagens assim, em Kangra Shaili, e neste shaili, e naquele shaili. É tudo insensatez. Eles não conseguiam mostrar a realidade do relacionamento Deles, mas sim algum tipo de expressão muito vulgar. Porque Eu acho que esses poetas e esses artistas daquela época… tinham alguns sentimentos reprimidos escondidos dentro de si mesmos, e eles usaram Shri Krishna para isso. Todo tipo de romantismo é apego. Às vezes, Eu sinto que as pessoas não entenderam Shri Krishna. Mas há uma bela história sobre Ele.

Uma vez, Suas esposas, Ele tinha muitas esposas, esse também é outro ponto controverso. Ele tinha muitas esposas, porque elas eram os 16.000 poderes de Shri Krishna… que nasceram e foram capturadas por um rei… e mantidas na prisão. Então Ele teve de libertá-las, elas foram libertadas. Agora, como elas iriam viver com Shri Krishna? Ele era um jovem, então Ele se casou com todas elas. Esse também é o caso do Profeta Maomé. Ele se casou com todos as dezesseis delas, elas eram Seus poderes. Para um jovem manter 16.000 mulheres como um harém, o que as pessoas teriam pensado Dele. Então Ele se casou com todos elas. E outro ponto sobre a vida Dele é… que uma vez todas essas moças – e Ele também tinha cinco esposas.

Essas cinco esposas eram os cinco elementos. Então Ele tinha de ir. Uma vez, essas moças queriam ver um grande santo. E o rio, que havia lá, estava completamente inundado. Então, elas foram até Shri Krishna e disseram-Lhe: “Como devemos atravessar? Porque ele está inundado.” Ele disse: “É muito fácil atravessar aquele rio.” Este rio é chamado de Rio Virgem, Nirmada, agora estão tendo grandes lutas por ele na Índia atualmente, uma grande política. “Então vão e digam-lhe: ‘Oh Rio’,” “’se Shri Krishna é uma pessoa de completo celibato,’” “’um brahmachari perfeito, se essa for a verdade, abaixe’”. E o rio baixou, e elas atravessaram.

Então elas foram e veneraram o santo e quando elas voltaram… à margem do rio, ele estava novamente muito inundado. Então elas foram até aquele santo e perguntaram-lhe “Agora,” “como devemos voltar?”. Ele disse: “Como vocês vieram?”. Elas disseram: “Isto é o que Shri Krishna nos pediu para dizer ao rio”. “Tudo bem, vão e digam ao rio:” “’Este santo não comeu nada, seja o que for, nada’”, enquanto elas o viram comendo pratos e mais pratos, “’se esta for a verdade, então é melhor você recuar’.” Então elas foram e falaram ao rio, e o rio baixou. Elas ficaram surpresas, aquele homem comeu tantas coisas… e aquele rio baixou achando que aquilo era a verdade. Isso significa – qual é o caráter deles? Eles são abhogis. Eles serem abhogis significa que eles não se entregam a isso, eles comem, tudo bem, mas eles não se importam, eles não têm essa sensação de ter comido… e a sensação de desfrutar a comida e nada desse tipo, eles ficam apenas comendo.

E este Senhor com dezessete, Eu deveria dizer, dezesseis mil e cinco esposas, é chamado de Brahmachari, porque eles não ficam envolvidos. Eles estão no estado de Sar. Com uma personalidade imaculada tão grandiosa como Shri Krishna, o modo como eles criaram essa insensatez do romantismo. Quanto à América, Eu acho que eles foram longe demais… com a liberdade que eles têm. Como pessoas com as bênçãos de Shri Krishna, eles ficaram livres de todas as regras, regulamentos e ficaram depravados. Mas a América se tornou muito pior. E não só isso, mas os filmes que eles estão produzindo… são filmes muito perigosos e realmente estão prejudicando o mundo inteiro. Eles não sabem que pecado eles estão cometendo… para que milhares e milhares de pessoas no mundo… tenham adotado todos os tipos de ideias horríveis muito destrutivas. Freud, tudo bem, ele está banido, acabado, ele já causou um grande dano. Mas e quanto a esses filmes?

Eles agora estão impressionando muito nossos diretores indianos. Eu acho que todos esses diretores estão guiando os indianos para o inferno. A coisa toda é tão absurda e tão imunda. Para uma mente indiana, isso é realmente inconcebível. Eu tenho visto que mesmo os americanos não conseguem suportar isso, foi a esse ponto tão ruim. Depois outras coisas começaram com essa liberdade que nós temos. Imaginem se Shri Krishna estivesse aqui, Ele nunca teria colocado óleo em Sua cabeça, Ele nunca teria penteado Seu cabelo, pois Ele deve ter o Seu cabelo encaracolado. E Ele talvez usasse algumas roupas modernas da América. Caso contrário, você não pode existir. Todo o lixo agora foi para o mundo todo.

Vendendo em Moscou, vendendo em todos os países em desenvolvimento. Uma única coisa, quando foi declarado que eles têm Aids – as pessoas compravam até de segunda mão dos turistas – eles jogaram fora tudo aquilo. Eles estão levando a Aids por toda parte e drogas por toda parte. É uma força destrutiva. É uma força destrutiva… que está muito ativa nesta Kali Yuga, e então nós temos de ter muitos Sahaja Yogis… para lutar contra essa força destrutiva. E quando eles são destrutivos, eles não são hipócritas, isto é, eles acham que é uma qualidade muito grande. Mas pelo menos com a hipocrisia, você pode salvar algumas pessoas, mas quando é simplesmente uma coisa aberta, todo mundo começa a fazer isso. Então, quando vocês pensam sobre a época que Shri Krishna viveu… e a época linda que eles tiveram, de uma vida tão pura, e como Ele matou todos aqueles demônios, é algo tão belo, tão doador de energia. Mas quantos demônios existem hoje em dia neste mundo? É um?

São dois ? São dez? Um é liquidado, outro surge como um cogumelo. Esse é liquidado, o terceiro surge como um cogumelo. E a terra mais fértil é a América. Portanto, todos vocês devem prestar atenção nesta terra de Shri Krishna. Especialmente, Shri Krishna deveria realmente… começar a usar o Seu Sudarshana Chakra, seria uma boa ideia. O momento chegou. É por isso que Eu lhes dei a concha… para declarar que chegou o momento de limpar esta América. Isso é o que nós devemos fazer.

Hoje, quando veneramos Shri Krishna, vocês devem despertar dentro de si mesmos essa consciência… de que agora Shri Krishna está dentro de todos vocês. E através da comunicação de vocês, porque Ele é coletivo, através da fala de vocês, de suas canções, através de tudo que vocês usam para se comunicar com os outros, devem levar a mensagem de paz, de amor, de compaixão, da verdade e acima de tudo, da Sahaja Yoga. Que Deus os abençoe.