Shri Krishna Puja, Tabus Primordiais e o Dharma Sahaja

Cabella Ligure, Nirmal Temple (Itália)

1997-08-23 Krishna Puja Talk, Cabella, Italy, DP-RAW, 65' Download subtitles: EN,PTView subtitles: Add subtitles:
Download video (standard quality): Download video (full quality): View and download on Vimeo: View on Youku: Listen on Soundcloud: Download audio:
Transcribe/Translate/Verify using oTranscribe


Feedback
Share

Shri Krishna Puja, Tabus Primordiais e o Dharma Sahaja

1997-08-23

Eu fui à América e eles queriam que Eu fizesse um Puja a Mahakali. Mas Eu disse: “Não, deixem-Me falar somente sobre Krishna.” Porque primeiro nós temos de compreender… qual é a força desse Puja, como nós iremos estabelecer Shri Krishna dentro de nós mesmos. Ele próprio disse: Toda vez que houver uma decadência do dharma… Dharma não significa o que nós entendemos como… a insensatez do Hinduísmo, Cristianismo ou Islamismo, não é isso. Dharma significa… nossos tabus primordiais que estão formados nos seres humanos. Sobre isso, Eu acho que os aborígenes sabiam melhor do que nós. Mas então o que nós fizemos? Nós os dominamos… e também eles tiveram de mudar o estilo de vida deles. Os tabus primordiais só são compreendidos… se as pessoas estiverem… tentando entender a si mesmas… ou então seja o que for que chegou a elas através da tradição. Agora, o dharma sahaja é um pouco diferente no sentido de que… é muito mais elevado do que as ideias sahaja das quais nós falamos, mas é muito mais elevado do que até mesmo… o que Shri Krishna disse ou Shri Rama disse.

Primeiro Shri Rama pensou: “O melhor é lhes dar disciplina.” As pessoas devem ser sérias em relação à vida, devem ter a ideia completa sobre o próprio ser delas, elas devem se respeitar. Todas essas coisas foram escritas há muito tempo atrás. Também, as pessoas, basicamente quando elas eram pessoas boas, elas entenderam que: “Tudo que for ruim para nós, não devemos fazer.” Esses são os tabus primordiais. Agora, esses tabus primordiais estão formados dentro de nós. Agora, vamos supor que Eu diga: “Não bebam”, vocês irão e beberão. Se Eu disser: “Não contem mentiras”, vocês contarão mentiras. É a natureza humana, é ir contra o tabu primordial, porque eles acham que agora eles têm liberdade, liberdade para fazer o que eles quiserem. Acham que são pessoas livres.

Na verdade, eles não são. Eles estão sob o feitiço de todos os tipos de sedução, vocês podem chamar isso, ou tentações que são contra a vida humana. E é muito natural ser uma pessoa de dharma. A maioria das crianças pequenas têm isso. Por exemplo, Eu tenho observado as crianças, elas sentem muita vergonha de tirar suas roupas, mesmo os meninos bem pequenos, Eu tenho observado. Eles não tirarão suas roupas na presença dos outros, eles sentem vergonha. Assim, tudo isso está descrito como… “Ya Devi, Sarva Butheshu, Lajja Rupena Samsthita.” Então você deve ser tímido, você deve ser humilde… e respeite seu corpo, isso é muito importante nestes tempos modernos. A exposição do corpo é considerada uma grande conquista das mulheres. Elas estão tentando se tornar aborígenes.

Naquela época, elas nunca tiveram essas ideias… e elas não eram tão confusas. Assim, mesmo se as mulheres deles estivessem pouco vestidas, isso não significava que era algum tipo de apelo sexual… ou algum tipo de atração para os homens, ou os homens se comportando de modos estranhos… para mostrar que eles têm uma atração especial pelas mulheres. Quero dizer, por que vocês deveriam? É totalmente absurdo que os homens devem ser atraídos… pelas mulheres e as mulheres devem ser atraídas pelos homens. E na estrada, na rua, você vai e vê exatamente isso acontecendo. Esse adharma é o pior, Eu acho, é uma maldição. Porque depois de vir para a Sahaja Yoga, as pessoas também começam a fazer essa insensatez, entendem? Todos eles deveriam ir para o hospício, Eu acho, eles são inúteis para a Sahaja Yoga. Mas o dharma se estabelece assim que você tem a luz do Espírito. Na época de Shri Rama, Ele tinha de instituir A, B, C, D, E, F. Na época de Moisés também, Ele tinha de instituir os Dez Mandamentos.

Mas… Krishna pensou o oposto: estabelecer o dharma do puro amor, o puro amor. Assim, porque Ele quis que os tabus de Shri Rama… fossem impostos às pessoas, exatamente como o Islamismo, exatamente como os Cristãos, nunca funciona. Então Ele pensou que é melhor lhes pedir em sua liberdade, eles devem desenvolver o puro amor. Radha, que estava com Ele como o poder Dele, é chamada de Alladhadayini. Ela é Aquela que dá a alegria, a pura alegria. Assim, todos esses limitados tipos de atração… acabam resultando em problemas. Agora, beber é contra vocês, vocês sabem disso. Hoje eles estão falando sobre o tabaco, amanhã eles falarão da bebida, quando eles descobrirem que muitas pessoas estão sofrendo… de fígados horríveis e morrendo. Então eles declararão isso como tabu. Mas isso é um tabu natural para o seu corpo.

Se você faz algo o tempo todo que não é bom para você, para sua vida saudável, você está se tornando adharma. Isto deve ser compreendido muito claramente: o dharma sahaja é que você é simplesmente livre, completamente livre da luxúria, da ganância e de toda insensatez. Você está acima disso. Você está acima. Esse dharma sahaja está acima… do dharma estabelecido por Shri Krishna ou por Shri Rama, porque você alcançou esse estágio. Para estar em completa liberdade, você tem de ser dhármico. Tudo que não for bom para você, você não deve fazer. Eu não tenho de lhe dizer: não faça isso ou não faça aquilo. Seja o que for que Eu diga, pode não ser aceito, mas imediatamente suas vibrações lhe dirão. Esse é o dharma sahaja.

No dharma sahaja, você fica livre de todos os tipos de – como eles dizem, kaama, krodha, mada, matsa, lobha, moha, significa: luxuria, raiva, atrações, depois a… ganância, ganância, ganância, isso é muito importante, a ganância, ganância. E as atrações. Agora, se você compreender como as pessoas são gananciosas. Gananciosas para quê? Esta América está morrendo pelo consumismo. Agora, veja o truque do comércio. Na América, você pode pegar emprestado qualquer quantia… de dinheiro do banco, sem problemas. Agora, mesmo se você não pegar emprestado, eles lhe enviarão uma carta: “Por que você não pega 20 mil cheques que estamos lhe enviando? ” “Por que não ter isso?” “Você se tornará muito rico, é muito bom pegar o empréstimo.”

Me contaram que algumas pessoas costumavam vir para Ganapatipule… depois de pegar empréstimos. Eu disse: “Parem com essa insensatez.” Então eles pegam o empréstimo e depois vêm para Ganapatipule. O tempo todo a mente deles está: “Como pagarei este empréstimo?” “Como lidarei com isso?” O tempo todo a atenção fica distraída, mesmo quando você quer fazer algo bom para si mesmo… de vir para Ganapatipule. Portanto uma mente assim não é livre. A mente livre é aquela que tem a atenção… completamente iluminada pelo Espírito. Mas o problema é que nós ainda estamos nos elevando… para fora dessa limitação humana, para uma vida mais elevada da Realização. E quando nós estamos indo para esse nível, nós temos de nos dar conta… de que temos de abandonar todos esses grilhões, todas essas coisas horríveis dentro de nós.

Como um pássaro, quando ele nasce do ovo, sacode todas as partes do ovo. Seus irmãos, suas irmãs, seu pai, sua mãe, seu marido, todo mundo, eles tentam colocá-lo para baixo. Agora, se eles estiverem bebendo, eles dirão: “Venha,” “é melhor você beber algo, você não é sociável, você é inútil,” “você não é moderno. Que insensatez é esta?” É desse modo que uma moda começa… e essa ação coletiva da moda não veio de Shri Krishna… e não está na Sahaja. Na Sahaja, você está completamente livre de toda essa insensatez. Se você quiser, você pode usar uma boa roupa; se você não quiser, não precisa. Você é livre. Você está livre da escravidão do dinheiro. Isso é muito importante.

A escravidão do dinheiro é uma outra coisa. Eu sei de alguns… Sahaja Yogis que vieram para a Sahaja Yoga… tentando ganhar dinheiro com a Sahaja Yoga. Você veio para Sahaja Yoga para quê? Para livrar-se… dessa escravidão do dinheiro. No dharma sahaja, para você dinheiro não é nada além de poeira de seus pés. Nada tão importante. Então, nós temos um grande senso coletivo de aceitar insensatez. Isso tem de ser abandonado, especialmente na América, Eu fiquei surpresa. Também na Inglaterra. Um sujeito veio como um hippie.

O cabelo dele parecia com o de um macaco. O macaco é melhor, Eu devo dizer. Eu não sei com o que é parecido, tudo junto como um, você pode dizer – não há nada para comparar, Eu lhes digo. Então Eu lhe perguntei: “Por que você está usando o cabelo assim?” Ele disse: “Porque eu quero ser primitivo.” “Agora nós temos de alcançar o estado primitivo.” Eu disse: “Mas o seu cérebro é moderno, ” “de que adianta deixar crescer o seu cabelo deste jeito?” “Você acha que pode se tornar primitivo? Você não pode.” Então posteriormente Eu fiquei sabendo que ele morreu.

Um outro sujeito assim veio e ele não morreu, mas foi para um hospício. Desse jeito, Eu encontrei muitos, mas por que você faz isso? Porque é a moda. Agora, a Itália está prosperando por causa… de todos os tipos de estilistas. Agora, existe uma piada sobre os novos ricos, especialmente na Rússia. Os russos não são assim, normalmente. Eles não aceitam alguma coisa porque está na moda. Então um sujeito disse: “Meu Deus, você perdeu sua mão naquele acidente!” “Não importa, mas eu perdi meu relógio caríssimo da Suíça.” – “Verdade?

Qual?” – “Era um Rolex.” Não importa se perdeu a mão. O Rolex se foi, Rolex é a moda. Você pode remover isto, se não as pessoas não conseguem ver. Então, esses são os novos ricos que têm dinheiro. Tudo bem, agora ele…(Um cachorro está no palco) Venha. Venha. Sente-se. Sente-se.

Agora, desça. Eles não criam nenhuma moda, Eu não vi cachorros adotarem alguma moda. Os macacos estão adotando, quero dizer, supondo que… os estilistas italianos façam algo especial para eles, eles não pensarão muito nisso. Talvez os donos deles comprem, mas não esses animais. Agora, nós não temos de nos tornar animais, é claro, mas nós também não temos de nos tornar escravos das modas. Assim, existem algumas lojas que são muito caras. Por quê? Porque eles são estilistas. Então você anda por aí contando para todo mundo: “Vejam, eu estou usando esta coisa de uma loja de estilista,” “isto é de uma loja de estilista.” Isso significa, e quanto a você?

Você não tem nenhum senso de design, você não tem nenhum senso de compreensão… do que você precisa e do que não precisa. E hoje em dia, a maioria deles estão na prisão também, sinto dizer isso, mas eles têm dinheiro e eles ganharam dinheiro enganando vocês. Especialmente na América, Eu fiquei surpresa ao ver que eles estavam… vendendo a maioria das coisas que vinham da Itália, dos estilistas, estilistas italianos, escrito: “design italiano”, então eles estavam comprando aquilo, design italiano. Eu fiquei surpresa ao ver que coisas tão artísticas… que eles criam… estão disponíveis em todo lugar, coisas tão belas. Mas o que eles acreditam é em algum tipo de loucura em grupo, todo mundo usando o mesmo tipo de modelo disso ou daquilo. Isso não é o dharma sahaja. Vocês não são escravos de nada. Vocês são pessoas livres. Vocês não têm de aceitar nenhum modelo ou qualquer coisa assim. “Ah, isso existe, existe!”

Deixem o sujeito estúpido seguir isso. Nós somos Sahaja Yogis. Isso também predomina entre pessoas que supõe-se que sejam sadhus, todos eles se vestem da mesma maneira. Como você consegue distinguir quem é quem? Na Sahaja Yoga, nós não queremos nos vestir da mesma maneira, parecer iguais, cortar o cabelo do mesmo jeito. Não. Vocês têm de ser indivíduos distintos, porque vocês são livres, mas isso não significa – a liberdade é sempre sustentada pela sabedoria – isso não significa você fazer o que quiser. Todos os tipos de coisas estranhas acontecem… quando uma pessoa não sabe o que é a luz do Espírito. Na luz do Espírito, você não fica envolvido… nesse tipo de loucura coletiva que está acontecendo. Nós somos muito coletivos em coisas loucas.

Eu desejo que eles possam ser mais coletivos em coisas sábias. A sabedoria é muito importante, e uma qualidade doadora de alegria de Radhaji – alladhadayini shakti – tem de surgir dentro de nós. Significa que quando encontramos uma outra pessoa na coletividade, a outra pessoa deve sentir-se feliz com você. Então Ele ensinou o dharma do amor. O amor não está presente se você descarta alguém… porque ele é negro ou porque ele é moreno, porque ele é branco. Isso é muito superficial. O que é negro, branco e amarelo? Eu não compreendo. Aqui eles vão para as praias para ficarem negros e lá eles dizem: “Nós não queremos ter nenhum negro”, especialmente os americanos. Eu acho que com esse tipo de separação que Eu encontrei lá, entre negros e brancos, Eu realmente chorei.

Eu fui ao Harlem. Os Sahaja Yogis disseram: “Mãe a Senhora vai ao Harlem?” Eu disse: “Por que não? Eu sou negra.” “Se você Me chamar de negra, Eu sou negra; ” “se você Me chamar de branca, Eu sou branca;” “se você Me chamar de amarela, Eu sou amarela, então Eu estou indo.” E então Eu fiz uma palestra lá, muitas pessoas estavam presentes, Eu realmente não consigo esquecer. É um dos lugares mais famosos que está construído naquele auditório… e o mesmo auditório está construído na Austrália, onde Eu tinha falado para muitas pessoas. Eu pensei: “Olhem só para isso!” Eles disseram: “Mãe, os australianos copiaram de nós.” Agora, aquelas pessoas são tão doces, tão belas, Eu lhes digo.

Eu podia ver o coração delas, Eu podia sentir isso… e o rapaz que estava tentando comparar, depois de Minha palestra, ele simplesmente veio, Me abraçou, Me beijou. Ele nem mesmo mediu as próprias palavras Comigo, um menino de cerca de 22 anos de idade. Ele sentiu um grande amor. E ele disse: “Mãe, da próxima vez…” “que a Senhora vier, a Senhora virá para o Harlem.” Mas Me contaram que aquele auditório está fechado. Assim, o sistema dos americanos de uma forma ou de outra… vai contra a democracia, não somente contra a democracia, mas contra o que Abraham Lincoln quis. Eles tiveram um homem tão grandioso lá… e existe uma pequena rua que Eu vi com seu nome. É claro, em Washington eles dizem que eles têm algumas belas estátuas. Mas de qualquer forma, os princípios dele estão mortos, os ideais dele estão mortos porque, de uma forma ou de outra, algumas pessoas vieram e escreveram contra – especialmente a Inglaterra – escreveram contra as pessoas negras. Que direito eles têm de escrever contra algo que foi criado por Deus?

Se houver a mesma cor por toda parte, todos eles se parecerão como os militares. Eles têm de ter cores diferentes; eles têm de ter tons diferentes. Olhem para as árvores; olhem para as flores. Olhem os diferentes tons que o céu tem, apenas para nos tornar felizes, alladha. O que lhes dá felicidade é a variedade. Variedade é um sinal de beleza. Se não há nenhuma variedade, é tão maçante, Eu lhes digo, tão maçante. Mas eles são muito orgulhosos disso… e acham que não há limite para eles mesmos. Eles acham que eles são pessoas muito grandiosas; eles têm um senso de superioridade, porque eles têm um certo tipo de nariz… ou talvez um certo tipo de lábios ou talvez certos tipos de cabelos. Eles são criaturas tão estúpidas e você se une a eles.

Como você pode se unir a eles? Você quer sua liberdade? Então seja uma pessoa livre. Na liberdade, você tem de ter variedade, é muito importante. Eu diria que agora os Sahaja Yogis que estão voltando para a América… devem ter um novo estilo de se dirigirem às pessoas, dirijam-se às pessoas negras. Eu fiquei muito feliz ao ver que no seminário da América do Sul, eles foram especialmente ao povo indígena. Eles foram e se encontraram com eles. Eu Me encontrei com eles também… e Eu fiquei muito surpresa ao ver que eles imediatamente disseram: “Mãe, a Senhora é espiritual, nós sabemos,” “mas a Senhora pode resolver nosso problema?” Eu disse: “Qual é o seu problema?” “Muito simples, nós temos uma terra, tudo bem, uma terra bem pequena,” “cinco a seis acres de terra que nos pertence, onde a sálvia cresce.”

Sálvia é um tipo de, de acordo com eles, é uma planta sagrada. Tudo bem. “Agora, nós sempre nos reunimos lá, todos nós,” “para diferentes comemorações… “porque nós consideramos aquela terra como uma terra sagrada.” Eles sabem muitas coisas. Essa é uma terra sagrada, havia vibrações nela. Então, eles costumavam sempre se reunir, algo tão natural. Então o que aconteceu agora? Qual é o problema de vocês? “O governo vendeu essa terra,” “esse governo americano vendeu para um indiano.” Eu disse: “Para um indiano?”

“Sim.” “então a Senhora poderia pedir para esse indiano nos devolvê-la?” “Nós pagaremos para ele.” Eu disse: “Qual é o nome do indiano?” Eles Me disseram o nome, Eu disse: “Meu Deus! “Ele é um sindhi, um sindhi!” “Ele não lhes deixará nem mesmo um único centavo, ele vai lhes dar isto?” “Sinto muito, Eu posso ser divina ou Eu posso ser qualquer coisa,” “Eu não posso ajudá-los.” Mas Eu fiquei surpresa, ninguém levantou a voz contra isso. Eles deveriam ter levantado a voz contra isso.

Eles deveriam ter falado com o governo: “Por favor, devolvam a terra deles. Por que vocês querem tê-la?” “Por que vocês querem apropriar-se dela?” Na realidade, todos os americanos são imigrantes. Eles não pertencem àquele lugar, eles não eram os proprietários daquele lugar, daquele solo, eles são imigrantes. Então eles não têm nenhum direito de ficar com a terra de alguém… desse jeito e depois achar que eles são superiores. É muito fácil: alguém entra em sua casa e acha que é muito superior… e expulsa todas as pessoas da família. Isso é o que aconteceu na América… e o dharma sahaja é exatamente o oposto. Com o dharma sahaja, você acolhe as pessoas dentro do seu coração, você as ama. O seu amor flui o tempo todo; a sua compaixão flui o tempo todo.

Para Mim, isso é um problema, este corpo é mais compassivo… do que Eu mesma. Eu nem mesmo penso em compaixão… e este corpo simplesmente capta tudo. Ele quer resolver os problemas dos outros, mas Eu não acho que você pode ter este tipo de corpo, você não deve ter. Mas pelo menos, você deve ter um coração aberto. Você vê alguém na rua que é um sujeito moreno. Eu gosto dos negros americanos, uma vez Eu desci em um aeroporto, então um senhor, um senhor negro disse: “Olá querida, como Você está? Como Você está aqui?” “Estou muito feliz em ver Você?” “Eu estou feliz em ver você. Como você está?”

Depois uma vez Eu estava viajando em – qual era o aeroporto? Ursula estava Comigo. Então ele olhou para Mim, um sujeito muito alto, robusto, gordo. Ele disse: “Ah! Você está de volta novamente?” Eu disse: “Estou de volta, você Me conhece?” “É claro, é claro, eu conheço Você.” Ele nunca tinha Me encontrado antes, Eu nunca o tinha conhecido. Mas Eu fiquei muito feliz, Eu fiquei muito feliz. Essa é a melhor maneira de encontrar as pessoas.

Vamos supor que você esteja andando na rua, você veja um senhor negro caminhando. É uma vida terrível lá, Eu lhes digo; é uma vida terrível para eles. Eu soube, Eu tenho lido os livros sobre eles, Eu chorei e senti muita pena. Assim, como um Sahaja Yogi, você simplesmente deve aceitá-los de imediato e lhes dizer: “Olá, como você está?” Aperte as mãos deles. Eles não cortarão sua garganta, Eu posso lhes afirmar isso. Em relação à criminalidade, não sei quem é mais criminoso na América, se são os brancos ou os negros, eles ficam competindo. Mas se você for gentil e for amoroso, você pode remover essa parte da criminalidade que está dentro deles, porque o ódio só pode ser removido pelo puro amor. Mas as pessoas acham que elas são muito astutos, muito superiores – em astúcia, é claro. Fora isso, qual é a superioridade deles?

Somente essa compleição, essa compleição branca é a pior de todas. Eu era muito clara, muito clara até Eu Me casar, ou por algum tempo, e depois Eu comecei a ficar cada vez mais morena. Porque a compleição branca tem todos os tipos de – a luz que vocês colocam em Mim, Eu absorvo, fico com uma mancha preta. Portanto, não é uma grande coisa ser branco, Eu não acho. Parece muito estranho e pálido e triste. Mas não adianta ir para o mar, fazer seu corpo ficar, Eu acho, moreno, moreno, não tão preto, moreno e depois sofrer de câncer de pele. Esse tipo de estupidez está também muito na moda. Agora, na coletividade, o quanto ficamos impressionados por essas questões, nós devemos ficar alertas. Eu vi que Minha neta estava usando um vestido sem mangas. Eu lhe disse: “É melhor você não usar um vestido sem mangas.”

Ela disse: “Está muito quente, eu sinto muito calor.” Ela é jovem. Eu disse: “Mas veja, estes são dois chakras muito importantes.” “Se você os expuser, então você terá problemas.” Ela não gosta de usar vestidos que ficam acima do joelho, mas ela diz que as pessoas usam acima do joelho. Eu disse: “Os joelhos são chakras muito importantes,” “nós devemos mantê-los cobertos,” “senão se eles forem afetados, nós teremos problemas no joelho.” Imediatamente ela mudou, Imediatamente. “Mãe, eu usarei uma blusa por dentro…” “e alguma coisa por fora.” Imediatamente. Porque ela sabia que este é um tabu primordial natural: nós não devemos expor nossos – estes dois chakras e estes chakras.

Mas hoje em dia, quanto mais você tiver pernas compridas, Eu não sei, elas têm roupas mais curtas. E Eu não entendo o que há nas pernas, a beleza toda está nas pernas ou o quê? Então Eu encontrei uma mulher que viajou Comigo. Ela estava usando uma burca porque ela era muçulmana. E quando pousamos em Londres, ela tirou a burca e o vestido estava muito acima dos joelhos. Eu disse: “Que tipo de muçulmana ela é?” Ela é pior até mesmo que as cristãs, porque elas não usariam uma coisa assim, para sair do avião, você tem de descer a escada. Nenhuma lajja, nenhuma vergonha, nada, falta de vergonha. Assim, o dharma sahaja é que você tem vergonha, você tem senso de vergonha. O que você fala para os outros, o que você diz aos outros, como você se comporta em relação a eles, no dharma sahaja é alladhadayini.

Se alguma coisa não é alladhadayini, fique em silêncio. Não fale. Qual é a necessidade? O que há para ser sarcástico? Exibir sua inteligência em seu sarcasmo. Não é sinal de boa educação… você falar sarcasticamente com os outros de uma forma áspera. Mas se você fala de forma doce, que mal há nisso? Essa doçura vem de Radhaji. Agora, é claro, eles A usaram impropriamente… e A transformaram em algo do tipo Romeu e Julieta. Não era isso.

Ela era uma mulher muito pura… e Ela era Mahalakshmi. Assim, para ser uma Mahalakshmi, depois de vir para a Sahaja Yoga, você deve saber que você deve se vestir de uma forma… que esteja perfeitamente bem. Eu Me lembro uma vez, Eu estava em uma grande festa… e um senhor veio e se sentou, Aaaaaaah!” Eu disse: “O que aconteceu? “Que alívio, Mãe, Sra Shrivastava, ver a Senhora.” “Veja estas mulheres, eu estou farto.” “Mas a Senhora veio, eu sinto um grande alívio.” Eu disse: “O que é que dá tanto alívio?” “A Senhora é tão serena.” Assim, as mulheres são serenas no dharma sahaja.

Elas não são estúpidas, frívolas, rindo de qualquer coisa. Essa não é a conduta de uma mulher. Qualquer coisa que acontece, elas precisam rir. Se há alguma coisa engraçada, tudo bem, mas algumas coisas não são nem mesmo engraçadas, elas rirão. Essa não é a conduta. Isso pode ser ridículo também, pode ridicularizar os outros. Mas rir de apreciação, rir de alegria, é tão puro e cria uma atmosfera tão bela. Eu acho que o problema ecológico inteiro está em nossos cérebros. Não é externo. Está dentro de nós, o qual é refletido externamente.

No Ganesha Puja, Eu lhes falarei como nós estamos tão proximamente… relacionados à Mãe Terra e como a Mãe Terra e a atmosfera reagem… ao nosso comportamento, ao modo como nós vivemos. No dharma sahaja, você abandona a luxúria e a ganância muito facilmente, isso Eu sei. Se eles não conseguem nem mesmo abandonar isso, então eles não devem chamar a si mesmos de Sahaja Yogis. A primeira coisa que você abandona é a luxúria e a ganância. Eu percebo isso entre os jovens agora, que aqueles que vêm para a Sahaja Yoga se tornam realmente… pessoas muito livres. Eles não correm atrás de mulheres. As mulheres não correm atrás dos homens. Eles ficam juntos, eles se sentam juntos, conversam juntos, riem juntos, mas é a pureza que está aqui. No Alcorão está descrito: “Quando Kiyama chegar,” haverá belas mulheres e belos homens,” “mas eles não terão nenhuma luxúria e ganância, eles serão puros.” Acontece hoje, você pode ver isto, que a luxúria e a ganância acabaram na maioria, na maioria de vocês.

Automaticamente isso está acabado e agora você pode ver por si mesmo… que você está livre dessa escravidão. Então nossos casamentos acontecerão amanhã. No dharma sahaja, a primeira coisa que é muito importante é o perdão. Se alguém não consegue perdoar, então ele não pode ser um Sahaja Yogi. Perdão. O modo como esse perdão surge é esquecendo o passado. Senão você continuará dizendo: “Esta pessoa me torturou, ” “aquela pessoa me torturou, ele foi muito mau comigo,” “ele foi assim comigo, ele fez isso comigo.” Isso mostra que você não é desse calibre… para compreender a Sahaja Yoga, porque você não consegue perdoar. O que há para se lembrar? O presente é o melhor.

Agora, se você está sentado aqui Comigo, desfrutando o alladhadayini shakti, neste momento, se você fica pensando no passado, mostra o quê? Que você não é desse calibre. Para ser do calibre da Sahaja Yoga, você deve estar livre do seu passado. Acabou. Não há nenhuma necessidade de confessar. Eu sei que depois da Sahaja Yoga muitas pessoas escreveram cartas… para Mim com confissões e Eu simplesmente disse: “Baba, simplesmente queime estas cartas.” “Eu não Me lembro. Eu não quero ler nada sobre isso.” Portanto deve haver o perdão. Se houver perdão, você ficará surpreso ao ver que… você se sentirá muito aliviado e sua vida de casado será muito feliz.

Mas se você tenta se lembrar de alguma coisa – tudo bem, alguns casamentos são realmente, realmente muito difíceis, tudo bem, então caia fora. Na Sahaja Yoga, nós temos permitido o divórcio completo, mas deve ser por alguma razão, não porque você se acha algo superior. Agora, nós banimos muitos países de onde nós não queremos ter moças… ou de onde não queremos ter rapazes. Qual é a razão? Com a experiência, aprendemos que eles não têm firmeza no casamento. Agora, então é melhor não casar, e se você se casar, então viva como um Sahaja Yogi ideal. Também, se você é uma Sahaja Yogini, então você pode conduzir muito melhor perdoando o tempo todo. Todas vez, quando as pessoas Me dizem: “Minha Mãe, veja, a Senhora deve me ajudar.” “Por quê?” “Porque meu marido não me dá nenhum dinheiro.”

Eu disse: “Desista dele. Eu não Me importo. Ele deve lhe dar dinheiro.” “Por que ele não lhe dá dinheiro?” Se você fala com o marido, ele dirá: “Mãe, ela é muito extravagante.” Eu disse: “É melhor ambos abandonarem a Sahaja Yoga…” “e façam o que quiserem.” No dharma sahaja, o relacionamento marido-mulher… deve ser realmente romântico, deve ser realmente belo. Não é assim, nós falamos de amor e tudo mais aqui, muito raramente as pessoas se apaixonam e levam isso adiante. É uma bênção se você realmente tem esse tipo de sentimento. Mas na maioria das vezes, isso é uma maldição.

Assim, apaixonar-se é muito bom, mas isso não significa que você esqueça que você é um Sahaja Yogi. Nisso a Sahaja Yoga ajuda muito, Eu acho, na sua vida de casado. O mesmo dharma é para os seus filhos, vocês devem educar seus filhos não os perturbando muito, mas em um solo livre. Deixem-nos usarem a sabedoria deles. Algumas vezes Eu sei que as crianças se desencaminham… e tentam seguir coisas erradas. Então vocês devem corrigi-las, vocês devem falar com elas, é o seu dever. Elas não nasceram em árvores, mas elas nasceram aqui, dos pais. Então é o dever dos pais lhes dizer que isso é errado… e isso não deve ser feito, que isso é uma coisa muito errada. Vocês devem corrigi-las e essa correção deve ser de uma maneira sahaja. Eu lhes darei um exemplo.

Uma vez Eu tive um problema com alguém vindo a Mim e dizendo: “Mãe, eu não consigo ficar sem fumar, eu tenho de fumar.” Eu disse: “Então é melhor fumar, mas você não pode ser um Sahaja Yogi,” “porque um Sahaja Yogi fumante é uma caricatura estranha,” “Eu não consigo imaginar um Sahaja Yogi fumando.” “Como Eu parecerei se Eu começar a fumar desse jeito?” “Ah, horrível.” Eu disse: “Então,” “se você é Meu filho, você não pode fumar, isso dá má impressão.” Ele parou de fumar, vocês podem imaginar isso? Assim, ao lidar com os filhos, sempre torne-se um exemplo, torne-se parte integrante desse evento, então as crianças não sentem. Isso é uma coisa que Eu tenho falado muitas vezes. Uma única coisa sobre as crianças, Eu lhes digo, elas podem desistir de tudo, mas não do amor de vocês. Se elas sabem que vocês as amam, elas não aceitarão nada que os fará não as amarem.

Isso é definitivo, porque as crianças são as melhores pessoas que sabem sobre o amor. É claro, Eu não sei, Eu percebo isso na língua inglesa, Eu não vi muitos livros escritos sobre as crianças, sobre belas, belas coisas. Havia um livro que foi publicado quando Eu estava em Londres: “As crianças falando sobre os políticos”, e eles publicaram, Eu acho, 5.000 livros, e no mesmo dia, eles acabaram. Então conversem com as crianças. Falem com elas, vocês ficarão surpresos ao ver que elas são cheias de mel. Elas têm coisas tão boas, tão belas, e quando elas conversam desse jeito, então você fica surpreso… ao ver como elas falam as coisas, como elas falam da Sahaja, como elas ficam expressando a força espiritual delas. Agora, nós temos crianças muito, muito boas… e também elas são totalmente sahaja. Um menino veio e ele simplesmente se prostrou diante de Mim. Então Eu disse: “Por que você fez isto?” “Não, eu estava recebendo…” “vibrações frescas, Mãe, da Senhora, então eu fiz isso.”

  • “É? Você gosta disso?” – “É claro!” -“Mais do que chocolate?” – “É claro!” Eu fiquei surpresa. “O quê? Você as come ou faz o quê?” “Não há necessidade de comer, não, não, ” “você se sente tão feliz por dentro e eu sinto, Mãe,” “que a Senhora está colocando Sua mão em meu coração…” “e tentando me consolar.” Eu fiquei surpresa.

“E onde está seu coração?” Ele disse: “Aqui, aqui está meu coração, eu sinto isso aqui.” Imaginem só, que amor e que compreensão da Sahaja Yoga… por essas criancinhas que têm menos de cinco anos. Agora, todos vocês são Minhas crianças adultas… e Eu quero que vocês conheçam todas as belezas… que estão dentro de vocês, que vocês têm de regozijar. Antes de tudo, aprenda a rir de si mesmo. Essa é a melhor forma de desfrutar a si mesmo. E… não gastem muito tempo no espelho, no espelho, essa é uma outra forma. Se você gasta muito tempo no espelho, então há alguma coisa errada com você. Pessoalmente Eu acho que é um tipo de possessão, talvez. Assim, o que você deve ver dentro: “Nós somos sahaja dharmis? ”

A Mãe estabeleceu o dharma sahaja…” “muito mais do que Krishna quis estabelecer.” Ele quis estabelecer o dharma do amor, o qual, é claro, nós temos, mas além disso nós temos muitas outras belas facetas… e coisas tão belas dentro de nossa personalidade… que nós temos esquecido de desfrutar. Portanto, a atenção deve estar em suas próprias qualidades, em sua própria personalidade, e então você ficará surpreso ao ver como sua personalidade… está lhe dando alegria, lhe dando alladha, lhe dando tanta paciência com os outros. Para Mim, a coisa toda parece às vezes uma piada, porque nada é tão sério. Não é algo do tipo de Rama em que você tem de ser sério. Eu não tenho de matar ninguém. Eu não uso nenhuma arma nesta vida. Se as coisas são resolvidas sem armas, o que você pode fazer? Mas vocês devem tentar ver a beleza como Sahaja Yogis. Vocês devem ser sensíveis para ver como vocês têm sido ajudados, como vocês têm sido guiados, como vocês têm sido abençoados.

Isso é o dharma sahaja. Se você não consegue reconhecer isso, então você vive em um nível muito baixo. Não é falha da Sahaja Yoga, mas é o seu estilo, você não é sensível. Vamos supor que alguém não seja – não queime a mão dele. Então o que você fará? Ele não tem nenhuma percepção, ele não tem nenhuma sensibilidade, ele não consegue sentir. Ele pode beber, ele pode fumar, ele pode fazer tudo e ainda assim ele está vivendo, tudo bem. Deve ser um rakshasa, Eu acho, ou Eu não sei o que dizer. Assim, nós temos de tomar o exemplo… de outros bons Sahaja Yogis e não dos ruins, e como nós procedemos na alegria, que é um oceano, simplesmente um oceano. Por exemplo agora, Eu cheguei, todo mundo estava tentando abanar.

Mas também no ocidente, um outro problema é que eles gostam de viver… em salas hermeticamente fechadas, carros hermeticamente fechados, eles têm muito medo de corrente de ar, Eu não sei, como se eles fossem ser levados pelo vento… ou com o que aconteceria com eles. Eles não querem corrente de ar. A corrente de ar não está vindo de um iceberg. Assim, eles não acreditam em ar fresco de forma alguma… e essa é uma outra razão pela qual as pessoas ficam… sufocando muito algumas vezes, elas simplesmente sufocam. Elas estão acostumadas a uma vida sufocante. Uma vez Eu estava na Índia, Eu estava com muito calor, então alguém estava Me levando de carro, mas a pessoa que estava lá era de um país ocidental. Ele disse: “Não abra, não abra a janela.” Eu disse: “Por quê?” “Há uma corrente de ar”. Eu disse: “Neste país, na Índia,” “as pessoas vivem ao ar livre, o que é uma corrente de ar?”

“Sobre qual corrente de ar você está falando?” Você não pode abrir a porta, você não pode abrir a janela, você não pode abrir nada, se você abrir alguma coisa, todos eles morrerão – até parece. Então se abram. Assim como é em relação à natureza, também é em relação à vida privada deles. Eles não querem abrir. Se alguém for à casa deles: “Oh meu Deus! ” “Agora teremos de compartilhar os vinhos, ” “teremos de compartilhar a comida.” Eles não conseguem compartilhar. Eles não conseguem compartilhar. Isso é a coisa mais não coletiva.

Mas na Índia, Eu devo dizer, as pessoas têm uma boa capacidade de compartilhar, porque elas ainda são simples, elas ainda são primitivas, ainda não saíram do caminho para satisfazer o próprio ego delas. Mas Eu acho que de uma forma ou de outra na Índia, as pessoas gostam de compartilhar. Se você quiser agradar um indiano, fale com ele: Amanhã eu virei e comerei com você. A esposa dele pulará de alegria. Ela dirá: “O que você gosta? Diga-me, qual comida você gosta?” Ela pulará de alegria. Mas ao contrário, o que acontece é que… assim que você disser: “Ele está vindo para comer”, a esposa dirá: “Não, não, eu vou para casa de minha mãe.” Imediatamente ela terá um programa. Eu simplesmente não entendo.

Eles terão belas casas, muito limpas, muito belas, tudo isso, mas se alguém vem à casa deles, eles tomam um choque… como se tivesse passado eletricidade. Então para quem é tudo isso? Para se exibir, eles pegarão dinheiro emprestado dos bancos. Até mesmo os indianos na América fazem isso. Eles querem ter três Mercedes, quatro casas, para quê? Pegando dinheiro emprestado. Eles vivem com dinheiro emprestado. Os Sahaja Yogis não têm de pegar nenhum dinheiro emprestado. Não há nenhuma necessidade, vocês podem eliminar essas coisas. Por que ter tantos carros?

Hoje em dia as pessoas nem sequer caminham, de forma alguma. Nós íamos para a nossa escola, Meu pai tinha um carro na Índia, nada feito, nós tínhamos e andávamos a pé. Nós costumávamos subir uma montanha. Eram cerca de oito quilômetros até a escola, toda manhã. Depois à noite, ao anoitecer, o carro vinha, e Eu caminhava com Meus pés descalços, porque havia muitas vibrações, e Eu achava que as sandálias estavam cortando Minhas vibrações, então Eu ficava com as sandálias em Minha mão e andava a pé. Um dia nós tínhamos um novo motorista, Meu pai o tinha enviado. Ele disse: “Como eu saberei quem é sua filha.” Ele disse: “Uma menina com as sandálias na mão Dela…” “é quem você tem de trazer.” Assim, é para regozijar sua nobreza, regozijar sua generosidade, isso é muito importante. E não tomar partido de ninguém.

Você não fica identificado com ninguém. Está muito melhor agora, Eu acho, porque desde que vocês adotaram… o dharma sahaja, Eu tenho visto que… os ingleses lhe falarão o que está errado com os ingleses. Os suíços lhe falarão o que está errado com os suíços. Os indianos lhe falarão o que está errado com os indianos. Na verdade, Eu aprendi com eles. Eu não sei que essas coisas existem. Os russos lhe falarão o que está errado com os russos. Eles imediatamente começam a ver: “O que está errado conosco?” “O que falta em nós em relação a isso?” Porque a coletividade do ser em um único país é… como por exemplo um indiano: “Nós vemos agora o que está acontecendo na Índia,” “todos corruptos, horríveis, isso, aquilo.”

Então Eu disse: “Tudo bem, se vocês não gostam da Índia,” “por que não vão para outro lugar?” “Não, não, não, nós ficaremos aqui,” “mas este é um governo muito corrupto, muito ruim, isso, aquilo.” Em qualquer lugar que você vá, você descobrirá que imediatamente… eles veem, porque você não sabe, eles agora são os escolhidos para mudar o país deles. Eu levantei muitas questões agora sobre a Índia… e Eu vou começar a trabalhar nesse nível. Nós já começamos, de um certo modo, em prol das mulheres desamparadas, depois em prol de pessoas com outro tipo de pobreza e tudo mais. Apenas dizendo: “remova a pobreza”, a pobreza não pode ser eliminada. Você tem de ter sentimento pelo pobre, somente então – mas você fica com mais desse sentimento porque você é um indiano. Você é um indiano, e daí? Seus próprios irmãos e irmãs estão passando fome. Você tem esse sentimento muito profundo dentro de você, se você é um sahaja dharmi.

Assim, esse é o novo dharma… que nós estabelecemos agora neste mundo. Uma nova raça, com um novo dharma, que está muito acima, mesmo a visão de Shri Krishna está se tornando realidade. Ele descreve no começo. Eu acho que Ele não era um bom vendedor, porque Ele descreve o melhor primeiro. O vendedor primeiro começará com duas rupias, depois segue em diante até duas mil. Mas primeiro Ele nos disse que você tem de se tornar Sthita PrAgnya, significa Sahaja Yogi e depois Arjuna fez uma pergunta a Shri Krishna: “O que é Sthita PrAgnya?” Então Ele descreve um Sahaja Yogi, Ele descreve antes o primeiro capítulo, o segundo capítulo é esse. Então as perguntas começam. Arjuna perguntava muito, Eu acho. Então ele começa a perguntar: “E quanto a isso…” “e quanto àquilo e quanto àquilo?”

Ele segue explicando para ele: “Veja, tudo isso é só uma maya,” “tudo isso é uma ilusão que você tem. Livre-se dessa ilusão.” “Se algum dia você se livrar dessa ilusão…”, porque Arjuna disse: “Eles são meus parentes, eles são meus professores.” “Como eu posso matá-los?” Então Krishna disse: “Ninguém é morto.” Ele disse: “Ninguém é morto, mas eles estão sendo destruídos…” “porque eles não estão seguindo o satya dharma, então tudo bem.” ” “O que é o seu irmão? O que é a sua irmã? Eles não estão seguindo…” “o satya dharma, então você não tem nada a ver com eles.” “Se você puder corrigi-los e ajudá-los, tudo bem, senão esqueça-os.”

Primeiro lide com as pessoas que são corretas. Por exemplo, devemos dizer que temos de lidar com pessoas que são simples, inocentes e depois você pode se dedicar às pessoas difíceis, quando você é bom assim. Senão você virá aqui dizendo: “Mãe, eu bloqueei isso, bloqueei aquilo.” Assim, no dharma sahaja, você sendo o Espírito, você também sabe sobre os outros muito bem… e você pode distinguir quem é quem, quais chakras deles estão bloqueados. Mas o problema na América é que Eu percebi que os Sahaja Yogis… costumavam apenas ir e dizer a alguém: “Você está bloqueado neste chakra.” Agora, ele vem pela primeira vez… e você lhe diz: “Você, você é muito egoísta.” Ele diz: “Como você sabe?” “Seu Agnya está bloqueado.” Talvez o Agnya dele mesmo é que está bloqueado. É essa a maneira de receber uma pessoa nova?

É essa a maneira de se falar com uma pessoa nova? Ao contrário, você deve dizer: “Venha, sente-se, muito bom,” “você está ótimo”, entendem? Porque eles ainda são ignorantes, então eles gostam de algum tipo de adulação, como vocês chamam isso, nós chamamos isso de “chaplusi”. Depois, gradualmente, porque você está fazendo isso só para torná-lo um Sahaja Yogi, porque você o ama. Basicamente essa é a razão. Mas assim que alguém chega, se você lhe disser: “Isto está errado com você, aquilo está errado com você”, isso não é coisa de papa… onde você segue falando para as pessoas o que está errado com elas, você vai e confessa para todas essas pessoas tolas. Não é isso. O que nós temos de mostrar é que você “se apaixonou” por essa pessoa, você é gentil com essa pessoa, porque você gosta dela. Então gradualmente você a ergue. Mas assim que ele chega, você lhe dá um choque, então acabou.

Como você pode ter bons relacionamentos? Os americanos têm de aprender isso. Eu não sei por que os americanos… acham que eles são pessoas muito superiores. Eu lhes digo, em relação à sabedoria, Eu não diria que eles são tão bons. Está faltando sabedoria neles completamente. E eles interpretam mal as pessoas muito rápido. Começar a julgar os outros… não é a maneira pela qual você pode ter o dharma sahaja. O sahaja dharma é: você está por conta própria, você está em seu próprio, você está em seu próprio reino… e em sua felicidade e alegria. Onde está o tempo para criticar os outros? Portanto a melhor coisa é mostrar seu máximo amor a todo mundo.

Nesse amor, você não deve mostrar sua piedade, mas sim o amor que é, novamente, alladhadayini. Essa é a mensagem de Shri Krishna, mas Eu não sei quantos a entenderam. Agora, o que você percebe naqueles que estão seguindo Shri Krishna, como as pessoas Hare Rama, é que eles são realmente mendigos na rua. Ele é Kubera e Seus discípulos são todos mendigos, podem imaginar isso? Isso contribui para a glória Dele como Kubera? Os Sahaja Yogis não são assim. Você deve ser generoso, não deve se importar muito consigo mesmo. Você não deve o tempo todo pensar em si mesmo, mas deve pensar na coletividade, em como você se comporta. A coletividade não é para trazer – forçar as pessoas a virem para a Sahaja Yoga. Uma vez que elas venham para a Sahaja Yoga, elas conhecerão a alegria da vida e você não tem de lhes falar nada.

Nada tem de ser falado, apenas silenciosamente isso funcionará… e eles sentirão o seu amor. Vejam, o amor é algo tão grandioso. Ele não somente ajuda os outros, mas também o ajuda. Dá tanta alegria dar a Realização aos outros. Mas se você começa a falar: “Seu chakra está bloqueado”, por que você está dando a Realização? Se você não sabe como dar a Realização, é melhor não fazê-lo. Portanto, criticar não a forma pela qual nós podemos desfrutar o amor. Ah, é claro, vocês podem caçoar uns dos outros às vezes, apenas por divertimento, mas não para ofender, não para torturar, não para fazer a pessoa se abater. Todos vocês são sahaja dharmis, vocês aceitaram o dharma sahaja… e no dharma sahaja, nós temos de ter o puro amor do coração, não a hipocrisia. E ter uma vida sensata.

Agora, este papa é contra o aborto. Eu não sou. Se uma mulher está sofrendo, deixe-a fazer o aborto. Aquele que está vivendo é mais importante… do que aquele que não está vivendo. Se alguém quer fazer o aborto, essa criança pode nascer novamente. De acordo conosco, ninguém morre permanentemente. Seja o que for. Assim, essa é uma das formas que eles usam… para a propagação dos seres humanos. Por exemplo, eles dizem que as mulheres muçulmanas são como uma fábrica. Elas seguem produzindo mais crianças, mais crianças, mais crianças.

Então há mais eleitores. O papa sabe disso. É por isso que ele diz: aborto, não. Os cristãos não devem fazer aborto, porque depois haverá menos… cristãos para competir com os muçulmanos. Mas na Sahaja Yoga, nós não temos essas coisas estranhas, radicais, insensatas. Nós temos o divórcio… e também temos o aborto. O que é importante compreender que todos esses são tabus que existem. Mas não para as pessoas que têm de se livrar dos problemas, vocês têm de ter isso. E é desse modo que isso funciona. Mas para ser muito franca, nós não temos de fazer abortos, isso é realizado pelo Paramachaitanya.

O Paramachaitanya faz isso por Mim. Eu não tenho de fazer. Eu não tenho de fazer nada. É o Paramachaitanya. Isso é bom porque Ele sabe o que deve ser feito, como realizar isso. E algumas vezes você fica em apuros, então saiba que você não está deixando as coisas nas mãos… do Paramachaitanya. Se você deixar nas mãos do Paramachaitanya, as coisas funcionarão muito bem. Assim, para compreender a Sahaja Yoga, a coisa mais importante é: o quanto você está se alegrando. Quanta alegria você está dando aos outros? Para isso, você tem a música, você tem isso, aquilo.

Eu estava dizendo que hoje Eu não falaria muito, mas, de um modo ou de outro, com Shri Krishna você não consegue ficar calado. Ele tocou murli, basuri, a flauta. Olhem para Ele. Eu falei com Ele, mas Ele simplesmente tocou murli. Ele não falou muito, com exceção do Gita, você não O encontrará falando. E aqueles que leem também o Gita são pessoas horríveis, Eu lhes digo, Eu Me encontrei com os que leem o Gita. Eles não entendem o que é o dharma de Shri Krishna. Se eles não compreendem Shri Krishna, como eles compreenderão a Sahaja Yoga? Portanto é para todos vocês praticarem… o amor, o perdão, o ato de apreciar os outros, o ato de dar alegria aos outros. Alguns dos Sahaja Yogis têm sido muito gentis Comigo também.

Uma vez Eu fui à loja comprar um sari para Mim… e o sari era muito caro para os Meus propósitos. Então Eu não comprei. Eu disse: “Deixem pra lá. Esta cor fica bem em Mim, tudo bem, mas não importa.” Eu não tinha muito dinheiro para comprar. Então aquele Sahaja Yogi comprou aquele sári… e Me deu no Meu aniversário, e realmente Eu não conseguia vê-lo, porque Meus olhos ficaram cheios de lágrimas. Apenas uma coisa pequena como aquela. Normalmente Eu não espero que vocês façam alguma coisa para Mim, não. Mas pequeninas coisas fazem você ficar tão feliz. Mas mesmo que você faça isso para alguém, talvez ele não compreenda, ele não se dê conta, não sinta isso.

Mas se você é um Sahaja Yogi, você sentirá. Então muito obrigada por tudo isso, como Eu lhes disse, tentem regozijar a si mesmos… e façam com que os outros gostem de vocês.

Que Deus os abençoe.